Tags Posts tagged with "preço"

preço

Saber como cobrar por produtos e serviços é fundamental para a saúde financeira de qualquer empresa, inclusive no e-commerce. No entanto, ainda há varejistas que têm dificuldade para definir quanto vale um determinado item ou serviço, o que pode desencadear sérios riscos para a sobrevivência da loja virtual.

Isso porque, ao errar na precificação, o empreendedor pode acabar até mesmo diminuindo a satisfação dos seus clientes – por considerarem o valor elevado -, fortalecendo os concorrentes e chegando a prejudicar seu caixa e o faturamento.

Sendo assim, é indispensável definir bem cada preço, e, pensando nisso, listei algumas dicas práticas e eficazes, que costumo utilizar em meus próprios negócios:

1- Analise seus concorrentes

Se você não tem ideia de por onde começar, recomendo que você faça isso através de uma cuidadosa análise dos preços praticados pela concorrência. Esse é um ótimo parâmetro inicial, principalmente na internet, onde o consumidor leva apenas alguns segundos para pesquisar preços em dezenas de lojas. Sendo assim, é preciso considerar o que já está sendo feito por outros players do mesmo segmento.

Caso os preços estejam mais altos do que você imaginou, existe uma oportunidade de se diferenciar ou aumentar um pouco a sua margem de lucro. Já se estiverem muito baixos, tenha cautela, pois pode se tratar de uma oferta temporária. Se não for o caso, procure descobrir qual é o fator que possibilita os preços menores da concorrência.

2- Conheça os seus custos

Sem uma boa precificação de produtos, o seu e-commerce pode acabar falindo mesmo que as vendas estejam crescendo. Isso acontece por um motivo simples: margens de lucros estreitas demais muitas vezes não são o suficiente para cobrir os gastos da operação. Quando o empreendedor se dá conta, já é tarde.

Para evitar problemas graves como esse, você precisa ter familiaridade com todos os custos da empresa. Desde o pagamento de fornecedores até a conta de telefone, nada pode estar fora do radar.

É através da identificação dos custos que chegamos ao segundo fator crucial para uma boa precificação de produtos.

3- Defina uma margem de lucro

Depois de considerar os preços praticados pela concorrência e os custos da sua operação, você terá uma melhor noção sobre qual é a margem de lucro ideal para cada um dos seus produtos.

Nesse momento, lembre-se de que você montou o negócio com objetivos financeiros em mente: se a operação está funcionando somente para “se pagar”, alguma coisa provavelmente está errada… É hora de fazer alterações e mudar a estratégia.

4- Faça monitoramentos constantes

Por último, um adendo importante: a precificação não é uma tarefa a ser feita apenas uma vez e pronto. Depois de precificar produtos ou serviços, faça monitoramentos constantes em busca de variações.

Qualquer alteração no mercado, como a falta de uma matéria-prima ou a proximidade de um feriado, pode fazer com que os preços da concorrência mudem. Ficar de olho nisso não só irá aumentar as suas vendas como também fará a sua margem multiplicar-se em diversas oportunidades.

Mais sobre como definir o preço de venda:

Como definir o preço de venda de um produto

A precificação de produtos é um processo extremamente importante na vida de lojistas e empresários que desejam obter lucros de seus negócios e crescer de maneira sustentável. Vital para a vitalidade financeira da sua empresa, consiste em fazer uma profunda avaliação para identificar qual é o preço que alia competitividade, atratividade e lucratividade para o seu negócio. Falhar nessa tarefa de precificação de produtos, ou tratá-la com descaso significa perder desempenho e dinheiro investido no negócio.

Obter o preço certo de seus produtos é um processo extremamente importante para lojistas e empresários que desejam obter lucros de seus negócios e crescer de maneira sustentável. Tão importante que se reflete na saúde financeira de sua empresa. E para isto deve-se realizar uma análise profunda das informações como competitividade, atratividade e lucratividade para o seu negócio.

Nesse artigo especial, vamos ajudar você a entender o que é esse processo e como simplificar de maneira rápida e clara.

Por que é essencial precificação de produtos?

Antes de entender o que é precificação, você deve entender seu alto grau de importância. Pois o preço certo, e o valor que seu produto deverá ter será baseado em um processo.

Processo? Sim, precificação não é simplesmente colocar seu preço baseado em operações matemáticas. Ela é um processo complexo e deve ser trabalhado sobre vigilância. Afinal, seus concorrentes também o fazem para atingir preços e margens competitivas.

Sua empresa também possui custos, taxas de cartão de crédito, débito, pagamentos à vista ou a prazo, comissões, impostos que geram impacto direto nas estratégias de formação de preços.

