Tags Posts tagged with "sac"

sac

Se você ingressou recentemente no comércio virtual, é possível que ainda não esteja por dentro de metodologias voltadas para a otimização e automação de importantes processos gerenciais. No artigo de hoje, vamos tratar sobre a importância de integrar um sistema ERP online a sua plataforma de e-commerce. Acompanhe!

Afinal, o que é um sistema ERP?

Antes de falar sobre a importância de integrar essa ferramenta a sua loja virtual, primeiramente é preciso falar do conceito de sistema ERP. Enterprise Resource Planning, ou simplesmente ERP, que em português significa “Planejamento de Recursos Empresariais” é a sigla utilizada para denominar softwares que possuem diversas ferramentas voltadas para facilitar o processo de administração empresarial.

Portanto, um sistema ERP possibilita uma gestão unificada dos mais variados processos gerenciais de uma empresa e pode ser aplicado facilmente para o gerenciamento de lojas virtuais. A seguir, vamos falar especificamente sobre os diferentes módulos que compõem um sistema ERP:

Financeiro

Possibilita o controle de contas a pagar e a receber, emissão de recibos de pagamento e oferece possibilidade de realizar a conciliação bancária por meio do arquivo OFX, dentre muitas outras funcionalidades. A conciliação bancária nada mais é do que um processo comparativo  entre o extrato bancário da empresa com os dados registrados no sistema, de forma a verificar possíveis erros no controle financeiro realizado internamente.

Compras

Permite o cadastro de todas as compras realizadas junto a fornecedores e o preenchimento de informações referentes aos valores, datas e fornecedores, dentre outras.

Vendas

Um sistema de controle de vendas permite cadastrar uma nova venda realizada em sua plataforma de e-commerce e preencher o produto vendido com seu respectivo valor, cliente que efetuou a compra e forma de pagamento, dentre outras informações.

Contatos

No módulo contatos de um sistema ERP, você pode registrar toda a rede de clientes, fornecedores e transportadores de sua loja virtual. Por meio deste menu você poderá controlar todos os pedidos de compra solicitados aos fornecedores, as compras efetuadas por cada cliente de uma forma isolada e possíveis pendências de contas a serem pagas por esses clientes.

Produtos

Neste módulo você poderá controlar todos os produtos disponíveis no estoque de sua loja virtual. A vantagem de um sistema ERP neste sentido, é que você não precisa dar baixa em um determinado produto manualmente a partir da realização de uma nova venda. Basta registrar essa venda no sistema que a nova quantidade de estoque será obtida de uma forma totalmente automatizada.

Relatórios

Os relatórios gerados por um sistema ERP, possibilitam a visualização de uma série de indicadores para que você possa analisar os mais variados aspectos de sua loja virtual, como produtos mais vendidos e os mais lucrativos, além de manter um controle rigoroso de seu fluxo de caixa e futuras contas a pagar e a receber.

Por que utilizar um sistema ERP em seu e-commerce?

Integrar um sistema ERP para seu e-commerce, é essencial para administrar o seu negócio de uma forma organizada e eficiente. Um sistema ERP possibilita a gestão de uma série de processos gerenciais de sua loja virtual, como controle de estoque, controle financeiro, acompanhamento de fluxo de caixa e registro de compras e vendas, dentre outros, tudo de uma forma unificada em uma mesma ferramenta, sem a necessidade de gerenciar diversas planilhas.

Esse tipo de sistema também facilita a identificação de possíveis erros no controle de estoque de sua loja virtual, que podem vir a ocorrer devido ao controle manual e falta de conferência dos dados.

A centralização de todos os processos gerenciais e a maior eficiência ajudam com que você reduza os custos e evite desperdícios de recursos em sua loja virtual, que eventualmente poderiam ocorrer com a compra de determinados produtos que já se encontram em excesso no estoque. O controle de estoque em um sistema ERP é totalmente automatizado, já que a ferramenta atualiza a nova quantidade de cada produto a cada novo registro de compra ou venda.

Por mais que você ainda utiliza planilhas, essas ferramentas não darão conta de um possível crescimento de seu e-commerce e aumento do volume de vendas. Confira 4 vantagens de integrar um sistema ERP ao seu e-commerce:

Emissão de notas fiscais eletrônicas

Além de facilitar a gestão de todo o processo gerencial de seu e-commerce, um bom sistema ERP também possibilita a emissão de notas fiscais eletrônicas para os seus clientes, de uma forma totalmente automatizada. No caso de sua loja virtual, você precisa emitir notas fiscais de uma forma bastante recorrente. Portanto, um sistema ERP propicia uma grande economia de tempo neste processo.

Geração de boletos bancários

Muitas lojas virtuais não oferecem a seus clientes a opção de pagamento por boleto bancário. Sendo assim, contar um sistema emissor de boleto bancário pode ser extremamente importante, para que você possa oferecer essa forma de pagamento e assim criar uma vantagem competitiva para o seu e-commerce em relação a concorrência.

Há de se destacar também que a emissão de boletos bancários por meio de um sistema ERP também ocorre de uma forma simplificada, já que o envio de remessa para o banco pode ser feito diretamente por essa ferramenta, servindo como uma espécie de intermediador entre o seu e-commerce e a instituição bancária.

Relatórios gerenciais

A partir do registro de compras, vendas, receitas e despesas de seu e-commerce em um sistema ERP, essa ferramenta é capaz de gerar uma série de relatórios gerenciais que podem servir para a avaliação dos mais variados indicadores de desempenho de sua loja virtual, tais como fluxo de caixa e fluxo projetado, ABC de vendas por produtos e clientes, extrato financeiro, conciliação bancária e muitos outros.

Portanto, um sistema ERP elimina completamente os achismos no controle de sua loja virtual. É uma ferramenta que oferece dados absolutamente precisos para a sua tomada de decisão, para que você possa fazer uma administração mais segura e eficiente.

Operação online

No caso de se optar por um sistema ERP na nuvem em detrimento de um sistema local, é possível gerenciar a ferramenta em qualquer celular, tablet ou smartphone, sem a necessidade de instalação do sistema em um servidor específico e assim possuir uma grande mobilidade no processo de gestão. Cadastrar um novo produto para o estoque de sua loja virtual, controlar as contas a pagar e a receber, cadastrar uma venda, dentre outras tarefas… Tudo isso pode ser feito em qualquer local a partir de um sistema ERP na nuvem, possibilitando a o gerenciamento de seu e-commerce na palma de sua mão.

Viu como integrar um sistema ERP ao seu e-commerce pode trazer inúmeros benefícios? Esperamos que tenha gostado das nossas dicas!

A Copa do Mundo FIFA, que ocorre em junho, na Rússia, deve aquecer diversos mercados. As camisetas das seleções, bem como os aparatos decorativos devem ser amplamente comercializados nos quatro cantos do país. O segmento alimentício também vê a movimentação do evento com bons olhos: na última Copa, o setor faturou 25% mais do que o habitual, conforme dados da LCA consultoria.

Esses não foram os únicos setores beneficiados pelo espetáculo: o mercado televisivo teve alta de mais de 100%, ainda segundo a LCA. Esse número, que já chama atenção, pode ser ainda maior neste ano, já que a Copa não irá ocorrer em território nacional, como em sua última edição. Assim, mais pessoas podem se interessar pela aquisição de planos exclusivos ou de canais Pay Per View para acompanhar os jogos. É aí que entram os assistentes virtuais ou chatbots.

Isso mesmo, esta alta na demanda pode ser facilmente atendida com o uso de soluções com inteligência artificial para o atendimento ao cliente. O atendimento automatizado, por exemplo, além de mais rápido, gera uma nova experiência para os usuários que tem sua necessidade atendida rapidamente e um outro nível de experiência.

