Controle de chargebacks é o segredo para deixar a receita em dia

Controle de chargebacks é o segredo para deixar a receita em dia

Os chargebacks – contestações de vendas com cartões de crédito – são mais comuns do que se pensa. Em lojas físicas do varejo o impacto do problema pode ser controlado à medida que os estabelecimentos possuem o tíquete de papel e podem usá-lo como comprovante da operação. Entretanto, em relação às vendas on-line, é mais difícil atestar a legitimidade das transações quando não são reconhecidas pelo titular do cartão.

Isso ocorre porque, ao não solicitar a confirmação mediante à digitação da senha, as lojas virtuais permitem brechas para ações fraudulentas, que podem ocorrer tanto pelo próprio dono do cartão, que pode comprar e depois negar a operação, quanto por terceiros, que só necessitam ter acesso aos números gravados no cartão para adquirir mercadorias sem dificuldades.

Em ambas as situações, os vendedores raramente conseguem identificar o verdadeiro responsável pelo delito, restando-lhes se resignar com o problema, assumi-lo como parte da rotina de vendas e realizar o controle para que as ocorrências de cada chargeback sejam sempre contabilizadas corretamente pelas operadoras e gateways de pagamento.

Como garantir os direitos do consumidor e do lojista

Quando as contestações acontecem

Juntamente aos casos de fraudes, os principais motivos que fazem com que o consumidor solicite o cancelamento e estorno de uma operação com cartão de crédito são:

• insatisfação com a mercadoria;
• o não reconhecimento da compra, incluindo situações em que o consumidor se esquece de uma aquisição;
• erros de processamento, quando o cliente não confere o comprovante;
• e a transação é efetuada com algum valor indevido, por erro de digitação do vendedor.

Muito além do chargeback: quais outros problemas a fraude pode causar ao e-commerce?

A melhor alternativa é o acompanhamento inteligente

Os equívocos cometidos no registro pelas operadoras e gateways podem implicar em cobranças incorretas ou múltiplas de um mesmo evento.

Para evitar que isso ocorra e gere perdas significativas de receita, o ideal é que as empresas vendedoras realizem um acompanhamento criterioso dos chargebacks, utilizando ferramentas de conciliação automática juntamente com sua gestão de vendas com cartões.

As soluções mais eficientes são capazes de aumentar a produtividade da equipe financeira em mais de 70%. Além de identificar as improcedências no confronto entre informações dos vendedores e das operadoras, algumas são capazes de rastrear os chargebacks, verificando se o que foi registrado corresponde à ocorrência da transação, se apontam duplicidades e se informam sobre os prazos para que os usuários recorram das solicitações.

Leia mais:

Chargeback: o mal, o remédio e a esperança de cura!

NO COMMENTS

DEIXE UM COMENTÁRIO