Muitas opções no site: bom ou ruim para o usuário?

Por Vitória Schilling. Com tantas opções de sites, de tantos segmentos e com tanto o que fazer em cada site, é fácil para um usuário perder-se em meio às quase que infinitas possibilidadesPesquisas comprovam que opções em demasia podem ser desmotivadoras e que quando você oferece muitas opções para os usuários no site, é possível que suas conversões diminuam, ao invés de aumentarem. Confira!

O psicólogo Barry Schwartz, em uma palestra (TED) sobre o Paradoxo da Escolha (vídeo abaixo) afirma que o dogma das sociedades industriais ocidentais é que se estivermos interessados em maximizar o bem estar dos cidadãos, a maneira de o fazer é maximizar a liberdade individual. Para ele, a liberdade é positiva, e o modo de maximizar a liberdade é maximizar a escolha. Quanto mais escolha as pessoas tiverem, mais liberdade terão e, consequentemente, mais bem estar.

Muitas opções no site: bom ou ruim para o usuário?

Para Schwartz, porém, o problema com a liberdade de escolha é que temos que constantemente decidir, decidir e decidir, seja com a variedade quase ilimitada que temos de celulares, opções nas prateleiras do supermercado e na internet, por exemplo. Por isso, ele questiona o dogma, ao explicar o lado negativo de termos muitas opções das quais podemos escolher:

“- Muitas opções produz paralisia ao invés de libertação. Com tantas opções, as pessoas começam a achar difícil escolher e muitas vezes acabam por não tomar ação alguma.”

“- Mesmo se conseguimos ultrapassar a paralisia e fazer uma escolha, acabamos menos satisfeitos com o resultado da escolha do que se tivéssemos tido menos opções para escolher. Porque se você escolhe um e ele não é perfeito, é fácil imaginar que você poderia ter feito uma escolha diferente que teria sido melhor.”

- Essa alternativa imaginada o induz a um arrependimento em relação à decisão tomada e esse arrependimento subtrai-se da satisfação obtida pela tomada de decisão, mesmo que tenha sido uma boa decisão. Quanto mais opções, mais fácil de nos arrependermos.

- Aumento das expectativas: aumentando as opções, aumenta a expectativa sobre quão boas as opções serão. Mesmo que a escolha que você fez seja a melhor, com todas as opções disponíveis, a expectativa do que é bom sobe, e você espera encontrar algo perfeito.

No que diz respeito à performance dos sites, a questão apontada por Schwartz abrange dois aspectos:

Em meio a tantas opções na Internet, pense no que fazer para:

1) Se destacar para ser escolhido;
2) Deixar claro para quem o escolhe que você é a melhor opção;
3) Corresponder à expectativa dos usuários que, em meio a tantos anúncios, links na página de resultados do Google ou páginas para curtir escolheram a sua.

Muitas opções no site: bom ou ruim para o usuário?

Uma vez que foi escolhido pelo usuário, estude como garantir que ele não se perca no seu site e vá de encontro ao que você espera que ele faça – por exemplo, converter. Os visitantes devem conseguir achar o que estão procurando rapidamente. Se você der a eles muitas opções, eles podem simplesmente sair do site. Usuários não devem aprender a navegar no seu site: a navegação deve acontecer de forma intuitiva e natural. Defina bem o foco do site e o que é mais importante de ser acessado pelas pessoas e torne o caminho para encontrar isso fácil.

O blog Kissmetrics compilou exemplos de como limitar as opções para os usuários na Internet pode ser mais benéfico do que dar a eles total liberdade de escolha com muitas opções.

Entre os exemplos:

# Determinar quais ferramentas de compartilhamento você quer deixar disponíveis para o usuário – oferecer apenas as opções de Twitter e Facebook, por exemplo, se são suas principais redes sociais, ao invés de tentar diversificar demais e acabar por inibir o usuário de compartilhar;

# Ter um objetivo definido quando envia e-mail marketing – focar em poucos produtos e dar poucas opções, para o usuário tomar facilmente uma decisão baseado no que recebeu.

Exemplo ruim de E-mail Marketing

Exemplo ruim de E-mail Marketing.

Exemplo bom de E-mail Marketing.

Exemplo bom de E-mail Marketing.

Texto publicado no Global AD.

6 dúvidas mais frequentes sobre Logística no E-commerce.

Logística no E-commerce. Quem tem um e-commerce sabe que garantir as entregas dos produtos com o menor tempo e custo possível é um grande desafio. Além de tudo, esse é um fator crítico para garantir o sucesso da loja virtual.

6 dúvidas mais frequentes sobre Logística no E-commerce.

Vale lembrar que o processo logístico não envolve apenas o transporte, mas começa na armazenagem dos produtos, as embalagens, como é feito o controle de estoque, o fluxo dos pedidos até, finalmente, a entrega. Esse é um processo que precisa ser muito bem organizado, com atribuições bem definidas para cada um dos envolvidos. Pensando nisso, separamos as principais dúvidas referentes à logística e a resposta delas, para lhe guiar. Confira:

1# Como organizar o meu fluxo logístico?

Antes de qualquer coisa, é fundamental que você tenha o processo logístico bem delineado e organizado. Por isso, é preciso definir quem cuidará do que, quando chega o produto x ou y, qual o processo de finalização de compra, como a compra finalizada chegará no departamento de logística, etc.