Para se ter noção da eficácia dos chatbots, a Sony conseguiu atender um aumento de 1200% na demanda de informações sobre seus produtos em uma das edições da Black Friday com a ajuda de soluções de assistente virtual que utiliza machine learning para atender os usuários.

Criada para simular um ser humano na comunicação com outras pessoas, a tecnologia dos chatbots pode impulsionar ainda mais a contratação de pacotes adicionais e/ou de planos de TV por assinatura no período por meio do atendimento automático e da redução de custos das empresas.

Como em todos os setores, o aumento da demanda significa, também, uma elevação dos custos de produção, manutenção e comercialização dos serviços. No caso das operadoras televisivas, a alta se dá na parte da infraestrutura física e digital para suportar os novos atendentes que realizam a venda de pacotes fechados e dos planos adicionais ou canais Pay Per View.

Assim, por meio da tecnologia e dos chatbots, todos os lados ganham: o consumidor consegue contratar, alterar ou ter suporte para suas necessidades de maneira mais rápida e assertiva e a operadora, por sua vez, atende mais pessoas sem precisar que o investimento cresça na mesma proporção.

Essa é a inovação dessa tecnologia, que por meio de aplicações de Inteligência Artificial, tende a se aprofundar para solucionar problemas específicos e gerais em menos tempo e com maior assertividade. Assim, todos os aficionados por futebol poderão, com certeza, acompanhar aos jogos de todas as seleções que desejarem com a praticidade na contratação do serviço.

Para se ter uma boa performance comercial é essencial buscar o aprimoramento constante das estratégias de relacionamento com o consumidor. Enquanto novas formas de ofertar um produto, serviço ou solução são atraentes e passam uma imagem moderna, as obsoletas soam como scripts prontos e espantam os clientes ao invés de atraí-los.

Um atendimento ao cliente com excelência em um call center precisa ser um dos nortes da companhia, que deve fornecer ferramentas e soluções para que seus colaboradores sejam capazes de desenvolver uma boa linha argumentativa durante a conversa para aumentar as chances de conversão.

Separei três soluções e estratégias para inovar o seu modelo de call center e conquistar os consumidores!

Omnichannel

O termo, que diz respeito à uma abordagem multicanal, já é uma tendência forte que deve ganhar ainda mais popularidade ao longo dos tempos, contribuindo para uma central de atendimento capaz de oferecer uma experiência de alta qualidade aos seus clientes por meio da interligação de todos os seus pontos de contato.

Para isso, o call center precisa apostar em mais de uma maneira de interação, e atuar em um modelo que possibilite ao público escolher como entrará em contato com a empresa, podendo iniciar um atendimento via telefone e finalizá-lo por meio de uma conversa, via chat ou aplicativos de troca de mensagens, por exemplo.

Big Data

A necessidade do uso de inteligência de mercado e dados para a análise e tomada de decisões existe desde que o mundo é mundo. Hoje, com o avanço da tecnologia, esse tipo de solução consegue se aprofundar ainda mais e fazer uma grande diferença em toda a operação.

Um bom banco de dados, desde que constantemente atualizado e segmentado, permite que os atendentes conheçam a pessoa com a qual estão negociando de forma rápida e fácil. Assim, é possível desenvolver estratégias individuais de comunicação para conseguir se aproximar dos clientes, além de entender melhor o momento em que ele se encontra e que tipo de demanda tem, direcionando o melhor produto ou solução para a situação específica.

Callback

Entrar em contato com um call center e ter que aguardar para ser atendido é algo com o potencial de transformar 30 segundos em 5 minutos. Com o dinamismo de informações as pessoas não possuem mais a disponibilidade para esperar na linha, e ocall back tem como objetivo acabar com isso.

Nele, quando o cliente entra em contato e não tem nenhum profissional disponível na linha, o número fica registrado e um colaborador retorna a chamada assim que possível. Com isso, o indivíduo pode continuar com suas atividades enquanto aguarda o retorno da chamada, otimizando o seu tempo e deixando-o mais satisfeito.

Reverter NPS baixo ou conservá-lo entre 9 e 10 é o objetivo de muitos negócios que investem na satisfação de clientes, pois, perante um mercado cada vez mais concorrido, ter consumidores satisfeitos e engajados é fundamental para se manter no topo.

Uma boa maneira de obter isso é analisando os perfis de comportamento do público-alvo, para poder atendê-lo da melhor forma possível.

No post de hoje vamos explicar, resumidamente, o que é e como sua empresa pode reverter o NPS baixo. Confira!

Como funciona a pesquisa NPS

Como o foco deste artigo é explorar práticas para reverter o NPS baixo, vamos apresentar brevemente como funciona o NPS para que todos estejam na mesma página.

O Net Promoter Score (NPS) é um recurso que mede a satisfação dos clientes com base nas chances dele recomendar seus produtos/serviços para familiares, amigos e colegas. Essa métrica foi divulgada em 2003, por Fred Reichheld, consultor renomado mundialmente.

Resumidamente, essa metodologia, utiliza um questão simples e objetiva, que se mostrou eficiente no propósito de medir essa informação:

“Em uma categoria de 0 a 10, o quanto você indicaria nossa empresa para um amigo?”

Apesar de simples, essa é uma boa maneira de avaliar toda a experiência do cliente, desde o primeiro contato, o momento da decisão pela mercadoria ou serviço, até o atendimento de pós-venda.

Classificação das respostas

Durante o processo de avaliação, os clientes são separados em três grupos:

  1. Notas de 0 a 6 – Detratores: são os clientes que ficaram bastante insatisfeitos com a compra do seu produto ou serviço. Eles provavelmente vão desmerecer sua marca em público e só voltariam a fechar negócio com sua empresa em casos extremos.
  2. Notas de 7 e 8 – Neutros: é o público que adquire os seus produtos/serviços somente por necessidade. Não são apreciadores e nem têm uma relação de fidelidade com a empresa.
  3. Notas de 9 a 10 – Promotores: são aqueles que notam que sua vida melhorou depois que compraram seus produtos ou serviços. São fiéis à sua marca, fornecem bons feedbacks e são verdadeiros representantes da empresa.

A fórmula para saber o NPS da sua empresa

Para chegar a classificação do NPS da sua empresa é preciso utilizar a sua fórmula. Só assim, ele poderá ser usado como indicador de desempenho — avaliando se o seu empreendimento aprimorou (ou não) seu convívio com os clientes durante um determinado período. A fórmula do NPS é a seguinte:

NPS = % de clientes promotores – % de clientes detratores

Com o resultado, é possível encaixar sua marca em quatro zonas:

  1. Zona de excelência: entre 75 e 100 pontos.
  2. Zona de qualidade: entre 50 e 74 pontos.
  3. Zona de melhoria: entre 0 e 49 pontos.
  4. Zona crítica: entre -100 e -1 pontos.

Vale mencionar que o resultado ideal pode variar conforme o segmento de cada negócio. Em razão disso, alguns gestores costumam relacionar sua pontuação com a concorrência — estratégia de benchmarking.

Como reverter o NPS baixo

Para reverter o NPS baixo é necessário investir de forma estruturada na qualidade do atendimento ao cliente. Para isso, siga nossas recomendações abaixo:

Pesquise e entenda o seu público

Esse é o “básico do básico”, mas sempre vale a pena ressaltar. Para satisfazer seus consumidores, é obrigatório conhecê-los. Existem diversas iniciativas para se ter uma visão clara de quem é o seu consumidor.

Dados demográficos e sociais, como sua localização, faixa etária, gênero, nível de escolaridade, etc, são importantes e provavelmente estas informações estão disponíveis para análise no CRM da sua empresa.