Por que essa tal precificação é tão vital para meu negócio como um todo? Resumindo de forma simplificada, o preço certo representa financeiramente o valor de seu produto.

Neste caso a soma de diversos fatores como margem de contribuição, despesas, custos, concorrência, impostos, competitividade e assim por diante. Não dê um tiro no escuro pensando que seus preços estão corretos. Tenha certeza de que estejam, pois no final do mês será a diferença entre ter um saldo positivo ou negativo.

O que é precificação?

Precificação é estratégia. É a rotina de manter seus preços de acordo com sua vontade de crescer concomitante a concorrência do mercado.

Mas o que devo levar em consideração para fazer uma precificação eficiente de produtos?

Custo

Esta soma pontos entre fabricação ou compra de produtos, matérias prima, embalagens, brindes, mão de obra direta e indireta, transporte, impostos. Mas se você ainda tem dúvidas em como formar para ter seu preço certo, baixe nossa planilha de Custos de Produto e certifique-se que está com o custo correto.

Impostos e Comissões

De grande importância também são parte importante na formação da precificação. Parte do valor do preço vêm dos canais de venda, marketplaces, comissões e premiações de vendedores e impostos.

Taxa de Cartão de Crédito/Débito/Antecipação de Recebíveis

Muito além das comissões e taxas que pagamos, devemos estar atentos aos métodos de pagamentos para as administradoras.

Concorrência

Esta pode ser tanto um vilão quanto um aliado. Cabe a você saber gerir e manter-se competitivo. Para isto deve-se analisar a estrutura de custo e lucro sempre atendo a concorrência. E claro, com foco no consumidor, que hoje está cada vez mais conectado a aplicativos que realizam buscas de preços. A correta formação do seu preço certo pode sim alavancar muito suas vendas perante a concorrência.

Posso tornar esse processo simplificado?

Há diferentes estratégias interessantes de precificação de produtos que merecem ser citadas. A técnica de precificação muda conforme fatores como necessidade do negócio, sazonalidade, estoque, fatores climáticos, estação do ano, datas comemorativas, preços da concorrência, etc.

Para tornar mais simples seu entendimento, separamos algumas técnicas diferentes:

Markup

Consiste na análise dos custos relacionados a produção, venda, atendimento, distribuição e publicidade de um produto acrescido da margem de lucro que se deseja obter. É a mais simples técnica.

Alternativa para falta de conhecimento de gestão gerencial, e representa um grande risco ao empresário, pois não necessariamente um produto com um markup de 2x representa 50% de lucro no fim da venda. Muitas vezes é bem menos que isso.

Valor percebido

Nesse modelo de precificação de produtos, apelamos para precificar mediante ao PREÇO que o cliente vê baseado no valor que agregamos no produto comercializado. Quando um produto ou serviço atende as expectativas e necessidades do consumidor, ao satisfazê-lo é possível estabelecer um elo de confiança e uma maior valorização do preço de venda.

Existem diversas formas que o valor percebido pode impactar diretamente o preço de seu produto como: marca, atendimento, bom design, embalagem diferenciada. Muitas vezes é arriscado pois não necessariamente seu cliente pode aceitar o preço fornecido sem antes sua marca ter a devida notoriedade para justificar o mesmo.

Análise da Concorrência

Um modelo muito usado por muitos lojistas é a precificação baseada em concorrência. Identificar o preço do concorrente e equiparar ou praticar um preço inferior. De todas as práticas de precificação, é a mais arriscada – uma vez que você pode acabar vendendo produtos no prejuízo.

É muito importante, não só na análise de concorrência, mas no markup e valor percebido, aplicar o conceito da próxima técnica: a margem de contribuição.

Margem de contribuição

A margem de contribuição é a mais recomendada técnica para formação de preço. Ela determina o quanto “sobra”, dentro do custo de venda, após serem descontados custos e despesas variáveis.

Mas como se calcula? A fórmula básica é Margem de contribuição = Valor de venda – Custos e Despesas variáveis diretas do produto (impostos, comissões, taxas). Ou seja, o lucro real da venda do produto.

É o melhor método flexível para formação de preços, pois permite que altere sua margem em períodos competitivos, mas que ainda cobre custos.

Atualmente não dá mais para evitar, seja uma pequena ou média empresa, todo negócio precisa garantir sua presença na Internet. Se você não estiver lá o seu concorrente estará.

Loja Virtual, site ou blog: existe uma solução para cada necessidade

Dependendo do tipo de negócio e até mesmo a fase que sua empresa está você escolherá o tipo de presença digital, e pode ser que você precise utilizar mais de uma solução, como por exemplo criar uma loja virtual e um site institucional.

