• Ebit
  • por Ebit
  • Presente no mercado brasileiro desde 2000, a Ebit acompanha a evolução do varejo digital no País desde o seu início, sendo a maior referência em inteligência competitiva para o e-commerce. Através de um sofisticado sistema, que coleta dados diretamente com o comprador online, a Ebit gera informações detalhadas sobre o mercado diariamente. São mais de 20 milhões de pesquisas coletadas em mais de 21 mil lojas virtuais afiliadas.

Ebit Webshoppers 37: E-commerce faturou R$ 47 bilhões em 2017

12 de março de 2018
Share Button

O e-commerce faturou R$ 47,7 bilhões em 2017, um aumento de 7,5% em relação ao ano anterior, segundo o 37º Webshoppers, apresentado na última quinta-feira (8).

Segundo dados coletados, o grande número no total de pedidos realizados também foi crucial para o crescimento: 50,3 milhões de compras, número 5% superior em relação a 2016.

Esses números superaram as expectativas. Afinal, 2016 ficou marcado por registrar, pela primeira vez na história do e-commerce brasileiro, uma queda (1,8%) na vendas de produtos.

Em 2017, 23,7% das compras foram feitas por smartphones e tablet. Ou seja, o consumidor definitivamente adotou a versão mobile para realizar suas compras. O valor médio gasto por cliente aumentou em 3%, e ficou em R$ 429.

Vale lembrar que outros fatores contribuíram para esse resultado. Um deles partiu do governo, que liberou aos consumidores o valor do FGTS de contas inativas e fomentou o aumento das compras. Benefícios do valor do frete ajudaram nesse ínterim.

A consolidação das vendas pelos marketplaces também aqueceu o mercado eletrônico no ano de 2017. Impulsionado pela expansão do Mercado Livre, o faturamento das vendas via marketplace, incluindo produtos novos e usados, atingiu R$ 73,4 bilhões, com alta de 21,9%. Para 2018, a projeção de vendas do Ebit para o mercado eletrônico é de R$ 53,5 Bilhões.

Categorias mais vendidas

Confira o volume de pedidos de acordo com a categoria:
1 – Moda e acessórios: 14,2%
2 – Saúde, cosméticos e perfuraria: 12%
3 – Eletrodomésticos: 10,8%
4 – Casa e decoração: 10,5%
5 – Telefonia e celulares: 9,2%
6 – Livros, assinaturas e apostilas: 8,3%
7 – Esporte e lazer: 6,4%
8 – Informática: 4,5%
9 – Alimentos e bebidas: 4%
10 – Eletrônicos: 3,6%

Texto publicado anteriormente no E-commerce Brasil.

Você também vai gostar

A rotatividade do consumidor digital O surgimento de novas tecnologias e seu impacto em uma multiplicidade de setores definiu a transformação digital nos últimos anos. Bancos continuam fe...
8 vantagens em utilizar Marketing de Conteúdo para E-commerce Marketing de Conteúdo para E-commerce. Aumentar a aquisição de clientes está ficando cada vez mais difícil (e caro!). A competição e o fato de que com...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>