• Avatar
  • por Marilei Pessatti
  • Jornalista graduada em Comunicação Social pela Faculdade de Artes e Comunicação da Universidade de Passo Fundo, FAC/UPF, e pós-graduada em Gestão da Comunicação Pública e Empresarial pela Unidavi, atua nas diferentes áreas do Jornalismo e da Assessoria de Comunicação e Imprensa através das mais diversas plataformas de suporte. Possui interesses nos âmbitos da Cibercultura, do Jornalismo Online, das Mídias e Redes Sociais, da Literatura, do Cinema e da Fotografia, acompanhando o surgimento e o desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação, atentando para o modo como a utilização e a difusão destas inovações influencia e converge o processo de transmissão das informações e pauta a produção dos conteúdos e dos discursos.

Na contramão da economia, empresas de e-commerce continuam crescendo e contratando

30 de junho de 2015
Share Button

Os números de abril do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) registram o fechamento de 97.828 postos de trabalho no Brasil.
Especialistas apontam o resultado como reflexo da crise econômica no país e alertam que a retração do emprego não só vai continuar, como deve ficar ainda pior, visto que não há indícios de que a economia vá melhorar nos próximos meses. O ministro Manuel Dias, apesar de não confirmar números, afirma estar ciente de que haverão ainda mais reduções no Caged (O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de maio.
Na contramão dessa queda na economia parece estar o e-commerce, que apesar de ter desacelerado consideravelmente seu crescimento, no mínimo tem se mantido, como afirma o diretor de Comunicação e Marketing da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.Net), Gerson Rolim.
Ele complementa as projeções de faturamento para 2015 são positivas. Pudera, dos 204 milhões de brasileiros, 51,5 milhões fizeram no mínimo 1 compra online no ano passado. Isso representa cerca ¼ da nação que necessita de atendimento comercial, profissionais de TI, pós-vendas, financeiro, gestão, comunicação e inúmeros outros setores envolvidos.
Pegamos como exemplo a holding Magamobi, especialista na venda de celulares e smartphones. Além do crescimento, os catarinenses ainda se destacam por sua atuação no mercado de trabalho. Frente aos dados de queda, a empresa continua a abrir novas vagas, contratando para ampliar tanto setores quanto horários e atuando com gestão de pessoas e com a capacitação e a formação de colaboradores.
Para o CEO Jaison Goedert uma boa equipe é fundamental: “Focamos em manter um bom time e enriquecê-lo de novos talentos para impulsionar e acompanhar o nosso crescimento. Neste ano teremos investimentos que contemplam infraestrutura, novas tecnologias e equipamentos, mas também voltados à atrair e capacitar colaboradores.”

Porque é necessário capacitar?

Não é de hoje que o mercado e-commerce tem dificuldades na contratação de mão de obra. Currículos de colaboradores especialistas tanto em varejo quanto em tecnologia não são nada comuns e, com o crescimento das lojas virtuais, a deficiência se amplia para as demais áreas gerenciais e operacionais.
O que acontece então, é que apesar da lacuna em uma das áreas de competência, é feita a contratação seguida de uma capacitação dentro do próprio comércio eletrônico, como a forma mais comum de profissionalização.
Segundo a Pesquisa Profissional de E-commerce 2014, parceria entre E-bit e Universidade Buscapé Company, 61% dos profissionais aprendeu a trabalhar com comércio eletrônico assim, na própria empresa. Mas por que isso acontece?
As vagas no comércio eletrônico pertencem a segmentos relativamente jovens e que a intervalos muito curtos inserem e resultam ainda em novas demandas e competências. O mercado profissionalizante não consegue se adequar tão rapidamente para preparar e capacitar esses colaboradores. Assim o déficit que já existe para a mão de obra do e-commerce, não apenas se mantêm, mas aumenta e com o crescimento do setor, se amplia.
Para 2015, a Pesquisa Profissional de E-commerce trará informações muito relevantes sobre como o mercado está lidando com a forte crise econômica no Brasil. Em quais áreas o gestor de e-commerce está investindo e se o perfil do Profissional de E-commerce brasileiro está mudando. Fique ligado!

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

9 comentários sobre “Na contramão da economia, empresas de e-commerce continuam crescendo e contratando”

  • Avatar
    Rafaela Zacarias says:

    Concordo que é necessário trilhar caminhos afim de buscar o encontro entre sucesso e realização. O comércio eletrônico tem grande probabilidade de crescimento, basta investir e capacitar os envolvidos.

  • Avatar

    Mesmo Santa Catarina, berço de um povo tão trabalhador, vem sofrendo com o quadro econômico… Muito triste! Basta torcer que o desenvolviemento do e-commerce e as medidas dos governos sejam suficientes para o pais dar a volta por cima da crise.

  • Avatar

    Parabéns a Magamobi e aos outros E-Commerces que seguem na contramão não só da economia, mas também de grandes E-Commerces como Casas Bahia e Ponto Frio, que demitiram 3 mil funcionários com a justificativa de que foi necessário se ajustar à atual situação do cenário (que passa por um momento de retração)…

  • Avatar
    Suéli Cristina da Rosa says:

    As pessoas, devido a constante falta de tempo, buscam praticidade na hora de realizar suas compras, nesse quesito o e-commerce desbanca qualquer loja física. O consumidor quer a possibilidade de realizar suas compras e tirar suas dúvidas na hora em que ele precisar, parabéns a Magamobi por entender essa necessidade dos seus clientes e por mostrar que o e-commerce esta na contra mão dessa crise que assola nosso país.

  • Avatar
    Ana Paulina Gusatti says:

    Excelente material, alerta para necessidade de capacitação profissional sem esquecer que não há muitas opções para isso o mercado.
    Se sobram vagas, faltam cursos e iniciativas de profissionalização. A Magamobi achou um solução, mas acredito que há aí um bom campo para as universidades explorarem.

  • Avatar
    Patricia França Giacomel says:

    Com tantas demissões em massa é bom saber que ainda há empresas crescendo e contratando! Parabéns ao blog por demostrar também a importância da capacitação e-commerce!

  • Avatar

    Li o artigo por indicação de minha filha Paula, estamos pensando em expandir os negócios para o comércio eletrônico e é bom saber que o setor está crescendo. Vamos continuar buscando informações no site. Obrigada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>