Tags Posts tagged with "feriados"

feriados

O número de acessos em portais e-commerce e websites costuma aumentar drasticamente antes dos feriados tradicionais. Se as empresas online não mantiverem um desempenho digital eficaz para corresponder ao volume de visitas em datas comemorativas, podem sofrer perdas de milhões de reais.

Por este motivo, a Dynatrace, empresa do mercado de gerenciamento de performance digital, divulgou um levantamento sobre o impacto das lentidões nos tempos de resposta dos principais portais e-commerce e websites do Brasil em datas comemorativas.

O resultado é que a maioria das plataformas sofre problemas significativos de instabilidade nesses períodos, o que pode afetar diretamente o resultado das vendas. Falhas nos sistemas ou até mesmo o atraso em alguns segundos na aplicação online são suficientes para fazer o consumidor final abandonar um carrinho de compra e migrar para o concorrente.

Por conta disso, foram promovidas baterias de testes de análise a cada 60 minutos em períodos prévios às últimas grandes datas comemorativas do Brasil: Dia das Mães, Dia dos Namorados e Corpus Christi. Foi realizada uma mensuração do tempo de respostas das páginas na Web com uma avaliação dividida em duas categorias – as Top 20 empresas de e-commerce e os Top 10 websites do país.

Na semana do Corpus Christi, o tempo de resposta das páginas de e-commerce pulou de 8 para 12,3 segundos na média. Em alguns sites específicos, o tempo chegou a ser de 120 segundos. Isso representa um aumento de 53% na média dos websites e de até 1400% nos picos de demora.

Já no Dia dos Namorados a média do tempo de resposta das páginas de e-commerce pulou de 7 para 21,4 segundos na própria data, sendo que algumas páginas tiveram picos de até 54,4 segundos de demora.

“É fundamental para os websites realizarem testes de performance do impacto digital em diferentes componentes do site, desde os equipamentos de rede, servidores até às políticas de segurança.

A avaliação da infraestrutura geral do site é de extrema importância para o aumento da capacidade de acessos em grandes datas. Problemas de alguns segundos podem resultar em perdas de milhões para as empresas”, avaliou Ricardo Aguilera, engenheiro de vendas e coordenador dos testes feitos pela empresa.

Para se ter uma ideia de como o atraso de apenas alguns segundos das aplicações online podem afetar as vendas em datas comemorativas, a Amazon já calculou que apenas um segundo de atraso por usuário resulta na perda de US$ 1.6 bilhão no período de um ano. O Google, por sua vez, relatou que um atraso de 400 milissegundos poderia levar a uma perda 8 milhões de procuras por dia – o que resultaria em milhões de dólares a menos em anúncios online.

“Temos visto que a complexidade de toda a cadeia de entrega das aplicações de e-commerce envolvendo desde os diversos dispositivos móveis de acesso e diferentes browsers passando por toda a heterogeneidade de componentes de terceiros em nuvem e do próprio data center e a rede implica em três disciplinas:

 • a importância da experiência para um maior engajamento dos usuários;
 • a simplificação das operações de TI;
 • e a maior velocidade para a inovação do negócio.

O que significa, tecnicamente falando, em um número cada vez maior de releases com novas funcionalidades”, destaca Roberto de Carvalho, diretor-geral da Dynatrace na América do Sul.

Por outro lado, as expectativas dos usuários crescem exponencialmente em relação a performance e disponibilidade dos serviços.

“O mundo digital tornou-se o pilar de crescimento da maioria das empresas, por isso, desenhar uma estratégia de performance para garantir que a experiência dos usuários seja a melhor possível depende da visibilidade de toda essa cadeia de entrega.

Permitindo identificar os problemas antes que eles percebam quer seja um erro do lado do cliente como browser, um componente de infraestrutura ou até mesmo em uma linha de código, além de promover uma grande colaboração entre as áreas de negócio, Operações e Desenvolvimento por meio de uma abordagem de DevOps precisa girar ao redor de uma linguagem comum: a experiência dos usuários”, complementa Carvalho.