Tags Posts tagged with "inspiração"

inspiração

Livros são grandes recursos de aprendizado: transmitem experiências e conselhos através dos tempos, podendo causar um grande impacto na sua forma de enxergar as coisas.

Contemplei diversos gêneros e áreas, dois idiomas e a opinião de pesquisadores ao redor do mundo e leitores da nossa equipe para listar 20 livros que podem te ajudar a conquistar todo o sucesso que o seu negócio merece:

Em Português

1- A Menina do Vale

O livro que lançou a empreendedora Bel Pesce na mídia não fez tanto sucesso à toa. Disponível para download gratuito e também nas livrarias, conta a trajetória e os aprendizados da brasileira que, ainda jovem, realizou o sonho de estudar no Massachusetts Institute of Technology (MIT), conhecer diversas pessoas influentes e trabalhar em grandes empresas do Vale do Silício, como Microsoft e Google.

2- A Revolta de Atlas

Para quem gosta de ficção, este clássico da filosofia pode ser uma boa pedida. Em três volumes, Ayn Rand referencia o mito grego de Atlas, titã condenado a carregar o peso do céu sobre os ombros, para contar a história de empreendedores criativos que veem seus impérios serem corrompidos por pessoas que desconhecem o valor do trabalho. Uma verdadeira reflexão sobre capitalismo, ética, sociedade e política.

3- A Startup Enxuta

Empreendedor residente na Harvard Business School, Eric Ries compartilha em sua obra algumas experiências e dinâmicas de funcionários de grandes empresas. Isso o permite desenvolver umaconceituação da ideia de Startup Enxuta (ou Lean Startup), tão visada nos dias atuais, que corresponde a baixo custo, agilidade e foco nas expectativas dos clientes.

4- Atravessando o abismo

Abordando diversos conceitos de Marketing, este livro é muito admirado pelos especialistas da área.Geoffrey Moore demonstra a diferença entre os principais tipos de consumidores, as variáveis do macroambiente empresarial, o ciclo de inovação de uma empresa e muitas outras reflexões necessárias para quem está na jornada do negócio próprio.

5- Aventuras empresariais

Este é o livro favorito de Bill Gates, fundador da Microsoft, por um motivo. Escrito por John Brooks ebest-seller do New York Times, compila doze histórias reais de empreendedorismo em empresas de sucesso, como a Xerox e a Ford, analisando os pontos altos e baixos e refletindo sobre questões administrativas mais fortes que o tempo e as fronteiras geográficas.

6- De zero a um: o que aprender sobre empreendedorismo com o Vale do Silício

O principal fator de sucesso não é competir com empresas parecidas, mas tornar a sua única. Essa é a premissa do livro de Peter Thiel, um dos fundadores do PayPal. Defendendo o pioneirismo, o autor discute a trajetória de diversas startups bem-sucedidas para ensinar como viabilizar o crescimento vertical do seu negócio. Trata-se de um dos livros mais recomendados entre os fundadores da Nuvem Shop.

7- Delivering Happiness – Satisfação garantida

Nesta obra, Tony Hshie compartilha sua carreira de empreendedor e comenta a criação e gerência da Zappos. O e-commerce de calçados, referência mundial em atendimento ao cliente, destaca-se por suas iniciativas ousadas, sua inovação no modo de trabalho e, claro, o objetivo de sempre entregar felicidade para as pessoas (mesmo que isso signifique recomendar o concorrente em caso de falta de estoque).

8- Design Thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias

O Design Thinking é uma abordagem bastante interessante para os gestores, por ajudá-los a enxergar a empresa sob uma ótica mais parecida com a do designers: identificando padrões, buscando inovação e solucionando problemas. Com o livro de Tim Brown, você entenderá esta ideia mais profundamente e verá como aplicá-la à sua realidade.

