• Rodolfo Helmbrecht
  • por Rodolfo Helmbrecht
  • Rodolfo Helmbrecht é Gerente de Pré-Vendas e desenvolvimento de novos negócios da DB1 Global Software. Rodolfo ingressou na empresa em 2015 e atuou como Assistente Comercial e Coordenador de Canais e Parcerias do ANYMARKET. Atualmente é responsável por escalar as vendas do grupo DB1 implantando a metodologia de Sales Marketing nas unidades e gerenciando as equipes de pré-vendas. Rodolfo estuda Administração de Empresas na Pontifícia Universidade Católica – PUC.

Marketplaces da gula: como vender alimentos e bebidas

8 de fevereiro de 2019
Share Button

Imagine o seguinte: É véspera de natal, e você ainda precisa fazer a compra do supermercado para a ceia. Chegando lá, parece que todos também deixaram para a véspera.

Você pega produtos, chega no caixa, a fila está grande! Opa, esqueceu o pacote de pão, volta para buscar… volta para a fila. Resultado: três horas nas compras.

Ou então, em qualquer dia comum, você chega em sua casa, abre a geladeira e não tem nada. Está tarde, mas precisa ir às compras. São situações como essas que enfrentamos no nosso dia a dia, e nos fazem pensar: “Como eu queria resolver isso com um clique!”

A internet está, aos poucos, tornando possível que tudo ao nosso redor possa ser feito por meio de uma tela. E isso significa novas oportunidades de negócio para os sellers.

O crescimento da categoria Alimentos e Bebidas

O e-commerce vem conquistando esse espaço, por trazer uma experiência diferenciada e uma compra mais personalizada e rápida.

Grandes redes varejistas como Pão de Açúcar, Sonda e Walmart, além dos segmentos de food service, no qual os pioneiros foram Mc Donald’s e o Habib’s, iniciaram esse novo modelo de negócios: a venda online de alimentos.

Você deve estar se perguntando: “Mas as pessoas realmente já compram comida em marketplaces?”. A resposta mais honesta é: Hoje, não tantas. Amanhã, muitas.

Prova disso é a pesquisa realizada pela Kantar Retail, empresa de consultoria internacional de varejo. Os resultados apontam que até 2025 as compras online no segmento de varejo alimentar representarão 3% do volume total de vendas no Brasil.

Pois é, 3% pode não parecer um número tão expressivo sem uma base comparativa. Para ajudar, basta lembrar que os eletrônicos representaram 3,8% do volume de vendas no Brasil em 2018 (segundo o 38º Webshoppers).

Agora some esse fato com o crescimento estimado de 30% a 40% ao ano para as conversões.

Os produtos queridinhos de quem compra Alimentos e Bebidas

A Kantar Worldplane também revelou os tipos de produtos mais procurados. Essa é uma ótima referência para começar a planejar suas vendas.

  • Produtos frescos – 0,6%
  • Bebidas – 0,4%
  • Alimentos – 1,1%
  • Lácteos – 1,1%
  • Alimento para cães/gatos – 2,4%
  • Limpeza – 9,2%
  • Cuidados pessoais – 62,3%
  • Outros: 22,9%

“Ué, limpeza?”. Sim, a pesquisa contou as categorias relacionadas a ideia de supermercado como um todo. Afinal, quem já está interessado em fazer a compra do mês online considera a lista de compras para a casa inteira. Mais uma boa oportunidade de entender o consumidor e aumentar sua cesta de produtos!

Com o mercado cada vez mais desafiador, trazer os produtos alimentícios para o seu e-commerce é uma tendência que manterá seu negócio mais competitivo, com diferenciais diante dos seus concorrentes, além de garantir um crescimento acima da média nesse setor.

Como escolher o produto perfeito para vender na internet

Dicas para planejar as vendas de alimentos

Boa notícia para você que está ansioso para começar suas vendas: os marketplaces estão a todo vapor nessa nova tendência!

