Tags Posts tagged with "internet"

internet

O panorama do cibercrime está mudando. Quanto mais digital fica nossa sociedade, mais casos ocorrem. E você, o que está fazendo para se proteger? Pensando neste e em outros questionamentos a CYLK em parceria com a Gigamon, preparou o infográfico abaixo que apresenta o cenário perigoso dos crimes digitais, bem como soluções infalíveis para uma proteção eficaz.

Vale o destaque para os seguintes pontos:

38% de crescimento de incidentes de seguranças de 2015 em relação à 2014;
• Aumento de 56% de roubos de propriedade intelectual;
• 317 milhões de malwares foram criados, 26% a mais que 2014;
• 23% dos destinatários de e-mails abrem mensagens de phishing, 11% clicam neles!
• 89% das organizações estão vulneráveis à ameaças internas;

Leia também:

Treinar funcionários é tão essencial quanto os antivírus

Confira o infográfico, proteja-se e entenda como funciona este perigoso cenário:

CYLK-Gigamon-Infográfico-traduzido-1-2
Desenvolvimento CYLK em parceria com a Gigamon.

Mais sobre o assunto:

6 tipos de ameaças que seu e-commerce corre risco de sofrer

Dólar alto, instabilidade política, desaceleração do consumo, mau humor social. Tudo isso forma parte da vida cotidiana dos brasileiros nos últimos meses. E claro, o otimismo e confiança do empreendedor brasileiro também são abrangidos por isso.

Se você sonhava em abrir seu próprio negócio e agora está inseguro com isso, sem pânico. Vamos te mostrar bons motivos para acreditar que abrir um empreendimento na internet nesse momento pode ser uma ótima ideia!

1- Escolha um bom produto pra vender

Este é o princípio de tudo; escolher um segmento de atuação é mandatório para ajudar você a definir como e quais serão os próximos passos.

Já tem algumas ideias, mas está na dúvida de qual delas tem mais chance de sucesso? Uma dica é usar o planejador de palavras-chave do Google, assim terá uma noção melhor de o que as pessoas mais têm interesse e a relação entre demanda e oferta.

Além disso, preocupe-se também com o valor de venda que o seu produto terá; é importante ter um preço justo para não espantar seu consumidor.

Se possível, dê preferência aos fornecedores nacionais. Apesar dos tributos para as indústrias nacionais serem altos em comparação a outros países, a vantagem é que o preço dos produtos não irá sofrer tanto com a variação direta do dólar e, além disso, é uma boa forma de incentivar a economia nacional.

2- Estude os casos de sucesso

Embora cada loja seja diferente, estudar os casos de sucesso pode te ajudar a ter ideais para montar a estratégia da sua loja.

Busque por lojas com as quais você se identifica e também as do mesmo segmento que o seu; é legal estudar como elas começaram e a partir de qual ponto se destacaram no mercado. Procure também ajuda de alguém que trabalha na área para tirar dúvidas.

3- Leve em conta o custo/benefício das plataformas de e-commerce

Apesar do que pode parecer, plataformas de e-commerce não são todas iguais. Cada uma tem características e ferramentas que funcionam de maneiras distintas, o que faz com que a experiência de administrar sua loja seja completamente diferente de uma plataforma para outra.

A melhor forma de saber qual é a plataforma ideal é testá-las. A maioria das empresas oferece um período de teste gratuito para que você possa montar uma loja e conhecer as ferramentas disponíveis em cada uma.

4- Seja dedicado

Assim como abrir uma loja física, montar uma loja virtual também requer tempo e dedicação.

É preciso se preocupar em montar uma loja em que seu cliente sentirá segurança em comprar.

Você pode se perguntar: eu compraria nessa loja?

Uma alternativa é fazer um “teste cego” com seus amigos e perguntar se eles confiariam na loja, assim você terá a opinião sincera sobre a apresentação do seu e-commerce. É sempre bom lembrar que um bom layout com bons banners e imagens dos produtos garantem uma melhor impressão sobre a loja.