Com base em todas essas informações será possível desenhar as responsabilidades de cada um, até que o produto chegue na casa do cliente. Isso depende de muito planejamento, observação e controle.

2# O que considerar para escolher o operador logístico?

Para gerenciar tudo isso você precisa de um sistema que integre todas as etapas do processo, amarrando-as. Assim que terminar a compra de produtos para o seu estoque, por exemplo, o próximo passo já precisa estar integrado e previsto, para que a logística esteja preparada para tomar a atitude necessária para a entrega.

Leia também: Como escolher um operador logístico para a loja virtual.

Integração da sua plataforma com o sistema do operador é fundamental.

É importantíssimo que o sistema de gestão do seu e-commerce seja integrado com o sistema de operação logística. Essa escolha corresponde a uma das grandes questões para deslanchar o seu negócio.

Portanto, pesquise bem antes de escolhê-lo e verifique o que ele é capaz de entregar em qualidade, rapidez, resultado, atendimento e know how. São características que devem ser levadas em conta no transporte das suas mercadorias.

3# Devo escolher os Correios ou optar por uma transportadora?

Antes de tomar essa decisão você deve levar em consideração alguns fatores. Por exemplo, se o produto que você vende é maior e mais pesado, a transportadora é a melhor alternativa. Isso porque, além de limitar o tamanho e o peso das encomendas enviadas, os Correios cobram taxas adicionais pelos produtos mais robustos, e isso poderá deixar o seu valor de mercado com frete bem menos atrativo para sua clientela.

Mais: Correios mostra como calcular o valor do frete de um produto.

t1_frete_141044_1480

Lembre-se também de considerar o custo, a possibilidade de um contrato para economizar, a velocidade de entrega, o seguro em caso de extravio de mercadoria e o envio para fora do país, por exemplo. Para escolher o operador logístico da sua loja virtual você deve ter em mente que não existe uma fórmula que dê certo para todos, por isso, é essencial optar pelo que for melhor para o seu negócio.

Leia também: Como escolher o produto certo para minha loja virtual?

4# Além do operador, é preciso investir em pessoal dentro da minha empresa?

Alguns imprevistos podem ocorrer no caminho e a consequência pode ser um atraso na entrega. Por isso, você precisa contar com um back-office bem preparado, para atender o seu cliente e estar pronto para trabalhar com alternativas necessárias, agir de imediato e solucionar problemas.

Leia também: A importância da embalagem no E-commerce.

Prepare a sua equipe para atender telefones, rastrear encomendas e ficar sempre em contato com os fornecedores e com os operadores logísticos para estreitar as relações e obter sucesso nos contatos urgentes.

Tenha também um canal direto com o cliente para que ele possa sugerir, comentar ou reclamar de algo durante a entrega. É através disso que ela vai melhorando para atender com excelência os seus clientes.

Tem estoque dentro da sua empresa? Você precisa de pessoal qualificado!

Além disso, se você tiver um grande estoque dentro da sua empresa é fundamental que se organize para administrá-lo da melhor forma. Para isso, é essencial ter pessoal preparado, com experiência em gestão de estoque ou, caso não encontre pessoas já capacitadas, saiba que você precisará investir em capacitação.

6 dúvidas mais frequentes sobre Logística no E-commerce.

5# Como gerenciar todo o processo de logística?

Para obter uma melhoria contínua das suas entregas, que significam tempo e custo cada vez menores, estabeleça metas com a sua equipe e fornecedores. Negocie prazos melhores, busque novas alternativas e mantenha sempre o controle de tudo para medir e analisar novas decisões. Atente-se, inclusive, ao feedback dos clientes para evoluir neste sentido também.

6# Terceirizar ou não?

Existem empresas que fazem o gerenciamento logístico completo da sua loja virtual. Isso pode facilitar o processo, mas pode encarecê-lo também. Por isso, é importante analisar o quanto isso traz de diferença no valor final e no que implica para a sua loja virtual.

Optou pela terceirização? É fundamental que o sistema que gerencia o seu e-commerce, esteja integrado ao utilizado pela sua empresa de logística. Cabe colocar no papel o que você perde e ganha terceirizando a operação logística. Assim você descobre todas as vantagens e desvantagens disto.

Aproveite nossas dicas e invista na gestão logística do seu e-commerce. Se ainda tiver dúvidas e precisar de ajuda nas suas decisões, deixe nos comentários e lhe ajudaremos a seguir pelo melhor caminho!

Como funciona a Automação de Marketing.

Por Alex Kantrowitz, do Advertising Age. Você seria perdoado por pensar que “Automação de Marketing” é um termo estranho, se não contraditório. Até pouco tempo atrás, essas duas palavras nunca eram mencionadas na mesma frase. O objetivo do marketing é aumentar a percepção de serviços e produtos, missão frequentemente realizada por trabalho criativo intenso.

Entretanto, a automação é definida como concretizar algo com a menor intervenção humana possível. Mas a mudança para a mídia online abriu as portas para a automação entrar no mundo do marketing.

Como funciona a Automação de Marketing.

No âmbito digital, anunciantes podem ver não só quais mensagens funcionam, como quem responde e como essas pessoas interagiram com a marca no passado. Ao reunir todos os dados e mapear os vários caminhos do consumidor, eles podem personalizar o conteúdo automaticamente para os consumidores.

A personalização do conteúdo e o engajamento com base no que os consumidores consomem é o cerne da automação de marketing.

