Tags Posts tagged with "Natal"

Natal

Na comparação com 2014, volume de pedidos cresce 16%; Mobile commerce representou 13,6% das compras

As vendas de Natal no varejo online brasileiro registraram novamente aumento neste ano. O faturamento das lojas virtuais alcançou um crescimento nominal de 26% na comparação com 2014, chegando a R$ 7,4 bilhões.

Com isso, a expectativa para o setor no período que antecede o dia 25 de dezembro (de 15/11 a 24/12) foram superadas – eram esperados crescimento nominal de 22% e faturamento de R$ 7,2 bilhões. As três categorias que mais venderam foram, de acordo com o levantamento, Eletrodomésticos, Moda e Acessórios e Telefonia e Celulares (quadro abaixo com o top five).

“A cada ano o e-commerce ganha novos consumidores e a quantidade de pedidos no Natal cresce neste período por conta da conveniência da entrega em casa e a possibilidade de pesquisar e encontrar boas ofertas sem ter de enfrentar lojas cheias e longas filas”, comenta o diretor executivo da E-bit/Buscapé, André Ricardo Dias. “Para o e-commerce foi um final de ano positivo, impulsionado também pelas vendas da Black Friday, acrescenta.

A quantidade de pedidos chegou a 17,6 milhões, um aumento de 16% em comparação ao mesmo período do ano passado, assim como o tíquete médio, que foi de R$ 420,08, um crescimento de 8,4%. No total, 9,3 milhões de consumidores se conectaram para ir às compras pela Internet, 17,2% a mais que em 2014.

O mobile commerce (compras originadas a partir de smartphones e tablets) também confirmou a tendência de crescimento observada ao longo do ano e representou 13,6% das transações nas compras dos presentes, índice acima do registrado em todo primeiro semestre, de 10,1%.

Os números do E-commerce

Ranking de Categorias que mais venderam (% de participação no mercado)

1º Eletrodomésticos – 13,5%
2º Moda e Acessórios – 12,3%
3º Telefonia/Celulares – 11,4%
4º Livros/Assinaturas e Revistas – 10,7%
5º Cosméticos e Perfumaria/Cuidados Pessoais/Saúde – 9,8%

Na comparação com 2014, volume de pedidos será 10% maior

A expectativa do e-commerce para o Natal deste ano, apesar do cenário econômico, é positiva. As vendas no período que antecede o dia 25 de dezembro devem atingir um crescimento nominal de 22% em relação a 2014, alcançando um faturamento de R$ 7,2 bilhões.

A quantidade de pedidos também crescerá e deve chegar a 16,7 milhões de encomendas, um aumento de 10% em comparação ao mesmo período do ano passado, assim como o tíquete médio, que será de R$ 429,00, um aumento de 11%. O mobile commerce (compras originadas por smartphones e tablets) terá uma participação de 12,2% nas transações, índice acima do registrado em todo o primeiro semestre do ano, de 10,1%.

“O Natal de 2015 deve manter a alta das vendas no comércio eletrônico devido a alguns fatores como, por exemplo, o aumento no volume de pedidos, apoiado pelo excelente resultado da Black Friday, além do crescimento do número de e-consumidores que, após permanecerem sem realizar pedidos pela Internet nos últimos seis meses, devem efetivar alguma compra no período de Natal”, constata André Ricardo Dias, diretor executivo da E-bit/Buscapé.

O setor de e-commerce acabou se beneficiando com as boas vendas da campanha de Black Friday, no final de novembro, que é considerado no período de vendas para o Natal (entre 15/11 e 24/12). O sucesso das ofertas representa 42% do faturamento natalino, já que as vendas foram de R$ 3,02 bilhões (em cinco dias de promoções).

Confira as categorias que devem vender mais e porcentagem de participação:

Eletrodomésticos – 14%
Moda & Acessórios – 13%
Telefonia/Celulares – 12%
Livros/Assinaturas & Revistas – 10%
Cosméticos & Perfumaria/Cuidados Pessoais/Saúde – 9%
Casa & Decoração – 9%
Informática – 7%
Eletrônicos – 6%
Brinquedos & Games – 5%
Esporte & Lazer – 4%

Confira todos os números do mercado de e-commerce.