9- Geração de Valor

Geração de Valor é um projeto de Flávio Augusto da Silva, fundador da WiseUp e um dos maiores empresários do Brasil, que tem como objetivo compartilhar conselhos sobre realização de sonhos, criação de negócios, crescimento pessoal e liderança. O autor resolveu compilar alguns de seus melhores artigos em um livro, cujos lucros de direitos autorais seriam usados para reformar escolas no nordeste brasileiro.

10- Marketing 3.0 – As forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano

Você já ouviu falar de Marketing 3.0? Trata-se de uma nova forma de direcionar essa atividade, dando prioridade ao lado emocional dos consumidores e destacando a missão a visão e os valores da empresa. Neste livro, Philip Kotler, considerado uma das maiores referências da área, apresenta sua perspectiva da prática.

11- O Lado Difícil das Situações Difíceis

Em uma obra que vai na contramão das outras, Ben Horowitz discorre a respeito das situações administrativas “sobre as quais ninguém fala”: demissões, crises, vendas da empresa e muitas outras. Uma leitura prazerosa e enriquecedora que conta a trajetória de um dos maiores empreendedores do Vale do Silício sob um ponto de vista pessoal.

12- O Poder do Hábito

Qual o segredo das pessoas bem-sucedidas? Aquelas que são produtivas, disciplinadas e arrumam tempo para tudo o que querem ou precisam fazer? Segundo o pesquisador Chales Duhigg, é apenas uma questão de hábito. Neste outro best-seller do New York Times, você entenderá como implementar novos comportamentos na vida pessoal e, claro, profissional.

13- Steve Jobs

Escrita por Walter Isaacson, a biografia construída a partir de entrevistas promete desvendar alguns aspectos da personalidade empreendedora e peculiar do gênio da Apple. Steve Jobs revolucionou diversas indústrias, em especial a de tecnologia, e tornou-se uma das maiores referências mundiais graças à sua criatividade e a ousadia nos negócios.

14- TED Talks

Um bom líder precisa saber se comunicar. Então, para não dizer que não indicamos lançamentos, a dica é o livro do projeto TED com técnicas de oratória. Nele, você aprende os segredos dos palestrantes para transmitirem sua mensagem de maneira clara e carismática, demonstrando domínio do assunto e, ao mesmo tempo, gerando credibilidade.

Em Inglês

15- Brain Chains

O desenvolvimento pessoal está totalmente relacionado à maneira como você usa suas próprias capacidades (inclusive, como já falamos acima, para criar hábitos). Com base em diversas pesquisas, Theo Compernolle se propõe a apresentar alguns métodos de aprimorar o funcionamento do seu cérebro e explorá-lo ao máximo.

16- Creativity, Inc.: overcoming the unseen forces that stand in the way of true inspiration

Este livro é considerado um dos melhores sobre liderança e empreendedorismo de todos os tempos. Escrito por Ed Catmull, atual presidente do Walt Disney Studios, DisneyToon Studios e cofundador da Pixar Animation Studios, em parceria com Amy Wallace, traz inúmeras dicas para construir a cultura criativa da sua empresa e criar grandes obras.

17- Elon Musk: Tesla, SpaceX, and the quest for a fantastic future

Elon Musk é um executivo muito admirado no Vale do Silício, sendo responsável por tornar grandes empresas como o PayPal, a SpaceX, a Tesla Motors e a SolarCity o que elas são hoje. Nesta biografia, o jornalista Ashlee Vance destaca alguns momentos da trajetória do empreendedor e mostra o que podemos aprender com cada consequência.

18- Rework

Com a promessa de quebrar os clichês administrativos, este livro de Jason Fried traz orientações variadas a respeito do que você realmente precisa para criar um negócio e alcançar o sucesso, deixando de lado alguns pontos que, segundo o próprio autor, são apenas “desculpas”. Tudo de uma forma descontraída, dinâmica e direta ao ponto.