Outra coisa que você deve considerar é o desenvolvimento do seu logotipo. Pense em um logo que tenha a ver com a mensagem que você quer passar aos seus clientes e que também se identifique com os produtos que você vende.

5- Divulgue sua loja

A forma como você divulga sua loja vai definir qual a sua estratégia de marketing e quantos clientes você quer atrair por mês. Estudar qual é o melhor canal para divulgá-la pode não só ajudar a vender mais, como também fortalecer a sua marca. Por isso, a parte de divulgação é fundamental para o sucesso do seu negócio tanto a curto quanto a longo prazo.

O recomendado é que você analise em qual canal seu público-alvo está e qual a melhor forma de atingi-lo. A vantagem de fazer isso é que você gastará sua verba para investimento em publicidade de uma forma mais assertiva e segura, aumentando as chances de conquistar mais clientes.

6- Saiba administrar bem suas vendas pra sobreviver

O mundo empresarial está cheio de casos de empresas conhecidas que fecharam as portas por conta de uma má administração. Por isso, saber administrar suas vendas é parte crucial para seu negócio sobreviver.

Além das entregas, é importante saber separar os rendimentos e os gastos para que fique bem definido o andamento da sua loja. Por isso, vale a pena você gastar um tempo organizando como será feito o balanço mensal do seu negócio.

Ter um bom gerenciamento da loja te dará uma ótima visão de como vai seu negócio e a vantagem é que, com isso, você poderá mais ter mais dados para definir a estratégia do seu empreendimento nos próximos meses.

7- Fidelize seu cliente

Se você já pesquisou bastante sobre e-commerce já deve ter ouvido a seguinte frase: manter os clientes antigos é mais fácil do que conquistar novos. Isso não significa que você deve se contentar somente com as pessoas que já compraram e não investir em ganhar novos clientes. No entanto, uma boa forma de gerar compras recorrentes na sua loja, além de originar divulgação boca a boca, é garantir a felicidade do seu cliente.

Um grande diferencial é entender as necessidades dos compradores e fazer um bom atendimento ao cliente, essas são as melhores formas para conseguir fidelizá-los.

Texto anteriormente publicado no Blog da Nuvem Shop.

Você já tem interesse em transformar o seu negócio em um e-commerce ou quer se informar sobre a possibilidade de empreender na internet, certo?

Obviamente, não existe uma fórmula pronta, mas muitas marcas e empreendimentos online de sucesso, mesmo seguindo suas próprias trilhas no mercado virtual, se orientaram com um método parecido. E é este método que será essencial para qualquer empresa que queira se firm ar na web.

Veja a seguir algumas dicas para empreender na internet!

1- Tenha e certeza de que a internet é seu lugar

Muitos empreendedores, já convencidos de que a internet é o lugar deles, se assustam com esta pergunta. No entanto, ela é inevitável e é melhor que você saiba com todas as certezas a sua resposta.

Se você já tem um produto ou serviço delimitado, você precisa pensar como o seu consumidor. Ele vai querer procurar este produto presencialmente, ou ele gostaria de comprá-lo através das facilidades da internet?

Ao fazer estes questionamentos, é possível que você veja que há um mercado virtual com uma necessidade; ou seja, existem pessoas que gostariam de comprar seu produto ou contratar seu serviço virtualmente, só que não existem muitas opções. E é aí que o seu negócio entra.

Outra maneira de descobrir isto é fazer pesquisas sobre o público-alvo. Monte um formulário com perguntas relevantes sobre o perfil do seu público e espalhe ela em grupos relacionados no Facebook, LinkedIn e fóruns espalhados pela internet.

2- Pense na necessidade e não no produto

É comum que empresas se preocupem muito com o produto e deixem em segundo plano a relação que o cliente tem com o produto. Muitas vezes, um bom produto não é muito vendido porque o público não sentiu que poderia resolver um problema ou suprir uma necessidade com ele (quando, na verdade, ele seria ideal exatamente para isto!).

Portanto, antes de tudo, você precisa conhecer o seu público, observar seu comportamento, listar as maneiras com que seu negócio pode ajudá-lo e saber qual problema que o seu produto vem resolver.