“Trata-se de engajar consumidores em qualquer canal ou dispositivo com uma abordagem baseada em dados”, afirma Gordon Evans, vice-presidente de marketing da Salesforce ExactTarget Marketing Cloud, que oferece um software de automação de marketing.

O poder dessas plataformas as transformaram em alvos de aquisições atraentes para empresas do porte de IBM, Oracle, Salesforce e Adobe, que compraram pelo menos uma companhia do ramo nos últimos dois anos. Quando conectadas com outras plataformas de marketing, como a CRM, o sistema de automação de marketing pode fazer com que uma organização inteira seja mais eficaz na comunicação com os consumidores.

A prática já é popular entre anunciantes B2B, mas as ferramentas também estão começando a ser utilizadas pelas empresas B2C. Leia também: Buyer Persona: Compreenda melhor quem é seu cliente e do que ele precisa.

Como funciona a Automação de Marketing.

Infográfico da Marketo.

Personalização de conteúdo.

Em seu estágio mais básico, o software de automação de marketing pode fortalecer comunicações específicas se o consumidor fizer determinada ação. Por exemplo, quando ele visita uma página de botas, o sistema de automação pode enviar um e-mail com mais detalhes sobre a linha da calçados da empresa, explica Evans.

E, até melhor, quando o consumidor abandona o carrinho de compras com um produto nele, o sistema pode enviar um e-mail ou notificação com uma oferta especial. Para que a estratégia funcione, a empresa deve inserir tags da plataforma de automação no site, estabelecer formas para capturar nome e e-mail e construir gatilhos.

Construção do relacionamento.

Para anunciantes B2B, uma plataforma de automação pode influenciar compradores antes que eles contatem um representante de vendas. Uma pesquisa da CEB constatou que 57% das decisões de um comprador B2B são concluídas antes que cheguem às vendas, o que significa que compradores estão aprendendo o quanto podem antes de uma companhia ter a chance de falar com eles.

Sistemas de automação de marketing podem ser utilizados para desenvolver prospectos, veicular informações úteis sobre categorias de produtos para fortalecer a confiança.

“A primeira vez que você encontra pessoas, elas não estão prontas para comprar de você”, diz Sanjay Dholakia, CMO da Marketo. “Você tem que construir um relacionamento de confiança antes”.

Leia mais: Como escolher o tipo de conteúdo correto para seus objetivos.

Engajamento esperto.

O verdadeiro poder da automação de marketing está na capacidade de customizar mensagens baseadas em que estágio o prospect está na jornada de compra. Um clique na página de preço da empresa, por exemplo, é um sinal de que ele pode estar pronto para comprar, então análises competitivas, por exemplo, podem ser um conteúdo a se apostar.

Geração de leads, que sinalizam pontos sobre se os prospects se encaixam na descrição de um comprador típico e quais ações realizaram, é usado para segmentar consumidores . Se atingir muito cedo, afirma Dholakia, parecerá um lead ruim; alcance tarde demais e você terá perdido a venda. Leia mais: Nutrição de leads, que bicho é esse?

Analytics preditivos.

Gestão de leads é uma ciência incerta, e é por isso que alguns anunciantes estão se voltando para o analytics preditivo. A prática utiliza milhares de dados para determinar quais atributos são preditivos para vendas ou oportunidades.

“Essas avaliações para diferentes comportamentos são julgamentos francos, não são baseados na ciência”, explicou Brian Kardon, CMO da Lattice Engines, empresa de analytics preditiva. Em vez disso, ao recorrer a analytics preditivos, anunciantes podem fazer vendas históricas e obter dados sobre rodadas de investimento, aberturas de escritório, novas contratações, patentes, processos e até mesmo posts do Twitter.

Para anunciantes B2C, analytics preditivos podem ser utilizados para tomar decisões de compra programática de anúncios. Alguns anunciantes até estão vendo a performance desses anúncios e moldando suas mensagens em canais baseados no que repercute.

Texto publicado no Proxxima.

Como escolher um especialista em Marketing Digital.

Atuo no mercado de E-commerce há muito tempo e, não são raras as vezes que empreendedores de lojas virtuais me pedem indicações de agência ou especialista em Marketing Digital para realizarem este serviço em seus empreendimentos. Este é um pedido que costumo ter muito cuidado em passar, pois esta é uma área onde existem muitos profissionais que são competentes e outros que acham que são.

Por isso resolvi escrever este artigo com algumas dicas para quem procura um profissional da área.

Como escolher um especialista em Marketing Digital.

Anda cada vez mais fácil assinar um e-mail ou um cartão de visitas dizendo que é um especialista em Marketing Digital — e isto vale também para outras profissões que oferecem outros serviços. Eu costumo dizer que, não adianta comprar um jaleco e um estetoscópio para virar um médico. Muito menos colocar um capacete e uma roupa prateada para se tornar um astronauta. O mesmo vale para especialistas em Marketing Digital.

A dica principal que dou para quem está procurando algum profissional da área é: PESQUISE! Pense que você está contratando  mais um fornecedor de serviço para sua empresa. Da mesma forma que você pesquisa o fornecedor dos produtos que você vende, da plataforma de e-commerce que você tem sua loja, da ferramenta de ERP, é essencial observar como atua o profissional ou a agência de Marketing Digital que você vai fechar contrato.

