Tags Posts tagged with "concorrentes"

concorrentes

Quais são os tópicos relacionados ao seu nicho que geram mais interação com o público? Quais são as marcas do seu setor que têm a voz mais alta nas redes sociais?

Analisar a atividade de seus concorrentes nas redes sociais permitirá que você veja detalhadamente o que eles estão fazendo para avaliar suas estratégias e determinar seus pontos fortes e fracos.

Para entender seus concorrentes e saber o que eles estão fazendo no social, você precisará saber quem eles são, reunir informações sobre eles e dividir esses dados em algo que você possa entender.

Embora você possa contratar serviços de análise e marketing em redes sociais, existem quatro ferramentas que o ajudarão a fazer isso por conta própria.

Dê uma olhada:

LikeAlyzer

Este aplicativo executa uma verificação rápida do estado geral de qualquer página do Facebook, sem sequer exigir a conexão com a rede social.

O aplicativo atribui a cada página uma pontuação de 1 a 100 pontos, com base em seu próprio sistema de pontuação, bem como métricas relacionadas ao crescimento, a taxa de engajamento e os valores de PTAT (People Talking About This). Cada métrica é acompanhada por uma marca de seleção que indica se o valor é forte ou fraco.

Como uma característica adicional, o LikeAlyzer analisa outros elementos da página, como a taxa de resposta de seus seguidores e o horário de mais visitas, fazendo desta uma excelente ferramenta para comparações entre diferentes concorrentes.

Twitonomy

Esta é uma aplicação poderosa que permite, com sua versão gratuita, uma análise abrangente de perfis no Twitter, gerando métricas como a média de tweets por dia, número total de retweets, hashtags, favoritos, menções, respostas, número de tweets contendo links e até mesmo um breakdown de usuários e seguidores mais ativos ou freqüentes.

A maior vantagem da Twitonomy é como mostra de forma clara, concisa e eficiente todas as informações necessárias para avaliar rapidamente a estratégia de redes sociais de uma conta específica.

Com a conta premium, os benefícios são multiplicados, permitindo que você mesmo baixe todos os tweets de qualquer conta em um período de tempo designado, o que é muito útil se desejar personalizar sua análise de dados.

Fanpage Karma

Embora a força desta aplicação resida principalmente na análise de contas do Facebook, o Fanpage Karma também analisa as contas do Twitter, Google+, Instagram, Youtube e Pinterest.

A versão gratuita oferece uma análise detalhada de 90 dias para uma página e um painel comparativo para qualquer número de concorrentes e a possibilidade de subscrever alertas e relatórios semanais, bem como analisar métricas, como crescimento, taxa de engajamento da audiência, conteúdo mais utilizado fontes, palavras-chave, tipo de publicações, número de postagens por dia, duração média de postagens, seguidores e muito mais.

Tudo em modo gráfico para que você possa avaliar de forma rápida e visual o comportamento da rede social de seus concorrentes e para poder ajustar sua estratégia.

Klear

Você precisa descobrir quem são os influenciadores mais importantes do seu setor de mercado? Então, você precisa começar a usar o Klear: esta aplicação permitirá pesquisar influenciadores de acordo com sua atividade ou localização, permitindo que você analise o comportamento de seus perfis em termos de capacidade de resposta, perfis com interação aumentada, níveis de atividade etc.

Outro importante função é a capacidade de segregar demografia de acordo com a idade, localização, gênero e interesses, embora com uma conta gratuita este recurso seja de uso limitado.

O painel analítico da Klear é muito visual e fácil de ler, e ferramentas de análise de seguidores irão ajudá-lo a avaliar não só o tamanho, mas também a qualidade do público que cada perfil consegue.

Agora que você já está equipado com ferramentas sólidas para avaliar o comportamento de seus concorrentes através das redes sociais, você pode usar esses recursos para orientar sua própria estratégia social de forma efetiva, ajudando seu negócio a se destacar contra seus adversários aos olhos de seus clientes.

