Tags Posts tagged with "e-mail marketing"

e-mail marketing

Graças à qualidade e variedade de serviços ou produtos que oferecem, os marketplaces estão cada vez mais populares no Brasil. Esse modelo, portanto, tem sido a bola da vez no país e tem sido visto como um bom investimento pelos empreendedores.

No entanto, surgem muitas dúvidas àqueles que desejam investir nesse mercado principalmente em relação ao fórmula de crescimento do negócio. Para escalar um marketplace é necessário o investimento em boas estratégias de marketing para marketplace, com um plano aplicável e bem desenhado.

Quando se fala de estratégias de marketing para um marketplace, é bom lembrar que precisa ser bilateral: atrair tanto vendedores quanto clientes. Fora isso, o marketplace é o próprio responsável pelo investimento em marketing, portanto, é necessário um espaço virtual com boa visibilidade.

Desta maneira, investir em marketing é essencial para atrair tanto clientes e visitantes quanto sellers, que buscam locais seguros, disponíveis e com boa visibilidade para alocar sua marca.

Os marketplaces só adquirem visibilidade e receita com bons sellers. Para atraí-los, é importante oferecer qualidade no serviço da sua plataforma, como infraestrutura, etc. Por isso, os esforços em melhorias do site são indispensáveis, tornando-o cada vez mais escalável.

Os sellers também são motivados por boas taxas e bom marketing visual. Com investimento em visibilidade e no marketing, o vendedor entende que terá mais chances de compradores acharem seu produto em sua plataforma.

As estratégias de marketing são consideradas uma via de mão dupla por isso: atraem tanto os clientes quanto os sellers. Confira a seguir algumas dicas de boas práticas de marketing para atrair clientes ao seu marketplace.

1– Descubra o melhor canal para o seu marketplace

Conhecidos como canais, são, na verdade, os meios de propagação de determinado serviço ou produto. Atualmente, há uma extensa diversidade de opções de canais de divulgação disponíveis na internet e podem ajudar no crescimento do seu marketplace.

Muitos se questionam onde e como achar o canal certo para investir. A melhor escolha é utilizar o “Bullseye Framework”.

“Bullseye Framework” é um diagnóstico que analisa os canais disponíveis, como redes sociais. O sistema é conhecido entre os “marketeiros” por ajudar a eleger os melhores canais para o seu marketplace. Para colocar o método em prática, é necessário seguir cinco etapas:

Brainstorm: em conjunto com a sua equipe, discuta as possibilidade de canais, apontando os aspectos fortes e fracos de cada um. (torne a discussão mais assertiva levando fatos concretos sobre cada canal);
Gráficos com os canais: após reunir-se com a sua equipe, crie um gráfico com todos os escolhidos e elabore uma lista que os posicione em melhores e piores para que sirva de guia para as próximas decisões;
Separe os canais: agora você deverá fazer uma escolha dos três melhores canais. Neste momento, o foco deverá ser priorizar o marketing sobre os escolhidos;
Teste: após a escolha dos três canais, dê início aos testes nos três, com pequenos e gradativos investimentos. Conforme os resultados, se positivos, passe a aumentar as aplicações. Se os resultados não forem satisfatórios, troque pelo quarto canal da sua lista para começar um novo teste;
Foco nos melhores: na última etapa, busque priorizar o investimento apenas nos melhores canais e siga testando gradativamente, assim, o marketplace será cada vez mais bem avaliado.

2- Investimento em SEO

Conhecido como SEO, a sigla vem de Search Engine Optimization (ou otimização dos motores de busca) e é essencial para o seu marketplace. O SEO consiste em técnicas aplicáveis no conteúdo e no código de seu site, transformando em “amigos” de plataformas de busca, como o Google.

As pesquisas realizadas no Google se dividem em dois resultados: os anúncios e os resultados orgânicos. Além disso, conforme pesquisa feita pelo blog SEO Mad, o primeiro resultado do Google recebe cerca de 46% dos cliques, enquanto a segunda opção orgânica recebe 29%.

Por isso é bom investir no SEO de um marketplace, já que quanto mais amigável for o site, melhor rankeado ele será pelas plataformas de busca.

Como ser um site amigável? Para ser cada vez mais “amigo” do Google por exemplo, é importante saber que eles consideram aspectos como a velocidade do carregamento do conteúdo e a boa navegação dentro do site. O rankeamento dependerá da interatividade e facilidade do site para os usuários.

Como o SEO não é algo simples em um site, se o orçamento permitir, contrate um especialista ou até mesmo invista na terceirização deste serviço. Hoje em dia há muitas agências especializadas em otimizar os rankings organicamente.

3- Trabalhe em marketing de conteúdo em seu site

O SEO é uma estratégia poderosa para qualquer marketplace. No entanto, para que a fórmula funcione, gerando resultados efetivos, é necessário investir em conteúdo como vídeos, textos, guias, infográficos, etc.

O Google, a principal plataforma de busca, ama qualquer tipo de conteúdo e irá valorizar esse seu trabalho. Quando mais tempo você investir em Marketing de Conteúdo, maior será a chance do seu marketplace atingir melhores colocações nos rankings. 

A única exigência é que a produção seja sempre de qualidade. A avaliação do conteúdo é feita pelo algoritmo do Google, que dá ao site os melhores rankings.

Para exemplificar melhor, utilizaremos o Uber. A plataforma possui um blog que traz informações como se fosse um guia da cidade, com as melhores opções de atrações disponíveis nas grandes cidades, atraindo mais clientes para o Uber.

De outro lado, o marketplace Etsy, usa o Marketing de Conteúdo para atrair os sellers. Em sua plataforma, há um manual completo que ensina os vendedores como trabalhar ainda melhor dentro do site.

Ao utilizar o Marketing de Conteúdo é bom lembrar que, quanto mais você produzir, melhor será para o seu marketplace. Por isso, assim como o SEO, você pode optar por terceirizar este trabalho, contratando empresas especializadas em produzir conteúdos de acordo com os seus objetivos.

4- Anúncios pagos são essenciais

Além dos resultados orgânicos, como os do SEO, que geram resultados a longo prazo, há os anúncios pagos, que geram maior visibilidade para o seu marketplace.