Uma coisa é certa ter uma presença digital é praticamente um certificado de existência.

Tenho certeza que você ao comentar sobre uma academia, um restaurante, um hotel ou outro negócio com seus amigos, a primeira coisa que fez foi procurar referências nos sites da internet, um pacote turístico ou informações nas redes sociais.

Já notou que muitas vezes você, familiares ou amigos mesmo inconscientemente já buscaram uma receita, um artigo, ou uma referência de algum serviço ou produto em blogs especializados?

Os blogs são como uma fonte riquíssima de informações sobre negócio, segmento de atuação das empresas, serviços e produtos, por isso dizemos que eles ajudam a criar autoridade, não é o nosso foco mais segue a dica para usar um blog com sua Loja Virtual:

  • Escrita menos formal conhecida como comunicação 1:1 (um para um);
  • Estilos de comunicação criam um forte relacionamento com seu público;
  • Empresas mesmo pequenas também precisam se aproximar de seus clientes e futuros consumidores.

Por fim, quantas vezes antes de você comprar um produto foi na Web pesquisar em 5, 6 ou 10 lojas virtuais a procura do melhor preço, de informações e até mesmo buscar outras opções em relação ao que buscava comprar?

Isso é muito cômodo, rápido e normalmente mais barato que uma loja física, por isso criar um e-commerce de qualidade é fundamental, sua empresa virtual precisa ter qualidade, não economize demais nisso.

Preço é bem diferente de valor

No final da década de 90, criar loja virtual era exclusividade das grandes empresas, as plataformas de desenvolvimento eram caras, a administração muito complexa e a falta de informações eram extremas.

Criação de sites então era um artigo de luxo, com o passar do tempo preços de hospedagem e desenvolvimento foram caindo, as plataformas foram ficando mais tecnológicas e o público-alvo com mais informações passou a perder o medo de comprar produtos e serviços usando a internet.

Com isso toda pequena e média empresa passou a ter condições de ter uma presença digital com a criação do seu e-commerce ou um blog ou um site.

Atualmente existem duas maneiras de criar o seu e-commerce, você pode utilizar uma plataforma que se denomina gratuita, pois você não paga pelo uso desta plataforma até uma determinada quantia de produtos ou acessos, e em contra partida você precisa aprender sobre como funciona a plataforma para montar seu e-commerce. Ter um certo bom gosto de layout e design, e conhecer sobre combinações de cores, fontes e mais algumas técnicas essenciais, o grande desafio é o tempo que isso pode demandar, semanas ou até meses.

A outra maneira é você utilizar-se de um profissional, agência ou uma franquia de loja virtual, normalmente esses profissionais farão todo o trabalho para você, utilizando ferramentas como WordPress, e-commerce da Shopify ou um programa próprio como o LigueSpeed (LS).

Independente da maneira que você escolher para criar seu e-commerce, avalie preço final do valor agregado.

Quer cobrar quanto? Cinco dicas para desenvolver sua estratégia de preço

A seguir vamos mostrar alguns pontos que você precisa ter ao criar seu e-commerce.

Divulgação do seu e-commerce 

A criação do seu e-commerce é o primeiro passo do seu projeto no mundo digital, tenha em mente que usuários buscam produtos e serviços nos motores de busca como o Bing, Yahoo, e Google o maior disparado de todos.

Em sua análise de qualidade x preço, mensure se você fará tudo sozinho ou se um empresa com cases de sucesso poderá lhe ajudar com os links patrocinados.

Para divulgar ainda mais o seu e-commerce, monte uma estratégia de campanhas sazonais em que as pessoas estão propensas em comprar e buscando novidades, isso se dá bastante em datas especiais como Natal, Dia das Crianças, Dia das Mães, Black Friday e muitas outras.

Números da sazonalidade no E-commerce brasileiro

Google AdWords é uma excelente opção

O AdWords tem muitas vantagens, determine suas metas e o AdWords poderá com certeza te ajudar, o AdWords é uma plataforma do Google que permite várias adaptações a fim de personalizar sua campanha – quanto investir, qual segmentação de público, quanto tempo, quais horários e muitas outras variáveis que você poderá ajustar com objetivo de ser o mais assertivo possível para sua campanha.

Leia mais sobre o assunto:

Porque investir em Adwords e SEO para aumentar a exposição dos negócios

Gere tráfego e atraia clientes

Ao utilizar o link patrocinado no AdWords, você poderá ainda selecionar palavras-chave e tópicos, selecione o tipo de público que você para seus anúncios e de forma online mensure e gerencie tudo.