19- The Intel Trinity: how Robert Noyce, Gordon Moore, and Andy Grove Built the world’s most important company

Por seu importante papel na evolução da tecnologia, a Intel chegou a ser considerada a empresa mais importante do mundo. Seja isso ainda verdade ou não, é inegável sua relevância e o quanto podemos aprender com sua história. Com base nisso, Michael Malone reúne os principais fatos da linha do tempo da companhia a partir de seus três gestores principais.

20- The Long Tail: why the future of business is selling less of more

Em sua obra, Chris Anderson discorre sobre o consumo dos produtos com baixa demanda, argumentando que eles têm um potencial maior do que muitos outros. Uma reflexão interessante sobre o mercado, a verdadeira relevância de uma empresa e, claro, a produção em si.

Texto publicado anteriormente no Blog da Nuvem Shop.


Mais livros?

7 livros que todo empreendedor de e-commerce deve ler

TED (acrônimo de Technology, Entertainment e Design) é uma organização sem fins lucrativos que visa a disseminação de ideias pelo mundo. O movimento procura pessoas notáveis para as melhores palestras de suas vidas em até 18 minutos em um formato bem característico. As palestras (TED Talks) podem todas ser encontradas gratuitamente na internet e são legendadas por voluntários de todo o mundo.

O rico conteúdo é gerado semanalmente falando dos mais diversificados assuntos. Esta semana, por exemplo, aconteceu aqui em São Paulo, na Allianz Arena (Estádio do Palmeiras), um TEDxSãoPaulo (TEDx são eventos locais organizados de maneira independente). Entre as incríveis apresentações do dia 6 de junho destaco as do professor Clóvis de Barros Filho, da cineasta Estela Renner, do professor Luis Junqueira e da fotógrafa Angélica Dass. Você pode assistir o evento completo gravado no LiveStream.

Pensando em nosso mercado de e-commerce, fiz uma seleção de apresentações em TEDs que você, profissional de e-commerce precisa assistir.

Alerto que alguns deles são um pouco mais antigos. Entendo que permanecem relevantes, com algumas tendências “vencidas”, mas com conceitos ainda muito importantes. Vale tirar uns minutinhos e/ou guardar o link para assistir depois. Vamos lá?

1- O que os consumidores querem

Consumidores querem sentir que o que estão comprando é autêntico, mas Joseph Pine, o autor de “Customização em Massa“, diz que vender autenticidade é complicado porque, bem, não existe tal coisa. Ele fala sobre algumas experiências que podem ser artificiais geram fazem milhões mesmo assim.

2- A Cauda Longa da Tecnologia

Chris Anderson, editor da revista Wired, explora os quatro estágios de qualquer tecnologia viável: estabelecer o preço certo, ganhar fatia de mercado, mudança de uma tecnologia estabelecida e, finalmente, tornar-se onipresente.

3- Como os sites gigantes são desenhados para você (e para bilhões de outras pessoas também)

Os botões “curtir” e “compartilhar” do Facebook são vistos 22 bilhões de vezes por dia, fazendo com que eles sejam o elemento de design mais visto já criado. Margaret Gould Stewart, diretora de design de produtos do Facebook, descreve três regras para o design em grande escala – tão grande que os menores detalhes poderiam causar um problema em nível global, mas também tão grande que a mais sutil melhoria poderia impactar positivamente a vida de tantas pessoas.

4- Como fazer sucesso na mídia social

Em divertidos e rápidos 4 minutos, Alexis Ohanian da Reddit conta a fábula real de uma baleia jubarte que se torna estrela da Web. A lição do Senhor Splashy Pants é o clássico favorito dos criadores de meme e marketeiros na Era Facebook.

5- Esqueça as compras. Em breve, você fará download de suas roupas novas

Roupas baixadas da internet e para imprimir podem estar chegando a um armário perto de você. O que começou com o projeto de escola de moda da designer Danit Peleg transformou-se em uma coleção de roupas impressas em 3D, que possuem a força e a flexibilidade que o dia a dia requer. “A moda é algo bastante físico”, ela diz. “Imagino como o nosso mundo será quando nossas roupas forem digitais.”

