Tags Posts tagged with "apresentações"

apresentações

Quer elevar suas habilidades de apresentação para o próximo nível? Encontre inspiração em algo improvável: na oratória de comediantes. Eles podem te ensinar muito sobre a criação de apresentações memoráveis ​​, mesmo que seu discurso não seja assim tão parecido com o deles.

No desenrolar de sua experiência de falar em público, você vai aprender com suas falhas. Mas também vai desenvolver suas forças e a capacidade de entender seus públicos e que tom usar com cada um.

Os comediantes formam um grupo que é obrigado a aprender desde cedo. Representam um tipo incomum de oradores, que podem simplesmente serem vaiados e até expulsos do palco ao invés de só verem algumas pessoas se retirando do auditório.

Assim, eles tem muito a ensinar sobre o ato de falar em público:

1. Crie uma história que seu público vai curtir

Quando um comediante bola suas piadas, eles não pensam em atingir o mundo todo. Eles miram um público específico, com um ponto de vista específico e focam nas verdades, estereótipos e oportunidades para desafiar ou reafirmar os valores daqueles públicos.

Como fazer isso?

Não importa o tamanho do auditório, busque sempre se conectar com esse público. Entenda para quem você está falando e esforce-se para entregar a eles aquele valor que eles esperam para saírem do auditório com a sensação de ter aprendido algo.

Lembre-se: Seu público alvo é provavelmente o principal fator a ser considerado na ora de preparar sua apresentação.

Robert De Niro em “O Rei da Comédia”, dirigido por Martin Scorsese
Robert De Niro em “O Rei da Comédia”, dirigido por Martin Scorsese

2. Aprenda com as pessoas que você admira

Os melhores comediantes inspiram-se em outros comediantes que admiram. Eles reconhecem a importância de estudar os melhores do ramo para entender as dinâmicas das boas piadas e as reações das plateias.

Como fazer isso?

Os melhores oradores de diversos segmentos estão em vídeos no Youtube em que apresentam-se em eventos e conferencias pelo mundo. Tire umas horas por semana para assistir à performance deles e estudar tudo em seu discurso, desde a presença de palco à maneira como interagem com o auditório.

Lembre-se: Você não admira pessoas a toa. Elas estão à frente de você em algo. Estude o trabalho delas, entender seu sucesso vai ajudá-lo a construir o seu.

3. Trabalhe a plateia antes de subir ao palco

A maioria dos comediantes estuda o público previamente antes de começar sua apresentação. É uma tática simples mas que vai ajuda-lo a garantir que as piadas são apropriadas para a audiência.

Como fazer isso?

Nunca suba ao palco sem bater um papo com uma ou duas pessoas da plateia. Esforce-se para construir empatia com elas e você se sentirá mais confiante sabendo que elas vão eventualmente apoiá-lo caso algo dê errado.

Lembre-se: em palestras de negócios, gente importuna é diferente de quem atrapalha um show de comedia. Essas pessoas não vão gritar “você é horrível!” do fundo do auditório, em vez disso vão levantar a mão e perguntar algo que não acrescenta em nada ao assunto ou simplesmente dizer que discordam de algo. Esteja preparado para lidar com eles.

4. Comediantes são pró-ativos. Seja você também!

Seinfield é considerado um dos melhores comediantes de todos os tempos. Fora de sua rotina intensa de shows de standup, ele é conhecido por trabalhar duro para se aprimorar. Dizem que Jerry Seinfield estuda mais comedia, sobe mais aos palcos, e aplica mais tempo escrevendo do que qualquer um.

Jerry Seinfield, Comediante
Jerry Seinfield, Comediante

Como fazer isso?

Trabalhe duro, entenda a arte de ser pró-ativo, de correr atrás e seja totalmente dedicado ao seu ofício. Isso pode até ajuda-lo a gerar uma renda por suas palestras.