Por isto, observe quem já está no mercado, compare e-commerces semelhantes. Finja ser um comprador e faça alguma aquisição para ter toda a experiência do cliente da empresa rival. O que poderia ser melhor na compra dele? O que fez a diferença e de que forma ele tenta conquistar o cliente? Como melhorar isto? Após observar como é feito, olhe para como você irá fazer.

Ao escrever sobre seu produto em seu site, traga a solução que seu produto oferece antes mesmo de descrevê-lo. Mostre como seu produto é credível e destaque as diferenças do seu produto ou serviço em relação aos concorrentes do mercado. Em outras palavras, destaque a necessidade, mostre a solução e enfatize o que há de único no seu negócio.

3- Torne essa necessidade algo social

A melhor forma de mostrar ao público como o seu produto soluciona um problema ou uma necessidade, é tornando este mesmo problema e necessidade algo social. De uma forma mais simples, você precisa mostrar para o potencial consumidor que acessa o seu e-commerce que existem outras pessoas que têm o mesmo problema e se sentiram satisfeitas com o seu produto.

Portanto, convide seus mais fiéis clientes a dar o testemunho sobre o impacto do seu produto em suas vidas. Se seu negócio já foi assunto de jornais, revistas e outros sites, destaque o que estes canais falaram de positivo sobre ele. Você criará um estímulo em seu potencial cliente ao informá-lo de que outros também apreciaram o seu produto ou serviço.

4- Faça um site que convide e venda

As dicas acima se tornam inúteis se o seu site não for bem navegável. Pense: quantas vezes você já se sentiu frustrado ou até desistiu de uma compra online porque não conseguiu encontrar determinada informação ou teve dificuldade de solucionar suas dúvidas?

A aparência e navegabilidade do seu e-commerce definem a experiência que o seu consumidor em potencial terá (e você quer que esta experiência seja ótima!).

Portanto, para empreender na internet, é preciso mais que uma vitrine bonita. Crie uma estrutura baseada na relevância das informações: o que é mais importante que seu cliente saiba em cada página? O que ele procura? Use imagens, gráficos e vídeos de forma que você possa conversar com seu cliente do modo mais didático.

Não sobrecarregue o visual, seja básico e direto. Aproveite para convidá-lo a participar da sua lista de e-mails e ofereça benefícios para isto (acesso a conteúdo exclusivo, ou algum desconto na primeira compra). E sempre dê a chance de ele buscar ajuda na página, caso não consiga acessar o que procura.

5- Seja uma referência em conteúdo

Ofereça mais do que simplesmente seu produto em seu site. Crie conteúdo constante e relacionado ao produto ou serviço que você está negociando. Quando uma empresa nos mostra conhecimento e soluciona nossas dúvidas, damos maior credibilidade a ela.

Nossa confiança no produto aumenta e, consequentemente, a nossa preferência fica para esta determinada empresa. Crie esse sentimento de afeição através de um bom conteúdo: artigos, vídeos, e-books, e a linguagem que melhor se adaptar ao público.

Esta estratégia de atração é o que chamamos de inbound marketing (o marketing que usa um conteúdo interessante para atrair seu público). Os artigos que você escrever dentro de um blog no seu e-commerce, por exemplo, poderão ser indexados pelas principais ferramentas de busca (como o Google) e, portanto, se você usar as melhores técnicas para melhorar o ranking dos seus artigos nas ferramentas de pesquisa, mais consumidores em potencial conhecerão o seu produto.

6- Crie uma comunidade de clientes

Você precisa se relacionar com seu cliente. Isto é mais do que estar, meramente, nas redes sociais, ou apenas ter um site e uma operação falha em pós-vendas. Nada disto é suficiente se:

1) você não conhecer o seu consumidor,
2) se você não der a oportunidade para ele se fidelizar e
3) você cultivar essa relação se importante de verdade sobre a qualidade não só do serviço ou produto, mas da experiência que você oferece online.

A forma mais eficaz que os empreendimentos online e e-commerces mantêm é a do e-mail marketing.