6- Como o Airbnb cria confiança por meio do design

Joe Gebbia, co-fundador do Airbnb, apostou tudo na crença de que as pessoas conseguem confiar o suficiente umas nas outras para ficar nas casa de outra pessoa. Como superamos o preconceito do estranho-igual-perigo? Por meio do bom design.

Agora, 123 milhões de noites (e contando) de hospedagens, Gebbia expõe seu sonho de uma cultura de compartilhamento, em que o design ajuda a fomentar o sentimento de comunidade e conexão em lugar de isolamento e separação.

7- O que acontece dentro desses depósitos gigantescos?

Nós fazemos milhões de compras online diariamente, mas quem (ou o quê) realmente coloca nossos itens em pacotes? Nesta palestra, Mick Mountz conta uma história surpreendentemente cheia de robôs sobre o que acontece dentro de um centro de distribuição.

8- O caso para o consumo cooperativo

No TEDxSydney, Rachel Botsman diz que estamos “conectados para compartilhar” — e mostra como sites como o Zipcar e o Swaptree estão mudando as regras do comportamento humano.

9- Como os vídeos da internet potencializam a inovação global

Chris Anderson diz que o aumento de vídeos na internet está impulsionando um fenômeno global que ele chama de “Inovação Acelerada pela Multidão” — um ciclo de aprendizado auto-alimentado que pode vir a ser tão significante quanto a invenção da imprensa.

Mas, para explorar todo seu potencial, as organizações deverão assumir uma radical abertura. E, para o TED, isto significa a aurora de um capítulo inteiramente novo…

10- O que a Física me ensinou sobre ‘Marketing’

Física e ‘Marketing’ não parecem ter muito em comum, mas Dan Cobley é apaixonado por ambos. Ele reúne estes improváveis companheiros sob a ótica da segunda Lei de Newton, do Princípio da Incerteza de Heisenberg, do Método Científico, bem como da segunda Lei da Termodinâmica, para explicar as teorias fundamentais de construção de uma marca.

11- 3 maneiras de (eficientemente) perder o controle de sua marca

Os dias são passado (se é que existiram) quando uma pessoa, empresa ou marca podia controlar rigorosamente sua reputação – conversas e opiniões on-line significam que, se você é relevante, haverá uma conversa constante e livre acontecendo sobre você, e que você não tem controle sobre isso. Tim Leberecht oferece três grandes ideias para aceitar essa perda de controle, e até se preparar para isso — e utilizar isso como impulso para renovar o compromisso com seus valores.

E aí? Gostou da lista? Já havia assistido algum destes? Lembrou de mais algum que eu não incluí? Dê sua opinião e/ou compartilhe outros TED Talks para o profissional de e-commerce nos comentários! 🙂

Quer mais? Veja esta outra lista com TED Talks para inspirar o empreendedor:

Palestras do TED para inspirar o empreendedor

Empreendedores precisam de altas doses de inspiração para manter-se firmes. Hoje, a história motivadora que apresento não tem nada a ver com o universo digital, mas traz em sua essência valores fundamentais para quem que botar sua ideia na prática.

O foto documentarista brasileiro Sebastião Salgado é um dos ícones mundiais da fotografia. Começou a fotografar com quase 30 anos ao perceber que a fotografia poderia ir muito além de simplesmente registrar imagens. Aventurando-se com sua câmera pelo mundo e denunciando cenários de grande vulnerabilidade humana e natural, ele contaria histórias e sensibilizaria muita gente em prol de causas nobres.

A história de vida e carreira desse fotógrafo natural de Aimorés (MG) é um exemplo de perseverança que deveria inspirar todo empreendedor. Listo abaixo 5 valores que aprendi conhecendo um pouco de sua história e trabalho.