O fim de ano, com a chegada do Natal, é uma época que o comércio tem uma grande oportunidade de aumentar seu faturamento, visto que a procura por presentes é grande. Contudo, para que as receitas aumentem de fato, é necessário realizar um planejamento prévio ou adotar novas estratégias.

Quer alavancar suas vendas online para o Natal? Continue acompanhando o post!

1. Desenvolva estratégias promocionais

Crie promoções relâmpago, combos de descontos em produtos, ofereça descontos no preço do frete, realize sorteios em redes sociais e mantenha o foco em criar estratégias que atraiam ainda mais clientes para sua loja. Contudo, para aumentar as suas vendas online — com uma concorrência acirrada — é necessário ir além.

Aumente a interatividade com os clientes e envolva ações que não estejam, necessariamente, ligadas à compra. Isso ajuda a tornar sua marca reconhecida e a atrair o gosto dos consumidores.

2. Invista em divulgação

Reforce os investimentos em divulgação ou altere algumas estratégias de marketing para que sua loja virtual se torne ainda mais reconhecida e esteja bem colocada no ranking de buscas. Vale também fazer campanhas em redes sociais que envolvem o compartilhamento de publicações, aumentando o alcance dos posts.

3. Aprimore o layout de sua loja virtual

Utilizar temas e cores natalinas no design do site deixa o ambiente confortável e favorável para a compra, contribuindo para aumentar suas vendas online. É interessante também criar novas categorias que facilitam a busca dos clientes — vale incluir categorias como “artigos de decoração” e “presentes para crianças”.

Contudo, é necessário tomar o cuidado de não comprometer a usabilidade do site e sua eficiência — deixando o carregamento mais lento, por exemplo — correndo o risco de sofrer com desistências do carrinho de compras.

4. Abaixe o valor do frete

Frete grátis ou com descontos é um atrativo para qualquer consumidor e contribui para bons resultados nas vendas online. Veja até que ponto esses descontos não influenciam na saúde financeira de sua loja virtual e analise a possibilidade de implementar essa política para as compras.

Caso não seja possível oferecer gratuidade no frete, oferecer descontos por região e/ou por valor de compra são ótimas opções — que dividem o valor com o cliente, mas não sacrifica nenhuma das partes.

5. Fique atento aos prazos de entrega

Outro fator determinante para o fechamento de uma compra é o prazo de entrega oferecido aos clientes. Na verdade, não adianta oferecer um valor de frete agradável se, na verdade, o produto demora para ser entregue.

Portanto, na hora de fechar acordos com as transportadoras, negocie bem os prazos que serão oferecidos e não se esqueça de contratar um serviço que seja reconhecidamente confiável.

Períodos sazonais, como o Natal, são épocas excelentes para aumentar as vendas online e alavancar as receitas de uma loja virtual. Contudo, muitas vezes pode ser necessário rever e alterar o planejamento e algumas estratégias que são adotadas normalmente, como as dicas que citamos no artigo de hoje.

Texto publicado anteriormente no Blog da Olist.

O final de novembro está se aproximando e os internautas já começaram a planejar as compras de Natal. Como o volume de vendas no e-commerce continua a crescer rapidamente a nível global, já é possível identificar tendências e hábitos de consumo em diversos países.

Não é nenhum segredo que os últimos meses do ano são considerados o ápice no e-commerce em diversos países. A Stylight preparou um estudo com expectativas de vendas e dados gerais do período natalino.

Reunimos informações sobre hábitos de consumo, as datas de maior movimentação e curiosidades sobre o e-commerce em alguns dos países em que a Stylight está presente.

Não perca a oportunidade de conhecer mais outros mercados. Todos os insights que reunimos podem ser úteis para os seus negócios e garantem que você leve a mensagem certa ao seu público.

infografico-ecommerce-natal-2015Conteúdo anteriormente publicado no Stylight.com.br.

