• Avatar
  • por Kleber Liberato
  • Co-fundador e responsável pela Direção de Negócios da Chiclé Digital, uma agência digital que tem como objetivo oferecer soluções definitivas para o público PME.

8 erros cometidos pelas pequenas e médias lojas virtuais

26 de janeiro de 2015
Share Button

Apesar do mercado de e-commerce brasileiro estar crescendo de forma acelerada, mais de 60% das lojas virtuais abertas no Brasil fecham as portas em cerca de 1 ano de atividade. Os motivos são diversos, como falta de investimento, planejamento incorreto, desinformação, etc.
Independente dos motivos, já é notável erros em comum que fazem parte da cultura de pequenos e médios lojistas, e que, sem dúvidas, interferem diretamente no crescimento e nas vendas.
Considerando este comportamento, listei abaixo 8 erros estratégicos mais comuns que pequenas e médias lojas virtuais ainda cometem e o porquê destas lojas caírem nas estatísticas de fechamento de 1 ano de atividade.

1 – Bater de frente com as grandes lojas

A maioria dos lojistas PME acreditam que podem entrar no mercado e brigar diretamente com os grandes varejistas online, o que é um erro.
Os grandes varejistas investem milhões em estratégias de marketing, possuem uma alta credibilidade do mercado, relevância nas buscas, preços competitivos e mais uma série de outros fatores que definitivamente não podem ser quebrados por uma loja virtual que não esteja à altura no quesito planejamento e investimento.

2 – Não trabalhar com um diferencial competitivo

Um lojista PME que não procurar vender um produto com um diferencial único, certamente terá grandes dificuldades em crescer.
A tendência do mercado é que cada vez mais surjam lojas virtuais para públicos e produtos específicos, até então não explorados. Invista o seu talento criativo em diferentes mercados e necessidades, ou seja, crie o seu próprio mercado, diferenciais e prospere nele.

3 – Definir o seu próprio preço

Segundo dados do E-bit, mais de 90% dos usuários pesquisam preços na internet antes de uma decisão de compra. Isso conclui que caso os seus preços não estejam ao mínimo na mesma faixa de preço dos concorrentes, mesmo que seja um produto exclusivo e diferenciado, dificilmente você terá vendas efetuadas. Quem define o preço é o mercado!
Estude com frequência as estratégias e preços de seus principais concorrentes e procure se adaptar ou, se possível, manter os seus preços mais baixos principalmente se você estiver iniciando no mercado de e-commerce.

4 – Investir em Marketing a curto prazo

Este sem dúvidas é um dos maiores problemas dos pequenos e médios lojistas. Definitivamente uma loja virtual que está entrando no mercado dificilmente terá sucesso nos seus primeiros 2 ou 3 meses de atividade, por uma série de fatores que vão desde visibilidade, aceitação do mercado, confiança dos consumidores, preços, entre outros.
Crie um planejamento de investimento em longo prazo, teste frequentemente as suas ações, mude estratégias e crie promoções e opções para o seu mercado.

5 – Acreditar no mito que o e-commerce é mais barato e mais lucrativo

Muitos lojistas iniciam seu projeto de e-commerce acreditando que seus produtos irão vender rapidamente nas primeiras semanas de atividade, e sem a necessidade de aplicar recursos.
O investimento no mercado de e-commerce é comparado a uma loja física, pois da mesma maneira que esta precisa investir em um bom ponto, vitrine e espaço físico, a loja virtual precisa investir em estratégias de Marketing em longo prazo para conseguir aparecer para seu público-alvo e a frente de seus concorrentes.

