Tags Posts tagged with "custos"

custos

Saiba por que adotar essa metodologia pode representar uma economia significativa para a sua empresa

Que tal reduzir pela metade o valor que você paga na sua conta telefônica? Parece bom demais para ser verdade, não é mesmo?

Entretanto, sistemas de gestão de telecom que incluam um tarifador telefônico podem ser capazes de proporcionar economias desse porte na sua conta telefônica.

A medida é apenas uma entre as muitas que você pode adotar para combater o desperdício e fazer com que as ferramentas de comunicação funcionem ao seu favor, gerando mais receita a partir de cada real gasto. Neste artigo, listamos 7 motivos pelos quais você deve investir em um tarifador telefônico para o seu negócio.  

1- Diminuir ligações desnecessárias

Pense da seguinte forma: se não há regras para serem seguidas, cada um faz as suas próprias regras. É justamente isso que acontece quando não há uma política clara com relação ao que é permitido e ao que é proibido no uso do telefone. Assim, ligações pessoais continuam sendo realizadas e não há uma consciência para que as pessoas evitem usar o telefone se for possível.

A adoção de uma política de gestão de telecom é o primeiro passo a ser implantado antes mesmo do uso de um sistema tarifador telefônico. Educar é sempre mais importante do que punir, mas quando há regras claras os excessos podem ser combatidos.

2- Entender como cada setor usa o telefone

Com a inclusão de um sistema tarifador telefônico na sua empresa outro ponto positivo é o fato de que você passa a saber quais são os setores que mais demandam os serviços de telefonia. Não é raro encontrar empresas que fornecem celulares para os seus funcionários que, muitas vezes, sequer chegam a utilizar essas linhas.

Por outro lado, setores que realmente precisam de um telefone acabam se vendo com planos de dados e franquias limitadas de minutos que acabam fazendo falta nos últimos dias do mês. Conhecer como a sua empresa usa o telefone é uma das possibilidades do uso de sistemas como esses.

3- Controle em tempo real

Quando você tem mais informações para tomar decisões, é bem provável que elas sejam sempre as mais acertadas. Uma das possibilidades que um sistema tarifador telefônico apresenta é a de que as pessoas responsáveis pela gestão de telecom tenham acesso m tempo real a tudo aquilo que está acontecendo na telefonia da empresa.

Em outras palavras, se você acabou de fazer uma campanha educativa, por exemplo, é possível mensurar o resultado nos dias seguintes. Ou, ainda, caso as coisas estejam saindo dos índices planejados, é possível assumir o controle antes mesmo que o mês chegue ao fim.

4- Auditoria nas contas

Você sabia que a maioria das empresas paga uma conta telefônica com valor maior do que deveria? Isso acontece por duas razões: a primeira dela é que os sistemas de cobrança das operadoras não são muito precisos e cometem uma série de falhas, que resultam em cobranças indevidas.

Some a isso o fato de que manualmente é praticamente impossível questionar esses valores, pois certamente esse trabalho não teria seu custo justificado. Com o sistema tarifador telefônico, você não apenas passa a ter noção desses valores como também pode questionar a sua operadora. Em alguns casos, a economia pode chegar a mais de 30%.

5- Rever seu plano de telefonia

Você sabe quanto paga por cada um dos itens que estão presentes em sua conta telefônica? Provavelmente não. Ao adotar um sistema de gestão de telecom você descobre que muitas das promoções que foram oferecidas a você – e que você aceitou pois pareciam ser um bom negócio – na prática não são muito úteis se você não as utiliza.

É comum, por exemplo, que as empresas paguem em seu plano de telefonia pela possibilidade de ter TV a cabo quando elas nem sequer têm uma TV ou alguma razão para assistir à programação. As operadoras de telefonia são abertas a esse tipo de renegociação e você verá que há planos mais adequados para as suas necessidades.

6- Reduzir custos em até 30%

Se você tivesse a oportunidade de reduzir os custos da sua conta de telefone em pelo menos 30%, você iria em frente? Pois é justamente isso que vai acontecer ao adotar um sistema de tarifador telefônico. Com mais controle e ações mais efetivas, é questão de tempo para que você reduza de forma significativa os valores que está pagando.