Porém, para ir mais a fundo, é preciso entender muito bem o comportamento e hábitos deste consumidor. É aí que a coisa pega! Para isso, é preciso pesquisas, entrevistas e coleta sistematizada de informações junto aos clientes.

Duas dicas valiosas para quem já trabalha na central de relacionamento com cliente (o famoso SAC ou call center da empresa) são:

  • Fazer pesquisas com o operadores, que lidam diariamente com dezenas de clientes todos os dias seja por telefone, chat e-mail ou outro canal de atendimento que sua empresa ofereça. Eles certamente insights para oferecer. O que os clientes gostam, o que eles não gostam, quais são as situações mais críticas etc.
  • Analisar de fato as interações com os clientes, seja através da gravação das ligações ou dos históricos de texto. Vou pode pensar: “como eu vou analisar milhares de interações que minha empresa faz diariamente com os clientes? Você está maluco!!”. A solução mais indicada para uma análise precisa e valiosa é através da contratação de uma solução de speech analytics. O caminho mais simples, porém mais “míope” é ouvir de fato um grupo de ligações – especialmente as que receberam as avaliações mais baixas e mais altas.

Uma marca que conhece seu público é capaz de entender suas dores e abraçar suas causas. Empatia e personalização são princípios que aumentam a satisfação do cliente.

Divulgue os resultados para as outras áreas da empresa

Outra ação importante para reverter um NPS baixo e divulgar os resultados para outras áreas da empresa. A central de relacionamento é um importante fator para a satisfação do cliente, mas ela não é a única! É preciso uma força tarefa entre vários departamentos para mudar este cenário.

Entre as principais áreas que precisam ser envolvidas, considere sempre a sua equipe de vendas e de lojas físicas (se for o caso do seu negócio), os responsáveis pelo produto e distribuição ou prestadores do serviço (a depender do que sua empresa faz) e a equipe de marketing, que normalmente é a responsável pela comunicação institucional e pelas peças de comunicação ao público.

Todos precisam estar informados e engajados para criação de planos de ação efetivos para que, no final, sua empresa melhore o seu NPS.

Invista em treinamentos e engajamento da equipe de atendimento

Voltando o olhar para dentro da operação, é muito importante que a equipe de atendimento esteja bem treinada e engajada com a empresa.

É preciso sempre investir em treinamentos técnicos, que capacitem os operadores com informações detalhadas sobre os produtos/serviços, processos internos e campanhas promocionais, e também em treinamentos comportamentais para exercitar situações de alto nível de stress, empatia, problemas, entre outras – quando possível, utilizando casos reais.

O engajamento da equipe com a empresa também é fundamental neste processo. É preciso que as pessoas, especialmente o time do primeiro atendimento, conheça bem os valores da empresa para dar a impressão esperada no contato com o cliente. Campanhas motivacionais são um ótimo recurso para lhe auxiliar neste objetivo.

Descubra onde estão os erros e acertos da sua operação

Parte fundamental do trabalho para melhorar um NPS baixo é identificar os principais pontos de reclamações e elogios dos clientes.

Dentro do SAC, é possível identificar os problemas cruzando as avaliações dos clientes com os principais motivos de contato nos relatórios de atendimento. Outra forma de buscar as principais reclamações é através ouvidoria.

Com os principais motivos de contato mapeados é possível descobrir os pontos que estão gerando insatisfação nos clientes. Por exemplo, um grande número de clientes faz contato buscando informações sobre entrega. É provável que sua empresa não esteja cumprindo os prazos estabelecidos com o consumidor.

Outro problema comum pode estar relacionado a assuntos financeiros. Se muitos dos seus contatos estão relacionados a este tema, é interessante avaliar se sua empresa não está gerando cobranças equivocadas ou indevidas ao cliente final.

Para não ficar somente com os pontos negativos, olhe também as boas avaliações. Entenda quais os principais fatores que deixam o seu cliente satisfeito e reforce estes pontos nos treinamentos.

Estimule a atuação dos promotores

Os promotores podem ser muito bem aproveitados em um planejamento para reverter um NPS baixo. Ao identificar os clientes que estão de fato satisfeitos com a sua marca (e onde você está acertando – ponto mencionado acima), é possível realizar campanhas segmentadas para eles.

Estimule que este grupo faça menções a sua empresa nas redes sociais, deixando comentários positivos em sua Fan Page, tirando fotos ou fazendo vídeos com os seus produtos ou alguma outra iniciativa. Aqui é preciso um pouco de criatividade, mas os resultados podem ser bem positivos.

Outra ideia é fazer algum tipo de campanha promocional para este público com base em indicações. Algo do tipo, indique um amigo e ganhe um desconto na próxima compra ou na próxima fatura.

Esperamos que as recomendações mencionadas ao longo deste post possam lhe ajudar a rever o NPS baixo da sua empresa. Somente dessa maneira você conseguirá melhorar o relacionamento da sua empresa com seus clientes e, por fim, fidelizá-los.

Aproveite esta oportunidade e assine nossa newsletter para ser notificado assim que publicarmos novos conteúdos!

Texto publicado anteriormente no Blog da DDS.

Certamente, fazer uma boa gestão do capital humano é um dos grandes desafios dos líderes de call e contact centers de todo o mercado. Afinal, os colaboradores são a força motriz que permite que todo o processo organizacional aconteça. E é exatamente por isso que as campanhas motivacionais são recursos bem interessantes para as empresas.

Apostar em estratégias de motivação é uma boa maneira de garantir resultados satisfatórios na operação, contribuindo significativamente para a melhora de vários aspectos organizacionais.

Quer saber mais como as campanhas motivacionais podem ajudar a alavancar o sucesso da sua organização? Então, acompanhe este post!

Por que devemos nos preocupar com a motivação da equipe de atendimento?

Sabemos que as pessoas são um dos recursos mais importantes de uma instituição, e sua organização requer, portanto, grande atenção por parte dos gestores. Em um call center, essa situação exige ainda mais dos líderes, já que seus colaboradores realizam um trabalho que muitas vezes é altamente desgastante.

Nem sempre treinamentos e capacitações mais técnicas serão suficientes para garantir que os atendentes de uma central de atendimento tenham resultados positivos. Às vezes, falta, nos funcionários, algo que os incentive e dê força para que consigam desempenhar o seu trabalho da melhor maneira possível, ou seja, falta-lhes motivação.

A motivação é essencial para que os colaboradores trabalhem com vontade e para que realmente tenham interesse em contribuir e permanecer na empresa. Além disso, motivar pessoas contribui para que a produtividade da organização seja elevada, uma vez que os funcionários estarão muito mais engajados para cumprir suas metas.

Entretanto, o processo motivacional vai além dos ganhos quantitativos: essa estratégia permite e cria, nos operadores, um sentimento de integração à empresa, eles passam a se sentir parte da instituição e diretamente ligados ao que ela resulta. Portanto, a motivação também ajuda no desenvolvimento organizacional como um todo.

Quais os principais objetivos das campanhas motivacionais no call center?

As campanhas motivacionais servem como uma forma de incentivo à equipe de trabalho. Elas, geralmente, oferecem sistemas de premiações e recompensas para operadores ou equipes que tiveram maior destaque em determinado período de tempo.

Além disso, utilizar esse tipo de estratégia oferece alguns outros benefícios, como: melhora nos níveis de absenteísmo, redução de turnover, maior produtividade com o alcance de metas, maior qualidade no atendimento ao cliente, entre outros.