Não acredite apenas no cartão de visitas ou na assinatura de e-mails. Tente pesquisar o portfólio da empresa ou do especialista e veja quais foram os resultados obtidos. Veja o que os clientes falam da empresa, se possuem alguma insatisfação ou ressalva.

É importante também observar quais serviços serão oferecidos. O Marketing Digital possui um guarda-chuva que abrange diversas ações que levam prazos distintos para a obtenção de um determinado resultado. Estreitar e melhorar o relacionamento da empresa com o público-alvo, por exemplo, requer um plano de estratégias que envolvem ações de curto, médio e longo (ou até mesmo longuíssimos) prazos.

Muitas vezes, esse tipo de serviço pode parecer intangível para quem está contratando. Lembre-se: o trabalho de Marketing Digital exige tempo. Ele não é barato e demanda muito esforço. Portanto, veja quais são os relatórios este profissional irá entregar, que tipo de métricas ele irá utilizar e, principalmente, como será feito o planejamento destas ações. Se lhe oferecerem o serviço por um preço muito abaixo do mercado e com resultados muito miraculosos em pouco tempo, desconfie.

Veja também se as estratégias que este profissional irá tomar combinam com as suas. Alinhe com ele quais são suas expectativas e o que você está comprando. Desta forma, conversando e analisando o trabalho oferecido antes de assinar o cheque, você poupará complicações e não ficará frustrado com o serviço no futuro.

Texto do Dloja Virtual.

Satisfação do Cliente: Quando é melhor não vender.

Partindo do princípio de que os produtos e serviços comercializados na loja virtual têm como base o suprimento de necessidades específicas do consumidor, é preciso entender que há momentos que é melhor não vender.

Satisfação do Cliente: Quando é melhor não vender.

Isso mesmo! Ser transparente com o consumidor e explicar-lhe que, em determinada circunstância, seu produto ou serviço não é o mais indicado para suprir sua real necessidade, você não o perde, pelo contrário, conquista sua confiança definitivamente.

#Quem faz isso?

Uma gigante do e-commerce internacional. A Zappos é, por simples definição, uma das pioneiras na comercialização de sapatos via web, com excelência em qualidade na prestação de serviços ao consumidor. A visão da Zappos é oferecer satisfação ao cliente, ao ponto de sugerir a negociação junto a concorrentes, se a loja não consegue suprir o que o consumidor deseja.

#Quais as vantagens?

Ao apresentar uma solução ao consumidor, ainda que não a possa suprir diretamente em sua loja, lhe transmitirá confiabilidade. Seu cliente entenderá que pode contar com sua empresa; o que lhe motivará a voltar sempre que precisar de algo, tendo sua loja virtual como referência e primeira opção.

#Por que valorizar o cliente?

Simples. Clientes satisfeitos geram outros clientes, e com ótimas impressões sobre o seu negócio. Além disso, manter um cliente é mais lucrativo, financeiramente falando, se comparado com o desenvolvimento de campanhas para atrair novos consumidores. Ou seja, só há benefícios em valorizar seus clientes.

A verdade é que trabalhar com clareza e transparência junto ao consumidor, tornará seu e-commerce mais confiável. Pode até perder uma venda, mais ganhará reputação, fidelidade e um marketing boca a boca eficaz.

Pense nisso e sucesso!

Texto publicado no Blog da Dotstore.

Prêmio E-bit 2014: As melhores lojas virtuais do Brasil.

Prêmio E-bit 2014. Todos os anos a E-bit, reconhecida como a mais respeitada fonte de informações do e-commerce, entrega o troféu Excelência em Qualidade Comércio Eletrônico B2C para as melhores lojas virtuais do Brasil.

Prêmio E-bit 2014: As melhores lojas virtuais do Brasil.

A premiação ocorreu hoje (dia 13/08/2014), no Fórum E-Commerce Brasil, um dos eventos mais importantes do país com painéis sobre tendências e atualizações do mercado, com os maiores nomes do varejo digital.

O critério de elegibilidade para as lojas foi ter mantido suas respectivas medalhas por pelo menos 184 dias, no período entre 1º de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2013. Veja as melhores lojas virtuais de 2014!

Melhor Loja Diamante.

Submarino - As melhores lojas virtuais em 2014.

Melhores Lojas Diamante (Top 5).

Submarino, Livraria Cultura, Ponto Frio, Magazine Luiza e Walmart - As melhores lojas virtuais em 2014.

Melhor Loja Ouro.

Girafa - As melhores lojas virtuais em 2014.

Melhor Loja Prata.

Paulinho Motos - As melhores lojas virtuais em 2014.

Melhor Loja Bronze.

Utilplast - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Diamante.

Americanas - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Alimentos e Bebidas.

Pão de Açúcar - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Bebês.

Tricae - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Casa e Decoração.

Mobly - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Cosméticos.

O Boticário - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Moda.

Dafiti - As melhores lojas virtuais em 2014.

Loja Mais Querida Saúde.

Ultrafarma - As melhores lojas virtuais em 2014.

Prêmio Inovação.

Extra - As melhores lojas virtuais em 2014.

Prêmio Mobile.

Walmart - As melhores lojas virtuais em 2014.

Mais sobre a premiação você pode encontrar no site da E-bit.

Veja também: As campeãs do ano passado.