Ao manter clientes recebendo algum conteúdo exclusivo e tendo um canal de comunicação direto com estas pessoas, você saberá melhor sobre o perfil do seu consumidor e poderá ter maior interação (e vendas) através de campanhas personalizadas.

Os visitantes do seu site, por exemplo, informarão seus e-mails em troca de um conteúdo exclusivo, que solucione algum problema ou ofereça alguma informação útil.

Você também precisa cultivar o relacionamento que tem com quem já comprou em seu site. Ofereça um pós-vendas interessante não somente ao seu negócio, mas ao seu cliente. Ofereça descontos na segunda compra, pacotes com outros produtos que possam se relacionar com o primeiro produto comprado por esta pessoa etc. Tudo isto e até uma página de agradecimento pela compra influenciam na relação e no afeto que este cliente terá por sua empresa.

E se alguns clientes acabam indo embora, você não pode deixar de atrair novos. Sua empresa está presente em redes sociais, certo?

Pois pense em cada uma dessas redes em uma possibilidade de mídia. É mais barato e prático, por exemplo, criar um anúncio para perfis de consumidores em potencial no Facebook, do que pagar uma propaganda na televisão, em que não há controle sobre quem assiste. Existem diversas maneiras de anunciar sua marca online e você precisa encontrar a mais eficaz para o seu negócio, mas não ignore esta possibilidade.

O caminho para empreender na Internet pode parecer complicado, mas com a orientação certa, o sucesso vem como retorno de investimento. Você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto ou alguma sugestão? Escreva para nós nos comentários!

Trabalhando no mercado digital há 15 anos, não sei dizer quantas vezes ouvi essas perguntas: “Como faço para entrar no mercado digital?”, “Qual a dica pra trabalhar numa empresa pontocom?”, “Posso entrar numa empresa de internet sem ter experiência?”

Mas uma coisa é certa, sempre que respondia pensava “puxa queria poder ajudar mais.” Isto porque lá em 1999 eu era “o cara da pergunta”. E olha que o mercado digital usava “fraldas virtuais” naquela época e não tinha nem de longe as oportunidades que tem hoje.

Sim, demorou bastante, mas agora tenho melhores respostas. E o mais interessante é que não estão baseadas apenas na minha experiência, mas sim na de mais seis profissionais que não tinham nenhum background digital e mergulharam de cabeça neste universo, e cujos principais insights estão relatados neste e-book abaixo.

E-book: Aprenda o caminho com quem mudou sua carreira para uma empresa

Como fazer sua “bagagem offline” jogar a favor na hora de uma entrevista? Quais competências preciso trabalhar para melhorar as chances de sucesso na contratação? Como usar meu network para aumentar consideravelmente as oportunidades de trabalhar em empresa de internet? Elas realmente procuram um perfil diferente de funcionários?

Procuramos usar a experiência dos entrevistados para ver como eles agiram nestas e em outras questões que são comuns a quase todo mundo que começa a jornada de mudar o seu mercado de atuação.

“Ganhando menos da metade do meu antigo salário, me joguei num mundo novo, desafiador e cheio
de oportunidades.” Contou Mirko Mayeroff sobre o início de sua história. Hoje ele é Diretor de Startups do Buscapé Company.

Não, este não é mais um material para convencê-lo a ser um empreendedor digital e se tornar um milionário trabalhando de casa. Nada contra quem busca esse objetivo, mas este e-book foi escrito pensando em auxiliar de forma eficaz profissionais que desejam mudar o rumo da carreira para outro mercado e precisam saber como começar com a estratégia correta. Boa leitura!

call-to-action-carreira-digital-tiny

Atuo no mercado de E-commerce há muito tempo e, não são raras as vezes que empreendedores de lojas virtuais me pedem indicações de agência ou especialista em Marketing Digital para realizarem este serviço em seus empreendimentos. Este é um pedido que costumo ter muito cuidado em passar, pois esta é uma área onde existem muitos profissionais que são competentes e outros que acham que são.

Por isso resolvi escrever este artigo com algumas dicas para quem procura um profissional da área.