A transformação digital já é realidade. Segundo uma pesquisa da Dentsu Aegis Network, os gastos publicitários globais com mídia digital devem somar 37,6% dos orçamentos em 2018, superando, pela primeira vez, os investimentos em televisão – previstos para 35,9%.

Como consequência, o mercado de programática também vem evoluindo, e inúmeras ferramentas de otimização disponíveis prometem oferecer todo o suporte necessário para o alcance de metas publicitárias cada vez mais ambiciosas.

Mas como escolher os melhores fornecedores para o meu negócio? Mais do que isso, como tirar o máximo proveito das soluções que oferecem?

Ao menos no universo do retargeting, a resposta para essa questão tem sido a utilização simultânea de mais de um provedor. A lógica por trás da estratégia do múltiplo retargeting é simples, e se baseia no conceito de livre concorrência amplamente defendido por Adam Smith: ao incentivar uma competição “leal” e “saudável” entre dois ou mais fornecedores, eles serão estimulados a sempre entregar o melhor serviço com a melhor performance.

Porém, embora a estratégia tenha se mostrado bastante efetiva na prática, sabemos que executar muitas campanhas diferentes ao mesmo tempo pode ser um desafio. Pensando nisso, elencamos as três regras fundamentais para obter sucesso com o múltiplo retargeting:

Regra um: Dê a todos os provedores as mesmas condições

A concorrência é, sem dúvida, uma força motivadora. Ao cooperar com vários provedores de tecnologia, você experimentará os diferentes serviços oferecidos ao cliente e poderá comparar os resultados de desempenho de provedor para provedor. Mas para obter resultados confiáveis, é fundamental compará-los usando sempre as mesmas métricas.

É uma boa prática utilizar as ferramentas simultaneamente e por um longo período de tempo (entre 6 e 12 meses, se possível), para que ambas tenham aprendizado suficiente sobre os usuários.

Vale a pena também configurar o mesmo orçamento, com objetivos e parâmetros similares – custo por conversão (CPA), ROI, volume de vendas esperado, etc.

Regra dois: Compare sempre os resultados usando uma fonte de informação objetiva

Há uma série de métricas que você deve considerar ao executar atividades de marketing com diferentes provedores. Embora cada um dos seus parceiros ofereça seus próprios dados, a regra mais importante é comparar os custos usando uma ferramenta analítica externa e objetiva (por exemplo, o Google Analytics).

Isso porque os resultados apresentados por cada provedor podem simplesmente não ser diretamente comparáveis uns com os outros devido a diferentes fatores, como a definição de conversões ou como métricas diferentes são calculadas. Somente usando a fonte externa você poderá comparar de forma justa e isenta o custo e o ROI entregue por cada um.

Regra três: Tenha em mente a complementaridade dos provedores

Quando utilizar mais de uma ferramenta de retargeting, não deixe de considerar também a possível complementaridade entre elas. Enquanto um dos provedores pode se sair melhor ao trazer vendas com ticket médio maior, por exemplo, outro pode ser um ótimo parceiro para atrair de volta um público recorrente.

Para avaliar os resultados reais da sua estratégia de múltiplo retargeting você deve medir seus resultados com sabedoria. Então, em vez de simplesmente comparar o número de cliques, você deve se concentrar em métricas mais significativas, como o custo real da conversão. No fim do dia, o objetivo é entender como todos os seus fornecedores funcionam juntos, e como podem otimizar o retorno do seu investimento.

Como gerente de e-commerce, você pode vender para qualquer lugar do mundo. Porém, sua loja compete não apenas com aquelas na mesma cidade, mas com diferentes lojas virtuais de todos os lugares que imaginar.

Para sobreviver nesse mercado é preciso entender seus concorrentes no e-commerce e estabelecer estratégias para superá-la sistematicamente. Elaboramos a lista abaixo com algumas estratégias para analisar e superar concorrentes do e-commerce. Você já está utilizando algumas delas?

Defina quais são os seus concorrentes

O primeiro passo para desenvolver uma estratégia em relação aos seus concorrentes é saber exatamente quem eles são. Muitos e-commerces erram neste ponto ao achar que os únicos concorrentes são as lojas do mesmo nicho. Não necessariamente.