A mídia paga também pode ser utilizada para aumentar o tráfego de seu site. Os anúncios pagos são poderosos na geração de tráfego. Se comparar a circulação ocasionada por eles aos conteúdos de um blog, os anúncios possuem conversões muito mais diretas.

O volume de acesso pode indicar ao Google que ele é bem visto pelas pessoas, o que melhora sua posição nos resultados da busca orgânica. Fora isso, o aumento de tráfego traz maior possibilidade de compra, já que a receita de um marketplace está associada, muitas vezes, ao volume de acessos.

Para dar início aos investimentos, é melhor pesquisar e descobrir qual será a opção que lhe trará o melhor ROI (Retorno Sobre Investimento) para a sua plataforma.

Depois, se a sua escolha for os anúncios pagos, você pode contratar um profissional de marketing ou até mesmo uma agência, que operem em seu marketplace utilizando o Google Adwords.

5- Ofereça uma “amostra gratuita” do seu marketplace

Essa estratégia é conhecida como “sampling” e utilizada desde os anos 60. Com sucesso entre os empreendedores, a técnica é basicamente oferecer uma amostra gratuita do seu marketplace para os consumidores. Assim, eles conhecerão e terão mais interesse em utilizar o seu serviço ou adquirir o seu produto.

O maior marketplace do mundo, a Amazon, oferece aos clientes uma assinatura gratuita para o seu novo serviço de streaming, o Amazon Prime, válida por 30 dias. O Uber, também usa essa estratégia, oferecendo a primeira corrida gratuita. 

O sampling é uma técnica que aproxima e ativa os consumidores até o seu marketplace com mais facilidade. Por isso, é uma estratégia que costuma funcionar muito bem.

6- Utilize o e-mail marketing para reter clientes

Ao contrário do que parece óbvio, atrair novos clientes pode custar até cinco vezes mais do que manter um antigo. E, na maioria dos casos, os marketplaces buscam novos consumidores em vez de priorizar os antigos.

O e-mail marketing é uma das ferramentas mais eficientes para fidelizar os clientes. A ideia é dispará-los divulgando novas promoções ou produtos, ou até mesmo fazendo ofertas limitadas a esses usuários.

Além disso, essa técnica também aumentará o tráfego de seu site. Portanto, colete os e-mails de todos os seus clientes e crie uma lista, que é facilmente administrada através de softwares de automação de marketing.

Um bom exemplo de e-mail marketing é o trabalho do marketplace Etsy. As ações da empresa resultaram em 78% da receita gerada pelo marketplace em 2014, isto é, criou vendas “repetidas” e fidelizou clientes através do e-mail.

7- Marketing offline do seu marketplace: patrocine, realize e esteja presente em eventos

Os eventos são um dos menos explorados canais de marketing, isso porque esse tipo de ação costuma ser mais caro. No entanto, se o orçamento permitir, os eventos são boas opções de marketing.

Estar ou realizar um evento pode promover a sua marca e até mesmo ampliar a sua lista de sellers – vale a pena investir naqueles que tanto seus sellers quanto compradores estarão. Hoje em dia, há alguns eventos feitos especialmente para essas situações. O Fórum E-commerce Brasil, é destinado aos lojistas virtuais ou possíveis sellers e, neste ano, contou com o Buscapé, por exemplo.

Torcemos para que você tenha encontrado e compreendido algumas das boas estratégias de marketing para marketplace. Se restou alguma dúvida para aplicá-las em seu negócio, deixe aqui o seu comentário.

Mais sobre marketing para marketplace no Blog da MOIP.

Leia também:

O consumidor procura por relevância, ele espera que você faça Marketing de Conteúdo

Imaginemos que somos os donos de uma PME do setor alimentar; de uma pizzaria para sermos mais precisos. Fazemos as melhores pizzas da cidade porque temos bons fornecedores e os melhores funcionários, estamos num ponto concorrido onde não para de passar gente e… O que nos falta para sucesso? Sim, comunicação com os clientes. Como você faria?

Com flyers promocionais? Pouco efetivo. Anúncios televisivos? Muito caros. Telemarketing? Ter uma pessoa agarrada ao telefone ligando a todos os clientes não me convence. Redes sociais? Talvez, ainda que a taxa de conversão seja baixa.

Nada disso, a melhor técnica para otimizar a comunicação na sua empresa é enviar newsletters.

O que é uma newsletter e como funciona?

Como posso comunicar ao enviar newsletters

Antes de tudo, quero relembrar que se decidimos unicamente enviar e-mails aos nossos clientes não estamos seguindo uma excelente estratégia de comunicação; precisamos reforçar com outros canais, seja com redes sociais e/ou com telemarketing (ainda que esteja mais focado no serviço pós-venda).

Vamos focar na técnica que nos dá os melhores resultados, o e-mail marketing… E é o e-mail marketing que converte 40 vezes mais que o Facebook e o Twitter juntos, sendo assim a ferramenta de marketing online mais eficaz. Por isso, quero saber como posso incluir o e-mail marketing no meu dia dia, na minha pizzaria… Vamos começar?

Fixe o objetivo de comunicação

Como em tudo, o primeiro passo é fazer se planejamento: apontar seus objetivos com o envio de newsletters. Vamos dividir em 3 possibilidades:

  • Aumentar as vendas: vender mais é o objetivo por excelência de fazer e-mail marketing. O fato de ser a ferramenta de marketing online com o ROI mais alto ajuda a tornar este objetivo realista.
  • Fidelizar clientesgerar engajamento com os clientes. Se cumprir este objetivo conseguirá que os seus clientes sejam leais à marca, além de melhorar seu posicionamento e credibilidade, já que os clientes verão que não lhe interessa apenas vender, mas também que se interessa por eles.
  • Informar: outro objetivo que lhe podes fixar é o de melhorar a comunicação interna da empresa. Para isto o e-mail marketing também é uma boa opção, já que dispomos de templates.

O fato de querer fazer, por exemplo, uma campanha de fidelização não exclui que faça com o mailing também campanhas comerciais para aumentar as vendas: seus objetivos podem e devem ser complementares.