Quando o anúncio chega nas pessoas certas, ou seja, usuários que querem comprar exatamente aquilo que você quer vender, sua loja virtual começa a receber um trafego de qualidade.

Além de você aumentar o tráfego para sua loja virtual, você tem mais possibilidades de conquistar mais clientes.

Sempre se coloque no lugar dos compradores, quais palavras chaves são as melhores, o que você precisa explicar sobre o seu produto, quais os diferenciais seu produto tem – por exemplo: Frete grátis para a região tal, N tempo de garantia, e assim seja mais especifico possível.

Dica – cuidado com a quantidade de palavras

Nos links patrocinados do AdWords para cada palavra-chave existe um valor que você pagará diferente e de forma individual, lembre-se disso.

Para você controlar melhor sua campanha e principalmente seu dinheiro de orçamento, e sucessivamente obter melhores resultados para sua empresa, comece com poucas palavras-chave (entre 5 e 10) e que tenham maior precisão para seu cliente comprar, vá ajustando e com o tempo essa lista pode crescer, mas fique de olho em seu orçamento.

Os anúncios são importantes

Produzir anúncios criativos e com experiência positiva é uma estratégia fundamental para sua loja aparecer bem aos consumidores.

Não foque apenas nas especificações técnicas do produto ou serviço, procure deixar claro quais os problemas seu produto ou serviço poderá resolver para o consumidor. Seja positivo e agradável, procure mostrar quais sensações de bem-estar o seu produto dará aos usuário, mas lembre-se seja sempre muito sincero.

Chamar a atenção no seu anuncio de forma positiva é fundamental.

Cada detalhe é fundamental para criar os melhores anúncios online

Esses são alguns pequenos detalhes de quem faz Marketing Digital todos os dias, e eles podem fazer muita diferença para o sucesso do seu e-commerce.

 

Marketing Digital é um bom investimento para meu e-commerce?

Qualquer empresário que já investiu em Marketing Digital com o parceiro certo, teve retorno, a curto, médio ou longo prazo dependendo de qual estratégia utilizou.

Normalmente links patrocinados é uma estratégia de curto prazo, lá um blog com otimização de sites é uma estratégia de médio para longo prazo, o fato é que todas tem o seu momento, valor e resultados.

Em comparação com a publicidade tradicional em TVs, o marketing digital ainda tem como vantagem preços acessíveis, flexibilidade de investimentos e muitas ferramentas de que permitem mensuração.

Comece investindo o que cabe no seu bolso depois compare os resultados, e vá aumentando os investimentos gradativamente!

São muitos os fatores que podem influenciar a decisão do consumidor fechar (ou não) uma compra na sua loja virtual. Ter confiança na sua marca é importante, assim como encontrar boas condições de pagamento e de entrega. Mas o mais importante para garantir que a venda seja realizada na sua loja e não na de seu concorrente é mexer com a emoção do consumidor.

A psicologia por trás da Percepção de valor

Existem alguns gatilhos mentais certeiros na hora de convencer o cliente a efetuar uma compra: você pode apelar para o senso de urgência, alegar exclusividade ou apresentar as últimas unidades de um produto, mas nada supera a eficácia de oferecer uma vantagem real para o consumidor. Quando o ser humano acredita que está fazendo um grande negócio, a conversão é quase certa.

E é aí que entram os cupons de desconto.

Ao publicar um cupom de desconto, você oferece a possibilidade do consumidor adquirir um produto (que muitas vezes ele nem precisa) por um preço abaixo do normal. E a possibilidade de fazer economia é simplesmente irresistível.

Os benefícios dos cupons de desconto

Oferecer cupons de desconto traz uma série de benefícios reais para a sua empresa. Confira alguns deles:

Os cupons de desconto podem viralizar

Nossa tendência ao saber de boas novidades é compartilhar com os amigos. Ao oferecer um cupom de desconto realmente benéfico, você tem grandes chances de ver esse conteúdo viralizar e atrair novos clientes para seu e-commerce. Também é importante lembrar que os cupons de desconto costumam ser compartilhados em grupos e blogs especializados, o que aumenta o impacto virtual da sua marca.

Os cupons de desconto podem alavancar as suas vendas

Ao criar o seu cupom de desconto você pode determinar as regras do jogo. Se você deseja aumentar o tíquete médio, basta estipular um valor mínimo para o desconto.

Se o objetivo é acabar com o estoque de determinado produto, o cupom pode ser válido apenas na compra do mesmo. Trace metas para as suas vendas, e elabore o seu desconto a partir disso.