As campanhas motivacionais podem ter objetivos diferentes, confira os principais abaixo:

Integrar as equipes de trabalho

Uma equipe integrada é vital para permitir que o processo ocorra de forma harmoniosa e eficiente, além de ajudar no desenvolvimento da empresa. Por isso, os responsáveis pela gestão de recursos humanos podem investir em ações que visam a melhorar o clima organizacional, cooperando para fomentar o trabalho em conjunto na instituição.

Atividades coletivas, como dinâmicas e reuniões em grupo, podem ser uma forma de contribuir para essa integração. É importante também investir na boa documentação e otimização dos processos para se alcançar resultados ainda mais expressivos.

Reconhecer e valorizar o desempenho individual e/ou coletivo

É importante incentivar os funcionários a participarem efetivamente da empresa. Em vez de oferecer punição para aqueles que não estão alcançando determinados resultados esperados, pode ser interessante pensar em meios de evitar que esse tipo de situação aconteça.

Oferecer recompensas para os colaboradores mais assíduos, bem como para aqueles com melhor desempenho, é uma forma de agir dentro desse pensamento motivacional. Planos de carreira também podem ser uma ótima ideia para esse propósito.

O sistema de recompensas e premiações é uma forma de reconhecimento do profissional dentro do ambiente corporativo. As premiações devem ser oferecidas de acordo com os critérios estabelecidos pela empresa e podem ser tanto individuais quanto coletivas.

Melhorar o engajamento dos operadores com a empresa

Demonstrar interesse pelo funcionário é uma das melhores maneiras de mostrar que a empresa realmente se preocupa com ele.

Sendo assim, reforçar essa ideia em datas especiais, como aniversários — seja de idade, seja de tempo de casa —, com cartões de cumprimentos, ou, até mesmo, comemorações mensais, pode surtir efeitos positivos na relação da organização com os colaboradores.

Como fazer uma campanha motivacional?

Pelo potencial que as campanhas motivacionais têm para uma operação de atendimento ao cliente, vale a pena gastar um tempo com um planejamento bem detalhado. Dessa forma, garante-se a eficiência do que está sendo proposto.

Confira algumas dicas do que fazer para planejar e criar uma campanha motivacional:

Saiba o que motiva os operadores

Antes de lançar programas de motivação aos funcionários, é preciso, primeiro, conhecer o que realmente os motiva. Os elementos motivadores podem ser vários, como as premiações, a motivação financeira etc.

Muitas organizações não permitem premiações em dinheiro e, especialmente nestes casos, o gestor precisa entender bem o que motiva o grupo de operadores para não desperdiçar um investimento (e uma oportunidade). Converse com a equipe e faça uma pequena pesquisa. Dica: o Google tem uma ferramenta bem fácil e gratuita para isso!

Um pouco de criatividade também é interessante para uma escolha certeira.

Defina qual será o foco da campanha

Depois de saber o que interessa as pessoas da equipe, é preciso entender o que a empresa está buscando naquele momento.

Isto pode ser uma melhora operacional (como reduzir TMA, melhorar o NPS, etc) ou alcançar um objetivo específico (como número de vendas em uma data comemorativa como black friday ou impulsionar o lançamento de um produto).

Tenha um objetivo claro e um sistema de indicadores eficaz

Dois pontos bastante importantes para o planejamento da campanha motivacional são: definir com clareza os objetivos a serem alcançados pela equipe (número de vendas, valor acumulado de vendas, número de reclamações, TMA, etc) e apresentar o sistema utilizado para medir e acompanhar os indicadores em tempo real.

Ter um objetivo claro minimiza possíveis dúvidas ou desentendimentos no momento da apuração dos resultados. E deixar os indicadores visíveis (wallboards ajudam bastante neste ponto) para os participantes ajuda a mantê-los engajados durante todo o período da campanha e não só no começo ou no final, como acontece muitas vezes.

Estimule a qualificação

Aproveite o incentivo para qualificar a equipe. Isso vai deixá-los mais aptos a alcançar as metas e vai refletir em um melhor atendimento por um prazo muitas vezes maior que o da campanha.

Os treinamentos e o feedback são peças fundamentais para que eles vençam o desafio e para que a empresa atinja o resultado esperado.

Ideias para campanhas motivacionais para call center

Confira algumas ideias tradicionais de campanhas motivacionais que podem ser implantadas em um call center:

Equipe de trabalho do mês

Esse tipo de campanha tem como objetivo reconhecer a performance de uma equipe ao longo do mês. O grupo com melhor desempenho no trabalho, de acordo com os critérios que a empresa determina, ganha destaque na instituição e é reconhecido publicamente no seu ambiente de trabalho.

Uma das vantagens desse tipo de campanha é que ela fomenta o trabalho em conjunto e contribui para maior colaboração entre os funcionários. Como recompensa, a organização pode oferecer algum tipo de bonificação aos colaboradores, o que os incentivará a dar continuidade ao bom trabalho.

Reclamação Zero

Como nas centrais de relacionamento, o serviço se trata de um atendimento direto ao cliente, vale a pena que a empresa aposte em campanhas como a Reclamação Zero, cujo objetivo é oferecer um atendimento de excelência ao consumidor.

Nessa campanha, a empresa contabiliza e divulga, na frequência em que for mais conveniente para ela, a quantidade de dias em que os colaboradores estão atendendo sem registrar nenhuma reclamação dos clientes. Ao mesmo tempo, pode divulgar também as gratificações que serão oferecidas de acordo com o total de dias alcançados por eles.

Um recurso fundamental para este tipo de campanha é o uso de pesquisa de satisfação pós atendimento na URA.

Melhores vendedores

Nesse tipo de campanha, os funcionários que mais se destacam nas vendas são recompensados. A organização pode escolher quantos operadores deseja premiar. Os critérios para recompensa também precisam ser definidos, como valores, ou quantidade, e o período a ser contabilizado.

Como premiação, a empresa pode oferecer viagens, ou cartões de incentivos, por exemplo.

Esse tipo de campanha pode ser ainda melhor explorado quando aproveitamos as gravações das ligações para entender quais foram as melhores abordagens do vendedor, como contornar as principais objeções dos clientes, entre outros fatores e incluir nos treinamentos da equipe de vendas para melhorar o desempenho geral da operação.

Viu só como as campanhas motivacionais podem ser grandes aliadas como estratégias organizacionais? Os colaboradores precisam se sentir motivados para trabalharem bem e com qualidade. Como em call centers se presta atendimento direto ao cliente, é imprescindível que a atenção com os operadores seja redobrada para garantir que eles contribuam, de fato, para o sucesso da organização.

Texto publicado anteriormente no Blog da DDS.

Usar um chat online não é algo muito fora do comum, tampouco uma novidade avassaladora como foram as redes sociais na década passada. Porém, essa forma de atendimento é a que traz melhores resultados para seu negócio, seja você dono de um blog ou vendedor no ecommerce. Se ainda está cogitando instalar um chat, damos 10 pontos para ter um chat profissional no seu site ainda esse mês!

1. Quase a metade dos compradores na internet preferem a função

Uma pesquisa conduzida pela empresa americana Forrester revelou que 44% dos usuários americanos de ecommerce consideram importante ter a possibilidade de contar com alguém os guiando durante uma compra através do chat online. Ou seja, quase metade dos usuários de ecommerce consideram ter um chat online em seu site de importância primordial.

2. Aumento nas vendas e conversões

A mesma pesquisa revelou também que utilizar um chat profissional no seu site aumenta consideravelmente seu número de conversões e vendas. Um estudo de caso publicado em 2015 revelou que a empresa Rescue Spa aumentou suas conversões em 30% após fazer uma reforma completa em suas páginas, adicionando um chat online para guiar seus visitantes e clientes.