Escolha um software de e-mail marketing

O segundo passo é escolher uma aplicação ou plataforma de e-mail marketing para poder concluir seus objetivos definidos no passo anterior.

Além de encontrar uma solução de email marketing confiável, procure por templates pré-definidos, personalizáveis e responsivos, que atenda diferentes setores empresariais.

Construir sua campanha de e-mail

Uma vez que já sabe que objetivos tem e com qual solução de email marketing irá trabalhar, falta construir as newsletters. Defina o assunto, prepare o preheader e a mensagem que quer fazer chegar aos seus contatos.

Caso não tenha tanto conhecimento no canal. Para que a mensagem seja mais atrativa, o mais recomendável que utilize templates pré-definidos da plataforma, já que assegurará fazer uma campanha com um design feito por um especialista que possivelmente pensou em todo o tipo de dispositivo.

Na hora de escolher um template deverá sempre lembrar qual é sua intenção ou objetivo principal que ficou na primeira fase da sua pizzaria.

Distinguiremos três tipos de newsletters segundo a sua finalidade:

Newsletter comercial

No caso de decidir seguir uma estratégia comercial para aumentar as vendas. A chave nestas newsletters é a inclusão de CTAs, ou seja, links que dirigem diretamente para a página de compra de algum produto.

As newsletters comerciais caracterizam-se por incluir produtor e o seu preço, procurando atrair a compra impulsiva.

Voltando ao exemplo da nossa pizzaria, este tipo de template resultaria para informar aos clientes as promoções existentes no preço das pizzas. Ou quem sabe um cupom de desconto para provar um novo sabor?

Newsletter de fidelização

Não devemos eleger uma newsletter mostrando as nossas promoções se queremos seguir uma estratégia de fidelização. Esta é a característica básica que partilham as newsletters com a intenção de fidelizar os clientes. O objetivo deste tipo de newsletter é o de informar e gerar valor para o destinatário.

Os CTAs aqui, geralmente são dirigidos a páginas internas da página web corporativa, como por exemplo, a um novo artigo no blog ou a receita de uma nova pizza que quer introduzir no mercado. Outra ideia boa aqui seria um programa de pontos, com pontuação maior para quem pede a pizza pelo site.  Ao atingir determinada pontuação em um período, leva uma mini pizza doce, que tal?

Newsletter informativa

Caracterizam-se pelo design básico, ideal para cumprir o objetivo de comunicar com os seus colegas, fornecedores e colaboradores. Ao ser o dono de uma pizzaria, este template seria ideal para informar os colegas do relatório semanal sobre como está o negócio, não?

Este modelo também pode ser utilizado para clientes. Porém, normalmente é mais recomendado para quem utiliza um blog como estratégia de negócio. Com bastante fluxo de conteúdo novo, é saudável contar para seus clientes o que tem acontecido no blog durante a semana. Que tal um blog de pizzas modelo Tastemade? Sim, claramente uma estratégia destas, além de informativa serve para fidelização. São complementares, lembra?

Lembre-se que comunicar não é apenas falar; também deve ouvir, interagir, perguntar aos clientes e entender o que dizem, e para isso, o melhor é apostar no e-mail marketing na sua estratégia de comunicação.

Depois de montar uma loja virtual e sentir o gosto das primeiras vendas, é natural que o empreendedor procure diariamente por novos clientes. Afinal, isso é fundamental para que o negócio prospere e continue a crescer, certo?

Certo, mas existe uma outra forma de aumentar o seu faturamento, que nem sempre é tão comentada por aí: vendendo mais para a sua atual base de clientes. Isso mesmo: fazendo uma segunda, terceira ou quarta venda para aquelas pessoas que já compraram com a sua loja virtual antes. Você tem se dedicado a isso?

É muito mais fácil vender para alguém que já é seu cliente do que vender para pessoas que ainda não tiveram nenhuma experiência de compra com a sua marca. Isso porque a sua base de clientes já superou a insegurança e desenvolveu um elemento fundamental quando o assunto são os negócios: confiança.

No entanto, alguns empreendedores ainda focam tanto em conquistar novos clientes que acabam esquecendo-se de vender mais soluções para aqueles consumidores que já foram conquistados. Com isso, perdem a oportunidade de incrementar ainda mais as vendas.

Você acha que só porque alguém já comprou uma roupa ou suplemento, essa pessoa nunca mais precisará de outros produtos do seu segmento? Se acredita nisso, é melhor começar a repensar. O cliente continuará consumindo — e se não for no seu e-commerce, será no da concorrência!

Agora que você provavelmente já está convencido do quanto é importante (e possível) aumentar o seu faturamento sem necessariamente aumentar o volume de clientes, confira 3 dicas efetivas para fazer isso de forma prática e eficiente:

1- Ofereça cupons de desconto por e-mail

Sabe aquela loja virtual onde o cliente mal finaliza a compra e a empresa logo enche a caixa de entrada dele com cupons de desconto e promoções “imperdíveis”?

A utilização de cupons de desconto, apesar de ser uma estratégia inteligente e que garante benefícios para ambas as partes, precisa ser feita com certa cautela. Resumindo: não saia por aí distribuindo cupons da sua marca sem nenhum critério!

O cliente comprou de você? Então dê a ele alguns dias para conhecer, utilizar e, se for o caso, curtir o seu produto. Faça um cálculo simples: de quanto tempo ele precisa para entender que o meu produto tem qualidade? Dez, vinte, sessenta dias?

Depois disso, envie um cupom de desconto por e-mail aproveitando um gancho relacionado ao seu mercado. Por exemplo:

“Os suplementos estão acabando? Aqui vai um cupom de R$ 25 para você continuar curtindo os ganhos musculares!” (E-commerce de Suplementos)

“A tinta do cartucho já começou a falhar? Aqui está um cupom de R$ 20 para repor o seu estoque de suprimentos!” (E-commerce de Informática)

Outra dica importante: os cupons de desconto funcionam muito melhor se o valor da oferta for em espécie em vez de em porcentagem. Por isso, em vez de oferecer “30% de desconto”, ofereça “R$ 20 de desconto”.