As compras efetuadas pela Internet no período de Natal renderam ao comércio eletrônico R$ 5,9 bilhões. A quantia representa um crescimento nominal de 37% em relação ao mesmo período do ano passado e superou a expectativa inicial, que previa R$ 5,2 bilhões em vendas para a data. A E-bit levantou os dados referentes a pedidos realizados de 15 de novembro a 24 de dezembro de 2014.

No total, foram feitos 15,2 milhões de encomendas, com um tíquete médio de R$ 388,00. Um grande incentivador deste aumento de vendas foi a Black Friday, no dia 28 de novembro, que representou 20% de todo este faturamento, sendo que os cinco dias de promoção (27/11 a 01/12 – véspera da Black Friday até a Cyber Monday) foram responsáveis por 36% do total. No período acima, o tíquete médio foi de R$ 451,00, e no dia 28 foi ainda mais alto, R$ 522,00.

A entrada de novos consumidores é outro fator que continua colaborando para o crescimento do e-commerce no País, e no Natal deste ano, eles representaram 1,5 milhão de pessoas. As categorias com maior quantidade de pedidos foram Moda & Acessórios, Cosméticos, Perfumaria & Saúde, Eletrodomésticos, Telefonia & Celulares e Informática.

Com crescimento de 37%, E-commerce fatura 5,9 bilhões no Natal 2014

“Em momento de instabilidade econômica como foi este final de ano, os consumidores intensificam as compras pela Internet, pois isso pode representar ainda mais economia e conveniência em efetuar boas compras”, avalia o diretor executivo da E-bit, Pedro Guasti.

⇒ De acordo com a E-bit, o período de promoção da Black Friday representou 36% das vendas do Natal;
⇒ Tíquete médio foi de R$ 388,00 e 1,5 milhão de consumidores fizeram sua primeira compra online;
⇒ Participação de compras por dispositivos móveis já se aproxima de 9%.

Crescimento das vendas no m-commerce

A E-bit mediu também as compras realizadas por meio de aparelhos móveis: se no mesmo período do ano passado elas representaram 4,8% do faturamento total e 4,5% dos pedidos, neste ano passaram para 8,8% do faturamento (crescimento de 82%) e 8,8% do total de pedidos (crescimento de 96%). No m-commerce, as categorias com maior volume de pedidos foram Cosméticos, Perfumaria & Saúde, Eletrodomésticos, Moda & Acessórios, Telefonia & Celulares, Brinquedos & Games.

Para Guasti, a tendência mostra a aceleração da adesão dos brasileiros por esse modelo de plataforma. “A participação dos dispositivos móveis nas compras virtuais já se aproxima de 9%. E percebemos que dessa maneira, tanto novos entrantes que nunca tiveram acesso à Internet com computadores tradicionais como internautas que antes usavam desktop e notebook estão agora migrando para os smartphones e tablets”, finaliza.

Não é de hoje que a palavra “Natal” faz os comerciantes suspirarem de alegria. E com toda razão! É a melhor data para todos os tipos de comércio. Todo mundo vende mais no Natal! Mas para que esse sonho não se transforme em pesadelo, é preciso levar em conta as tendências e o nível de maturidade dos consumidores, principalmente quando falamos de e-consumidores.

Pensando especificamente em e-mail marketing, ao desenhar estratégias para aproveitar o entusiasmo consumista do momento, muitas empresas caem na mesmice de preparar  campanhas sem diferenciais atrativos, com layouts tradicionais, muitas vezes beirando o brega, e até reaproveitando mensagens antigas, já conhecidas do público e amplamente utilizadas por todas as marcas.

Se você está fazendo isso, melhor repensar! Vivemos na era do engajamento e você acha mesmo que seu cliente vai se impressionar com uma campanha assim?

Faça a diferença! Seu cliente precisa se sentir único para que sua marca chame a atenção em meio a tantas promoções. Devido a quantidade de campanhas enviadas nessa época, cerca de 80% dos e-mails não são se quer abertos pelos usuários. Por isso, pense fora da caixa para não fazer parte dessa estatística.

No Natal, a segmentação é um pouco diferente. O foco não é quem está recebendo seu e-mail, já que a maioria das pessoas está em busca do presente ideal para seus entes queridos. Antes de oferecer o presente, cabe uma reflexão sobre quem está recendo as ofertas. Quem é? Quantos anos têm? Onde mora? O que tem procurado?