Os cupons de desconto diminuem as taxas de desistência no carrinho

Quando o cliente visualiza o impacto do cupom de desconto no carrinho, as chances dele desistir de efetuar a compra diminuem consideravelmente. Dessa maneira, diminuem seus investimentos em remarketing e você pode focar seus esforços em atrair novos clientes.

Você pode mensurar facilmente o resultado dos cupons de desconto

Com a ajuda do Google Analytics e de outras ferramentas, você pode visualizar facilmente o resultado do seu cupom de desconto e o impacto que ele causou nas suas vendas. O mesmo vale para as redes sociais: é muito fácil determinar o alcance dos seus posts a respeito do cupom de desconto.

Os cupons de desconto fidelizam o cliente

A sensação de ter feito um bom negócio é tão satisfatória que a sua empresa certamente causará uma boa impressão. São grandes as chances de que o cliente volte a buscar o seu e-commerce na hora de fazer novas compras!

Alguma dúvida de que os cupons de desconto são um excelente negócio para a sua empresa? Use a caixa de comentários para compartilhar sua experiência ao utilizar cupons de desconto na sua estratégia de marketing!

Fonte original da pesquisa: Vouchercloud.

Como definir o preço de venda de um produto? A resposta a esta pergunta envolve diversas variáveis.

Na definição do preço que será praticado no mercado devem ser levados em conta, entre outros atributos, custos operacionais, concorrência e percepção de valor junto ao cliente. Para além de uma simples decisão comercial, a definição do preço de venda está diretamente relacionada à atração de clientes, servindo, portanto, também como uma tática de marketing.

Isso permite uma série de combinações distintas que podem ser adotadas pelos lojistas para gerar vendas, sendo que cada uma delas serve a interesses e objetivos diversos. Confira a seguir, cinco dessas estratégias:

Preço alto-baixo

Na estratégia de preço alto-baixo, a loja oferece um desconto temporário para um determinado grupo de produtos, para depois retorná-lo ao preço normal.

Essa redução de preço costuma ser amplamente divulgada e visa gerar um aumento pontual no fluxo de clientes. Os consumidores podem ser fidelizados ou estimulados a comprarem mais produtos na mesma transação, elevando o ticket médio.

Um dos principais desafios para essa prática é a gestão de estoque. A loja precisa estar preparada para comportar o aumento na demanda sem ruptura (indisponibilidade de produtos), já que isso pode despertar reclamações.

Preço baixo todo dia

A prática do preço baixo todo dia é uma decisão deliberada da loja em praticar o menor preço possível, diariamente.

Nesse caso, não há grande variação de preços, resultando em uma curva de vendas mais estável e um volume de produtos em estoque mais equilibrado.

O objetivo desse modelo é transmitir uma imagem positiva para a loja no longo prazo. Assim, não é necessário realizar gastos pontuais para divulgar promoções específicas, por exemplo.

O principal desafio para o êxito dessa estratégia é o fato de que muitos consumidores ainda são seduzidos por grandes ofertas e promoções. Isso exige um esforço maior para superar os concorrentes.

Preço por volume

O preço por volume se assemelha às vendas por atacado. Essa estratégia privilegia os consumidores que compram uma quantidade maior de um item, oferecendo descontos.

Em geral isso é feito na forma de kits ou pacotes com várias unidades. Para reforçar a divulgação, costuma-se destacar por quanto acaba saindo o valor unitário do produto nessa compra em escala.

Essa prática permite que a loja obtenha ganhos de escala, ampliando o ticket médio e reduzindo o volume parado em estoque.

Preço sazonal

O preço sazonal é aquele influenciado pelo calendário. Datas comemorativas ou períodos de elevada demanda por um produto geram elevação dos preços. Isso é compensado em momentos de queda na procura, quando são realizadas ofertas e promoções.

Para que essa prática seja efetiva, a alta nos preços não pode soar abusiva para o consumidor.

Também é preciso ter bom senso. Recentemente, um site de vendas online foi duramente criticado por ter elevado o preço das camisas do time da Chapecoense logo após o acidente que vitimou a delegação da equipe. A empresa argumentou que a alteração foi feita por algoritmos, sem intervenção humana, mas ainda assim houve repercussão negativa.

Preço psicológico

O preço psicológico tem o objetivo de confundir a percepção de valor do cliente frente a um produto. Para isso, um item é anunciado com preços como R$ 9,99 ou R$ 9,90. Mesmo custando praticamente R$ 10, essa diferença sutil é percebida como um desconto ainda maior pelo consumidor, que muitas vezes acaba ficando propenso a efetivar a compra.

A análise desses diferentes modelos permite concluir que a definição da estratégia praticada por uma loja reflete a imagem que ela deseja transmitir para seus consumidores. Sendo assim, a precificação deve estar alinhada com as ações de marketing e construção da marca.