2- Aumente o seu ticket médio

Se você tem que ganhar mais dinheiro vendendo para o mesmo número de clientes, outra saída é fazer com que essas pessoas gastem mais a cada compra, aumentando o ticket médio da loja.

Existem várias estratégias para isso, mas hoje vou deixar aqui a que mais gosto: trabalhar com combos de produtos.

Muitos clientes entram na loja e estão acostumados a comprar um produto específico? Monte um kit com esse item e mais algum(s) complemento(s), e faça de tudo para que o usuário leve esse combo para a casa. Incentive essa compra, deixando-a em destaque em sua loja virtual e dando um bom desconto.

Também é importante fazer a seguinte reflexão: “quanto de aumento eu pretendo ter no faturamento?”. Essa resposta dará um caminho para que você calcule exatamente o quanto o seu ticket médio precisa crescer.

3- Faça remarketing com a base de clientes

Nós já falamos, ali em cima, sobre oferecer cupons de desconto por e-mail. Ao fazer isso, você descobrirá que nem todos os clientes abrem o e-mail, outros abrem mas o ignoram, e outros ainda podem nem saber que o receberam, já que o disparo muitas vezes pode acabar na caixa de spam do consumidor.

Pensando nisso, recomendo uma estratégia que tem gerado resultados positivos para os meus negócios: praticar remarketing com a base atual de clientes da empresa.

Você provavelmente já faz remarketing para pessoas que visitam a sua fanpage ou blog, por exemplo. O que vai mudar a partir de agora não é a prática em si, mas o público: pegue a sua lista de clientes e utilize-a para campanhas de remarketing no Facebook Ads ou Google Adwords.

Nessas ações, ofereça um cupom de desconto como incentivo para a segunda, terceira ou quarta compra. Além disso, não se esqueça de ser mais assertivo, utilizando uma chamada para ação como: “Última oportunidade!”, “Clique e ganhe R$ 20 de desconto!” ou “Clique para conferir uma oferta exclusiva!”.

Todas as estratégias citadas aqui foram testadas em meus negócios. Se aplicadas da maneira correta, essas 3 técnicas podem fazer o seu faturamento crescer até 30% em um curto período de tempo. Por isso, vale muito a pena investir nelas!

Pensa em manter um bom relacionamento com seu cliente, conquistando a simpatia ao oferecer além do produto um conteúdo de qualidade? A newsletter é o modelo de comunicação bastante eficaz e de baixo custo, com maiores taxas de retorno, ideal para ajudar na fidelização de clientes e converter leads. Quer saber como?

Primeiro entenda o que é uma newsletter. Também conhecida como boletim informativo, trata-se de uma publicação com conteúdo, periodicidade, linha editorial e comunicação visual atrativa. Possui muitos elementos de jornais e revistas, pode ser também impressa, mas atualmente é mais utilizada na forma eletrônica, enviada por e-mail.

Conteúdo relevante é a cereja do bolo

O marketing tem evoluído e o consumidor está cada vez mais exigente. Cada vez mais as pessoas estão abertas a se comunicarem via mídias online, através de seus smartphones, redes sociais, sites, blogs, etc, e isso tudo se torna um tanto invasivo. De acordo com pesquisa da organização We Are Social, o Brasil está no topo do ranking quando o assunto é o tempo utilizado na internet. O brasileiro gasta em torno de 5 horas por dia conectado a computadores e 3 horas 55 minutos em dispositivos móveis, em média.

Além de recursos online, muitas empresas bombardeiam seus clientes em potencial ou fidelizados com chamadas de vendas via SMS. O consumidor dos dias de hoje está cansado de tanta falta de privacidade e não mais tolera contato de empresas com explícita intenção de venda. Ele precisa sentir que seus interesses são valorizados.

Para isso, o marketing de conteúdo é um ótimo caminho para sedimentar um relacionamento mais duradouro. E a newsletter enviada via plataforma de e-mail marketing é uma das ferramentas mais simples e com alta taxa de retorno para se fazer isso.

E como a newsletter ajuda na conversão de leads?

Agora você já entendeu que conteúdo é tudo, e que a newsletter é um ótimo caminho para levar informações com assuntos relacionados à empresa que despertem o interesse do público em questão. Não de forma aleatória e/ou massificada, mas entregue para pessoas que escolheram receber determinados tipos de conteúdos da empresa. E é possível descobrir isso quando preenchem seu cadastro fornecido via formulário online.

Aí está o pulo do gato para não se tornar um spam: clientes e leads só vão receber conteúdo que concordaram em receber e que realmente os interessa. Portanto, as taxas de abertura e conversão vão ser muito maiores do que em uma comunicação simplesmente massificada.

Segmentar é a chave

Faça abordagens interessantes sem alongar o assunto. O conteúdo precisa ser objetivo, criativo e segmentado. Crie nichos dentro do universo da marca. Trabalhe com temas específicos e únicos em cada newsletter.

Por exemplo, se trabalha com artigos esportivos, procure saber para quais times e tipos de esportes seus clientes gostam. Ou se tem uma empresa de cosméticos, que tipo de pele e/ou cabelo seu lead informa ter e dar dicas sobre cuidados específicos e assim por diante. Crie uma base de e-mails detalhada, dividida por temas e utilize uma boa ferramenta de e-mail marketing com serviço de automação.

Depois que seu lead se interessou pelo assunto o estimule a acessar seu site, ou ir direto para a compra do produto ao qual o conteúdo possa estar relacionado. Também é importante deixar um canal para que o cliente faça contato direto e de forma simples ao responder ao seu e-mail para sanar dúvidas. O processo precisa ser o mais ágil e dinâmico possível para que seu lead se sinta valorizado e conclua a compra.

De olho na periodicidade

Faça com o que seu cliente ao pensar em determinado tema lembre-se do seu negócio como solução. Para fixar o nome da sua empresa como a número um em determinado segmento na mente dele é importante que o envio da newsletter seja periódico, e que tenha uma estrutura gráfica e de conteúdo minimamente pré-definida.

A partir do momento que seu leitor recebe conteúdo que o interessa cria expectativa e segurança sobre os próximos e-mails que serão enviados, o que faz aumentar o interesse e também indicá-lo para outras pessoas.