Já na área de vendas, os resultados são ainda maiores. Esse infográfico publicado pela MarTech mostrou que 51% dos consumidores são mais prováveis de comprar de uma loja virtual com chat online. Desse percentual, 29% têm mais chances de adquirir produtos em uma ecommerce que possuem o chat, mesmo que não os acione em nenhum momento.

3. Melhora na experiência do usuário

Os usuários gostam de ter alguém para conversar, pois dessa forma conseguem tirar suas dúvidas. Com um chat no site, você deixará eles mais satisfeitos e com isso passarão mais tempo no seu site. Ah e já para não falar que uma melhor experiência do usuário pode ajudar no posicionamento para as pesquisas do Google.

4. Junta comunicação em tempo real e conveniência

O atendimento por email é considerado muito lento. Já o telefônico, apesar de em tempo real, normalmente exige que fique focado apenas na ligação.

O chat online reúne os melhores aspectos de ambos os atendimentos: permite que seja atendido em tempo real e evita que fique pendurado a um telefone. Ou seja, o chat online libera o usuário para executar outras atividades enquanto resolve um problema ou tira dúvidas sobre um produto.

5. Minimiza o número de compras abandonadas no carrinho

Essa pesquisa mostra que a média da taxa de abandono de compras no carrinho de compras é de 75,6%, com variações dependendo do setor. Ou seja, apenas um quarto dos itens colocados em um carrinho de compras é efetivamente comprado.

Porém, o chat profissional para sites é uma das ferramentas que ajudam a reduzir essa taxa em sua loja virtual. Uma das razões para esse abandono é a falta de informações ou dúvidas que um visitante não consegue solucionar por conta própria.

Considerando que a média de atenção de um usuário é baixa, qualquer outra coisa – uma notificação no celular ou mensagem em rede social, por exemplo – pode desviá-lo da compra. Com o chat online e especialmente com o chat proativo, poderá falar diretamente com o cliente e guiá-lo pelo processo de compra.

6. Redução nos custos em relação à outras formas de atendimento

O chat profissional é uma das plataformas menos custosas, especialmente em relação ao atendimento telefônico. Enquanto no telefone só é possível atender uma pessoa por vez, o chat online permite que um atendente fale com mais visitantes simultaneamente.

Outra vantagem é que o próprio chat online reduz o número de chamadas telefônicas que sua empresa atende. 

7. Possibilita oferecer atendimento 24/7

Embora não seja uma tarefa fácil organizar um sistema de atendimento que funcione 24 horas por dia, o chat online é uma das mais fáceis e menos custosas. Considerando que os planos de chat não possuem custos adicionais pelo horário de utilização das plataformas. Dessa maneira, não há acréscimo no custo da plataforma, ficando apenas com o custo de pessoal e horas extras.

8. Permite coletar dados para sua base de contatos

Através de ferramentas como formulários que podem ser oferecidos antes ou depois das conversas, pode coletar mais informações sobre visitantes e clientes. Dessa maneira, pode aumentar sua base de contatos indiretamente, bastando apenas que sua equipe de atendimento capte as informações de clientes que chegam ao seu site.

9. Aumenta a satisfação do consumidor

Além de melhorar seu número de vendas e conversões, um chat profissional também aumenta a satisfação do consumidor no geral. Um artigo publicado pelo site econsultancy.com revelou que a taxa de satisfação do chat online é a maior comparada com o email ou o telefone. Enquanto o atendimento online por chat tem 73% de satisfação dos consumidores, o email chegou a 61% e telefone aos 44%.

Ou seja, não tenha medo de instalar um chat profissional em seu site, principalmente se o seu ramo de negócios ainda não tenha o costume de usá-lo para atender seus clientes. Ter um chat online pode ser o diferencial que o colocará no topo de seu mercado.

Em tempos de redes sociais e aplicativos móveis, o atendimento via e-mail parece ficar para trás na preferência dos consumidores. Apenas parece — na verdade, a demanda de atendimentos por e-mail continua bastante alta nas centrais de relacionamento.

É um canal que oferece praticidade e credibilidade para os consumidores, e quem dá menos atenção a essa ferramenta pode estar cometendo um erro fatal.

Afinal, seguindo a tendência omnichannel, todos os canais de relacionamento devem ser gerenciados de forma integrada e consistente, com foco total na experiência do cliente.

Continue lendo o nosso artigo e entenda a importância do e-mail para conquistar a satisfação dos seus clientes.

Por que as pessoas ainda preferem o atendimento via e-mail

O e-mail continua sendo um canal importante na interação entre empresas e clientes por vários motivos:

  1. É discreto: ligar para um call center (ou mesmo utilizar as redes sociais) pode não ser a melhor opção durante o horário de trabalho, por exemplo;
  2. É um canal 24×7: podemos enviar um e-mail a qualquer hora e ler as respostas quando for mais conveniente (ainda são raras as opções de atendimento disponíveis 24×7);
  3. É confiável: ao contrário do telefone, o atendimento via e-mail fica documentado e sempre à disposição do cliente, proporcionando uma sensação de segurança.

Considerando o último item, é preciso ainda mais atenção. Os danos de um atendimento mal gerenciado via e-mail podem ser ainda piores — o cliente possui uma cópia escrita do contato, podendo divulgar rapidamente a sua experiência ruim pelas mídias sociais ou até mesmo em um processo judicial.

Apesar de ser uma ferramenta usada há muito tempo, muitas vezes o gerenciamento adequado de e-mails foi negligenciado na infraestrutura de contact center, privilegiando os contatos por telefone. Mas isso mudou radicalmente a partir do cenário atual de transformações digitais.

Como oferecer o melhor atendimento via e-mail?

Antes de tudo, utilize um gerenciador de e-mails

Se muitas vezes já é difícil administrar um e-mail pessoal, e acabamos com mensagens acumuladas na caixa de entrada, seria impossível organizar e responder a todas as solicitações de uma empresa contando apenas com o controle e memória de seus agentes.

Para garantir que todas as mensagens sejam lidas, encaminhadas ao setor responsável e atendidas com qualidade, é fundamental contar com um gerenciador de e-mails.

É uma ferramenta que agiliza o fluxo de atendimento e permite o controle total das informações, identificando assuntos e até mesmo o humor do consumidor, priorizando as solicitações mais urgentes.

Sabemos que muitas operações ainda possuem uma conta de e-mail simples que é acessada por vários agentes simultaneamente e isso normalmente resulta em falta de controle gerencial (SLA, produtividade etc), retrabalho, confusão entre os agentes por não saber quem está respondendo qual e-mail e, o que é pior, e-mails não respondidos.

Mas como usar o gerenciador de e-mail de forma eficiente? Veja 6 dicas importantes para o seu atendimento:

Confirme o recebimento o mais rápido possível

Enviar um e-mail de confirmação o quanto antes é o primeiro passo para formalizar o atendimento e deixar o consumidor mais tranquilo.

Informe que a sua solicitação será atendida o mais breve possível, com um prazo bem definido para resposta — que deverá ser cumprido.

Com isso, ele sabe que o processo foi iniciado e já possui o contato da pessoa que será responsável pelo andamento do assunto.

É interessante também que a mensagem tenha um código de identificação — como os protocolos das centrais telefônicas — para facilitar contatos posteriores, por e-mail ou por qualquer outro canal.

Disponibilize todo o histórico de atendimento aos agentes

Pensando justamente na possibilidade de novos contatos, é essencial que os agentes de atendimento tenham acesso a todo o histórico do cliente.

Isso evita informações divergentes e a desgastante repetição de dados a cada contato. De acordo com a Accenture, em sua pesquisa Global Customer Pulse, 89% dos consumidores ficam frustrados ao repetir sua solicitação várias vezes para diferentes representantes.