Cada um dos exemplos citados tem maior eficiência para um determinado perfil de consumidores e segmentos de mercado. Portanto, é fundamental realizar testes e um estudo prévio antes de escolher uma estratégia.

Leia também:

Estratégia de Preço para ampliar vendas

Em parceria com a NET Internet separamos as principais vantagens e desvantagens das principais soluções de entrega de compras via e-commerce.

Tanto para quem está começando agora quanto para os mais veteranos do mercado e-commerce o frete é um fator chave para o sucesso do negócio. Segundo pesquisas, os consumidores são bastante influenciados na decisão de compra pelo preço do frete e pela confiança e agilidade na entrega.

Portanto, conhecer o seu público e definir claramente os objetivos do seu negócio são os primeiros passos para escolher qual solução de entrega será a mais indicada para a sua loja e seus consumidores.

Investir em frota própria ou terceirizar suas entregas?

Possuir uma frota própria trás grandes vantagens dependendo do tamanho do seu negócio. Ao optar por essa modalidade de entrega, a sua empresa ganha controle total sobre a operação e agilidade estratégica que juntas podem ser uma arma e tanto no processo de fidelização de seus clientes.

Mas nem tudo são flores. Investir em uma frota própria exige um alto investimento inicial e custos de manutenção e pessoal. Sua demanda precisa justificar tal estratégia. Portanto avalie bem se o seu e-commerce está pronto para esta modalidade.

Por outro lado, as opções de terceirização de entregas são uma excelente opção para a sua loja virtual aliviar os custos e ganhar abrangência. Entre elas estão modos mais convencionais como os Correios, as Transportadoras e as Frotas Terceirizadas. Além de modalidades mais inovadoras como a utilização de Couriers ou a abertura de Pontos de Retirada.

Correios: Maior abrangência e credibilidade

Se o seu objetivo é vender para todo o Brasil os Correios podem ser de grande ajuda para o seu negócio. A imensa cobertura da empresa de postagens oficial permite que você possa vender para locais mais distantes com um bom custo-benefício.

Além de oferecer diversos tipos de postagens de acordo com o peso e tempo de entrega, é possível integrar sua plataforma de vendas com o sistema de cobrança dos Correios. Assim, o consumidor pode calcular o frete no próprio processo de finalização de compra da sua loja.

Transportadoras: Opção estratégica e personalizável

O frete via transportadoras é uma ótima pedida para quem busca priorizar áreas estratégicas para o seu negócio. Apesar de, geralmente, terem menor abrangência em relação aos Correios a sua loja pode ganhar agilidade e personalização nos serviços de entrega.

Se você possui cidades ou regiões específicas com maior volume de vendas, você pode dedicar um serviço de entregas especial, negociando diretamente com a transportadora melhores custos e prazos.

Courier: Garantia de qualidade para entregas urgentes

Os serviços de Courier possuem uma excelente qualidade e credibilidade no mercado. Porém seus custos podem ser mais elevados. São ótimas opções para lidar com uma situação onde a intenção é evitar desgaste com os consumidores.

Possuem uma grande abrangência, inclusive internacional, possibilitando entregas para fora do país caso a sua loja ofereça tal opção.

Pontos de Retirada: Uma nova maneira de entregas de compras online

Essa é uma tendência mundial no mercado de e-commerce. Muitas lojas consagradas como a Amazon, por exemplo, estão disponibilizando a opção de retirada da mercadoria em pontos específicos. Os custos do frete caem até 30% e permitem ao consumidor uma maior controle de seu tempo.

É claro que tal estratégia não funciona para todos os tipos de produtos. A entrega em domicílio de móveis e eletrodomésticos de grande porte acaba sendo mais vantajosa para o cliente do que a sua retirada. Por isso é essencial estudar muito bem o perfil do seu público e a viabilidade desta modalidade.

Depois de conhecer melhor cada modalidade de frete vai ficar bem mais fácil pensar em como melhorar a qualidade, os custos e a satisfação do seu cliente. Estude o seu negócio e comece já a pensar em qual a melhor solução de entrega de compras online para a sua loja virtual.

Com cada vez mais serviços sendo disponibilizados na internet, desde treinamentos, cursos e atendimentos online, surge também uma dúvida muito comum entre os empreendedores digitais: como definir um preço justo?

É preciso compreender que o preço de um produto online deve ser pensado de forma diferente do que é pensado em um produto físico. Muitos empreendedores, influenciadores e até mesmo marcas do segmento digital não possuem referenciais para saber o quanto cobrar por serviços na internet.

