Mobile first: ser ou não ser

11 de abril de 2018
Share Button

A mobilidade deixou de ser opcional e tornou-se parte integrante da estratégia de varejo. Ser Mobile First é mais importante do que nunca.
Os usuários de smartphones e tablets estão prontos para comprar: o mais recente relatório Webshoppers, da Ebit, revelou que no ano passado, 27,3% das compras online foram realizadas via dispositivos móveis, e estima-se que esse número chegue a 37% até o fim de 2018.
Seja para realizar uma pesquisa inicial sobre um produto, ou efetivamente realizar a compra online, a crescente influência que os dispositivos móveis conectados à internet exercem no e-commerce obriga as lojas virtuais a adotar uma estratégia Mobile First – conceito que prioriza os dispositivos móveis no desenvolvimento e arquitetura dos sites.
Um estudo realizado no Reino Unido pela Ingenico ePayments e Internet Retailing, e que teve como objetivo entender a importância que o varejo atribui ao investimento em inovação para otimizar a experiência do consumidor, revelou que 93% dos varejistas online concordam que a inovação em mobile impacta tanto na lucratividade quanto na satisfação dos consumidores. No entanto, apenas 40% se descrevem como mobile first.
Para muitos varejistas, as estratégias para mobile precisam se desenvolver um pouco mais antes que passem a implantá-las. Mas a verdade é que já há inovação e tecnologia suficientes para oferecer uma experiência móvel sem atritos aos consumidores.
A implementação de chatbots na etapa de pagamento é uma tendência que está começando a ganhar força na América Latina. Isso porque auxilia as lojas virtuais em seus maiores desafios: gera confiança no cliente, evita fatores que podem levar ao abandono do carrinho e converte a interação em uma transação.
Um site lento é equivalente a uma experiência ruim. E à medida que mais e mais consumidores realizam operações a partir de seus dispositivos móveis, eles têm menos tolerância a experiências móveis ruins e acabam se sentindo desencorajados por obstáculos que poderiam ser facilmente evitados pelo varejista. Tudo o que o usuário espera é poder pesquisar um produto por categoria ou preço, acessar facilmente todas as informações necessárias e realizar a compra sem erros ou falhas.
Existe uma linha tênue entre a conversão e o abandono do carrinho. Focar no usuário e colocá-lo no centro de todas as decisões é a chave para o sucesso. Oferecer páginas web responsivas, minimizar o tempo de carregamento da página, fazer uso de soluções inovadoras para permitir pagamentos fáceis, rápidos e seguros, aumenta a confiança e satisfação do cliente.
A oportunidade parece óbvia, mas é vital não deixá-la passar. Dispositivos móveis, incluindo os wearables, serão cada vez mais importantes e se tornarão os dispositivos preferidos das pessoas. Diante de um cenário de crescimento promissor para o mobile commerce neste ano, o investimento na abordagem mobile first se torna essencial para os varejistas que desejam se destacar no competitivo mercado virtual, ao mesmo tempo em que garantem a melhor experiência aos clientes.

Você também vai gostar

E-commerce deve atingir R$ 1 bilhão em vendas no Dia dos Namorad... O comércio eletrônico deve movimentar R$ 1 bilhão com as vendas do Dia dos Namorados, projeta pesquisa da e-bit, empresa especializada em informações ...
Quanto é uma boa taxa de conversão? Qual é a taxa de conversão do seu negócio? Será que ela é uma boa taxa? Saiba a resposta Se alguém respondesse para você qual é uma boa taxa de conver...
Precificação dinâmica é a representação moderna da Lei da Oferta... De manhã, o consumidor acessa uma loja virtual e encontra o produto que tanto procura, mas acha o preço um pouco acima do que esperava. No início da t...
Uber lança novo serviço de entregas A Uber confirmou nesta quarta-feira, 14, um dos principais rumores sobre a companhia que vinham sendo veiculados nos últimos meses: o Uber Rush, um se...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>