Em alguns casos, a combinação de uma série de fatores pode levar a reduções nos gastos de até 60% do valor. Em outras palavras, isso significa que esse é um setor da sua empresa que deve ser olhado com muito carinho, pois há muitas oportunidades de economia por ali.

7- Adotar ligações VoIP

Por fim, o último item da nossa lista diz respeito ao uso de sistemas VoIP para ligações. Ele é especialmente válido se a sua companhia tem um volume maior de ligações interurbanas e internacionais. Dessa forma, em alguns casos, é possível reduzir em até 90% os gastos com ligações como essas.

Uma preocupação do passado dizia respeito à qualidade, uma vez que eventualmente esses sistemas apresentavam ruídos e muitas falhas. Hoje, esse problema praticamente deixou de existir e todas as ligações podem ser integradas sem maiores problemas no sistema de gestão de telecom que você utiliza.


Com informações da Sumus.

Setor que segue em crescimento no Brasil mesmo com a crise econômica, o e-commerce também possui um ponto fraco: o frete dos produtos. O serviço é fonte de constantes reclamações dos usuários e representa um custo excessivo ao lojista.

O frete corresponde à grande parte dos custos lojísticos do e-commerce. Contudo, o empresário pode adotar uma série de medidas para conseguir entregar os pedidos no prazo e condições adequados. Confira cinco dicas:

Ofereça métodos alternativos de entrega

Os Correios são responsáveis por mais de dois terços das entregas realizadas pelas lojas virtuais brasileiras, o que faz a remessa ficar sujeita às condições impostas pela estatal.

É bom ter opções e oferecer diferentes formas de entrega, como transportadoras privadas e o conceito de social delivery, que conecta pessoas a entregadores independentes, mediante aplicativo para smartphone.

Crie estratégias para o frete

No intuito de trazer mais consumidores, a grande maioria dos e-commerces aposta na distribuição de frete grátis. A tática funciona no início, mas depois pode comprometer a rentabilidade do negócio.

O ideal é criar uma estratégia que leve em conta todos os fatores envolvidos na entrega de um produto e defina a melhor política para cada player.

Como é feito o cálculo de frete e quais as limitações dos Correios

Descubra regiões campeãs de vendas

Uma ótima alternativa para otimizar o frete do comércio eletrônico é identificar as principais cidades que realizam pedidos dentro da página.

Assim, é possível não só criar campanhas de marketing voltadas a esse público, como também ajuda a escolher locais de armazenamento mais próximos dos consumidores – diminuindo o tempo de espera pela entrega.

Utilize um sistema de gestão integrado

Com esta solução, o empreendedor consegue acompanhar todos os processos que envolvem a área de logística do e-commerce, a fim de monitorar o trajeto do produto após a confirmação do pedido.

O objetivo é reduzir os erros, pois uma simples falha vira uma bola de neve e pode culminar no atraso da entrega.

Antecipe-se à demanda

Pode parecer difícil, mas hoje a loja virtual consegue prever a quantidade de pedidos que vai receber nos próximos meses. Dessa forma, é possível se programar para organizar o estoque de forma adequada, garantindo que os produtos com maior saída possam ser despachados rapidamente.

Em meio à crise, é muito importante planejar-se. Descubra quanto custa montar uma loja virtual frente uma loja física

Com a crise, não está fácil ser um empreendedor. E mais difícil ainda vai ser abrir o próprio negócio com o cenário brasileiro da maneira que está. Então, trazemos um infográfico com um balanço dos gastos a serem considerados para abrir uma loja virtual.

Leia também:

Quanto se gasta para abrir uma loja virtual

Tanto física, quanto online. Afinal, a loja virtual conquista cada vez mais espaço, porquê é uma solução prática, econômica e que dá a chance de driblar a crise.

Fuja da Crise, Monte um e-commerce – Que tal empreender sem gastar muito?

e-commerce-vs-loja-fisica
Infográfico do Shopify.

Tenho visto muita gente perguntando sobre custos de se criar uma loja virtual. Ao mesmo tempo que encontramos muitos artigos falando a respeito disso, nenhum deles diz exatamente o que as pessoas buscam. Percebi que as pessoas querem valores, referências, ideias de quanto aproximadamente custa criar um e-commerce.

É bem verdade que é impossível ser assertivo na resposta sem ter mais informações sobre o negócio, em especial porque existem muitas variáveis, desde o tipo de produto que o lojista irá vender até a disponibilidade de investimento que ele tem.