Lembre-se: É raro até para os melhores oradores afirmar que eles têm uma “habilidade natural”. Eles vão dizer que trabalharam bastante e inspiraram-se nos melhores naquele ofício. Um dom de falar naturalmente pode te ajudar, mas só a busca por aperfeiçoamento constante vai te levar ao sucesso.

Texto publicado no Blog no Romero – Artigo original: “4 Killer Public Speaking Tips From Comedians” no The Muse

Por Hildebrando Trannin. Quando o assunto é criação de conteúdo, uma das ferramentas que mais se destacam no ambiente online é o SlideShare. Na realidade, o SlideShare é uma mídia social que permite o compartilhamento de apresentações – PDFs, PPTs, vídeos, documentos etc. – para a sua rede de contatos.

Todo o conteúdo disponibilizado ali, portanto, pode ser visualizado, buscado e compartilhado pelos usuários. Um ótimo recurso para dividir conhecimentos e buscar informações.

Como utilizar o SlideShare para negócios.

Para negócios, o SlideShare é muito utilizado como forma de produzir conteúdo relevante para o público-alvo e, assim, se mostrar como autoridade também para o Google. É possível utilizá-lo como mais um caminho para aumentar a presença online e ainda gerar tráfego para o site e bons ranqueamentos nas buscas orgânicas.

Leia também: YouTube, Vimeo, SlideShare, Vine ou Instagram? Qual plataforma de vídeo online é melhor para minha marca?

Por isso, listamos aqui algumas dicas de como utilizar o SlideShare de forma estratégica para marcas que desejam melhor posicionamento no ambiente digital. Confira!

1. Faça um trabalho digno de compartilhamento.

É claro que a falta de um conteúdo bem preparado, competente e atrativo gera falta de interesse e, pior, zero compartilhamento. A regra é simples: se dedique à criação de um conteúdo completo e focado em inovação. O que o seu conteúdo tem de diferente? Por que ele merece ser visualizado por muita gente? E não esqueça de incluir estudos de caso personalizados e chamadas de ação para conteúdos externos.

Além disso, pense que o design conta muito na apresentação de um trabalho. Invista um tempo na formatação dos seus slides para que eles sejam interessantes também ao olhar. Juntos, forma e conteúdo são o ponto chave para o sucesso online.

2. Invista tempo na sua rede de contatos do SlideShare.

É preciso deixar claro que o SlideShare não é uma ferramenta de armazenamento de arquivos de Power Point. É uma mídia social, baseada nas redes de contatos estabelecidas ali. Se você deseja que os outros interajam com a sua marca, comentando, fazendo download dos seus trabalhos, compartilhando, você precisa fazer o mesmo.

Então, diariamente tire um tempo para se relacionar com as pessoas, ver novas conferências preparadas, perceber quais são as apresentações que despertam a atenção da sua rede etc. Isso atrairá interesse ao que você produz.

3. Potencialize as suas apresentações.

São muitos os recursos do SlideShare. Você pode, por exemplo, compartilhar seus conteúdos em outras mídias sociais; adicionar vídeos do Youtube ou trilhas sonoras em mp3; além de incorporar o código das publicações no seu site (o que ajuda muito no alcance e no tráfego para a sua página). Sobre esse último, lembre-se que o usuário também pode incorporar o seu conteúdo no site ou blog dele, o que ajuda ainda a obter backlinks importantes.

Por isso, inclua uma chamada de ação nesse sentido! Esses são os recursos gratuitos, mas o SlideShare ainda oferece planos pagos com outras diversas oportunidades para deixar as suas apresentações ainda mais interessantes.

4. Não deixe de inserir a URL para baixar as suas apresentações.

Não deixe dúvidas sobre como o usuário pode baixar o seu material. Uma dica é apresentar o link para download no início e no final da apresentação. Isso é uma ótima forma de democratizar o seu conhecimento e alcançar ainda mais pessoas.

Vamos concluir com mais uma dica. O SlideShare, como foi dito, é um ambiente de interação social, por isso, não faça spam. Você deve criar o melhor conteúdo que puder para que ele, naturalmente, gere compartilhamento. O foco apenas nesse quesito pode prejudicar a sua marca, ao invés de gerar boa reputação.