Seus principais concorrentes podem ser as grandes lojas de departamento ou até mesmo uma empresa que tenha um foco maior em outro nicho, mas que acaba atingindo os seus potenciais clientes também.

Uma forma interessante de mapear seus concorrentes é ver quais são os sites que obtêm os rankings mais altos nas buscas do Google para as principais keywords do seu negócio. Existem, inclusive, ferramentas de marketing que possibilitam esta busca em larga escala.

Entenda como a concorrência trabalha

Depois de mapear quem são os seus concorrentes, você deve entender como eles trabalham. Imagine-se como um cliente e avalie honestamente quais são os pontos fracos e fortes dos seus competidores. Você deve analisar desde o layout do site até o atendimento ao consumidor, passando pelo sistema que ele usa para a loja.

“Finja” que é um consumidor e envie perguntas, anote os prazos de entrega, veja como o site se comporta com a compra de vários itens. Você não precisa necessariamente comprar do concorrente, mas é importante analisar como é feito todo o seu processo de compra, até o momento de fechar o carrinho.

Não se restrinja aos aspectos do site. Como são as estratégias de marketing dos seus competidores? Eles utilizam as redes sociais? Com que frequência? Existe um programa de afiliados consistente? Qual é a forma de remuneração dos seus parceiros? Seja implacável na busca por detalhes para entender o que pode atrair e afastar os clientes dos seus competidores.

Não entre na guerra dos preços

A maioria dos e-commerces, uma vez que estabelece quais são os seus concorrentes, recorre a uma simples estratégia: reduzir os preços. Parece bastante lógico, não é mesmo? Se o seu concorrente vende um determinado produto a R$100, você reduz o preço para R$95 e vê suas vendas dispararem. Obviamente, o consumidor vai preferir comprar o mesmo produto por um preço mais baixo na sua loja.

Este pensamento é verdadeiro, o problema é que ele é também bastante limitado. É como se você só pudesse ganhar da concorrência, perdendo em valor de produto. Ao entrar na guerra dos preços você fica sempre refém deles, tendo que reduzir constantemente a sua margem de lucro. E o pior: sempre haverá outra empresa disposta a diminuir o preço ainda mais.

Estabeleça uma vantagem para sua empresa

Não estamos dizendo que a redução de preços seja uma estratégia inválida. Não é, muitas vezes será preciso alterar sua margem de lucro de acordo com os movimentos do mercado. O problema é quando esta é a única saída para lidar com a concorrência, o que certamente vai se tornar ineficiente no longo prazo. Mais importante do que ficar refém dos preços praticados pelo concorrente é estabelecer uma vantagem competitiva.

Agora que você já mapeou a concorrência e sabe como ela opera em seus principais pontos, é a hora de entender qual é o diferencial da sua empresa, o que ela pode oferecer ao cliente que nenhum outro pode. É o atendimento personalizado? A entrega rápida? Um programa de fidelidade que mantenha o consumidor leal no longo prazo? Caso ainda não exista esta vantagem competitiva, invente!

O importante aqui é criar no consumidor a sensação de que se ele comprar em qualquer outro e-commerce que não seja o seu, estará perdendo alguma coisa. Dessa forma, em vez de ficar preso na guerra dos preços, você “elimina” os seus competidores, porque cria um diferencial com o qual eles não podem competir.

Mas fique atento: da mesma forma que você mapeou a concorrência, também estará sendo mapeado e, caso tenha desenvolvido uma estratégia de sucesso, copiado. Não se importe com isso, faz parte do jogo do mercado. Seja sempre criativo e proativo e crie novos diferenciais.

É fundamental mapear quem é a sua competição e estudar rigorosamente os seus pontos fortes e fracos. A estratégia de apenas reduzir preços pode até ser eficiente, mas torna sua loja refém das flutuações do mercado. Para ir além da guerra de preços, é preciso estabelecer uma vantagem competitiva, um diferencial que atraia o consumidor e “elimine” sua concorrência.

Quer compartilhar alguma estratégia para analisar e superar os concorrentes do e-commerce? Deixe o seu comentário!