Diante disso, quero compartilhar com vocês os custos básicos de um e-commerce. Importante lembrar que esse meu artigo não esgota o assunto e nem tem a pretensão de cobrir todos os custos de um e-commerce, apenas listar quanto se gasta para abrir uma loja virtual e iniciar a operação.

quanto-custa-abrir-um-ecommerce

Os custos básicos para montar uma loja virtual

Quando se fala em custos de e-commerce muita gente pensa logo nos custos da plataforma, mas há que se considerar a existência de vários outros serviços periféricos que são igualmente importantes.

Parto do pressuposto que você já conhece o negócio que irá abrir ou migrar para o mercado digital, bem como já fez o seu plano de negócios e sabe exatamente como funciona o mercado que está ingressando, por isso, considero aqui única e exclusivamente a implementação e operação de e-commerce.

Plataformas

Hoje existem inúmeras plataformas no mercado, para todos os gostos, necessidades e bolsos. Plataformas com mensalidades a partir de R$ 120,00 com funcionalidades razoáveis (algumas limitadas), até plataformas totalmente customizadas com licenças de uso que passam dos R$ 500.000,00.

Você precisa entender a sua necessidade antes de escolher a plataforma e olhar quais funcionalidades são necessárias para o seu negócio.

Plataformas SaaS (Software as a Service), que são plataformas alugadas, variam no modelo de remuneração; algumas cobram apenas mensalidade, outras cobram mensalidade por faixa de faturamento, outras cobram mensalidade fixa mais um percentual sobre os pedidos confirmados, existem ainda outras que cobram apenas o percentual sobre pedidos confirmados.

Outro modelo é o Open Source, que você lerá em muitos artigos como sendo plataformas “gratuitas”, mas na verdade é uma plataforma de código aberto, em que você não paga para usá-la, mas tem que contratar agências ou desenvolvedores para trabalhar o layout e as conexões. Além disso, todo o custo de infraestrutura também fica por conta do lojista.

Para o pequeno lojista que busca uma plataforma um pouco mais simples e apenas para B2C, certamente encontrará soluções mais acessíveis.

NOTA: Não tem modelo melhor ou pior, existe sim o modelo mais adequado ao seu negócio.

Além da plataforma você ainda precisará das seguintes soluções:

Certificado Digital

Item de segurança de extrema importância, tem a finalidade de criptografar os dados trocados entre o usuário e o servidor da loja virtual, dando ao consumidor a segurança para efetuar a transação naquela loja. O custo desse serviço é anual e fica entre 1.500,00 e R$ 3.800,00.

Como o Certificado Digital SSL pode contribuir com o SEO do seu negócio

Algumas plataformas já oferecem o serviço incluso na mensalidade e hospedagem por R$ 420,00 anual. Redução de 72%. Uau!!!

Importante comentar que alguns leitores indicaram conhecer certificados bem mais em conta. Eu apesar de procurar não os encontrei com a finalidade de Certificado SSL indicado para lojas de E-Commerce. Encontrei sim opções mais baratas, mas que são indicadas para websites sem transações financeiras.

Blindagem de site

Esse é um serviço que encontrei poucos prestadores de serviços, tive que cotar serviços com empresas estrangeiras. É um serviço caro para quem está iniciando, mas também muito importante, porque ele faz auditoria de segurança semanalmente (dependendo do plano) e simula a invasão do seu site por um hacker para encontrar vulnerabilidade gerando relatórios, etc.

O custo é muito diferente de prestador para prestador, vi valores de R$ 3.600,00 a R$ 12.000,00 anuais. (Os valores das empresas estrangeiras já estão convertidos de dólar ou euro para reais).

Considerei a blindagem mais completa e eficiente do mercado, indicado para grandes players com alto volume de transação e produtos de alto risco (alta liquidez no mercado). Em uma nova cotação, busquei serviços básicos que atendam o pequeno lojista de maneira satisfatória.

Cheguei em 780,00 ao ano (R$ 65,00 mês). Uma queda de mais de 78% já comparando com o menor preço encontrado anteriormente… Uau! 🙂

Marketing digital

Esse investimento, a maioria dos empreendedores não considera quando estuda lançar um comércio eletrônico. Aqui é realmente difícil falar um valor porque as variáveis são inúmeras.