Por isso, pense no SlideShare como mais um recurso que você tem para produzir relevância no ambiente online. E relevância se alcança com produção e muito trabalho. Mãos à obra!

Texto do Hildebrando Trannin para o E-commerce Brasil.

O que fazer para prender a atenção das pessoas? “Todas as histórias já foram contadas”, assim começa “A Poética” de Aristóteles, um dos primeiros livros da história a tratar de estrutura narrativa.

Bem, se antes de Cristo, todas as histórias já tinham sido contadas, imagine agora, mais de 2.000 anos depois?

Com tantos livros, peças, filmes, músicas e palestras disponíveis, é possível imaginar que quase tudo que precisa ser dito, já foi dito. No entanto, muitas vezes é preciso dizer de novo o que já foi dito, redito e repetido. E aí entra o desafio de o que fazer para prender a atenção das pessoas.

Forma vs. Conteúdo - O que fazer para prender a atenção das pessoas?

A intenção aqui não é falar da importância do visual em uma comunicação e, em especial, em uma apresentação. Nem citar as teorias de Albert Mehrabian, a favor do visual e do não-verbal, ou do Christopher Witt, que acha tudo isso uma bobagem e que o conteúdo é o rei.

A ideia é falar de como a forma, às vezes, é quase tudo. Peguemos um exemplo recente do cinema. “Gravidade”, filme do diretor mexicano Alfonso Cuáron, recebeu 7 estatuetas no Oscar 2014 e causou furor em seu lançamento. Na verdade, conta uma história simples: astronauta no espaço tem nave e equipe destruídas e precisa encontrar um jeito de sobreviver. No entanto, com a forma que o filme tem, esse fiapo de história causa uma experiência inesquecível.

Mas não pense que isso é apenas privilégio de filmes. Qualquer tipo de comunicação passa por essa questão. E isso pode ser muito mais sentido na música. Afinal de contas, nos apaixonamos por músicas que não entendemos nada da mensagem, seja pela língua (inglesa, italiana, francesa), seja pela total falta de sentido da letra.

Assim, uma das músicas mais tocadas do ano passado, e com um balanço contagiante, possui uma letra esquisitíssima, que quer dizer algo do tipo, “um casal tendo uma noite de amor (?!)”. Enfim, isso pouco importa, pois sua forma é capaz de fazer gente como Paul McCartney e Ringo Star se levantarem da cadeira para dançar!

Tudo bem, mas e em apresentação. O que isso tem a ver? Bem, você pode tornar um gráfico muito mais impactante e relevante com uma forma diferenciada ou então destacar o que é importante em um slide cheio de texto com uma diagramação bem feita.

Forma vs. Conteúdo - O que fazer para prender a atenção das pessoas?
Slide da apresentação para Raízen – Convenção Select. Confira: http://bit.ly/1kJBU8P.

Mas forma não é apenas design ou um slide bonito. Forma é o jeito que temos para contar uma história – de trás pra frente, com vários pontos de vista, indo e voltando no tempo, fazendo associações… ou seja, colocando algum “tempero” que faça com que a nossa audiência se interesse pelo que estamos dizendo e se engaje pelo que estamos propondo.

É o caso do Andrew Stanton, que em uma palestra no TED sobre alguns fatores que fazem uma história funcionar, preferiu não passar uma lista de coisas para fazer, mas dar uma forma diferente e muito melhor. Vejam só:

Andrew Stanton não falou nada além do que muitos outros já falaram, mas fez de uma forma tão diferente e impactante que conseguiu emocionar e cativar a audiência.

Por isso, quando você for fazer uma apresentação em que precise dizer algo que já foi dito, redito e repetido milhares de vezes, pense em dar a ela uma forma nova, diferente e especial, que seja capaz de criar uma experiência arrebatadora como “Gravidade”, empolgante como “Get Lucky” ou emocionante como “The Clue to a Great Story”.