  • A B2W, em especial, está tão animada para anunciar esse segmento, que preparou suas próprias dicas para ter sucesso vendendo alimentos nos marketplaces. Reunimos essas dicas para você, olha só:
  • Armazenamento: adeque o local de armazenamento dos seus produtos, mantenha os locais bem higienizados, arejados e com temperatura ideal. O local conservará bem os produtos para manter a qualidade aos seus clientes.
  • Entrega: dependendo do tipo de produto e do quão perecível ele é, será importante restringir a entrega por regiões, devido ao período desse processo. Também é relevante contar com serviços de transporte de qualidade como transportadores e Correios, que pode ofertar serviços especiais para quem trabalha com e-commerces.
  • Rapidez: desde produtos perecíveis ou não, os alimentos precisam ser entregues rapidamente ao cliente. É relevante ter um modelo de entrega rápida ao consumidor, pois a agilidade é um grande diferencial para o perfil de quem compra online.
  • Marketplaces: invista em comercializar seus produtos em marketplaces, disponibilizando em diversos canais, lembre-se que é importante salientar bem as informações do seu produto, ressaltar todas suas características, estabelecendo uma relação de confiança com seus clientes.

5 motivos para migrar para esse mercado agora mesmo

Marco Zolet, CEO e fundador do Supermercado Now, trouxe motivos para você pegar as dicas acima e colocar a mão na massa:

  • Aumento da área de influência da loja;
  • Economia em investimentos em estruturas adicionais, como por exemplo Centros de Distribuição;
  • Redução de custos de distribuição, pela proximidade do consumidor;
  • Aumento do ticket médio;
  • Alta presença de itens frescos, como frutas, legumes e verduras na lista de compras.

Os melhores marketplaces para vender Alimentos e Bebidas

No Brasil, já existem marketplaces que adotaram a venda dos produtos alimentícios e trouxeram essa categoria para os consumidores.

A B2W, como já mencionada neste artigo, está se preparando para anunciar a categoria. Outros gigantes que já estão abocanhando o mercado são: Mercado Livre e Walmart. Grandes grupos varejistas, como GPA e Dia Group, já vendem esse tipo de produto em marketplaces. É mais um exemplo da ascensão deste segmento no comércio digital.

Todos os dias, novos marketplaces oficializam a categoria. Acompanhe a lista do marketplace do seu interesse, pois a qualquer momento “Alimentos e Bebidas” poderá ser um destaque, como fez a Magazine Luiza. O Walmart, por exemplo, disponibiliza o sabor como filtro de busca na categoria

Conclusão

Tendo em mente as necessidades da pessoa que compra alimentos da forma tradicional, você será capaz de se destacar e conquistar clientes fiéis. Se a recompra é sempre um sonho do seller, á pensou em algo que dá mais vontade de repetir do que comida?

Você também vai gostar

Vende-se Netshoes Após o boato que a Netshoes, empresa de e-commerce de artigos esportivos, abriria o capital na bolsa em um futuro próximo, foi publicada mais uma not...
O que eu preciso aprender para entrar no mercado de E-commerce? Se você também acredita que o presente e o futuro estão no mercado de E-commerce, possui aptidões para administrar um negócio completo e vontade de em...
E-commerce deve atingir R$ 1 bilhão em vendas no Dia dos Namorad... O comércio eletrônico deve movimentar R$ 1 bilhão com as vendas do Dia dos Namorados, projeta pesquisa da e-bit, empresa especializada em informações ...
Mesmo com dificuldades, E-commerce deve manter crescimento no Di... Crescimento que no ano passado foi de 38%, deve chegar à 8% este ano. SÃO PAULO (Reuters) - As vendas do comércio eletrônico brasileiro devem subir 8%...
CEO aos 22 anos, empreendedor grego-alemão aposta no mercado bra... Em 2012, com apenas 22 anos, o jovem empreendedor grego-alemão Panayotis Nikolaidis já fundava a sua primeira empresa: a Panna Cotta Voucher Group, es...
Faturamento de lojas virtuais cai até 49% com greve dos caminhon... A greve dos caminhoneiros, que começou nesta segunda-feira (21), trouxe prejuízos para os lojistas de e-commerce. A redação do E-Commerce Brasil entro...
Como transformar um momento de crise em oportunidade Com o cenário político-econômico incerto, o consumidor brasileiro assumiu um perfil mais conservador e passou a ponderar com atenção redobrada o que d...
Vantagens de ter uma loja virtual em marketplaces e e-commerces ... Se dentro de uma loja de shopping os consumidores passam os olhos rapidamente pelas prateleiras e já identificam as peças de sua marca preferida, imag...
O benchmarking e o comércio eletrônico: entenda a relação O mundo dos negócios é recheado de palavrinhas da moda, geralmente em inglês, que desaparecem com a mesma velocidade em que surgem. Mas um dos termos ...
Webshoppers 39: M-commerce já responde por mais de 1/3 dos pedid... Em apenas 2 anos, a utilização do smartphone para compras dobrou no E-commerce e trouxe uma gama de novos consumidores para o mercado As compras efet...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>