5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

O E-commerce não para de crescer no Brasil! Só no primeiro semestre de 2014 houve aumento de 26% em relação ao mesmo período do ano passado, o que significa um volume de vendas da ordem de R$ 16 bilhões. As projeções para os próximos ciclos continuam otimistas, segundo levantamento do 30º relatório WebShoppers, apresentado em agosto.

5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

Apesar da desaceleração econômica observada em setores como o automotivo, por exemplo, o cenário nacional para o e-commerce continua favorável, o que estimula o surgimento de novos empreendedores e o aperfeiçoamento daqueles que já estão no mercado. No post de hoje vamos oferecer 5 dicas para você melhorar a loja virtual em gerenciamento e desempenho, garantindo uma participação significativa na fatia promissora deste mercado. Confira!

# Sua loja atende bem o Mobile Commerce?

Se a resposta for não, melhor rever seus conceitos! Nos últimos meses a venda de dispositivos móveis disparou no país (em 2013 foram vendidos 35,6 milhões de smartphones segundo o IDC e a estimativa é que esses números sejam superiores a 50 milhões para 2014).

Somos também uma nação que investe pesado na compra de smartphones e temos visto, cada dia mais, a difusão dos tablets, mesmo entre quem é da classe C. Esses dados ajudam a explicar a explosão de vendas via dispositivos móveis, o Mobile Commerce (M-commerce).Veja o infográfico:

Infográfico Mobile Commerce no Brasil - 5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

Infográfico Mobile Commerce no Brasil – Dados do Relatório Webshoppers 30.

Veja+: Infográfico: Lojas virtuais vendem mais de 16bi no primeiro semestre de 2014.

As compras efetuadas por esses dispositivos cresceram no país, o que representou um aumento também do faturamento. Ainda segundo o E-bit Webshoppers, são incríveis 102% de aumento do faturamento de 2013 para 2014 e 126% de crescimento de volume de pedidos.

Portanto, trate de adaptar sua loja virtual para atender bem seus clientes mobile. Invista em plataformas responsivas, que se adaptam a todas as plataformas, para não perder nenhuma venda!

# Monitore o tráfego do seu site.

Achismos a parte, você só terá a real dimensão do seu alcance e da sua performance se tiver em mãos relatórios periódicos sobre quem entra no seu site, quanto tempo fica e em quais páginas circula. Para reforçar a análise, recomendamos aferições diárias, semanais e mensais.

Dessa forma você vai poder ver, na prática, o quão atrativa está sua loja e adotar medidas para ampliar o tráfego e, consequentemente, a conversão do seu site.

Dica de Ouro: Cyfe (www.cyfe.com)

Um painel online que integra gráficos de vários sistemas. Este sistema é o “Sonho de Consumo” de qualquer gestor de loja virtual. Com ele você consegue visualizar em uma mesma tela gráficos importantes como do Google Analytics, Google Adwords, Facebook, Twitter, entre outras. Isso economiza muito tempo não só pelo fato de não precisar fazer o login em vários sistemas, mas também coloca um gráfico ao lado do outro permitindo uma rápida analise das suas métricas mais importantes.

Cyfe - 5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

Para começar a usar este sistema gratuitamente, basta se cadastrar e configurar quais os gráficos que você deseja visualizar seja do Google, Facebook, Twitter, Addthis, Mailchimp, (entre vários outros). Para integrar o gráfico é preciso clicar em Add e Widdget e estar logado previamente na ferramenta a ser adicionado. A versão free dá direito a colocar 5 gráficos, e analisa dados pelo período de 30 dias anteriores a data do dia do acesso a ferramenta.

Veja mais ferramentas gratuitas: 30 ferramentas gratuitas para TURBINAR seu E-commerce.

# Dê mais atenção às páginas da sua loja.

Sim, essa dica é importante, porque não basta que você tenha os dados gerais do seu site. Você precisa saber quais são as páginas que mais e menos recebem visitas e também aquelas que levam à saída da sua loja. E investigue as causas: páginas poluídas? Descrições que não explicam? Muitas cores? Design pouco atrativo? Leia mais sobre Design para E-commerce: 7 tendências de Design para lojas virtuais.

Dica de Ouro: Eyequant (www.eyequant.com)

É uma ferramenta que simula por meio de algoritmos o caminho que o olhar do internauta faz quando visita um site. Este sistema é excelente para você entender o que está chamando mais a atenção do seu internauta quando olha por exemplo para a home da sua loja. Você poderá descobrir que o banner que supostamente deveria captar o olhar do usuário está perdendo para um produto com a cor vermelha ao lado.

Dica de Ouro: Eyequant (www.eyequant.com) - 5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

Esta análise permite você aprimorar a eficiência da sua comunicação visual para poder aumentar a conversão de vendas de seus anúncios e também melhorar a experiência de navegação de forma geral na sua loja. É possível fazer um teste gratuito colocando a URL do seu site e se cadastrando no sistema. Ele irá gerar uma imagem sombreada iluminando as partes que concentram o olhar do internauta, você pode ainda ver um mapa de calor destes pontos.

Entenda melhor sobre esta ferramenta: Eye-Tracking: Para onde vão os olhos do visitante em um website.

Com as respostas em mãos você conseguirá resolver o problema das páginas pouco visitadas ou que não conseguem reter a atenção do visitante por muito tempo.

