Tags Posts tagged with "apresentação"

apresentação

Por Revista PEGN. Você é do tipo que sua frio e passa noites em claro se precisa encarar uma apresentação em público? Saiba que não está sozinho.

Vender bem uma ideia é um desafio permanente para qualquer empreendedor, ainda mais quando se está em busca de recursos financeiros para tirar um projeto do papel.

Uma das máximas é a regra 10/20/30 de Guy Kawasaki, que já foi colaborador e “chefe evangelizador” da Apple (uma espécie de missionário da marca). Hoje, ele dirige um fundo de venture capital – o Garage Technology Ventures – e está acostumado a ver muitas apresentações ruins.

Em um post muito engraçado em seu blog How to Change the World, ele explica que chegou a essa regra depois de ouvir centenas de apresentações de startups em busca de capital – e se entediar muito com isso. A fórmula é simples:

10 slides

Para Kawasaki, 10 é um excelente número de slides para uma apresentação em PowerPoint. A explicação dele é que um ser humano normal não consegue compreender mais de dez conceitos diferentes em um só encontro.

“Se você precisa de mais de dez slides para apresentar seu negócio, você provavelmente não tem um negócio”, diz. Ele também lista os dez tópicos que um investidor de venture capital leva em conta em uma apresentação:

1. O problema
2. Qual a solução
3. Qual o modelo de negócios
4. Valorize a mágica/tecnologia
5. Marketing e vendas
6. Competição
7. Equipe
8. Projeções e conquistas
9. Status atual e cronologia
10. Recapitule e chame para a ação

20 minutos

Você deve apresentar os 10 slides em 20 minutos. Kawazaki recomenda o tempo reduzido para aproveitar os 40 minutos restantes para discussão e dúvidas – isso se não houver nenhum problema técnico para colocar a apresentação no Data Show ou se os investidores não tiverem de sair mais cedo, além de terem chegado atrasados.

Fonte tamanho 30

Use uma fonte grande – tamanho 30 – nos slides. A experiência de Kawazaki é que a maioria prefere usar uma letra menor para poder acumular mais informações em cada tela.

Leia também: Como criar conteúdo fácil de consumir e valioso de compartilhar

Na opinião dele, isso não funciona. “A maioria das apresentações que eu vejo estão com um texto de tamanho 10. O máximo de texto possível é colocado em um slide, e então o apresentador lê o que está escrito. No entanto, assim que a audiência percebe que você está lendo, ela avança na sua frente, já que consegue fazer isso mais rápido do que você fala. O resultado é que o palestrante e o espectador ficam sem sincronia”, diz.

Texto publicado no site da Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Assista abaixo a explicação do próprio Guy Kawasaki, na palestra “The Art of Start” (A Arte do Começo) ele explica a regra 10/20/30 a partir do minuto 24, dura um pouco mais de 3 minutos. Eu recomendo ver a palestra inteira…

Veja também: Curso gratuito: Técnicas para falar em público

Como apresentar seu negócio a clientes ou investidores. Por Filipe Oliveira, da Folha de S. Paulo.

“A gente só está aqui hoje porque, quando eu fui estudar em São Carlos (SP), precisei visitar minha família em Curitiba e não tinha a menor ideia de como pegar um ônibus até lá.” Ricardo Pinto, 24, sempre começa as apresentações de sua empresa com esse pequeno drama pessoal. Ele é sócio do Chegue.lá, que vende passagens de ônibus pela internet.

Como apresentar seu negócio a clientes ou investidores.
Apresentação com Storytelling “O Menino que só tinha uma chance” – Do Joni Galvão.

Bem ensaiada com os sócios, a história foi contada muitas vezes em concursos de startups e levou a companhia a entrar na aceleradora de negócios Wayra, do grupo Telefonica Vivo. Estar pronto para apresentar sua empresa de forma atraente, seja em uma fala de cinco minutos em cima de um palco, seja em uma conversa com cliente, faz parte do dia a dia do empreendedor.

“Uma ligação telefônica, quando você só tem a voz para convencer, é um momento decisivo em que se tem todos os elementos de uma apresentação”, diz Rogério Chequer, sócio da empresa Soap, especializada em desenvolver apresentações.

Em cada uma dessas ocasiões, é importante ter em mente o que o outro está interessado em saber.

Enquanto um investidor precisa ser convencido da capacidade do negócio de crescer e de dar retorno financeiro, o cliente está preocupado em saber qual vantagem terá se comprar um produto da empresa.

A partir dessa definição, é preciso pensar em como passar essas informações de uma forma interessante.

Veja também: Curso gratuito: Técnicas para falar em público.

Era uma vez

Uma das técnicas que estão sendo mais usadas por empreendedores é conhecida como “Storytelling” (contar histórias).