É bastante difícil refletir ou ter estas respostas se não a conhecermos previamente, isto é, se não criamos relacionamento prévio com nossa base de clientes. Se você ainda não fez isso, calma! Ainda dá tempo! O Natal é ótima oportunidade para isso. As pessoas ficam mais receptivas e, em um primeiro momento, você pode até enviar mensagens sem objetivo comercial. Criando uma relação de parceria com o receptor.

Evite reflexões existencialistas e generalizadas. Congratule pela passagem de mais um ano. Comemore as conquistas, fomente identificação. Mostre ao usuário que você sabe quem ele é.

Uma alternativa pode ser uma “linha do tempo” do relacionamento de vocês. Pode até valer a pena relembrar alguns produtos que ele comprou em sua loja ao longo do ano, por que não?!  Faça isso e aproveite para colher as informações necessárias para segmentar ainda mais suas próximas mensagens.

Lembre-se: nada de copiar fórmulas batidas. Os símbolos natalinos por si só não expressam nada de relevante. Para ter sucesso com este tipo de mensagem é necessário esforço criativo, pois até uma mensagem de Natal com palavras lindas pode ter a aparência de um par de meias comprado de última hora se não houver comprometimento de quem envia com quem recebe, ou seja, relacionamento.

Publicado no Blog da AllInMail.

O aumento no faturamento durante a Black Friday não pode ser a única “lembrança” que um lojista guarda do evento. A Black Friday deve ser vista como um intensivão para as vendas de fim de ano, outro período fortíssimo para o e-commerce.

Nós já falamos sobre algumas boas práticas para lucrar com marketing de afiliados durante o Black Friday, que podem (e devem) ser aplicadas às estratégias para o fim do ano. Agora vamos destacar as lições que podemos aprender com a Black Friday:

Datas, horários e prazos

Boa parte dos consumidores ainda deixa as compras de Natal para última hora. Por isso é muito importante especificar claramente em seu site os horários de expediente, atendimento e posteriores trocas durante o período.

Lembre-se de deixar bem visível a última data de compra para entrega antes do Natal. Você não vai querer deixar uma criança sem presente!

Reveja a política da loja

Vendeu muito na Black Friday, mas teve dor de cabeça com devoluções, trocas e reclamações sobre entrega e formas de pagamento? Em datas com grande movimento é interessante rever previamente as políticas da loja para esses casos.

Estipule condições justas e viáveis para o seu negócio, porém sempre de acordo com o Código de Defesa do Consumidor. Não adianta oferecer um prazo de entrega irresistível e o cliente receber seu presente de Natal só no Ano Novo.

Não se esqueça do mobile

Sempre falamos da importância do mobile no e-commerce. Dados recentes da E-bit, só fortalecem a ideia: a utilização de dispositivos móveis nas vendas cresceu 84% em apenas um ano. Disponibilize uma versão mobile de seu site.

Utilize as dicas e além de alavancar as vendas de seu e-commerce, aproveite para criar relacionamentos com clientes novos e estreitar os laços com os antigos.

O final do ano é um período promissor para empresários de vários segmentos. Com tantas festas e comemorações entre familiares e amigos, valendo-se de boas estratégias, é possível vender muito. Mas o que é preciso fazer para fazer a loja virtual bombar no Natal?

É justamente este assunto que vamos abordar no post de hoje. Portanto, fique atento e saiba mais!

Tenha um layout mobile para sua loja virtual

O mobile commerce já é realidade há algum tempo no Brasil. Por isso, você já está atrasado e precisa adequar o layout de sua loja virtual para que ela funcione perfeitamente nos dispositivos móveis de seus clientes.

Como normalmente o tempo para as compras é bem curto no final do ano, otimize a rotina de seus consumidores oferecendo a eles mais esta possibilidade de acesso. Você pode encontrar muito mais conteúdo de Mobile Commerce aqui:

Mobile: presente e futuro do E-commerce
Como o pequeno varejista pode fazer ações de mobile commerce?
50 fatos e estatísticas que você deve conhecer sobre Mobile Commerce

Busque diferenciais

Crie diferenciais referentes à data para atrair mais clientes. Faça chamadas com temáticas natalinas, crie promoções, ofereça um diferencial no frete… Inove!