# Aumente o valor médio do pedido.

Aumente o valor médio do pedido - 5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

Você chega ao tíquete médio dividindo o lucro total pelas compras fechadas. Esse valor te dá o panorama atual das suas vendas. Para aumentá-lo você pode adotar medidas como:

• Especialização dos produtos, foco nos nichos. Texto relevante: Em busca do produto perfeito –  Por que investir em um E-commerce de nicho.
• Marketing de conteúdo, que engaja pessoas com o perfil consumidor para o seu negócio. E-book gratuito: Estratégias de Marketing de Conteúdo para E-commerce.
• Reduza a taxa de abandono do carrinho. Texto relevante: 6 dicas para reverter carrinhos abandonados em vendas.
• Faça cross-selling (sugestões de produtos complementares) e up-selling (sugestão de produto que agrade melhor um cliente já conhecido). Mais sobre o assunto: Marketing Comportamental.

# Proteja-se contra fraudes.

Combata fraudes nos pagamentos online: isso pode ser feito através da contratação de plataformas confiáveis no mercado e disponibilização várias opções de pagamento aos clientes. Acontece mais do que você imagina, e algumas dicas do que procurar ao analisar um pedido são fundamentais para se proteger.

Proteja-se contra fraudes - 5 dicas para o gestor melhorar a loja virtual.

Como se trata de um tema amplo, separamos este Webinar gravado com Rogério Anacleto, especialista em combate à fraudes da FControl: Combata fraudes da sua loja virtual. E a apresentação de slides e perguntas feitas para acompanhar o vídeo. Leia também:  Um Monstro chamado Chargeback.

Aproveite nossas dicas e otimize o gerenciamento – e consequentemente a performance – do seu e-commerce. Se ainda tiver dúvidas, deixe-as nos comentários e lhe responderemos. Continue acompanhando nosso blog para mais dicas de ouro sobre o comércio eletrônico!

A importância da embalagem no E-commerce.

Por Gustavo Fabricio. A embalagem no e-commerce deve ser alvo de preocupação tanto quanto os outros itens necessários para criação de uma loja virtual. A experiência do cliente começa na vitrine e termina nele satisfeito com o produto.

Devido a toda agilidade e facilidade que o e-commerce proporciona ao cliente, a expectativa do recebimento da compra e a ansiedade para a chegada do produto tem se tornado cada vez maior, tanto isso é uma verdade que hoje já existem e-commerces proporcionando a compra online e a retirada na loja física.

A importância da embalagem no E-commerce.

Esse novo perfil de consumidor que estamos atendendo, se dá pelas novas gerações que vem chegando cada vez mais conectadas e informatizadas e também pelo próprio crescimento deste mercado, com consumidores comprando mais através deste canal e sentindo a velocidade com que este acontece.

Transportar encomendas pelo Brasil é uma missão difícil devido às condições da infra-estrutura de transporte do país. Fazer a encomenda chegar em boas condições torna-se um verdadeiro desafio.

Por tudo isso, a escolha da embalagem deve ser feita cuidadosamente e testes de envios são bem vindos antes de iniciar uma nova operação, além do que a embalagem é a apresentação física da loja online para o consumidor.

Hoje temos inúmeros fornecedores de embalagens com muitos modelos, opções de customizações, tanto para o fechamento externo quanto para proteção interna do produto, como por exemplo, caixas de papelão comuns e flexíveis, isopor em cubos, envelope de segurança de polietileno, envelopes acolchoados, plásticos bolha de varias gramaturas, almofadas de ar, espumas térmicas expansivas e muitos outros mais.

Fato é que, quanto mais resistente for a embalagem e mais protegido internamente o produto estiver, maior a chance dele chegar perfeito ao seu destino.

Cuidar bem desta escolha não é simplesmente um capricho de marketing e sim uma lógica de preocupação para diminuir a logística reversa e a evitar gerar desprazeres aos consumidores.

A importância da embalagem no E-commerce.Quando os produtos da loja online tem alto valor agregado, para se evitar extravios, o marketing do lado de fora das embalagens deve ser ponderado, nestes casos, uma das soluções é efetuar ações de marketing dentro das embalagens, como por exemplo envio de brindes, folders, cartões, revistas, cupons de desconto.

As tabelas de todas as transportadoras, inclusive dos Correios, precificam o frete conforme o peso físico e o peso cubado da encomenda; cobrando sempre pelo maior valor dentre os dois; nem sempre o peso físico será o maior do que o peso cubado, portanto, dimensionar o tamanho das embalagens é tão importante quanto verificar a gramatura dos insumos dela.

O ideal é escolher tamanhos fixos de embalagem porque o tamanho e o peso das embalagens são duas informações dentre algumas outras necessárias para ter o cálculo exato do custo do frete.

Por serem as embalagens sempre compradas em grandes quantidades, ter experiências, testando-as com as transportadoras escolhidas, fazendo alguns envios antes de iniciar uma operação de e-commerce, é uma ação que sempre ajuda nos ajustes finais para tomada de decisão mais assertiva da compra destes itens.

É importante que se tenha em mente por onde passam estas encomendas desde sua saída do operador logístico até sua chegada ao destino final; o trajeto todo envolve passar por estradas, muitas vezes por rios, sorters* (definição no fim do texto) e mais sorters*, gaiolas logísticas ou sacas logísticas, caminhões, aviões cargueiros, esteiras e mais esteiras (horizontais e inclinadas), balanças, mãos e mais mãos, entrando e saindo várias vezes de um lugar para outro, de um caminhão para um centro de distribuição, de lá para um outro caminhão, outro centro de distribuição, depois um avião, outro caminhão, mais um centro de distribuição, outra esteira, então para um outro sorter*, outro caminhão e quando não recebido a primeira vez, a encomenda vai e volta para outras tentativas de entregas e; quando existe logística reversa, conta-se duas vezes todo este processo, um para a ida e outro para a volta.