Ele não teve medo de arriscar

Antes de abraçar a fotografia como profissão, Sebastião Salgado já tinha pós-graduação em Economia pela USP, já havia se engajado em movimento contra a ditadura militar, emigrado para Paris, onde escreveu uma tese econômica, e trabalhado como secretário para a Organização Internacional do Café (OIC), em Londres. Só com quase 30 anos é que ele descobriu sua verdadeira motivação fotográfica, durante viagens à trabalho para a África, as quais registrava com a máquina de sua esposa.

Salgado precisou ter coragem para mudar de carreira e trilhar um novo caminho, que apresentava incertezas, até pelo fato da fotografia ainda ser um ramo relativamente novo. Um empreendedor precisa dessa coragem de concentrar todas as suas ações em sua ideia, acreditar nela e, assim, romper as barreiras de sua zona de conforto.

Foto do projeto Êxodos – Sebastião Salgado
Foto do projeto Êxodos – Sebastião Salgado

Ele mostrou aquilo que nenhum outro fotógrafo havia mostrado

O ramo escolhido por Salgado não seria simples nem fácil. Ele até trabalhou em estúdios, fotografando retratos posados e ensaios de pessoas na Europa, mas seu dedo ansiava clicar outras realidades. Munido de sua câmera, ele viajou continentes e viveu em meio às mais diversas populações pobres e vulneráveis. Criou seu estilo, firmou-se como um foto documentarista e, com suas imagens, conscientizou o mundo sobre a situação dessas pessoas.

Saber inovar seu nicho de atividade é um grande trunfo na mão de um empreendedor visionário. Apresentar um produto ou serviço diferente e significativo, explorando facetas de negócio até então inéditas é um talento a ser desenvolvido. Não se contente com o óbvio.

Foto do projeto Trabalhadores em Serra Pelada – Sebastião Salgado
Foto do projeto Trabalhadores em Serra Pelada – Sebastião Salgado

Ele conheceu bem quem fotografou

Em cada projeto em que se debruçava, Salgado projetava toda sua dedicação. Alguns de seus trabalhos, como Outras Américas, Trabalhadores Rurais e Êxodos, levaram anos para serem concluídos. Esse era o tempo necessário para que conhecesse a fundo as pessoas que fotografaria e, especialmente, a vida que levavam.

Um empreendedor não precisa levar todo esse tempo para conhecer seu público, mas precisa ter essa mesma dedicação para entendê-lo de verdade. O planejamento de negócio deve conter detalhadamente quais serão os tipos de públicos que interagirão com seu negócio. Assim, conhecendo seu comportamento, seus esforços serão muito mais assertivos e recompensadores, para ambas as partes.

Foto do projeto Êxodos – Sebastião Salgado
Foto do projeto Êxodos – Sebastião Salgado

Ele escolheu gente apaixonada para acompanhá-lo

Sua esposa, a arquiteta Lélia Wanick Salgado, tem grande importância na obra do fotógrafo. Foi a câmera dela que Sebastião pegou “emprestada” para começar a fotografar. Quando a brincadeira ficou séria, Lélia firmou-se como autora dos projetos gráficos dos livros de Salgado, apoiando-o em todos os seus trabalhos.

Um empreendedor isolado não alça vôos tão altos. Cerque-se de pessoas que compartilhem do mesmo brilho de seus olhos.

Sebastião Salgado e a esposa Lélia no Instituto Terra, em Minas Gerais
Sebastião Salgado e a esposa Lélia no Instituto Terra, em Minas Gerais

Ele fez a diferença

Ao longo de sua vida, Sebastião não apenas denunciou a injustiça e a desigualdade, mas também contribuiu significativamente pra diversas organizações humanitárias.