Monitorar para evoluir sempre

Observar taxas de abertura e conversão ajuda a dar um panorama geral de cada campanha. Mas estar atento na forma como alguns clientes se comportam, e quais palavras-chaves relacionadas ao seu negócio geram mais engajamento, pode dar bons insights sobre o que mais interessa ao seu público alvo.  Mantenha o foco nos padrões e mudanças de comportamento das pessoas que almeja atingir.

Lembre-se sempre: conteúdo, segmentação, periodicidade e monitoramento fazem da sua newsletter o sucesso na comunicação do seu negócio.

Mais sobre newsletter como estratégia:

O que é uma newsletter e como ela pode ajudar no Marketing de Conteúdo?

Ainda faltam cerca de um mês para a Black Friday, que em 2017 acontece no dia 24 de novembro. Mas é preciso planejar com antecedência e estar preparado para a data que é uma das mais importantes para o comércio virtual. Segundo pesquisa da Google, divulgada dia 22 de agosto, as vendas durante o período devem somar R$ 2,2 bilhões, com crescimento entre 15% e 20%.

O estudo também diz que 68% das pessoas pretendem comprar algo na Black Friday deste ano, enquanto no ano anterior o índice era de 61%. Assim, é fundamental garantir que tudo no e-commerce funcione da melhor forma possível. Entre os principais pontos que precisam ser checados estão infraestrutura e relacionamento com o cliente.

De acordo com a All iN, o e-mail marketing foi o principal canal de conversão entre os varejistas durante a Black Friday de 2016 e a tendência é que a ferramenta mantenha o desempenho neste ano. Ainda segundo a marca, o envio de e-mails tradicionais no período deve crescer 15%, enquanto o disparo de e-mails comportamentais aumenta 25%.

Levantamento realizado pela Tray, informa que a movimentação nas lojas virtuais durante a Black Friday cresce em torno de 20 vezes em relação a um dia normal. O estudo também traz que o tíquete médio da data em 2017, deve ser em torno de R$ 350.

Já pensou o que pode acontecer ao criar uma campanha e perder todo o trabalho porque o número de acessos ultrapassou o limite que o site suporta receber? Ou criar uma ação inovadora e falhar na comunicação com os clientes?

Por isso, abaixo estão três dicas para que os empreendedores comecem a se programar e não percam a oportunidade:

Como está o site?

Aproveite que ainda há um tempo até a Black Friday e revise a estrutura das páginas e os conteúdos. Teste variações de cores e layouts, por exemplo, para deixar a navegação mais atrativa e intuitiva.

Inclua formulários de contato e/ou newsletters. Dessa forma, pode-se criar (ou aumentar) a base de clientes interessados em receber suas mensagens. Essa lista é fundamental para a divulgação de promoções e descontos, ou simplesmente para estreitar o relacionamento.

E se o site ficar fora do ar?

Faça uma análise do número de visitantes que o seu site recebe, acompanhe o histórico e, se possível, compare com o do ano anterior. Existem diversas opções, como Hospedagens ou Clouds, para ampliar a capacidade, mas é preciso entender o tamanho do negócio e o quanto pode-se investir em infraestrutura.

Como dito anteriormente, a estimativa é que o acesso às lojas virtuais durante a Black Friday cresça em torno de 20 vezes em relação aos dias regulares.

E-mail Marketing para avisar os clientes sobre os descontos?

É fundamental que os consumidores saibam o que acontece no e-commerce. As ferramentas de e-mail marketing são importantes para mantê-los atualizados sobre as novidades, promoções e novos produtos ou serviços. Assim, quando a Black Friday chegar, já haverá uma base trabalhada e engajada.

Uma campanha de sucesso depende, e muito, de um bom planejamento e de muita pesquisa.

O e-mail marketing tornou-se a técnica mais eficaz para venda online. Pense nisso, quantas vezes você ouve sobre ofertas ou descontos das marcas que você gosta em newsletters que você recebe? Muitas.

Ter uma ferramenta de envio de e-mail marketing profissional para criar campanhas tornou-se essencial para qualquer empresa. Mas hoje vamos dar algumas dicas para fazer o melhor e-mail marketing comercial e gerar um grande número de vendas por e-mail.

1- Concentre sua mensagem nos benefícios do seu produto

​Quando você cria as campanhas projetadas para vender seus produtos, há algo que você não deve esquecer: o único protagonista desses e-mails é o produto.
 
É essencial que, ao longo do e-mail, destaque as qualidades de seus produtos, a utilidade que eles possuem e os benefícios que serão obtidos por aqueles que os adquirem. Ele deve provocar o desejo de comprar, e não se esqueça, crie a necessidade. Convença o usuário de que ele precisa do produto. As razões podem ser milhares: é o melhor do seu setor, é a última moda, usado pelas estrelas de Hollywood…
 
Um elemento muito importante que aumentará suas vendas por e-mail são as imagens que você incorpora na campanha de e-mail marketing. Pense que essas imagens são a única referência que tem o destinatário do produto, então adicione a melhor que você tem.
 
As imagens devem ser feitas por profissionais e estar em alta qualidade. O produto deve ser apreciado perfeitamente e deve fazer com que você clique para saber mais sobre ele.

2- Ofereça descontos e ofertas reais

É muito importante que o que você anuncia no seu e-mail seja totalmente verdadeiro. De acordo com o estudo realizado em 2016 pela ONG FACUA, 82% dos consumidores consideraram que as empresas distorciam seus descontos.

Um anúncio enganoso fará com que os usuários acessem seu site uma vez, mas, se não houver descontos reais ou apenas tenham o desconto se gastarem mais que X$, eles não confiarão em você e irão sair da sua lista de contatos.

A Black Friday é propícia para fazer ofertas de todos os tipos. O mesmo estudo já acrescentou que oito consumidores em dez acreditam que as empresas oferecem descontos falsos durante essas festividades. Eles consideraram que o desconto que eles encontraram não foi aplicado no preço real.

Agora você pode aproveitar as festividades para gerar mais vendas por e-mail não usá-los como isca, pensar em uma estratégia que é benéfica para ambas as partes e deixar claro as vantagens de comprar nesse dia ou semana.