Aí vem a pergunta: Como é a embalagem e como foi acondicionado o produto? Pergunta esta que na maioria das vezes é a resposta e a solução da maioria das reclamações de avarias.

A importância da embalagem no E-commerce.

É imprescindível e inquestionável que os transportadores tratem com cuidado das mercadorias mas, por exemplo, transportar taças de cristal em uma caixa de papelão de baixa gramatura não é o mesmo que transportá-las em caixas de papelão de alta gramatura, portanto uma embalagem bem planejada e testada diminui muito as chances de avarias.

Quanto aos transportadores e ao custo do frete e do produto que a loja online teve que computar, isto é simples de se resolver, para tal existem o seguro e as indenizações, mas e a frustração do cliente?

Vale pensar bem nisso.

*sorters: separadores mecânicos formados por esteiras que correm em trilhos e que são utilizados por transportadores para pesar, cubar e fazer a separação por regionais ou CEPs de destino da mercadoria.

Texto do Gustavo Fabrício para o E-commerce Brasil.

Como escolher o produto certo para minha loja virtual?

Muitas vezes, o micro e pequeno empreendedor virtual tem dificuldades em escolher qual produto será o seu carro-chefe. Isso ocorre por preferência pessoal, outras vezes pela dúvida, ou então pela pura falta de planejamento. Acontece que escolher o produto que será eleito para se tornar o chamariz da sua loja virtual é muito importante para uma estratégia de vendas consistente em um e-commerce.

Como escolher o produto certo para minha loja virtual?

Escolhendo um produto como carro-chefe, o empreendedor concentra energia e foco para realizar todas as ações de marketing digital (além de criar uma descrição, com fotos de alta qualidade, um texto atraente e vídeos na página do produto). Para tomar a decisão de qual mercadoria deve ser a escolhida. Citarei abaixo alguns tópicos importantes de serem analisados.

Leia também: Em busca do produto perfeito: Por que investir em um e-commerce de nicho.

Como escolher o produto certo para minha loja virtual?1 – Volume cúbico e peso baixo.

Ele não pode ser muito grande, nem ocupar muito espaço no estoque, pois assim terá dificuldade na armazenagem e no envio.

Um produto com muitas complicações nesse quesito gera um frete maior, e isso pode espantar o cliente na hora da compra. Além dos gastos com o frete, uma embalagem para produtos com volume cúbico elevado pode ser um pouco custosa também, elevando o valor do produto na venda.

2 – Alto valor agregado e concorrência.

Produtos com alto valor agregado são ótimos, pois aumentam o tíquete médio do comprador. Além disso, uma mercadoria dentro desta categoria dá a vantagem para uma micro e pequena loja virtual de competir no mercado pela qualidade, e não pelo preço – onde os grandes players acabam sempre ganhando.

É preciso, portanto, procurar um diferencial onde a empresa é boa e única, para que as pessoas tenham a sua loja virtual como referência e entendam que, quando precisarem do seu produto e/ou serviço, elas saibam que você é melhor no ramo.

3 – Frequência de compra.

Escolha um produto onde o comprador precise adquirir com uma certa frequência. Um creme anti-celulites, por exemplo, a usuária precisa passar todos os dias e continuar comprando para que o produto faça efeito.

Com produtos neste estilo, você pode definir estratégias de promoção e vendas que fará com que cheguem novos clientes e, os clientes que já adquiriram o seu produto anteriormente voltem a comprar. Com isso, o seu e-commerce gerarão uma bola de neve positiva, e suas vendas só irão aumentar.

O que eu preciso aprender para entrar no mercado de E-commerce?

Se você também acredita que o presente e o futuro estão no mercado de E-commerce, possui aptidões para administrar um negócio completo e vontade de empreender, isso significa que você tem todo o potencial necessário para ser um empreendedor virtual!

Para iniciar nesse negócio, contudo, como em qualquer outro, você precisa de diversas habilidades para tocar o seu negócio e ter sucesso em seu ramo de atuação.

O que eu preciso aprender para entrar no mercado de e-commerce?

Quer saber o que você precisa saber para começar no mercado de E-commerce? Confira algumas informações que separamos para te guiar nessa nova empreitada:

Entender sobre logística é fundamental.

O negócio virtual depende totalmente do transporte dentro do prazo e da certeza de que o produto chegará intacto ao seu destino, certo? Por isso, o aspecto logístico é fundamental para que seu e-commerce funcione corretamente.

Todos os processos precisam estar organizados e bem conduzidos – desde a integração da plataforma até a entrega, efetivamente -, para que não existam problemas relacionados a esse aspecto da loja online. Para enviar o seu produto é possível utilizar o serviço dos Correios ou de transportadoras.

Cabe dizer que, geralmente, é o cliente quem paga o frete, mas vez ou outra, você pode fazer promoções especiais para atrair o seu cliente lançando mão do frete e custeando-o – as famosas chamadas de “frete grátis”.

Marketing Digital: o Rei do Comércio Eletrônico!