Anda cada vez mais fácil assinar um e-mail ou um cartão de visitas dizendo que é um especialista em Marketing Digital — e isto vale também para outras profissões que oferecem outros serviços. Eu costumo dizer que, não adianta comprar um jaleco e um estetoscópio para virar um médico. Muito menos colocar um capacete e uma roupa prateada para se tornar um astronauta. O mesmo vale para especialistas em Marketing Digital.

A dica principal que dou para quem está procurando algum profissional da área é: PESQUISE! Pense que você está contratando  mais um fornecedor de serviço para sua empresa. Da mesma forma que você pesquisa o fornecedor dos produtos que você vende, da plataforma de e-commerce que você tem sua loja, da ferramenta de ERP, é essencial observar como atua o profissional ou a agência de Marketing Digital que você vai fechar contrato.

Não acredite apenas no cartão de visitas ou na assinatura de e-mails. Tente pesquisar o portfólio da empresa ou do especialista e veja quais foram os resultados obtidos. Veja o que os clientes falam da empresa, se possuem alguma insatisfação ou ressalva.

É importante também observar quais serviços serão oferecidos. O Marketing Digital possui um guarda-chuva que abrange diversas ações que levam prazos distintos para a obtenção de um determinado resultado. Estreitar e melhorar o relacionamento da empresa com o público-alvo, por exemplo, requer um plano de estratégias que envolvem ações de curto, médio e longo (ou até mesmo longuíssimos) prazos.

Muitas vezes, esse tipo de serviço pode parecer intangível para quem está contratando. Lembre-se: o trabalho de Marketing Digital exige tempo. Ele não é barato e demanda muito esforço. Portanto, veja quais são os relatórios este profissional irá entregar, que tipo de métricas ele irá utilizar e, principalmente, como será feito o planejamento destas ações. Se lhe oferecerem o serviço por um preço muito abaixo do mercado e com resultados muito miraculosos em pouco tempo, desconfie.

Veja também se as estratégias que este profissional irá tomar combinam com as suas. Alinhe com ele quais são suas expectativas e o que você está comprando. Desta forma, conversando e analisando o trabalho oferecido antes de assinar o cheque, você poupará complicações e não ficará frustrado com o serviço no futuro.

Texto do Dloja Virtual.

Publicado em Exame.com, o estudo O Empreendedor Digital no Brasil tem o objetivo de mostrar a evolução e a profissionalização do mercado das startups brasileiras no ano de 2014.

Um retrato médio do perfil do empreendedor brasileiro apontou que a grande maioria é composta por homens, somando 83%, entre 25 a 40 anos. 51% deles provém da classe B e 28% são membros da classe A. Em relação à sua localização, 64% estão na região Sudeste, enquanto outros 21% moram na região Sul. 19% possuem graduação relacionada com alguma área de tecnologia e 16% estudaram administração de empresas. 42% fizeram pós-graduação e 72% possuem um mentor para auxiliá-los em seus negócios.

Entre as principais motivações dos empreendedores brasileiros, estão: o retorno financeiro, o crescimento profissional e o prazer de se fazer o que gosta. As principais dificuldades, por sua vez, estão na falta de recursos financeiros, na burocracia e na dificuldade de se encontrar mão de obra qualificada.

O tempo médio identificado para que o planejamento do negócio estivesse pronto foi de seis meses. 33% dos projetos se relacionavam à área de serviços, 30% se direcionavam aos aplicativos e 29% se dedicavam ao e-commerce. Apenas 8% migraram para outras atividades digitais.

Além disso, 60% das empresas se apresentam formalmente; outras 18% estão em processo de legalização e 22% constituem negócios informais. Os projetos detêm, em média, sete pessoas envolvidas. 43% dos empreendedores se dedicam exclusivamente ao negócio, 52% trabalham nele durante uma parte de seu tempo e uma pequena minoria não trabalha nele (ou não há ninguém trabalhando ainda).