Lembre-se de que por mais que este seja um período propício às vendas, ele será para você e para seus concorrentes. Portanto, trace o plano e siga-o estrategicamente. É preciso que tudo seja pensado e calculado adequadamente para que seus diferenciais sejam bons para você e para seu cliente.

Entenda mais sobre posicionamento de marcas, como encontrar o diferencial: Os clientes e a percepção do valor da marca

Ofereça dicas sobre os produtos que o cliente encontrará no seu e-commerce

Compreender o que rege o mercado online é importante para que você alcance não somente os seus consumidores, mas também todos aqueles que são potenciais clientes. E, para isso, você precisa entender quem pretende realizar a compra.

Portanto, comece pensando: “se meu cliente fosse comprar um presente de Natal o que ele/ela iria digitar em um buscador para ter ideias”? A partir de questionamentos como este, tente identificar, tomando como base seu público-alvo e os produtos que comercializa, quais seriam os termos digitais que levariam alguém até a sua loja e os inclua na URL de cada produto, nas imagens e nas hashtags.

O site Übber Suggest te ajudará a encontrar as principais palavras-chave digitadas pelos internautas. Assim, é possível descobrir que “Presentes de Natal” é desdobrado em “presente de Natal para mãe”, “presente de Natal criativo”, “presente de Natal para homem”, etc.

Veja mais: Links patrocinados: Prepare-se para férias e fim de ano

Expanda seu negócio utilizando as redes sociais

Batemos sempre nesta tecla porque ela é realmente importante e funcional para um negócio. Divulgações feitas por meio de Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest fazem com que seus clientes (e potenciais consumidores) lembrem constantemente de sua marca e se relacionem com ela. Por isso, é preciso ter bons profissionais que possam fazer a gestão das redes sociais com qualidade.

Capriche nas chamadas de ação (call-to-action), isto é, em expressões que estimularam os internautas a agir em favor de um comando. Faça suas postagens nas redes sociais, e termine as frases com “confira já”, “você não pode perder”, “acesse e saiba mais”, dentre outras.

Leia também: E-mail Marketing de Natal

Com boas estratégias, é possível fazer com que sua loja virtual bombe de vender neste Natal. Coloque nossas dicas em prática e feche o ano com chave de ouro! Caso tenha ainda alguma dúvida ou sugestão, deixe um comentário!

Natal 2014 – No total, mais de 14 milhões de pedidos serão feitos no período que antecede a data

A procura por presentes de Natal já começou e a estimativa do mercado para o comércio eletrônico está acima da esperada pelo varejo tradicional (off-line). De acordo com a E-bit, as compras de bens de consumo pela Internet em sites brasileiros devem atingir faturamento de R$ 5,2 bilhões este ano. O valor representa um crescimento nominal de 22% se comparado ao mesmo período de 2013, quando o faturamento chegou a R$ 4,3 bilhões.

Santa Claus reading mail
Imagem do Corbis Images.

A previsão é de que, no período entre os dias 15 de novembro e 24 de dezembro, sejam feitos aproximadamente 14,5 milhões de pedidos com tíquete médio próximo de R$ 360. “Apesar do momento de baixa confiança na economia, o e-commerce sempre cresce mais que outros setores, pois oferece maior facilidade de comparação de preços, mais informações e vantagens comerciais aos consumidores”, comenta Pedro Guasti, diretor executivo da E-bit.

Essas conveniências atraem cada vez mais os e-consumidores, que para o Natal deverão chegar a 9 milhões de pessoas. Novamente, haverá uma antecipação das vendas para a data na Black Friday, marcada para próxima sexta-feira, 28 de novembro.

“Muitos consumidores aproveitarão as ofertas para já fazer suas compras de Natal e os próprios lojistas esperam por isso e estão se preparando para poder atender a essa demanda”, lembra Guasti. A expectativa segue a tendência prevista pela própria empresa para 2014 de um crescimento de 21% em relação ao registrado no setor no ano de 2013.