A experiência do cliente deve ser a mais fácil possível, atendendo ou até mesmo antecipando suas necessidades, garantindo uma jornada de atendimento integrada.

Responda primeiro às mensagens mais urgentes

Priorize os clientes mais nervosos e insatisfeitos ou as demandas mais graves, que necessitam de uma solução imediata.

Se estiverem faltando informações para responder, encaminhe rapidamente para a área responsável e acompanhe de perto a evolução do atendimento.

Com uma ferramenta de gerenciamento, é possível utilizar alertas e administrar os e-mails a partir de uma escala de prioridade, inclusive com prazos diferenciados de acordo com o tipo de demanda.

Crie uma base de conhecimento consistente e utilize templates

Aproveite as vantagens da comunicação escrita e não deixe de mapear as solicitações que chegam por e-mail.

Na rotina das centrais de atendimento, é muito comum que as mesmas solicitações e dúvidas apareçam de forma repetitiva. Assim como os contatos telefônicos, os e-mails também devem ser analisados e categorizados constantemente.

Procure pelas demandas que mais aparecem e crie respostas padronizadas para otimizar o atendimento. Documente as principais solicitações e suas respectivas respostas, organizando uma base de conhecimento disponível a todos os atendentes.

Importante: O uso de templates não significa que seu atendimento deve ser frio e impessoal. Os templates devem otimizar o tempo dos agentes, mas o contato e o relacionamento com o cliente precisa ser personalizado.

Importante (2): não se esqueça de atualizar as respostas regularmente, revisando informações e verificando inconsistências. É importante também que essa base de conhecimento não se amplie demais, com respostas replicadas que dificultem as buscas.

Ofereça opções de autoatendimento

Se você já organizou uma base de conhecimento, por que não disponibilizá-la também diretamente aos seus clientes? As opções de autoatendimento vão ao encontro do consumidor digital, que deseja soluções cada vez mais rápidas e efetivas.

Aposte em assistentes virtuais, guias de uso e FAQs (perguntas frequentes) em seu site e direcione o contato dos consumidores apenas para as situações críticas.

Eventualmente, eles também poderão fazer contato, caso não encontrem respostas para as suas necessidades. Então, mais uma vez: mantenha sempre informações atualizadas.

Monitore o nível de serviço

Os dados e estatísticas gerados a partir dos atendimentos estão entre as principais vantagens de uma solução de gerenciamento de e-mails.

Qualquer ferramenta deve fornecer as principais informações para monitorar a performance da equipe de atendimento: volume de e-mails recebidos e enviados, média mínima e máxima de tempo de resposta, desempenho e produtividade de cada agente, rastreabilidade de mensagens, nível de serviço (SLA), entre outras.

Use esses dados como uma espécie de feedback. Analise o tipo de comunicação realizada com os consumidores e quais pontos precisam de ajustes, desenvolvendo uma experiência ainda melhor para seus clientes.

Com alguns cuidados simples e um sistema eficiente, é possível aumentar a produtividade do seu time, e até mesmo reduzir gastos — lembrando que o e-mail é uma das ferramentas com menor custo para as empresas, principalmente comparado ao telefone.

Seguindo esses passos, a sua empresa vai garantir resultados positivos e um atendimento via e-mail de excelência.

Publicado anteriormente no blog da DDS.

Atender bem é fundamental para que os clientes fiquem satisfeitos e voltem a comprar de você, além de aumentar as chances deles recomendarem sua marca para outras pessoas. A interação através das mídias sociais é essencial para obter sucesso nisso, pois ela pode reforçar a relação com o consumidor, tonando-o cada vez mais próximo do sua marca.

Mas como fazer um bom atendimento nas redes sociais, atendendo tanto as expectativas do público quanto os objetivos da sua empresa? Conheça, neste post, 7 regras básicas para que essa experiência seja a mais memorável possível para o seu público. Boa leitura!

Dica 0: Defina os canais (e domine suas funcionalidades)

Antes de entrar nas dicas de como oferecer um bom atendimento nas redes sociais, é importante sempre ressaltar que a sua empresa não precisar estar em todas elas (e isso nem é possível, por sinal). Lembrando também que quanto mais perfis, mais complexa a operação.

Entenda qual o perfil do seu cliente e saiba e em quais redes sociais ele está presente. Depois que escolher, faça um treinamento com a equipe, pesquise na internet por vídeos tutoriais e artigos. É importante conhecer os recursos que estão disponíveis em cada rede para oferecer um bom atendimento.

Pronto, agora sim:

1- Fale a mesma língua dos consumidores

As mídias sociais permitem que você consiga utilizar uma linguagem menos formal, inclusive com a possibilidade de usar imagens, emojis, frases curtas e vídeos.

Apesar disso, o uso desses recursos devem ser moderados respeitando sempre o discurso da persona. Se seus clientes usam uma linguagem mais informal e descontraída, aproveite!

Tome cuidado também com jargões e termos técnicos utilizados no seu setor. Alguns nomes e expressões podem ser conhecidos dentro da sua indústria, mas podem gerar confusão para o consumidor.

Dica: nunca se esqueça que a cordialidade e a empatia cabem muito bem em qualquer situação. Não economize em expressões como por favor, obrigado, desculpe, bom dia, boa tarde etc!

2- Defina um SLA de atendimento (e que seja rápido)

Sua empresa provavelmente já possui um SLA de atendimento definido e mensurado regularmente para os canais  tradicionais de relacionamento, como o telefone, o chat e o e-mail.

Quando a empresa passa a atender através de novos canais, a regra é a mesma!

Lembrando sempre que o atendimento nas redes sociais exige agilidade. Portanto, nada de 24 ou 48 horas para responder um post, ok? Isso vale também para sites de reclamações, como o Reclame Aqui.

Uma forma de garantir um atendimento rápido e de qualidade é utilizando soluções de autoatendimento, como os chatbots. O software pode ficar responsável por esclarecer dúvidas mais frequentes e enquanto a equipe trabalha nas soluções de incidentes e solicitações mais complexas.

3- Tenha uma equipe responsável pelo atendimento nas redes sociais

Para evitar que alguém não seja atendido por falta de uma definição clara de quem deve responder as interações nas mídias sociais, é preciso designar uma equipe responsável por atualizar e responder nas plataformas sociais. Ao adotar tal prática, os responsáveis terão essa atividade como prioridade, o que permite que todos os clientes tenham uma boa experiência e recebam a devida atenção.

Utilize o SLA de atendimento definido e o volume de interações recebidas para mensurar o tamanho da equipe necessária.

4- Prepare-se para contornar as crises

Casos de clientes insatisfeitos que decidem expor algumas marcas nas mídias sociais são muito comuns. O ideal nesses casos é prever possíveis adversidades com um eficiente plano de gestão de crises. Assim, caso uma reclamação ganhe (ou tenha potencial) para uma grande repercussão, você saberá como reagir.

A melhor forma de se preparar para este tipo de situação é tendo acesso à liderança da empresa e autonomia para tomada de ações rápidas. A maioria destes casos vai exigir soluções mais criativas e que saem dos processos tradicionais e, por isso, não podem estar presas a burocracias.

5- Nunca delete reclamações e problemas

Um erro bastante comum no atendimento em redes sociais é apagar os comentários ruins. Apesar de ser incômodo para a marca, é importante ter esse tipo de opinião na sua página para demonstrar aos visitantes (que não deixam de ser futuros clientes) que, mesmo em situações desse tipo, sua empresa é transparente e está disposta a encarar possíveis problemas e fazer o possível para satisfazer o cliente.

O recomendado nesses casos é pedir desculpas e convidar a pessoa insatisfeita a ter uma conversa no privado, para que o caso seja resolvido. Depois de ambas as partes entrarem em um acordo, é interessante voltar nesse mesmo comentário e publicar a solução, marcando o autor. Esse registro demonstrará que sua empresa age com transparência.