6 – Não ter foco em nichos de mercado

Outro grande erro é a falta de foco em nichos de mercado. Geralmente os lojistas PME querem vender de tudo e para todo o lugar, sem ao menos saber direito quem é o seu público-alvo, onde ele está e qual é a sua cultura e comportamento.
A tendência do mercado de e-commerce é que cada vez mais surjam lojas para públicos específicos, por nichos de mercado. Realize sempre um estudo sobre o mercado em que quer atuar, quem é o seu cliente, onde ele mora, suas necessidades regionais e então planeje as suas ações para a conquista deste novo mercado.
Leia mais: Em busca do produto perfeito: Por que investir em um e-commerce de nicho

7 – Se basear em estratégias de outros lojistas e agências

Cada nicho e segmento do mercado de e-commerce se comporta de uma maneira diferente e exclusiva. As estratégias que o seu “amigo” ou a agência dele esteja utilizando, provavelmente não dará certo com o seu negócio, pois se trata de um outro nicho, público, produtos e valores.
A única maneira de encontrar a melhor estratégia de vendas para os seus produtos é somente através de testes com investimento em estratégias de Marketing em longo prazo, aprender com os erros, receber feedback dos clientes e manter fontes de pesquisas com relação ao seu nicho de atuação e atividades executadas.

8 – Querer fazer tudo sozinho

Devido a ausência de um bom planejamento em longo prazo, muitos lojistas se iludem com relação as suas próprias expectativas criadas para um rápido crescimento,  e assim param todos os investimentos e começam a fazer tudo por conta própria.
Na maioria das vezes os alcances e vendas irão cair, pois é provável que o lojista, por si, não terá conhecimentos mais profundos nas diversas estratégias e ferramentas de marketing existentes. Procure sempre contar com equipes especializadas e que se encaixem com a sua cultura de trabalho e opções de investimento. Nunca tente fazer tudo sozinho.
———————————————————————————————————–
Kleber Liberato
CEO – Chiclé Digital

Você também vai gostar

Onde um jogo de pôquer pode ajudar um e-commerce? Onde um jogo de pôquer pode ajudar um e-commerce? Não, não estamos falando de um e-commerce de pôquer. O Blog da Dotstore  retirou um trecho muito int...
É preciso aprofundar o debate sobre o mercado dos meios eletrôni... O crescimento do mercado de cartão de crédito no Brasil é inegável. Em cinco anos, o faturamento do setor mais do que duplicou, passando de R$ 53 bilh...
5 dicas de plug-ins para plataforma de e-commerce Magento A plataforma Magento é, provavelmente, uma das mais sólidas e recomendadas quando falamos de e-commerce. E, por conta disso, se você tem ou planeja te...
Black Friday já aponta praticamente o dobro do faturamento de 20... A E-bit apurou que, com os indicadores registrados até o meio dia, dessa sexta feira, o faturamento da Black Friday 2013 deverá praticamente dobrar, s...
NRF: As novidades do E-commerce para 2014 Do dia 12 ao dia 15 de janeiro de 2014 aconteceu a 103ª edição da NRF (National Retail Federation). O evento que acontece em Nova York é composto de s...
Expectativa de 18% de crescimento de vendas online para o Dia da... Setor oferece variedade de produtos para público feminino, trazendo ainda como vantagens preço competitivo e facilidades na compra De acordo com a E-b...
Altas temperaturas de outubro movimentaram as vendas de ar condi... Outubro de 2014 vai ser lembrado como um mês quente! E não podemos falar que apenas as altas temperaturas que bateram recorde na cidade de São Paulo a...
Infográfico: O Hall da fama dos produtos do e-commerce brasileir... O melhor jeito de ter sucesso nos marketplaces é conhecer o mercado. Para isso a informação de qualidade faz toda a diferença. Com base nos dados da p...
Estratégias de marketing para seu e-commerce estar no smartphone... Os dispositivos móveis impactaram por completo a forma com que nos relacionamos uns com os outros e isso não poderia ser diferente no marketing. Só no...
Lojas virtuais darão desconto no Dia do Consumidor Buscapé investiu R$ 15 milhões para reunir grandes lojas no dia 19 de março para o Dia do Consumidor O Buscapé Company investiu R$ 15 milhões, coorden...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Um comentário sobre “8 erros cometidos pelas pequenas e médias lojas virtuais”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>