É possível notar uma grande mudança entre os empreendedores de hoje e os do passado. Hoje, não basta ter conhecimento técnico ou mesmo teórico. É preciso ir além: apresentar experiência, vivência, estudo contínuo e muita dedicação. Nestes quesitos, os novos empreendedores realmente têm surpreendido. E você? Faz parte deste grupo? Conte sua história.

Veja abaixo, o Infográfico utilizado pela Exame.com para a definição do perfil do Empreendedor Digital no Brasil.

Afinal, qual é o perfil do empreendedor digital brasileiro?
Infográfico ‘O Empreendedor Digital no Brasil‘, publicado no Exame.com.

O que a Apple pode ensinar para seu negócio online? Sabe a Apple? É, aquela mesma, do iPhone, do iPad, do iTudoQueVocêImaginar. Todos nós sabemos que ela é uma das marcas mais famosas do mundo, com produtos com qualidade no design e uma legião de fãs que fazem fila para o lançamento de algum novo aparelho.

Mas por trás disso tudo, a Apple possui uma história muito interessante – e não somente por Steve Jobs, um dos fundadores da empresa.

O que a Apple pode ensinar para seu negócio online?
Imagem do danieltaysingapore publicada no Visua.ly.

Para chegar onde chegou, a Apple passou por alguns perrengues – inclusive quase fechou as portas – mas passou por uma reestruturação forte, comandada por Jobs, e finalmente conseguiu alcançar o sucesso. A fórmula mágica? Bem, a gente sabe que não existe uma fórmula mágica, mas a solução para eles (e quem sabe também não serve para você) foi diminuir o mix de produtos em busca da qualidade de poucos – porém competitivos – produtos.

Nem eu nem você temos uma empresa do porte da Apple, mas isso não significa que não podemos PENSAR como a Apple. É muito importante conhecer o grupo que estamos falando e vendendo. Só assim saberemos o que ele quer – e se ele quer mesmo – todos os produtos que estamos oferecendo.

A agência Iska Digital montou um infográfico sobre o mercado de Marketing Digital no Brasil em 2014. O compilado de informações traz uma série de estudos e pesquisas divulgados recentemente. Além disso, a agência aponta 4 tendências de Marketing Digital para este ano:

1- Redes Sociais serão consideradas mídias de massa.
2- Todos os horários são nobres.
3- Maior relacionamento das marcas através de smartphones.
4- Relatórios precisos acessíveis para todas as empresas.

O infográfico mostra em forma de ilustração informações importantes de mercado sobre Mídias Sociais, Internet e Mobile Marketing.Veja:

Infográfico: Marketing Digital no Brasil em 2014.

Mais da agência Iska Digital.

It's e-volution, baby!

Era da nuvem. Entregamos nosso tempo e dinheiro à internet, mas será que realmente entendemos a internet?

Ambiente em que vídeos caseiros de gatos tocando bateria e transações bilionárias de grandes multinacionais convivem em caótica harmonia, separados pela distância de poucos cliques – ou touches –, a Internet da Nuvem é, no mínimo, complexo. Se compreendê-la com exatidão é praticamente impossível, preparar-se diariamente para melhor lidar com esse clima de constante instabilidade já é uma opção mais plausível.

Nesse contexto digital que nos demanda uma visão ampla de mundo e um repertório capaz de sintetizar ideias das naturezas mais diversas, uma entrevista feita por um rapper ativista a um doutor em comunicação digital que explica o que é a “Nuvem” num programa cujo nome é “O Bagulho é Doido” pode fazer bastante sentido.

Nosso momento pede criatividade, e criatividade se alimenta de atualização constante.

Passo a palavra ao Professor-Doutor da ECA-USP Luli Radfahrer que explica ao Rapper e apresentador MV Bill o que é a Internet da Nuvem, abordando sua evolução e o que podemos esperar dela.

O programa “O Bagulho é doido” na íntegra foi ao ar na última sexta-feira, às 23h30, no Canal Brasil.

Luli Radfahrer acredita que hoje a tecnologia permita manifestar o verdadeiro talento
O professor não acredita que a internet seja uma rede totalmente global e explica o que é a “nuvem”.