Por mais estranho que pareça, os autores de comentários negativos têm grandes chances de se tornar defensores da empresa, pois ficam satisfeitos com a rapidez e esforço da empresa na resolução do problema.

O que fazer com comentários ofensivos?

Evidentemente que não deletar críticas significa que sua empresa deve permitir comentários ofensivos ou inapropriados. A solução para isso é ter uma política na sua rede social, explicando que conteúdos deste tipo são passíveis de exclusão ou bloqueio. Com isso, caso algum consumidor deixe um comentário agressivo, peça que ele edite o conteúdo para que seu comentário não seja excluído.

Se o objetivo da pessoa for só distribuir ofensas gratuitas na internet, o melhor a fazer é excluir mesmo.

6- Integre os diferentes canais de atendimento

Outro ponto importante para um bom atendimento nas redes sociais é garantir que a equipe responsável tenha visibilidade sobre os últimos contatos que o consumidor tenha feito com a marca por outros canais, como telefone, chat etc.

Isso vai garantir uma abordagem muito mais contextualizada e positiva para o cliente (uma vez que não precisará repetir todo o histórico). Basicamente o software que faz a gestão dos contatos dos clientes deve seguir um conceito de atendimento omnichannel.

7- Determine quais assuntos serão tratados publicamente e quais serão de forma privada

Esta é uma dúvida de muitas empresas.

Como regra básica, podemos considerar que dúvidas gerais, que se aplicam a outros consumidores, devem ser tratadas de forma pública, uma vez que podem ajudar outras pessoas em situações parecidas.

Então se a pessoa faz uma pergunta mais genérica como, por exemplo, instruções para participar de uma campanha X, onde encontrar uma loja física na cidade Y, horários de atendimento entre outros, simplesmente responda o comentário publicamente.

Para situações excepcionais (normalmente os “pepinos”) é recomendado a abordagem de forma privada. O mesmo vale também quando se necessidade coletar dados considerados sensíveis dos clientes.

Nestes casos, responda o comentário público informando que o consumidor receberá uma mensagem particular para tratar o assunto. É interessante, depois do caso resolvido, notificar publicamente no post o fim do caso para que outros clientes percebam que o assunto teve uma tratativa.

Se as regras que foram expostas acima forem seguidas e colocadas em prática no seu negócio, você certamente conseguirá fazer um bom atendimento nas redes sociais. Portanto, comece já para que você possa sair à frente da concorrência.

Publicado anteriormente no Blog da DDS.

Você já sabe que sites que possuem chats online possuem taxas de conversão muito maiores e que é visível o crescimento do uso de smartphones em e-commerces.

Agora fica a dúvida: as pessoas que estão usando a versão mobile do meu site estão interessadas em usar um chat online? E como eu poderia usar um chat desses em um aplicativo?

A importância de um chat online

Podemos listar dezenas de motivos para você ter um chat online. Mas todos eles se baseiam no mesmo princípio: comunicação.

Ter uma comunicação efetiva com seu prospect é fundamental. Sempre foi.

Porém, dez anos atrás, essa comunicação era praticamente unilateral. Na televisão, no rádio, no jornal ou até mesmo em sites, o lojista falava e o consumidor ouvia.

Isso mudou.

Agora o consumidor tem mais dúvidas, está mais preparado antes da compra e, se ele tiver uma questão que seu site não respondeu, ele muda rapidamente de loja para finalizar a compra.

Não há fidelidade. Não há remorso.

Quem oferecer o melhor atendimento e/ou as melhores condições de compra ganha o cliente. O atendimento deve ser mais ágil com ligações, chat online, e-mails, tickets de serviço e várias outras formas.

No passado, pouco do lado do usuário podia ser feito além de entrar na página de contato, enviar um e-mail e esperar, esperar e esperar.

Velocidade da Comunicação

Como tudo em nossa vida, a tomada de decisão também está sendo feita de forma muito mais rápida. Com o grande salto da velocidade da Internet, fazer uma pesquisa de preço tornou-se instantânea.

Pode-se comparar facilmente 10 sites que vendem o mesmo produto. Faz-se isso até mesmo dentro de lojas físicas, com o celular na mão comparando prazo de entrega, preço, custo do frete e assim por diante.

Um visitante que acessa seu site se tornou um momento muito mais etéreo.

Qualquer motivo é motivo para que ele saia do seu e-commerce e acesse o e-commerce do concorrente.

Falando em concorrência, ela está muito mais numerosa e qualificada. Anos atrás bastava possuir um site para fazer vendas, coisa que mudou drasticamente e que muda muito mais rápido a cada dia que passa.

Então como segurar um visitante em meu site?

Podemos separar três motivos das pessoas saírem do site:

  • Se sentirem perdidas;
    Alguns produtos e serviços precisam passar muitas informações para os usuários para que eles possam decidir a compra. Porém, isso para usuários que estão no começo do funil pode ser assustador. A compra de um carro, por exemplo, pode ser considerada uma compra de alto valor agregado. Mas ela provavelmente começa com uma comparação leve de especificações, qual tipo de carro é melhor para qual tipo de público e assim por diante.
  • Não encontrarem o que procuram;
    Mesmo com vontade de procurar, um usuário pode usar a busca interna do seu site e ainda sim não encontrar o que deseja. Ele pode usar o termo técnico errado, digitar de forma diferente do comum ou até mesmo não saber bem o que precisa.
  • Não terem poder de decisão no momento.
    Uma compra de uma cama de casal é provavelmente uma decisão em conjunto. Então, às vezes, não há como que uma pessoa que está iniciando suas pesquisas decida pela dupla. É preciso esperar.

Qual é sua proporção de novos visitantes para visitantes recorrentes?

E, com esses 3 motivos acima listados em mãos, vamos entender como um chat online faz com que você venda mais para visitantes mobile.

  • Usuários que estão perdidos irão recorrer ao chat para fazer perguntas pessoais que você pode não ter detalhado ainda. Por exemplo, uma loja de skates pode precisar responder até que peso o produto aguenta para um usuário mais preocupado com seu peso. Com posse dessa informação, basta apontar o usuário para a página do produto voltado para os skatistas mais pesados e pronto: venda realizada!
  • Quem não encontrou o que procura pode recorrer à busca interna ou ao chat. Eu mesmo sempre prefiro o chat porque, por melhor que a busca interna seja, o Google geralmente já me levou a uma página interna e se eu ainda não encontrei o que queria, não quero ter que voltar ao Google e depois voltar ao site. O chat online resolve essa dúvida com mais rapidez, podendo levar o usuário até a página do produto que ele quer.
  • A falta de poder de decisão quase sempre se torna anulada com informações extras. Então, basta você treinar seu operador do chat online para informar seu visitante. No caso do colchão, seu atendente pode dizer que mulheres geralmente preferem colchões mais macios e frios, como o modelo xyz, que só sua empresa produz. Quando seu cliente for dialogar com a esposa, já vai chegar argumentando em seu favor. Não é uma compra imediata, mas é uma venda garantida para você e sua empresa.

Checklist: 10 passos para vender 40% a mais para usuários mobile

Chegou a hora de pôr a mão na massa. Você quer vender mais para seus usuários mobile e, para isso, precisar estar atento às necessidades dele. Sem mais delongas, vamos lá:

10- Tenha um site rápido e limpo

Não adianta nada atrair tráfego anunciando, tendo conteúdo de qualidade ou enviando e-mails para uma base se na hora do acesso seu cliente se perde com tantos banners, interrupções no conteúdo ou pop-ups.