No mercado de produtos físicos, o preço é calculado com base nos custos de produção, nos gastos variáveis e fixos como transporte e impostos, e no percentual de lucro.

Se eu vou vender um computador ou uma cadeira, por exemplo, além de todos estes gastos, eu ainda preciso analisar o preço praticado pela concorrência, mas isso não é necessário no mercado digital.

Conforme é trabalhada a autoridade do profissional e o posicionamento do produto, ele se torna algo único. Por isso o seu produto não precisa ser precificado conforme algum concorrente. Infoproduto não é commodity.

O que eu preciso aprender para entrar no mercado de E-commerce?

Definir, testar e entregar mais

No caso de cursos e treinamentos, o produto é escalável. Ele já está pronto, e isso deve ser considerado na hora de definir o preço. Para os casos de aulas ou atendimentos individuais que, mesmo online, devem considerar o trabalho que exigem do profissional.

Defina o preço conforme o que você acha ser justo, e faça testes para ver a aceitação do público, destacando que as tentativas de erro e acerto fazem parte do mercado digital. Considere sempre o público-alvo para entender a faixa de renda e o valor que faz sentido para ele.

O uso de valores quebrados são boas estratégias de precificação, é possível aumentar gradativamente o preço de um infoproduto conforme o crescimento da credibilidade do infoprodutor. Se você souber se posicionar e se diferenciar, pode cobrar o valor que quiser, desde que o cliente esteja disposto a pagar.

Pratiquem sempre o overdelivery, que significa entregar mais que o prometido. Na internet, as pessoas sempre esperam algo a mais, então busque surpreender o seu cliente para que ele esteja plenamente satisfeito.

Descubra o que é overdelivering e como aplicar agora em suas vendas

O que é proibido, é ter medo de se posicionar e acabar cobrando valores muito baratos. O pensamento de que é preciso cobrar muito pouco por estar começando faz com que muitos empreendedores fiquem ‘começando’ por muitos anos e não conquistem a prosperidade que buscam.

Setor que segue em crescimento no Brasil mesmo com a crise econômica, o e-commerce também possui um ponto fraco: o frete dos produtos. O serviço é fonte de constantes reclamações dos usuários e representa um custo excessivo ao lojista.

O frete corresponde à grande parte dos custos lojísticos do e-commerce. Contudo, o empresário pode adotar uma série de medidas para conseguir entregar os pedidos no prazo e condições adequados. Confira cinco dicas:

Ofereça métodos alternativos de entrega

Os Correios são responsáveis por mais de dois terços das entregas realizadas pelas lojas virtuais brasileiras, o que faz a remessa ficar sujeita às condições impostas pela estatal.

É bom ter opções e oferecer diferentes formas de entrega, como transportadoras privadas e o conceito de social delivery, que conecta pessoas a entregadores independentes, mediante aplicativo para smartphone.

Crie estratégias para o frete

No intuito de trazer mais consumidores, a grande maioria dos e-commerces aposta na distribuição de frete grátis. A tática funciona no início, mas depois pode comprometer a rentabilidade do negócio.

O ideal é criar uma estratégia que leve em conta todos os fatores envolvidos na entrega de um produto e defina a melhor política para cada player.

Como é feito o cálculo de frete e quais as limitações dos Correios

Descubra regiões campeãs de vendas

Uma ótima alternativa para otimizar o frete do comércio eletrônico é identificar as principais cidades que realizam pedidos dentro da página.

Assim, é possível não só criar campanhas de marketing voltadas a esse público, como também ajuda a escolher locais de armazenamento mais próximos dos consumidores – diminuindo o tempo de espera pela entrega.

Utilize um sistema de gestão integrado

Com esta solução, o empreendedor consegue acompanhar todos os processos que envolvem a área de logística do e-commerce, a fim de monitorar o trajeto do produto após a confirmação do pedido.

O objetivo é reduzir os erros, pois uma simples falha vira uma bola de neve e pode culminar no atraso da entrega.

Antecipe-se à demanda

Pode parecer difícil, mas hoje a loja virtual consegue prever a quantidade de pedidos que vai receber nos próximos meses. Dessa forma, é possível se programar para organizar o estoque de forma adequada, garantindo que os produtos com maior saída possam ser despachados rapidamente.

Definir o preço de um produto não é tarefa das mais fáceis, mesmo para empreendedores experientes. Vários fatores influenciam essa decisão, como a análise do preço da concorrência, o perfil e as expectativas do público-alvo, a demanda e até mesmo o valor percebido pelo cliente.