Não seria possível para Salgado passar por onde passou e levar em si um pouco de cada lugar. Depois de tantos trabalhos denunciando a pobreza e a violência, sentiu que seria o momento de mudar de ares para revigorar-se. Voltou-se, então, a outra causa nobre, a natureza, lançando o projeto Gênesis com imagens de naturezas ainda intocadas pelo homem.

salgado6

De volta à Aimorés, sua terra natal, participou do processo de reflorestamento da fazenda de sua família, por iniciativa de sua esposa. Anos mais tarde, o lugar depredado havia voltado a ser floresta atlântica, dando origem ao Instituto Terra, organização que trabalha na reconstrução de ecossistemas na região do Vale do Rio Doce.

Sebastião Salgado, através de sua câmera, de seu olhar e de seu coração, contribuiu (e continua contribuindo) com diversas causas sociais e sustentáveis e fez a diferença.

Foto do projeto Gênesis – Sebastião Salgado
Foto do projeto Gênesis – Sebastião Salgado

Por fim, é essa profunda lição que fica: Um verdadeiro empreendedor deve ter em si a vontade primordial de melhorar a vida das pessoas com que interage.

Fontes: Biografia Sebastião Salgado – Wikipedia.
Documentário O Sal da Terra, de Wim WendersJuliano Ribeiro Salgado.

Texto publicado no Blog do Romero Rodrigues.

Vale a pena separar um tempo para aprender com esta rica seleção de palestras do TED

Por Renata Leal. O fim do ano está aí e chegou aquele momento em que muita gente faz um balanço do ano e decide que chegou a hora de seguir o próprio caminho e abrir um negócio. Você está nessa?

Pois separamos 11 palestras inspiradoras no TED para quem quer empreender e – por que não? – também para quem já tem a própria empresa e quer um pouco de inspiração. As palestras listadas abaixo não têm uma ordem específica e nossa seleção pretende dar estímulos a todos os tipos de empreendedores.

De onde vêm as boas ideias?

Para começar, um compilado de cinco palestras com Steven Johnson, Elizabeth Gilbert, Derek Sivers, Matt Ridley e Seth Godin.

Johnson dá vários exemplos sobre a origem das ideias. Cita, por exemplo, por que os cafés são lugares importantes para observar as pessoas e como eles foram essenciais no passado, durante o Iluminismo. Ele também comenta como é fundamental ter um espaço favorável à inovação, com espaço para que as pessoas exponham suas ideias.

Elizabeth Gilbert, autora de Comer, Rezar, Amar, é inspiradora principalmente para quem trabalha com atividades mais intelectuais, como na economia criativa. Ela conta sobre a insegurança de escrever outro livro depois de um que se tornou um best seller e fala sobre como lida com a inspiração.

Numa fala curta, de pouco mais de três minutos, Derek Sivers exemplifica como começar um movimento e mostra que não basta ter um líder. Para dar certo, é preciso existir seguidores – e o papel do primeiro seguidor é essencial.

Matt Ridley defende que as “ideias façam sexo”. Em outras palavras, ele acredita que o intercâmbio de ideias e o cérebro coletivo produzem um futuro melhor.

Em um vídeo já antigo, Seth Godin fala sobre como espalhar uma ideia. Segundo ele, uma ideia ruim ou até bizarra captura muito mais atenção do que uma normal.

Cameron Herold

Herold conta que nunca foi um bom aluno na escola e defende que é preciso ensinar as crianças a ser empreendedores desde pequenas. Elas devem saber que podem não seguir carreiras clássicas, como Medicina ou Engenharia, e que podem ser bem-sucedidas se tiverem um negócio.

A vida de Richard Branson a 30.000 pés

Um ícone no empreendedorismo, Branson fala sobre a importância de encontrar as pessoas certas para trabalhar num negócio e como inspirá-las, para que elas consigam chegar ao máximo de seu potencial.

Michael Porter

Porter fala sobre a relação entre os interesses sociais e os interesses das empresas e afirma que a principal forma de resolver problemas graves, como as mudanças climáticas e o acesso à água, é deixar que empresas tentem resolver o problema, em vez de delegar os temas ao poder público e a organizações não-governamentais sem fins lucrativos.