Alfredo Castro, que é co-autor do livro “Storytelling para Resultados” (editora Qualitymark), afirma que a estratégia permite despertar interesse pela mensagem.

Ele explica que, para que a história alcance seu objetivo, a narrativa tem de ser convincente, ter personagens interessantes e grandes desafios a serem superados.

Carlos Rolim, 32, diz considerar importante expor sua história pessoal em diferentes situações. Ele é sócio da Partio, que permite a destinação de parte do Imposto de Renda de pessoas e empresas para projetos culturais selecionados.

A experiência que levou à ideia para a criação da companhia ocorreu há dez anos, quando ele fazia um documentário sobre a história da psicologia. Durante o projeto, conheceu as dificuldades do financiamento de projetos culturais.

“Consigo passar muito mais paixão quando conto os traumas superados do que quando só falo de números.”

Leia mais: 3 Formas eficazes de superar o medo de falar em público.

Pedro Waengertner, sócio da Aceleratech (aceleradora de negócios ligada à ESPM), diz que o mais importante é conseguir transmitir as principais informações que demonstram a qualidade da empresa.

Ele recomenda que, em situações em que se tem pouco tempo, sejam mostradas as informações mais importantes em primeiro lugar.

“O empreendedor não precisa ser um Steve Jobs, mas, sim, encantar o investidor pela qualidade de seu negócio.”

Como apresentar seu negócio a clientes ou investidores.

Publicado na Folha Online.

Saiu no Brainstorm 9 um artigo muito interessante, que mostra os infográficos do designer Jing Zhang, com destaque para duas séries de ilustrações do especialista: Imaginary Factory, que mostra uma pequena fábrica funcionando dentro de cada objeto e a Cities que define algumas cidades com seus ícones.

Os infográficos têm uma aceitação excelente na internet, a definição de “Não entendeu? Eu desenho pra você!” é realmente a melhor. A ferramenta que geralmente tenta explicar coisas muito complicadas não tem limites. Normalmente em forma de ilustrações, a linguagem de Infografia vem das revistas e jornais impressos (para não voltar tanto no tempo como na Wikipedia), e no universo online permite a interação, não é difícil encontrar verdadeiros games dentro de um infográfico. Para fazer um “como funciona” não tem igual.

. O Portal G1, da Globo.com é o Mestre Yoda deste estilo interativo nos mais diversos assuntos, vale de inspiração: Passo-a-passo para declarar o Imposto de Renda, Como calcular o gasto mensal do empregado doméstico, Vida e obra de Oscar Niemeyer

Mas vou precisar contratar o primo do Jing Zhang  e pagar uma bolada a cada infográfico que eu precisar? Se quiser algo muito (eu disse muito) personalizado, sim. Porém está cheio de sites que geram gratuitamente suas informações organizadas de uma maneira mais estilosa. Era aqui que eu queria chegar… Procurei isso para você:

● PikToChart – Na versão gratuita (bem limitada) são disponibilizados apenas 5 temas personalizáveis, você pode adicionar imagens, formas, textos e logicamente criar o gráfico já dentro da ferramenta. O TecMundo montou um tutorial bem legal de como criar um infográfico no PikToChart. Se você preferir, com 15 dólares ao mês, terá um leque muito maior de templates, vale a pena.

O próprio PikToChart tem uma página focada em demonstração de uso com um vídeo para cada ação possível dentro do site, do registro à criação. Seu infográfico sairá em PNG. Para garantir que seu arquivo não fique muito grande e comprometa o carregamento do seu site, use sempre o TinyPNG para emagrecer suas imagens.

 ● Infogr.am – Não vou dizer que é a ferramenta mais amigável de se operar, um pouco confuso. Porém, promete infográficos com uma solução mais interativa do que simples imagens e com um design mais bonito. Permite a integração de dados com o Excel, e é aí que o bicho pega.

Obviamente segundo eles é muito fácil, você pode se ambientar melhor que eu, vale o teste:

Infogr.am

● Visua.ly – Visualmente estamos melhorando, o Visua.ly conta com um diferencial: Ele conecta-se com perfis do Twitter e do Facebook e cria infográficos sobre o perfil da página ou até pelas páginas administradas pelo perfil. Bem interessante para testar seu volume de informações e impressionar nos relatórios. Ponto negativo: não é possível personalizar os textos.

Infográfico Twitter

● Easel.ly – Provavelmente a melhor delas, variedade maior de temas e totalmente personalizável. Permite alterar background, subir logo, textos (sem acentos e cedilhas), tudo! E depois ainda com código para incorporar no site.  \o/

avatar title=

Se a ideia (e necessidade) é melhorar a apresentação sem saber mexer em uma ferramenta de edição de imagens, esse é o caminho. Mas capriche…