Encontrar a medida certa é crucial para a obtenção de lucros sólidos e para agregar valor à sua marca. Afinal, se por um lado um item com preço muito elevado pode fazer potenciais clientes se afastarem de você, por outro manter preços muito baixos pode diminuir exponencialmente sua margem de lucro e causar prejuízos financeiros ao seu negócio.

Além disso, não basta apenas revender o produto por uma margem 20% maior do que o valor de compra do fornecedor, é fundamental saber como calcular o custo de mercadoria vendida corretamente.

Ao invés de somente medir o lucro, esse cálculo leva em consideração a quantidade de itens que sobraram em estoque ou que foram devolvidos no processo pós-venda por algum motivo, como trocas e avarias, já que produto encalhado é sinal de perda de dinheiro. Também é importante considerar outros gastos, como manutenção da sua loja virtual, internet e até empacotamento.

Quer cobrar quanto? Cinco dicas para desenvolver sua estratégia de preço

Dada a natureza competitiva do e-commerce, as estratégias de preços podem variar de acordo com o seu nicho de atuação ou os seus produtos. No entanto, de forma geral, recomenda-se realizar o estudo do mercado e do público-alvo antes de qualquer definição.

  • Público-alvo: quem são suas personas, quais são seus gostos, preferências, escolaridade, poder aquisitivo e formas de pagamento prioritárias? Se os seus produtos são voltados para o mercado de luxo, o alto valor transmite sentimento de qualidade, fundamental para atrair potenciais clientes. Por outro lado, se você comercializa itens mais populares, oferecer preço baixo faz toda a diferença.
  • Avaliação dos concorrentes: quem são seus principais concorrentes, seus diferenciais e suas estratégias de preço? Ao disponibilizar seus itens por um valor abaixo do que os seus concorrentes oferecem, você pode ganhar uma vantagem competitiva – apenas tome cuidado para não prejudicar as finanças da sua loja. Mas, caso você tenha uma proposta de valor muito clara, que transmita qualidade como diferencial, comercializar o produto por um valor um pouco acima também pode ser vantajoso.
  • Percepção de valor da marca: quais são os pilares da sua marca e como as pessoas percebem isso? Para responder essa pergunta, analise quais são seus diferenciais, qual é a relevância do seu produto para seu público-alvo e porque um cliente deveria comprar o seu produto e não o dos seus concorrentes.

Levar em consideração todos esses pontos pode aumentar não apenas a sua margem, mas também melhorar o seu valor no ciclo de vida do cliente.

Se você possui uma loja virtual, provavelmente notou que com a ferramenta Webservice dos Correios o cálculo de frete é feito automaticamente, bastando o cliente inserir o CEP de destino. Neste artigo, vamos descobrir como funciona o serviço e quais as suas limitações.

Como é feito o cálculo de frete dos Correios

O cálculo de frete automático é feito através do peso cúbico, usando-se a seguinte fórmula:

Comprimento x Largura x Altura
______________________________________
6000

Essa funcionalidade está disponível para PAC, SEDEX e e-SEDEX.

O cálculo é feito desta forma porque para fazer o transporte das mercadorias é preciso levar em conta não só o peso das embalagens, mas o espaço que elas ocupam também. Esse tipo de cálculo é adotado internacionalmente para a maioria das empresas de transporte, mesmo se as cargas forem transportadas em aviões, por exemplo.

Com a ferramenta Webservice você também terá disponível na sua loja virtual o cálculo de prazos de entrega, o que é importante para que seu cliente saiba quando o produto adquirido irá chegar ao destino.

Como reduzir o custo do frete da loja virtual

Limitações de se trabalhar com os Correios

Além do cálculo do peso cubado, antes de optar pelos Correios você deve levar em consideração que para utilizá-lo as mercadorias da sua loja devem ter peso inferior a 30 quilos e que a soma das três dimensões (CLA) seja menor que 200 centímetros.

Vale lembrar que se o peso ou dimensões forem inferiores, mas bem próximos ao limite aceito, pode acontecer de o seu cliente comprar mais de uma unidade do produto e querer que elas sejam enviadas juntas, o que não será possível, pois, neste caso, para se enquadrar aos limites dos Correios você terá que enviar as mercadorias separadas.

Se esse for o seu caso, a melhor opção é buscar outras alternativas nesse mercado, como transportadoras que podem entregar mercadorias pesadas ou de grandes proporções com mais eficiência.

Leia também:

Tudo o que você precisa saber para fazer um contrato com os Correios

Para concluir, os Correios oferecem um serviço extremamente prático para comércio eletrônico. Contudo, se você vende produtos que ultrapassam certos limites de peso e tamanho, talvez o melhor caminho seja procurar uma alternativa mais viável.