Quando falamos em home office, o importante é entender que, apesar de não existir um perfil ideal para a atividade, é possível conhecer as características que favorecem esse profissional e interpretar se a personalidade deles pode interferir nos resultados de quem pretende trabalhar em casa.
Segundo o levantamento feito pela Carreira Muller, na maioria das empresas não há preocupação em identificar o perfil do profissional designado ao home office – apenas 17% dos RHs voltam sua atenção para essa questão.
Para as empresas, no momento de eleger profissionais da equipe para assumirem atividades em home office, alguns pontos podem ser observados pelos gerentes. Já no caso de profissionais autônomos ou que terceirizam alguma função, uma autoavaliação com base dos itens abaixo também pode ajudar:

1- Maturidade Pessoal

A capacidade de administrar as próprias emoções, de forma condizente com o ambiente no qual se insere é uma habilidade que precisa ser dominada pelo profissional, já que ele deverá ser capaz de agir e reagir de forma condizente com o ambiente profissional, apesar de estar em sua própria residência.    

2- Conhecimento técnico

O home office exige a capacidade de resolver sozinho a maior parte dos desafios e a responsabilidade de saber onde procurar as soluções para problemas inéditos, ou que não estejam diretamente relacionados à sua área de especialização.
É imprescindível que o profissional seja um profundo conhecedor de sua área de especialização, domine os recursos técnicos disponibilizados pela empresa e possua excelentes noções dos processos envolvidos.

3- Local de Trabalho

Ambientes barulhentos, desorganizados, ou repletos de possíveis distrações, dificilmente favorecerão o bom desempenho.
Se o profissional tem dificuldade de se concentrar na sua residência, ou não consiga focar no trabalho em ambientes públicos, como cafés, hotéis ou espaços de coworking (trabalho compartilhado) é preciso considerar se ele é realmente o mais indicado ao home office.

4- Perfil Comportamental

Competências técnicas podem ser desenvolvidas por meio de treinamentos específicos, porém, o desenvolvimento de competências comportamentais não é tão simples assim.
Uma das maneiras para resolver e identificar brechas nesses casos, é a aplicação de ferramentas capazes de avaliar o perfil comportamental, como a teoria DISC, a Tipologia de Jung ou o Big Five.
Pode ser que o RH da sua empresa já tenha contato com alguma delas, vale a pena perguntar!
Confira abaixo as áreas elegíveis ao teletrabalho:

Conhecendo as competências necessárias para administrar seu tempo e desempenho para o trabalho em home office, fica mais fácil perceber se essa atividade se encaixa ou não no seu perfil profissional.  Investir no autoconhecimento é um dos segredos para se preparar para essa modalidade de serviço, agora regularizada pela Reforma Trabalhista.

Author

Tornar-se especialista em pessoas e negócios: este tem sido nosso propósito desde 1994. Desenvolvemos soluções exclusivas e customizadas nas áreas de Pesquisa Salarial, Plano de Cargos e Salários, Remuneração Variável, Avaliações de Desempenho e Treinamentos. Também promovemos o desenvolvimento dos profissionais por meio de cursos, workshops e análises de perfis, além de elaborarmos conteúdos exclusivos, que você encontra em nossas postagens no Blog, nossos e-books, infográficos e em nossa Newsletter.

3 Comments

  1. As vezes as pessoas querem empreender de casa e acham que isso pode ser feiro de qualquer maneira, contudo não e bem assim não.
    Eu tiro por mim, pois me distraio fácil e com isso o tempo passa eu quando vejo me ocupei o dia inteiro contudo não produzi muita coisa. O ideal é você ter sempre os horários exatos para trabalhar e de preferencia em um local onde não haja distrações, fazendo assim sua produção será muito melhor.

Write A Comment