3- Use uma linguagem emocional e não racional

Uma conexão com seus destinatários é básico para criar motivação e desejo de compra. Se você usa uma linguagem séria, seca e sem emoção, dificilmente conseguirá bons resultados.

Você precisa recorrer ao usuário, usar um tom confiável e uma linguagem emocional. Storytelling funciona, você precisa de pessoas para se identificar com a marca e torná-la sua. Isso se reflete em seus produtos.

4- CTA efetivo, vendas seguras

Para obter vendas por e-mail, há um elemento muito importante e são chamadas para ação (CTA). Estes são os responsáveis ​​pela geração de tráfego para a sua página online.

A chamada para a ação eficaz é aquela que se destaca sem perturbar… Não coloque desenhos ou efeitos que não estão em sintonia com o resto da newsletter. Normalmente, os CTAs são tipicamente imperceptíveis.

As chamadas para ação devem abordar diretamente o que está sendo falado no e-mail. Se você levar o assinante para a Home, talvez fique cansado e desista antes de chegar ao produto. Quanto mais fácil para o usuário, melhor. Elimine todas as barreiras possíveis.

Se você fala sobre descontos em camisas e o CTA leva diretamente para essas camisas, ótimo. Não desperdice o tempo do usuário fazendo-o navegar sem necessidade.

Se você seguir estas dicas verá como suas vendas por e-mail aumentarão gradualmente. Fazer campanhas de e-mail marketing é a técnica mais rentável e eficaz no mercado, não perca!

Texto publicado anteriormente no Blog da Mailify.

O Brasil é o quinto país com maior acesso à internet no mundo, ultrapassando a marca de 105 milhões de internautas. Nesse cenário, um acontecimento comum é o abandono de carrinho no e-commerce, que chega a 63%, ou seja, a cada 100 consumidores, 63 não finalizam as compras.

Em um levantamento feito pelo Ibope E-commerce, os principais motivos para o abandono de carrinho apontados pelos internautas foram, respectivamente:  “alto valor do frete”, “consumidor não estava pronto para finalizar a compra”, ou “simulação para comparação de preços e desistência após alto preço”.

Com isso em mente, algumas medidas podem ser tomadas para melhorar a experiência dos seus consumidores e consequentemente alavancar as suas vendas.

1- Facilite o frete dos seus clientes

Os custos logísticos tornaram-se os principais vilões do e-commerce. Com o alto preço pago pelo envio, os clientes chegam a escolher os produtos e desistem após inserir o CEP para finalizar a compra. Para evitar que isso aconteça, ofereça opções de frete de acordo com a necessidade do cliente.

Fretes com prazos e valores diferentes permitem ao cliente comparar os preços e a sensação de ganho é sentida. Ofereça frete expresso, rápido e simples, com tempos de entrega inversamente proporcionais aos valores investidos. Além disso, oferecer um endereço físico para a retirada do produto dentro de um prazo estipulado pode ser a alternativa que o seu cliente busca para fugir dos custos do frete.

Aumente as vendas do seu e-commerce com pontos de retirada

Outra saída é oferecer promoções que isentam o frete caso seja efetuada a compra acima de um valor especificado.

2- Facilite a compra em sua plataforma

Alguns sites oferecem a opção “one-click buy”. Através dela, o cliente pode salvar as informações do cartão, endereço de entrega, entre outras, para que em compras futuras ele consiga realizá-las com apenas um clique. A função pode aumentar as vendas por impulso, assim como ajudar o consumidor que não está encontrando seu cartão no momento em que está fazendo a compra no site e depois acaba esquecendo de finalizá-la.

Caso o comprador ainda não esteja cadastrado em seu site, facilite a inscrição. Ofereça a opção para o cliente preencher os dados a partir das informações das redes sociais, como o Facebook. Desta forma, ele economiza tempo e diminui as chances de desistência.

3- Envie e-mail marketing relevante

Com o e-mail do cliente em mãos, preenchido no cadastro de seu site, envie informações personalizadas sobre os produtos que ele visualizou recentemente, em especial os que colocou no carrinho, mas não finalizou a compra.

Também é possível enviar informações sobre queda de preço ou facilidades de pagamento, ações que possibilitam o resgate de clientes que desistiram de compras nas últimas etapas do processo.

4- Crie um espaço para comentários sobre os produtos

Se o cliente considera o preço do produto alto, sua relação entre custo e benefício não está correta. Para facilitar a tomada de decisão dos consumidores nesses casos de dúvida, crie um espaço para que outras pessoas que compraram em seu site contem sua experiência sobre o produto.

Sejam boas ou ruins, isso torna mais palpável o que é o produto para o cliente, já que, através de um site, ele não está vendo o produto fisicamente. Caso esteja tendo dificuldades para as pessoas opinarem sobre sua compra, incentive-as, oferecendo cupons de descontos para a próximas aquisições àqueles que avaliarem o produto.

Com o avanço da tecnologia e a rapidez do mundo moderno, tudo indica que o e-commerce continuará crescendo desde que tenha o cliente como missão de vida. Entregar uma experiência de qualidade para os seus usuários e buscar sempre conhecimento é o que fará o abandono de carrinho diminuir cada vez mais em seu negócio.

Para cuidar de campanhas de e-mail, é preciso tempo. E este é, provavelmente, um dos principais desafios enfrentados pelos profissionais, especialmente os empreendedores que têm negócios inteiros para gerir.

Assim, como otimizar seu tempo para envios mais rápidos e eficazes? Através deste post, vamos rever algumas técnicas organizacionais que ajudarão você a economizar tempo em cada etapa da criação de seus e-mails.

Tenha um planejamento

A primeira coisa a fazer antes mesmo da criação da sua mensagem é configurar um cronograma de envios com antecedência. Defina as próximas datas de disparo e tópicos que você irá abordar em seus e-mails para não tem que pensar nisso quando criá-los.

Você vai ganhar organização estratégica de comunicação, definindo bases específicas de marketing de acordo com sua atividade, calendário promocional e festividades. Isto irá permitir-lhe poupar tempo em muitos níveis.