É uma reflexão importante para empreendedores que querem causar impacto social com seus negócios.

Andreas Raptopoulos

A ideia de Andreas Raptopoulos é usar drones (veículos aéreos não tripulados) para transportar coisas. Podem ser medicamentos, comida, vacinas etc, especialmente para áreas de difícil acesso.

Jeff Bezos, da Amazon, levantou a questão recentemente, ao afirmar que a Amazon vai começar a testar entregas com drones.

Elon Musk

Empreendedor experiente, Musk fala sobre como tornar viáveis produtos que usam fontes de energia alternativas, como os carros elétricos – que poderiam ser adotados em massa –, e os painéis solares, para uso principalmente em residências.

Musk acredita que nos próximos 20 anos a produção de energia solar será maior que a de qualquer outra fonte. E como todo empreendedor tem um quê de loucura, Musk fala também sobre a construção de foguetes.

Sheryl Sandberg

Esta palestra de Sheryl Sandberg ficou tão famosa que certamente alavancou as vendas de seu livro Faça Acontecer, lançado este ano. Sheryl fala sobre a baixa presença feminina em postos de liderança. Sua palestra é um grande estímulo para empreendedoras.

Juliana Rotich

Juliana é um dos novos rostos do empreendedorismo na África e lidera um projeto para ampliar e melhorar a qualidade do acesso à internet. Exemplo de empreendedorismo social.

Texto publicado no site da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

A Amazon.com é sem dúvida alguma a maior referência de E-commerce do mundo. Muitos no Brasil têm calafrios quando se fala na entrada das operações da empresa no país e nos Estados Unidos (maior mercado do setor), todos tratam como o gigante a enfrentar.

Fato é que a empresa faz parte da história da internet, presente desde 1994. Jeff Bezos, CEO e Fundador da Amazon já teve oportunidade de compartilhar muito da sua maneira de pensar, criando uma cultura bem diferente do que a maioria dos empresários pensa. Quem ousaria dizer que ele não deve ao menos ser ouvido?

Aí vão as 20 coisas mais inteligentes que Jeff Bezos já disse:

1→“Todos os negócios precisam ser sempre jovens. Se sua base de clientes envelhece, você pode se tornar uma Woolworth.”

— A Woolworth, maior varejista da Austrália, fundada em 1924 teve que se reinventar em 2012, depois de reposicionar sua marca, investiu milhões para retomar sua parcela do mercado.

2→“Existem 2 tipos de empresas: Aquelas que trabalham para tentar cobrar mais e aquelas que trabalham para cobrar menos. Seremos a segunda.”

3→“Sua margem é minha oportunidade.”

4→“Se você só faz coisas que sabe a resposta com antecedência, sua empresa vai embora.”

5→“Tivemos três grandes ideias na Amazon que guardamos por 18 anos, e elas são a razão do nosso sucesso: Colocar o cliente em primeiro lugar. Inventar. E ser paciente.”

6→“Eu frequentemente me perguntava: ‘O que vai mudar nos próximos 10 anos?’ E essa é uma pergunta muito interessante. E nunca ouvia a pergunta: ‘O que não vai mudar nos próximos 10 anos?’. E eu lhe digo que essa segunda questão é realmente a mais importante das duas. Porque você deve construir sua estratégia de negócios em torno do que será estável… No varejo online sabemos que o cliente quer preços baixos, e eu sei que isso ainda será verdade daqui 10 anos. Eles querem entregas rápidas, muitas opções de produtos. É impossível imaginar um futuro daqui 10 anos, onde um cliente chega e diz: ‘Jeff, eu amo a Amazon, eu só queria que os preços fossem um pouco maiores.’ ou ‘Eu amo a Amazon, só gostaria que entregasse um pouco mais devagar’. Impossível. Assim, o esforço que colocamos são nestas coisas. Sabemos que a energia que colocamos hoje estará pagando dividendos para os nossos clientes daqui 10 anos. Quando você tem algo que sabe que é verdade, mesmo a longo prazo, você pode se dar ao luxo de colocar energia nisso.”