A E-bit ainda aponta quais deverão ser os produtos mais procurados: Condicionadores de ar e refrigeradores, bebidas, brinquedos e games, CDs e DVDs, Celulares e Smartphones, Livros, Notebooks, Perfumes, Roupas e Acessórios, Tablets, Tênis e Calçados e TVs.

Por Jennifer Overstreet. Enquanto para os consumidores ainda é cedo para se falar de Natal, para os varejistas já está na hora de planejar e traçar estratégias para os feriados e as vendas de final de ano. A alguns meses do Black Friday será que é tarde para gerar ações de impacto de vendas nessa época?

De acordo com Katy Tonkin, especialista em links patrocinados e buscas pagas na empresa Point it ainda não é tarde. Durante sua palestra no Shop.org Summit Digital Retail Boot Camp, Tonkin reduziu o vasto campo dos links patrocinados para cinco ações gerenciáveis:

Identifique suas palavras-chaves mais eficientes (top keywords):

“Seu negócio são suas palavras-chave”, disse Tonkin. “Você revisou suas palavras-chaves muito tarde?” Se você está usando a estrutura correta, mas palavras-chave erradas ou alguma outra combinação que não está funcionando, Tonkin compartilhou uma estratégia para avaliar sua performance.

Para identificar corretamente suas “top keywords” verifique os relatórios de consulta de pesquisa, confira os dados mais antigos ou use ferramentas competitivas. Então, isole suas top keywords (que Tonkin chama de “mude a mobília ao seu redor”) e planeje os anúncios e propagandas com mensagens customizadas e landing pages.

Links patrocinados no Mobile

Se você não está usando links patrocinados para mobile, você está perdendo uma baita oportunidade. Tonkin citou uma pesquisa da comScore que revela que 20% dos consumidores online usam exclusivamente smartphones e tablets e 40% das compras da última Black Friday vieram de dispositivos móveis.

Para começar a produzir links patrocinados no mobile use suas “top keywords” e divulgue seus anúncios com antecedência e também até a última semana antes do Natal. Faça a mesma coisa no mobile, adaptações serão simples. Tonkin diz que buscas por “frete grátis” têm pico durante o período de ações de graças até o Cyber monday.

Use listas de retarget nos anúncios patrocinados

A visão de Tonkin é que é muito mais fácil pessoas que visitam seu site sem comprar nada voltarem pela segunda vez (e desta vez para efetivar a compra) que aqueles que ainda nunca visitaram comprarem alguma coisa.

É por isso que as listas de redirecionamento em anúncios de busca são uma boa aposta – permitindo que você segmente usuários e os oriente de forma mais objetiva e adequada.

Priorize o uso de extensões

“Ninguém lê anúncios, eles só leem o que lhes interessa”, explica Tonkin. “Extensões de anúncio são maneiras de gerar mais interessados naquilo que você tem a dizer.” Mas há muita confusão com Add extension. (veja gráfico).

As extensões dos anúncios ou “Ad extension” são permissões do Google para inserir textos adicionais além das palavras-padrão do anúncio pay-per-click do AdWords”. O conselho de Tonkin sobre este tema é começar com suas principais palavras-chave e se focar nos links de extensões, vendedor e comentários de revisão de extensões.

Use Adwords scripts

As pessoas pensam que scripts são assustadores e confusos, mas para Tonkin eles são o caminho para automatizar e identificar falhas humanas. “Scripts são suas asas. Eles economizam tempo, dinheiro e dead lines”, disse. Comece por onde você é menos eficiente e use recursos como Freeadwordsscripts.com.

Scripts podem verificar links quebrados, alertá-lo quando você está estourando seu orçamento e enviar atualizações sobre o desempenho do seu anúncio. Eles podem ajudar, por isso não deixe que eles intimidem você.

O tempo é curto até as férias e natal. Experimente essas táticas e confira se elas farão diferença nas suas vendas.

Artigo traduzido pela Redação E-Commerce Brasil com autorização do autor.