Prepare um template de e-mail por tipo de campanha

Obviamente, a maneira mais conveniente para poupar tempo ao criar seu e-mail é preparar templates. Tome um ou dois dias para pensar sobre uma estrutura e um desenho pré definido para cada tipo de campanha de e-mail que você enviar: newsletter, e-mail comercial, anúncios, ofertas promocionais…

Com um editor drag & drop você pode facilmente criar templates de newsletter pré definidos que pode então personalizar para cada envio com base em temas que irá abordar.

Com uma paleta de templates personalizados disponíveis, você vai ganhar um tempo considerável cada vez que criar uma campanha.

Use um editor drag & drop

Os editores de e-mails são mais fáceis do que nunca de usar. A tecnologia de arrastar e soltar existe na maioria das soluções de e-mail marketing profissionais para compor uma newsletter com apenas alguns cliques de distância. É uma ferramenta baseada em um método simples: mover blocos de conteúdo dentro de um molde com um simples movimento do mouse, posicionando-os onde desejar.

Esta é, obviamente, uma solução muito mais rápida e acessível do que usar um software padrão de HTML/CSS que requer habilidades mais especializadas na codificação.

Bibliotecas de imagens

No processo criativo, podemos ser confrontados com o problema da estética geral da mensagem. Se procurar fotos e ilustrações na rede pode ser um desperdício de tempo, opte por soluções que integram diretamente um banco de imagens grátis.

Isto vai poupar tempo valioso através da realização de uma simples busca por palavra-chave dentro do seu software e irá remover muitas etapas desnecessárias (abrir o navegador, pesquisar no Google, encontrar uma imagem royalty free, abrir a imagem, salvar, importar para o software…).

Importe automaticamente o seu conteúdo em uma newsletter via WordPress

Alguns softwares de e-mail marketing profissional podem importar artigos do seu blog WordPress diretamente em sua newsletter. Basta um módulo de sincronização integrado à solução.

Estes módulos são extremamente convenientes para blogueiros e empresas com um blog, porque eles permitem que você importe em um clique os últimos artigos criados em WordPress para um template de newsletter.

São então integrados o título, a imagem principal e o início do texto do artigo, sem qualquer esforço adicional.

Se a sua solução de e-mail marketing não possui um sistema desse tipo, saiba que existem soluções para blogueiros para criar newsletters no WordPress e enviá-los automaticamente quando uma série de artigos forem criados.

Crie formulários para importar diretamente seus destinatários

A importação de contatos em sua solução de e-mail marketing pode ser uma etapa tediosa, especialmente quando se trata de fazê-lo manualmente ou se você não tem a capacidade de automatizar esse processo.

Para economizar tempo, use uma ferramenta profissional de e-mail marketing que permita a criação de formulários. Estes estão ligados à listas de contatos e sincronizados em tempo real com o seu software.

Assim, você deixa seus visitantes se inscreverem em seu formulário, e você encontra diretamente em uma lista de contatos personalizada os dados de cada um.

Esta é provavelmente a maneira mais rápida e mais fácil de gerenciar por exemplo, sua lista de assinantes para sua newsletter ou obter RSVPs para um evento que pretende promover.

Use uma ferramenta de pré-visualização

Como garantir que sua mensagem será exibida corretamente em todas as caixas de entrada? Para não enviar testes para endereços de e-mails incontáveis ​​e verificar um por um o  processamento em cada webmail ou software, use uma ferramenta de visualização!

Algumas empresas oferecem no software de e-mail marketing uma ferramenta de visualização nas principais caixas de entrada do mercado. Então você não perde tempo enviando testes para todos os seus colegas, ou criando várias contas de e-mail e webmail. Conveniente, não é?

Com todas essas dicas, você deve gastar menos tempo ao criar suas campanhas para que você possa se concentrar em outros aspectos do seu negócio.

O growth hacking é uma estratégia de posicionamento web de baixo custo que cria grandes benefícios para as marcas.

Dizem que o growth hacking e as startups andam de mãos dadas, sendo também um comum denominador em aplicações como Facebook, Twitter, Instagram ou o LinkedIn. Esta forma de ver o posicionamento, passou do mundo online para também ser aplicado no mundo das PME´s e dos negócios físicos.

Leia também:

A ciência por trás da taxa de abertura de email marketing (e como fazer mais pessoas abrirem os seus!)

As organizações podem usar esta filosofia no bem estar do seu negócio utilizando uma ferramenta de email marketing.

O que é o growth hacking, e como usá-lo através de uma ferramenta de email marketing?

O growth hacking é a resposta a baixos orçamentos, ao querer fazer bem as coisas mas sem contar com todos os elementos necessários para fazer marketing tradicional, que implica publicidade e portanto ter grandes quantidades de dinheiro “debaixo da manga”.

O growth hacking é definitivamente para posicionar um produto, tendo como base o mesmo artigo, sem que isto signifique o desenvolvimento de marketing focado no mesmo. A ideia essencial do growth hacking, é crescer de forma sustentada sem muito esforço e sem grandes orçamentos.

O que devem ter em conta as marcas para aplicar o growth hacking?

1- Produto com growth hacking: o produto deve responder à uma necessidade, resolvendo algum tipo de problema. Existem 3 fatores chave debaixo desta filosofia: o produto, o mercado e a equipe. A sinergia entre estes 3 fatores permitirá oferecer um produto que encaixe com o mercado que necessita. As organizações podem ter um excelente produto, mas se este não responde à uma necessidade, pode significar fracasso.

2- Reinventar-se: as marcas devem manter um relação de continuidade dos seus clientes, já que num mercado há sempre concorrência. No growth hacking, deve-se estar na vanguarda e alerta à qualquer possível alteração.

3- Fidelização sempre: Pareto mencionava a lei de 80/20; se esta lei for transferida para o plano de vendas podemos dizer que 80% da receita é alcançada por 20% dos clientes. É mais difícil atrair novos clientes que conservar os já existentes, um cliente fidelizado, é a longo prazo um embaixador da marca, denominado brandlover, alguém capaz de falar sobre a marca positivamente e fazer a tão procurada “publicidade do boca a boca”.