7→“Se você não é teimoso, vai desistir de fazer experiências muito cedo. E se não for flexível, vai bater de cabeça na parede e não vai encontrar uma solução diferente para seus problemas.”

8→“Qualquer Plano de Negócios não vai sobreviver em seu primeiro encontro com a realidade. A realidade sempre será diferente. Nunca estará no plano.”

9→“No velho mundo, você dedicou 30% do seu tempo para a construção de um grande serviço e 70% do seu tempo para gritar sobre isso. No novo mundo, inverta.”

10→“Fizemos estudos de elasticidade de preço, e a resposta é sempre que devemos aumentar os preços. Nós não faremos isso, porque acreditamos, e temos que levar como um artigo de fé, que mantendo nossos preços muito, muito baixos, ganhamos confiança dos clientes ao longo do tempo, e isso não vai maximizar o fluxo de caixa à longo prazo.”

Amazon: As 20 coisas mais inteligentes que Jeff Bezos já disse

11→“A estrutura que eu encontrei, o que tornou a decisão [de começar a Amazon em 1994] incrivelmente fácil, era o que eu chamei de uma ‘estrutura de minimização de arrependimento’. A ideia era me projetar para frente a 80 anos e dizer: ‘OK, eu estou olhando para trás da minha vida. Eu quero minimizar o número de arrependimentos que tenho’. E eu sabia que quando eu tivesse 80, eu não ia me arrepender de ter tentado participar desta coisa chamada Internet que eu sabia que ia ser realmente uma grande coisa. Eu sabia que se eu falhasse, eu não me arrependeria disso. Mas eu sabia que a única coisa que poderia me arrepender é de nunca ter tentado. Eu sabia que isso iria me assombrar todos os dias.”

12→“Nós sempre inovamos começando pelo ‘cliente‘ e trabalhando de trás para frente. Isso se torna o nosso ‘padrão de qualidade‘ de como inovar na Amazon.”

13→“Quando [a concorrência] está no chuveiro de manhã, eles pensam em como vão chegar à frente dos principais concorrentes. Aqui, no chuveiro estamos pensando em como vamos inventar algo em nome do cliente.”

14→“Uma empresa não pode ficar viciada em ser brilhante, porque o brilhantismo não dura.”

15→“Eu penso que o uso responsável de utilização de recursos conduz a inovação, da mesma forma que outras restrições fazem. Uma das únicas maneiras de sair de uma caixa apertada é inventando o seu próprio caminho.”

16→“Se você dobrar o número de experimentos que você faz por ano, você vai dobrar sua capacidade de inventar.”

17→“Se você não quiser ser criticado, pelo amor de Deus, não faça nada novo.”

18→“Se você estiver orientado à longo prazo, os interesses dos clientes e os interesses dos acionistas estarão alinhados.”

19→“Invenção exige disposição de longo prazo para ser mal interpretado. Você faz algo que realmente acredita, que você tem convicção. Mas por um longo período de tempo, as pessoas bem-intencionadas podem criticar este esforço. Ao receber críticas de pessoas bem-intencionadas, vale a pena perguntar: ‘Eles estão certos?‘ E se estiverem, você precisa ouvir o que estão dizendo. Se não estiver certo, se você tem realmente convicção disto, precisa ter essa disposição para ser mal interpretado. Isto é a chave para parte da invenção.”

20→“Você quer olhar para o que as outras empresas estão fazendo. É muito importante para não ser hermeticamente fechado. Mas você não quer olhar e dizer: ‘Ok, vamos copiar isso‘. Você quer olhar e dizer: ‘Isso é muito interessante. Onde os resultados disso podem nos inspirar?‘ E, em seguida, colocar seu próprio toque exclusivo.”

Publicação original em inglês do Fool.com