• Avatar
  • por Michele Prado
  • Jornalista, pós-graduada em comunicação empresarial e em mídia, informação e cultura. Possui mais de oito anos de experiência na área, com atuação de destaque em e-commerce, startups e soluções logísticas. É analista de conteúdo da Mandaê.

Principais dicas para definir o preço dos produtos da sua loja virtual

26 de outubro de 2016
Share Button

Definir o preço de um produto não é tarefa das mais fáceis, mesmo para empreendedores experientes. Vários fatores influenciam essa decisão, como a análise do preço da concorrência, o perfil e as expectativas do público-alvo, a demanda e até mesmo o valor percebido pelo cliente.
Encontrar a medida certa é crucial para a obtenção de lucros sólidos e para agregar valor à sua marca. Afinal, se por um lado um item com preço muito elevado pode fazer potenciais clientes se afastarem de você, por outro manter preços muito baixos pode diminuir exponencialmente sua margem de lucro e causar prejuízos financeiros ao seu negócio.
Além disso, não basta apenas revender o produto por uma margem 20% maior do que o valor de compra do fornecedor, é fundamental saber como calcular o custo de mercadoria vendida corretamente.
Ao invés de somente medir o lucro, esse cálculo leva em consideração a quantidade de itens que sobraram em estoque ou que foram devolvidos no processo pós-venda por algum motivo, como trocas e avarias, já que produto encalhado é sinal de perda de dinheiro. Também é importante considerar outros gastos, como manutenção da sua loja virtual, internet e até empacotamento.

Quer cobrar quanto? Cinco dicas para desenvolver sua estratégia de preço


Dada a natureza competitiva do e-commerce, as estratégias de preços podem variar de acordo com o seu nicho de atuação ou os seus produtos. No entanto, de forma geral, recomenda-se realizar o estudo do mercado e do público-alvo antes de qualquer definição.

  • Público-alvo: quem são suas personas, quais são seus gostos, preferências, escolaridade, poder aquisitivo e formas de pagamento prioritárias? Se os seus produtos são voltados para o mercado de luxo, o alto valor transmite sentimento de qualidade, fundamental para atrair potenciais clientes. Por outro lado, se você comercializa itens mais populares, oferecer preço baixo faz toda a diferença.
  • Avaliação dos concorrentes: quem são seus principais concorrentes, seus diferenciais e suas estratégias de preço? Ao disponibilizar seus itens por um valor abaixo do que os seus concorrentes oferecem, você pode ganhar uma vantagem competitiva – apenas tome cuidado para não prejudicar as finanças da sua loja. Mas, caso você tenha uma proposta de valor muito clara, que transmita qualidade como diferencial, comercializar o produto por um valor um pouco acima também pode ser vantajoso.
  • Percepção de valor da marca: quais são os pilares da sua marca e como as pessoas percebem isso? Para responder essa pergunta, analise quais são seus diferenciais, qual é a relevância do seu produto para seu público-alvo e porque um cliente deveria comprar o seu produto e não o dos seus concorrentes.

Levar em consideração todos esses pontos pode aumentar não apenas a sua margem, mas também melhorar o seu valor no ciclo de vida do cliente.

Você também vai gostar

Estudo mostra aumento de 32,1% no número de varejistas nos marke... Levantamento apresenta que o modelo marketplace, promissor de negócios, pode virar tendência, e que o consumidor tem demonstrado um maior poder de com...
A legislação brasileira tenta se adaptar ao e-commerce O setor de varejo vem crescendo de forma significativa no Brasil, sendo a principal alavanca do PIB nacional nos últimos anos. O empresariado deste se...
Infográfico: Com ajuda da Copa, Dia dos Namorados fatura 1,38 bi... Como vem demonstrando nos últimos anos, mais uma vez o comércio eletrônico segue com a tendência de crescimento em datas sazonais do calendário brasil...
Entrevista: Investidores estão mais rigorosos atrás de resultado... Entrevista. Nesta segunda-feira, o Mundo do Marketing publicou uma entrevista com Pedro Guasti falando sobre investidores e o mercado de E-commerce. D...
Black Friday 2016: Infográfico revela expectativa de crescimento... A Black Friday - que acontece sempre na última sexta-feira de novembro - já é um acontecimento tradicional e esperado pelos consumidores de vários paí...
Nova lei do ICMS deixa empresários de mãos atadas A emenda constitucional nº 87/2015 (EC 87), que altera a Lei do ICMS, passa a vigorar a partir 2016 e, até então, parecia ser uma solução justa para a...
E-bit prevê faturamento de R$ 1,055 bi para o comércio eletrônic... Comércio eletrônico no Dia das Mães. O Dia das Mães se aproxima e a movimentação em busca dos presentes já começa a ficar mais forte. De acordo com a ...
4 itens essenciais em um gateway de pagamento para aumentar a co... Em tempos de estagnação econômica surge a necessidade das empresas se superarem e investirem em performance para incrementar receitas. No e-commerce, ...
E-commerce brasileiro: evolução da Black Friday em anos de crise... Evento teve o segundo maior faturamento do setor, em 2016 O segundo maior evento do comércio eletrônico brasileiro está para começar. À meia-noite do ...
Cresça em tempos de crise! Não deixe a crise da economia brasileira deter você. Empresários estão preocupados em relação à expansão de seus negócios, mas o fato é que é possível...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>