A promoção dos produtos no e-commerce é, primordialmente, feita através do Marketing Digital. Essa categoria de marketing é composta por atividades de divulgação dos seus produtos, uso de técnicas de SEO – para um bom rankeamento nos sites de busca – , Links Patrocinados, estratégias de redes sociais, criação de conteúdo, campanhas de e-mail marketing, newsletter, entre outras ações. Em sua maioria, as ações são puramente virtuais e, através delas, é possível encantar o cliente e promover um melhor relacionamento com ele.

O que eu preciso aprender para entrar no mercado de e-commerce?

É através desse marketing que o seu negócio se destacará dos demais. Por isso, ofereça formas atrativas de compra e experiências novas para que seu público possa compartilhar com seus amigos.

Confira também o nosso Guia Essencial para reter, engajar e fidelizar clientes em seu e-commerce, aproveite nossas dicas e otimize suas ações de relacionamento com seu cliente no seu e-commerce.

Atenção especial ao processo de precificação.

Para realizar a precificação dos seus produtos é indispensável pensar em tudo para que a sua margem de lucro mantenha o seu negócio. É preciso pensar em aspectos como o frete, o que a concorrência está oferecendo, o seu estilo de negócio, o tíquete-médio da sua loja e a capacidade de compra do seu público.

A precificação também envolve os preços promocionais que você pode conceder para aqueles produtos que são peça única ou que já estão “fora de coleção”, como é o caso de e-commerces de moda, por exemplo.

A principal dica, no caso da precificação é: seja competitivo, mas tenha em mente, sempre, que o seu negócio precisa ser sustentável! Portanto, se você não pode conceder o menor preço do mercado, diferencie-se de outra forma, mas não se endivide para seguir a onda do menor preço. Não vá pecar por não se planejar na hora de definir os preços dos seus produtos!

Aprenda a se relacionar com fornecedores.

Independentemente do seu segmento de atuação, você precisa selecionar os fornecedores certos pra o seu negócio online. Lembre-se que são eles que te atenderão e lhe entregarão as mercadorias que você comercializará em sua loja.

Para conhecer mais sobre os fornecedores, procure referências e busque sempre contatos de amigos ou conhecidos que já trabalham no mesmo ramo que você. Depois que achar um fornecedor que te atenda, mantenha um relacionamento cordial e sempre de muita confiança com ele.

Saiba que o bom relacionamento com o seu fornecedor te ajudará a estender prazos e na conquista de descontos por grandes volumes de compra, por exemplo. Por isso, aproveite o seu networking e tenha muito jogo de cintura para que as suas negociações sejam sempre um sucesso!

O que eu preciso aprender para entrar no mercado de E-commerce?

Conheça os impostos e mantenha seu E-commerce em dia.

Outro assunto importante que você deve ficar de olho antes de se aventurar no comércio eletrônico é referente aos impostos.

Por exemplo, se a sua empresa faturar até R$60 mil por ano você pode ser considerado um Microempreendedor Individual (MEI). Nessas condições, o seu custo é baixo. Aproximadamente R$40,00 por mês com contribuição social e o imposto referente a circulação dos seus produtos e serviços.

Agora, se a sua loja tiver um faturamento maior, em torno de R$3,6 milhões por ano, a sua empresa já está configurada no Simples Nacional, que inclui o pagamento de diversos tributos necessários para o funcionamento da sua loja e também, garantias previdenciárias para você. É importante manter-se dentro da regularidade para a emissão de notas fiscais e transporte das suas mercadorias.

Considere também os impostos cobrados exclusivamente para o comércio eletrônico. Fique de olho, também nos estados onde a cobrança de imposto no lugar de origem e de destino é autorizada.

São várias as regrinhas que e a dica é ficar atento e contar com uma consultoria contábil e jurídica preparados para este mercado. Dessa forma, ficará bem mais fácil se manter atualizado.

Entenda os modelos de negócio.

Existem várias formas de comercializar produtos e serviços online! A compra e venda diretamente no site, quando o cliente visualiza o site, compra a mercadoria e recebe em casa, por exemplo, é a mais usual. Ele pode fazer isso usando o seu computador pessoal ou aparelho mobile, o que representa uma nova tendência: o Mobile Commerce.

O cliente pode também – de acordo com o que o empreendedor virtual oferecer em seu e-commerce – baixar aplicativos em seu celular que incluam a modalidade de comércio móvel para realizar as suas compras.

Uma tendência do e-commerce é a venda por assinaturas, quando o cliente se inscreve para receber um determinado produto ou serviço em casa. Você pode também trabalhar com produtos virtuais ou infoprodutos como cursos, jogos, e-books, etc.

Para manter um e-commerce no caminho certo para que seja um sucesso é preciso aprender um pouquinho de cada item citado nesse artigo. Porém, você não precisa se preocupar em centralizar tudo isso sob as asas da sua gestão.

Invista na contratação de bons profissionais para lhe ajudar e terceirize serviços para alcançar a excelência. Por exemplo, você não precisa dominar totalmente as técnicas de fotografia e descrição de produtos para sua loja virtual, mas deve contratar uma empresa especializada e, para verificar a qualidade do trabalho desenvolvido por ela, precisará estar por dentro das principais regras de sucesso nesse sentido, certo? Bem, esse é o caminho!

Aproveite nossas dicas e lembre-se que você não está sozinho! Acompanhe sempre as nossas dicas aqui no blog e fique por dentro de tudo que o mercado de ecommerce tem de novo!