Tenha uma experiência agradável no mobile para vender mais.

9- Conteúdo ágil

No mobile você está competindo com notificações de todas as redes sociais e mensageiros para ter a atenção do seu visitante. Não encha linguiça.

8- Imagens que agregam valor

A leitura no mobile geralmente é mais um “scan” da página do que leitura propriamente dita. Tenha imagens/gráficos para auxiliar o entendimento e argumentar a seu favor.

Se você está vendendo uma palmilha ortopédica, uma imagem mostrando a viscosidade da palmilha vende mais que 20 linhas de texto.

7- Vídeos com legenda

Desde a pessoa no ônibus sem fone de ouvido até o marido deitado na cama enquanto a companheira dorme: pense em quem usa o celular no mudo e tenha legenda em seus vídeos.

6- Instagram Stories

A forma mais divertida de perder tempo hoje em dia é deixar o Stories rolando. Se sua marca está lá e aparece mais uma vez para seus seguidores, é um impacto grátis.

5- Permita que seu conteúdo seja baixável

Se você tem um guia de como usar seu produto e o tempo de leitura dele é de 20 minutos, deixe que seu prospect baixe o guia antes mesmo de comprar. Assim ele já saberá como utilizar, não vai precisar coletar essa informação de outro lugar e, no final do guia, você terá todo o poder de convertê-lo em cliente.

4- Use e abuse de animações

Desde que sejam leves e de rápido carregamento, prenda a atenção do seu prospect com GIFs. Fica muito mais fácil explicar como ele deve comprar, por exemplo.

Aqui no TOP 3 vamos ser um pouco mais detalhistas em cada estratégia, para que você alcance e ultrapasse o crescimento de 40% em vendas mobile!

3- Tenha um chat online

Você pode ter um chat online na sua versão mobile do seu site sem problemas, sabia? E o melhor: o seu visitante continua a conversa utilizando qualquer integração (Facebook Messenger, Telegram, etc). Assim, ele não precisa ficar esperando dentro do seu site para falar com você.

O melhor disso é que você pode continuar contactando seu prospect, mesmo dias depois de ele ter acessado o seu site, enviando uma mensagem de uma promoção relacionada com que ele queria por exemplo.

Outro ponto muito interessante de ter um chat online é que se você tem um e-commerce e tem um aplicativo desse commerce (tipo Americanas, Magazine Luiza, etc), você pode ter um chat online dentro desse app! Integrado com o chat online do site.

2- Localização

Se o seu visitante está próximo de você, faça sugestões de promoções para que ele aja na hora, por impulso. É possível solicitar a informação da localização dele via browser (Chrome, Opera, Safari e Firefox permitem facilmente).

Aí, basta com essas informações você medir a distância do seu visitante e então:
a) dar desconto para ir à sua loja;
b) oferecer frete grátis.

1- Ferramenta de Ligações

Se a pessoa já está com o celular na mão, por que não ligar para ela? O funcionamento é super simples: a pessoa digita o número de celular dela e o sistema de chat liga automaticamente para o visitante em menos de 30 segundos!

É muito mais rápido que aquele call center que pede para apertar 2 depois 6. O esquema aqui é velocidade e seu cliente quer tirar dúvidas.

Essa opção das ligações instantâneas para chat online tem se mostrado muito eficaz com pessoas acima de 40 anos, que não querem ficar digitando no celular.

Agora queremos combinar o seguinte com você.

Favorite esse artigo na sua barra de favoritos e volte a visitá-lo uma vez por semana, aplicando uma das dicas acima.

Se em 10 semanas você não tiver aumentado sua receita mobile em 40%, entre em contato conosco que daremos acesso a uma ferramenta que vai te surpreender!

De modo semelhante a uma loja física, a devolução de produtos é uma parte inevitável das vendas online. É muito comum que as pessoas comprem produtos online e precisem trocá-los ou devolvê-los, seja por motivos de cor ou tamanho inadequado, ou ainda porque o artigo não atendeu às expectativas do cliente.

Muitos lojistas encaram esse tipo de situação como sinônimo de prejuízo, pois, em curto prazo, isso pode gerar custos extras, como despesas de logística reversa e de reembolso ou reposição do item que foi vendido.

O certo é que a forma como o lojista encara e gerencia o processo de devolução pode contribuir significativamente para a fidelização e conquista de novos clientes. A maneira mais prática para gerenciar esses casos é definir uma política efetiva para trocas e devoluções e deixá-la clara para o consumidor.

Pensando nisso, listei três dicas de como os varejistas podem otimizar seu desempenho na política de troca online. Confira:

Conheça a Legislação e tenha ela como ponto de partida para uma política de troca

O Código de Defesa do Consumidor (Lei 8078/1990) garante o direito do consumidor se arrepender de ter adquirido um determinado produto, seja qual for a razão, e devolvê-lo em até 7 dias, contando a partir do recebimento da mercadoria. Nesse tipo de situação o lojista deve arcar com todas as despesas de transporte e devolver o valor integral para o consumidor, como garante a legislação. A regra consta no artigo 49 da lei.

Casos de troca também possuem uma regra específica, regidas pelos artigos 18 e 35 do CDC. Os clientes têm até 90 dias para solicitar cancelamento ou troca caso o produto apresente defeito não sanado pelo fornecedor.

O artigo 35 também diz respeito ao cumprimento da oferta apresentada, como a entrega dentro do prazo. Caso haja descumprimento, o cliente pode aguardar pela chegada do produto, aceitar outro item no lugar ou cancelar a compra.

Portanto, não há escapatória caso o lojista se depare com qualquer uma das situações acima. Levar a sério a legislação, se preparar, definir mecanismos para fornecer um atendimento ágil, bem como disponibilizar condições para realizar a logística reversa e o reembolso em cada compra, é o melhor caminho para fidelizar o consumidor.

Tenha transparência na comunicação com os clientes

Por mais que a lei preveja qual deve ser a postura do lojista em cada uma das situações, é fundamental estabelecer uma comunicação clara e transparente com os consumidores.

Isso é particularmente importante em situações nas quais a loja não é obrigada a realizar a devolução ou troca, como em casos de produtos que não apresentem qualquer defeito e o prazo de desistência tenha sido superado.

Nesse caso é interessante criar uma política de troca e devolução que seja pública e amplamente divulgada. Uma boa dica é ter um link — fácil de visualizar em seu site — que leve o cliente para a página explicativa dessa política. Dessa forma, ele mesmo poderá conferir as regras e saber como organizar-se nesses casos.

Transforme sua política de troca em um diferencial para o negócio

A política de troca e devolução pode se converter em um diferencial para a loja online. Vale a pena comunicar de forma clara que a empresa valoriza o consumidor e apresenta soluções práticas para os principais problemas apresentados.

Isso pode ser feito por meio da orientação dos consumidores sobre algumas dúvidas comuns, como a garantia de fábrica. Muitas marcas dão garantia para que, caso o produto exiba algum problema nos primeiros meses de uso, o comprador entre em contato diretamente com o fabricante. Lembre-se de explicar em seu site como isso funciona.

Outra boa estratégia é ampliar o prazo de troca, que pode ser estendido em períodos sazonais, como Natal, Dia das Mães, Black Friday e outras datas do tipo. Caso seja viável, outra estratégia inovadora é enviar um produto novo antes mesmo de receber o antigo, agilizando o processo de troca.

Para que tudo isso funcione, vale a pena dedicar um setor ou um funcionário somente para essa função, com o objetivo de melhorar o relacionamento com o cliente e facilitar a troca de informações. A empresa também deve ficar atenta a possíveis casos de fraude, mas sem nunca insinuar que o cliente está agindo de má-fé sem que haja provas concretas disso.