Em 2017 fiquei a frente de montar uma operação de e-commerce nos USA e olhando em retrospectiva, percebo como foi valioso todo o tempo que inseri na etapa de construção do plano de negócio, também conhecido como business plan, ou, BP para os íntimos.

Planejar é preciso! O sucesso depende da organização das ideias e de uma sistematização de tudo o que precisa ser feito para colocar o negócio em ação.

Assim como outros tipos de negócios, começar um e-commerce do zero precisa de um plano muito bem “costurado” e dinâmico.

Por que você deve fazer um Plano de Negócio para o seu e-commerce?

Segundo dados do SEBRAE, em 2012 cerca de 70% das pequenas e microempresas fechavam as suas portas em menos de dois anos. A causa maior foi a falta de planejamento nos estágios iniciais da empresa.

Parece que o empreendedor brasileiro aprendeu a lição – pelo menos a maioria. Mas o percentual de insucesso ainda é muito alto: cerca de 24,5% em 2018. E o motivo é o mesmo. E pensar que um simples documento evitaria a falência destas empresas.

O Plano de Negócio é uma ferramenta de gestão muito importante, não apenas para você não quebrar nos primeiros anos. Não mantenha o foco na sobrevivência.

O Plano de Negócio serve para nortear as suas ações de forma estratégica e tornar o seu negócio sustentável e lucrativo – duas características essenciais para qualquer empresa. Afinal de contas, você quer ter lucro e não apenas sobreviver neste mercado selvagem.

Com este recurso, você poderá dar seus primeiros passos e seguir em pelo menos médio prazo, fazendo algumas adaptações. Além disso, quando você tem um Plano de Negócio bem estruturado, fica mais fácil apresentar a sua empresa para investidores e manter uma clareza junto ao mercado. Outro benefício é que ele permite reduzir os riscos que irá enfrentar.

O que é o Plano de Negócio para começar um e-commerce do zero?

O Plano de Negócio é resultado de muita pesquisa de mercado e do segmento de atuação da nova empresa. Com o e-commerce não é diferente. A sua primeira tarefa é pesquisar muito bem o terreno ao qual irá se inserir. Leve o tempo que precisar, mas saiba tudo o que puder sobre o mercado e como irá atuar.

Não há diferença entre um Plano de Negócio para o comércio digital ou para outro tipo de empreendimento, mas você pode fazer adaptações. Após realizar a sua extensa pesquisa de mercado, é hora de colocar estas informações para trabalhar ao seu favor e criar um documento norteador.

O formato deste documento pode ser de muitas formas: há quem usa o Modelo Canvas (sugiro que pesquise sobre o assunto); há quem prefira uma documentação mais tradicional. O fato que algumas informações são essenciais, como veremos abaixo. Há outros instrumentos que podem ajudar a aplicar estas informações na sua prática diária, como o Modelo PDCA, a Análise SWOT e o Plano de Ação.

Como fazer um Plano de Negócio?

Após pesquisar sobre o mercado e o segmento em que irá se inserir, é hora de colocar tudo no papel. No começo, considere tudo o que é importante, até mesmo as ideias mais bobas. Depois, você pode ir “minerando” o que é realmente importante.

O Plano de Negócio pode ser dividido em: análise executiva, análise de mercado, plano de marketing e plano operacional. Veja as informações que devem constar conforme estas etapas, que são essenciais para o seu e-commerce:

  • Análise da oportunidade – por que abrir um e-commerce desta natureza é viável? Quais demandas, em linhas gerais, você pode atender no mercado on-line?
  • Análise de mercado – características do mercado on-line, requisitos técnicos e regulamentares das vendas on-line, etc.
  • Dados executivos: informações sobre os empreendedores envolvidos, dados gerais do negócio, missão da empresa, setores de atividade, configuração jurídica, enquadramento tributário, capital social, fontes de recursos, etc.
  • Definição completa do público-alvo.
  • Mapeamento da concorrência.
  • Mapeamento de fornecedores.
  • Definição do modelo de negócio – o que vender, o que é o negócio, como vender, para quem, a que preço, o plano de marketing, etc.
  • Definição completa dos seus produtos e serviços.
  • Projeções iniciais de receita em detalhes.
  • Investimentos iniciais necessários.
  • Necessidade de recursos humanos e recursos materiais e imateriais.
  • Projeção dos custos, despesas e receitas ao longo do tempo.
  • Mapeamento das demandas e recursos necessários de marketing.
  • Cruzamento das necessidades de recursos com resultados.
  • Criação dos demonstrativos financeiros,
  • Análises de viabilidade através de índices de retorno sobre investimento, rentabilidade, etc.
  • Revisão completa de todos os passos.
  • Concluir a redação do plano e fechamento do modelo.

Você pode ainda dar uma olhada no modelo de Plano de Negócio desenvolvido pelo SEBRAE neste link. O Plano de Negócio pode ser alterado com o tempo. Afinal, a empresa, no seu caso, o e-commerce é um organismo vivo e vai mudando conforme as suas fases.

Mas lembre-se que ele deve funcionar em médio e longo prazo. As informações que você irá colocar neste recurso devem ser previamente analisadas e testadas. Como fazer isso? Pesquise bastante, de forma muito realista, e tenha evidências de que estas informações funcionam ou são viáveis.

Análise SWOT – O que é isso?

Este ferramenta é muito interessante para quem está iniciando um novo empreendimento. Sugiro que pesquise mais sobre esta matriz.

Com ela, você pode definir as fortalezas (seus pontos fortes do seu negócio conforme o plano – estes devem ser aperfeiçoados e reforçados) e as suas fraquezas (são pontos fracos – devem ser acolhidos, ajustados e reforçados para quem possam se desenvolver) – estes dois pontos são internos; oportunidades (eventos e insights que deve aproveitar) e desafios (são riscos e contingências para os quais você deve buscar soluções) – estes são dois pontos externos.

Execução do Plano de Negócio

Uma dica importante: tenha todas as informações que precisa para escrever o seu Plano de Negócio para o e-commerce, mas seja simples e direto. Quanto mais simples o documento for, mais fácil será de executá-lo. E sim: não basta ter um plano: você irá colocá-lo em prática!

Esta é outra fase inicial muito importante, mas que pode ser muito gratificante e motivadora para quem começa um e-commerce do zero.

Há muitas técnicas de como tirar estas demandas do papel. Uma delas é o Modelo PDCA, muito usado em processos de qualidade e que pode ser um roteiro prático para as ações que deve cumprir por período (semanalmente, mensalmente, etc.).

Trata-se de um acrônimo para Plan (plano – planejamento do que será feito), D – Do (fazer – execução – como será feito, quais as atividades), C – Check (verificação ou teste – mensuração dos resultados) e A – Act (ação corretiva e implementação de novos planos.

Agora você já tem um esboço para o seu ponto de partida, para começar um e-commerce do zero!

O que achou deste guia para criar o Plano de Negócio para o se e-commerce? Sente-se preparado para começar o seu negócio do zero? Veja esse post original na íntegra no link: https://www.devidavenia.com/no-sou-seu-guru/2019/7/8/e-commerce-do-zero-como-criar-o-seu-plano-de-negcio

Rodrigo Marinho
Author

Bacharel em Comunicação social, atua como Head of E-commerce na Cia Taurus Helmets, trabalha há mais de 10 anos com e-commerce, Growth Hacking Consultant. Fundador e redator do blog sobre e-commerce e business online DevidaVenia.com.

Write A Comment