Como utilizar uma ferramenta de email marketing de acordo com esta estratégia?

O growth hacking procura incrementar de forma notória o nível de utilizadores com o mínimo de gasto e esforço.

O email marketing cumpre sempre com este primeiro requisito, é uma ferramenta de comunicação econômica e rentável, com um ROI de 4308%.

1- Envio de questionários de satisfação ao cliente

Os feedbacks dos clientes é sempre importante.

Com uma ferramenta de email marketing pode-se criar e enviar questionários de satisfação ao cliente. O FormBuilder é uma das extensões que a ferramenta de email marketing pode contar. Esta extensão é de uso gratuito, permitindo a possibilidade de criar formulários de inscrição, questionários e landings para as listas de contatos de forma rápida e prática.

Isto permitirá às organizações conhecer melhor os seus clientes, além disso de poder conhecer os “insights” necessários para melhorar os produtos e ter um melhor serviço de pós-venda.

2- Uso de botões na newsletter

Utilizar CTA (call to action): através de botões de “chamada para ação” que convertam, que alcancem esse grande passo de transformar um cliente potencial em um real. Como devem ser estes botões?

• Letras e fundo com contraste;
• Instruções claras e precisas como: “Eu quero”, “Clique aqui”, “Registrar-se”, etc;
• Devem estar localizados: no final do artigo, acima à esquerda onde os olhos dos nossos utilizadores estão (leitura ocidental) ou no meio do artigo.

3- Criatividade primeiro: Conteúdo que desperte curiosidade

Uma grande estratégia de email marketing emana criatividade. Desde o assunto, passando pelo preheader e chegando até ao corpo da mensagem, a originalidade deve estar presente, o conteúdo deve surpreender.

Seguindo a ideia do growth hacking, se a organização possui um blog, inicialmente deverá identificar os artigos que originam mais tráfego e começar a partilhá-los nas newsletters mensais. Com esta opção, as marcas conseguiram agilizar o processo de implementação de uma estratégia de email marketing e por fim atrair novos leitores.

Mais sobre Growth Hacking:

Growth Hacking: 10 técnicas de vendas para aumentar a conversão do seu e-commerce

O uso de emojis – aqueles pequenos ícones digitais que representam tudo, desde sushi (🍣) e veleiros (⛵), até variações infinitas de expressões faciais (😀😁😂😃😅😆😉😎😍😘🤔😐🙄😣😭😵😡) – tornou-se parte da vida cotidiana. No entanto, os profissionais de marketing têm se mostrado hesitantes em incorporá-los às campanhas de e-mail, devido à incerteza sobre como seu uso pode ser interpretado por assinantes e provedores.

Uma recente pesquisa da Return Path, porém, revela que os emojis podem incrementar o conjunto de estratégias das campanhas de e-mail marketing. O estudo “Emoji use in e-mail subject lines – a monthly guide to emojis and email”, mapeia o desempenho de campanhas em períodos significativos para o varejo ao longo do ano, comparando as métricas de mensagens cujas linhas de assunto contêm emojis, com aquelas construídas da maneira tradicional, apenas com textos.

Por meio do relatório é possível saber, por exemplo, que emoji de lábios (💋) são eficientes em campanhas do Dia dos Namorados, enquanto a imagem de chave inglesa (🔧) fez muito sucesso no Dia dos Pais. Por outro lado, a imagem com brinde de taças de champanhe  (🥂) não apresentou engajamento com os assinantes no período do Ano Novo. 

Desempenho dos Emojis em Campanhas de E-mail Marketing

“Em uma caixa de entrada lotada, não há dúvidas de que os emojis se destacam e são um elemento importante para chamar a atenção do leitor”, disse Rafael Viana, Email Strategist da Return Path. “Não há muitas campanhas de e-mail marketing utilizando o recurso hoje, então, há um fator de novidade envolvido”, completou.

Embora esse fator de novidade seja difícil de quantificar em um relatório de pesquisa, evidências indicam uma queda brusca nas métricas de engajamento após o uso repetido de emoji. “O que funciona uma vez pode não funcionar sempre. Meu conselho para um profissional de e-mail marketing que quer tentar usar emojis é ter nossas descobertas como ponto de partida para testar suas próprias campanhas”, continuou Viana.

“Toda marca precisa encontrar seu próprio tom de voz e entender o público-alvo. Não há fórmula mágica para usar emojis, ou qualquer outro aspecto de uma campanha de e-mail”.

Para auxiliar os profissionais de e-mail marketing no uso de emojis em linhas de assunto, a empresa listou seis boas práticas:

1- Teste em uma pequena amostra – Inicie o uso de emojis em uma pequena amostra do seu mailing. Compare o desempenho enviando para outro grupo mensagens com linhas de assunto tradicionais.

2- Não exagere – Evite utilizar vários emojis ao mesmo tempo e evite aqueles que são amplamente utilizados.

3- Certifique-se de que a imagem utilizada faz sentido no contexto e na sua indústria – Um emoji que apresentou alta taxa de leitura no estudo da Return Path pode não ser eficiente em suas campanhas. Para evitar erros, esteja ciente da identidade da marca da sua empresa e tenha cuidado com a utilização de cada emoji. Evite que o uso da imagem seja encarado como uma brincadeira de mau gosto.

4- Certifique-se de que os emojis sejam visualizados com perfeição – Enquanto um emoji pode fazer com que o e-mail seja aberto, é provável que os assinantes excluam mensagens cuja linha de assunto tenha um emoji desconfigurado. Verifique se os emojis que você está usando são suportados pelos provedores de caixa de correio e dispositivos que seus assinantes usam.

5- Saiba qual é o destino dos seus e-mails – Antes de concluir se o uso de emoji foi um sucesso ou um erro, certifique-se de estar mapeando se as mensagens estão alcançando a caixa de entrada e sendo abertas.

6- Veja como seus concorrentes estão usando os emojis – Existem muitas opções quando se trata de usar emojis em linhas de assunto de e-mail, então fique atento ao uso das imagens pelas demais marcas no mercado, principalmente seus concorrentes diretos. Esta é uma forma de se inspirar ou evitar erros.