Tenho visto alguns especialistas dizendo que o investimento razoável em marketing digital ficaria entre 3% e 7% do seu faturamento. Importante lembrar que no início de uma loja virtual o investimento em Marketing digital deve ser pensado com muito critério para ser assertivo, pois isso irá determinar o sucesso do seu e-commerce.

Como contratar seu primeiro profissional de marketing digital

O último relatório da E-bit, 33ª edição do webshoppers, apontou que os investimentos em Marketing Digital em 2015 foram na casa de 13%.

Soluções de pagamentos

Antes de falar sobre as soluções de pagamento, quero apenas esclarecer que estou considerando aqui a utilização de gateway e conexão direta com o adquirente (Cielo, Rede, Elavon, GetNet, Stone, FirstData, etc). Não estou considerando a opção com um intermediador (que é o responsável por toda transação de pagamento, desde a oferta de meio de pagamento até o recebimento e repasse para o lojista).

Alguns especialistas dizem que para o lojista iniciante, faz sentido usar um intermediador. O custo percentual por pedido confirmado é um pouco mais alto, mas a transação é garantida pelo intermediador (pelo que vi no mercado, o percentual fica em torno de 5%, mas você elimina outros custos e faz contrato com um único fornecedor). Vamos então as soluções de pagamento que considero aqui.

Gateway

Simplificando, esse é o responsável por conectar você com a empresa de cartão de crédito (adquirente). Na média o custo de set-up fica em torno de R$ 1.500,00 mais o custo por transação, que na média ficam em R$ 0,73. O mais barato que vi foi R$ 0,40 e o mais caro foi R$ 1,20.

Alguns gateways podem te isentar desse setup dependendo da plataforma contratada. R$ 0,67 custo médio por transação e média de R$ 730,00 de setup.

Antifraude

Não imagine que seu negócio não terá fraude, espero que não tenha, mas é melhor prevenir. Os investimentos nessa solução giram em torno de R$ 900,00 de set-up mais o custo por transação. Que na média fica em R$ 0,80 para analises eletrônicas e se houver necessidade de avaliação “manual”.

Onde um operador entra no circuito para fazer a análise da suspeita de fraude custa de R$ 3,50 (o mais barato) a R$ 12,33 (o mais caro) por transação. É também importante lembrar que dependendo da plataforma contratada não há taxa de setup.

Como proteger minha loja virtual das fraudes?

Adquirentes

É importante dizer que a conexão com o adquirente vai depender do gateway, então essas duas soluções precisam ser pensadas em conjunto.

Aqui os custos são percentuais sobre a transação e vai depender do contrato que você fizer com o Adquirente, da forma de pagamento e das parcelas. As transações a vista ficam na média de 3,5% da transação e as parceladas ficam em média 4,5% (2 a 6 parcelas) e 5,10% (7 a 12 parcelas).

Conciliação

Este é um serviço que é oferecido para que você saiba exatamente quais transações estão sendo pagas, quais estão com problemas, se existe chargeback, etc. Esse serviço custa em média R$ 0,50 por transação.

Conclusão

Vale a pena mencionar que os custos que tem seus valores por transação, tem uma franquia que geralmente gira em torno de 200 transações. Assim, se o valor por transação de um determinado serviço for R$ 1,00, você pagaria mensalmente o mínimo de R$ 200,00.

Além desses custos, é importante considerar ainda os custos com logística (incluindo logística reversa), custo com pessoal (gestor, SAC, marketing digital, jurídico, contador, especialistas de conteúdo, analistas, monitoramento, etc). Alguns desses custos como jurídico e contador você pode terceirizar, aliás, dependendo do seu negócio é aconselhável que faça isso, assim você foca no seu core business.

30 ferramentas gratuitas para e-commerce

Espero que esse artigo contribua com o seu entendimento sobre os custos básicos de um e-commerce iniciante. De qualquer forma, considere o roteiro apresentado, mas faça você mesmo suas pesquisas e negocie muito, peça referências, consulte as redes sociais.

O bom lojista, antes de ser um bom vendedor, precisa ser um ótimo comprador.

Obrigado pela leitura, pelas críticas, questionamentos e argumentações! Isso realmente nos faz crescer!

Sucesso e boa decisão!