Recentemente, o especialista em marketing digital Gregory Kennedy, em parceria com a equipe do Kissmetrics, lançou um estudo interessante relatando os principais erros em marketing de conteúdo que ele identificou em 2015.

Gregory-Kennedy
Perfil de Gregory Kennedy no LinkedIn.

Nesse artigo vou mencionar os 4 que considero os mais importantes e, com base no artigo original (link no fim do post), propor soluções adequadas a realidade do mercado nacional.

1- Impaciência

Após concluir seu artigo, e-book, vídeo e/ou afins, vem a ansiedade por resultados.
Se no mercado norte-americano isso acontece, no Brasil é ainda pior por conta da nossa cultura imediatista. Repare que o norte-americano, de modo geral, pensa sua renda de forma anualizada enquanto aqui vivemos no sufoco do mês a mês.

imagem-paci-ncia--2
“Acertar na mosca” requer paciência e processo.

Gregory recomenda os 3 passos a seguir:

a- Promova

Identifique os locais onde seu público alvo se encontra na web. Alguns exemplos:

• Grupos de Facebook e LinkedIn.
• Seção de comentários em um blog onde um webinar foi apresentado.
• Seção de comentários em vídeos sobre o assunto no Youtube.

Atenção: não existe “bala de prata”! O local vai variar de acordo com cada negócio.

b- Eduque

Uma vez identificados os locais, não adianta colar o link para seu conteúdo e achar que todos vão clicar. No máximo será visto como um “spammer“, aquele que faz spam.

Explique de forma sucinta, em um parágrafo curto, o assunto que o seu conteúdo trata. Se for realmente relevante, os interessados no tópico vão clicar para saber mais.

Por tanto, para pavimentar o caminho para captura de leads:

• Crie conteúdo que ensine algo relevante ao leitor.
• Não tenha receio de citar técnicas de terceiros, os respectivos especialistas e outras empresas.
• Dê os devidos créditos, sempre!

c- Capture

O exercício de paciência começa quando a captura de lead é o terceiro e não primeiro passo.

capturar-leads

Não é objetivo desse artigo explicar como capturar leads. Por tanto, fica o link para um ótimo artigo (5 tipos de iscas para geração de Leads) da Resultados Digitais que trata do assunto.

Por hora, vamos focar nos erros e suas soluções.

2- Mais foco em si do que no leitor

A partes do conteúdo onde são citadas sua experiência pessoal ou em seu negócio devem ser encaradas como coadjuvantes.
O foco é desenvolver conteúdo relevante em ajudar o leitor a atingir seus objetivos. Gregory mostra o foco ideal a ser mantido no item 5 da imagem a seguir:

user-sweet-spot
Tradução: 1) Conteúdo engajante; 2) Conteúdo em troca de informação; 3) Formas de geração de lead; 4) Conteúdo possível de se produzir; 5) Ponto ideal; 6) Blos, infográficos, videos, listas de e-mail e redes sociais.

3-  Muita ambição que resulta em pouca execução

Erro clássico que costuma atingir empresas que estão começando a investir em marketing de conteúdo.
Encantados com conteúdos bem produzidos por empresas que além do tempo de experiência possuem recursos necessários, a equipe subestima formas simples de começar e opta por mídias mais complexas como vídeos, webinários, e-books, dentre outros.
A fórmula de um possível fracasso é então produzida:

• Mais tempo e dinheiro alocado, mais caro e lento será seu aprendizado.
• Quando há investimento explícito de dinheiro, a pressão por resultados aumenta e tende a ficar somente no âmbito financeiro.
• Quando as infladas expectativas não são atendidas, o resultado é a frustração da equipe e falta de confiança na estratégia de marketing de conteúdo por parte de gestores impacientes. (Lembra do primeiro erro? Sim, a impaciência ataca novamente!)

impacto-de-blogging
Tradução: Aqueles que priorizaram artigos em blogs tem 13x mais chances de ter ROI positivo em sua estratégia de inbound marketing.

Comece simples: Um bom aprendizado é começar a escrever em blogs de parceiros. Dessa forma é possível testar de maneira rápida diferentes tópicos e canais onde divulgar seu material.
Assim você ganha experiência e será mais assertivo quando possuir recursos para investir em mídias mais complexas.

4- Ignorar parcerias

Esse é um complemento ao item anterior. Não comece sozinho, faça parcerias com empresas que possuem blogs que se comuniquem com seu público alvo e cujo serviço seja complementar ao seu. Algumas razões e dicas fundamentais:

• Seu artigo pode ajudar a complementar a produção de conteúdo da empresa parceira. Portanto, invista em tópicos que complementem as duas empresas.
• Você conta com a audiência e tráfego que a empresa parceira já construiu.
• Eles serão importantes validadores da sua forma de escrever e tópicos escolhidos.
• Discuta formas de divulgação do conteúdo no blog deles e ofereça contrapartidas. Provavelmente eles solicitarão algum tipo de divulgação para sua base de clientes, em vista de você utilizar o tráfego do blog deles.

Testes seus conhecimentos em Marketing de Conteúdo

Publiquei este texto anteriormente no Blog da Izzui.


Fontes: Content Marketing Mistakes Made in 2015 — and Ways to Improve Next Year – http://pt.slideshare.net/kissmetrics/content-marketing-mistakes-made-in-2015-and-ways-to-improve-next-year
[Quiz] What’s Your Content Marketing IQ? – http://hub.uberflip.com/h/i/8897076-quiz-what-s-your-content-marketing-iq

Cezar Augusto
Author

Graduando de Ciências da Computação na UERJ, Cezar é Growth Hacker na Izzui e associado do fundo de investimento anjo VentureOne. Foi sócio em startups na área segurança da informação, importação, leilão de arte e reflorestamento.

3 Comments

Write A Comment