Texto do Cassiano Branquinho para o Blog da Soap.

Mais do que lidar com números e fatos, um grande líder precisa saber lidar com pessoas.

Em mais de 10 anos de história, a Soap percebeu o que diferencia os líderes que engajam pessoas e as motivam para a ação, daqueles que meramente informam números e fatos que são esquecidos no dia seguinte a uma apresentação.

Extraí dessa experiência e da parceria com Robert Mckee que gerou o Seminário “Story: Business Edition”algumas dicas importantes para líderes que querem ser bons contadores de histórias em apresentações e reuniões de negócios

6 princípios que provam: liderar é saber contar histórias

1) Construa uma linha lógica viva.

A lógica é valorizada na comunicação corporativa. No entanto, os raciocínios lógicos mais comuns são estáticos a atemporais. Mais do que reunir argumentos em prol de uma conclusão, contar uma história é estabelecer uma relação de causa e efeito que opera no tempo, como a vida.

Compreender as coisas pela ligação de causa e efeito ajuda o líder a desenvolver uma visão ampla de como tudo está conectado dentro de um organismo vivo como uma companhia.

2) Antes de ser carismático, seja empático.

Um bom líder não tem apenas visão e boas ideias, e sim habilidades. As pessoas precisam enxergar no líder alguém capaz de dobrar as mangas e fazer o trabalho duro. Afinal, ele já fez no passado e pode fazer de novo, se preciso.

Contar histórias de quando se viu em situações difíceis e precisou dar uma virada ou fazer analogias de desafios da empresa com situações pessoais ajuda a criar empatia com a as pessoas, que vão se identificar com os mesmos sentimentos e criar conexões com suas próprias histórias.

3) Você não é o herói.

Protagonistas de filmes nem sempre são os heróis, mas sempre são pessoas com força de vontade e persistência para buscar seus objetivos. Em sua história, procure colocar como protagonista a sua audiência ou alguém importante para ela, como por exemplo, o cliente do seu cliente. Demonstre que você é alguém que pode ajudá-la a superar desafios e conquistar objetivos.

4) Abrace o conflito.

Apresentações corporativas se tornam monótonas quando o apresentador só quer mostrar o lado positivo das coisas, com objetivos sendo cumpridos tranquilamente, um após o outro. Conflitos são inerentes à nossa vida e estão presentes também no dia-a-dia corporativo.

Quando quer alinhar sua equipe em torno de um objetivo, o papel do líder é demonstrar que chegar a esse objetivo é viável, sim, e ao mesmo tempo não será fácil. Enxergar e expor com transparência as dinâmicas vivas de sucessos e fracassos, sem ocultar o lado negativo, aproxima as pessoas da verdade.

6 princípios que provam: liderar é saber contar histórias

5) Emoções existem, quer vocês as ame ou as odeie.

É comum que as emoções no ambiente de trabalho sejam associadas à irracionalidade. Mas não há nada de irracional nas emoções, que são simplesmente uma resposta natural do ser humano a mudanças.

Um bom líder deve escutar suas emoções, que servem como um guia especialmente em momentos críticos de decisão. Afinal, ao serem comunicadas, essas decisões trazem mudanças que irão gerar emoções na audiência. Boa parte das habilidades de um bom líder está relacionada à sua capacidade de gerenciar as emoções de seus liderados.

6) Tenha a história na cabeça.

Em uma apresentação, a principal ferramenta de um líder é ele mesmo. Sua postura, voz, gestos, olhar e segurança ao falar em público são os elementos essenciais para transmitir emoção, confiança e credibilidade à audiência. Slides, gráficos e bullet-points não possuem essa mesma capacidade.

Portanto, é fundamental a prática para que a história não esteja em uma tela, mas na cabeça de quem apresenta. Que o diga Steve Jobs, que treinava no mínimo 8 horas antes de apresentar um novo produto. Não por acaso, é um grande exemplo de líder empresarial.

Publicação do Olavo Oliveira para o Blog da Soap.