O Brasil é um dos maiores consumidores de produtos do e-commerce da América Latina. O brasileiro aumentou ainda mais as suas compras após a necessidade do trabalho remoto, e do isolamento social. Diversas empresas tiveram que voltar os seus enfoques de marketing para a internet.

Além disso, o fato das empresas que oferecem serviços para melhorar os resultados dos esforços das empresas online também ter aumentado mostra que existe um mercado consumidor interessado nesse tipo de serviço. A AWISEE usa a estratégia de link building, por exemplo, para ajudar no ranking das empresas em resultados de pesquisa na Google.

Para ajudar a entender o tamanho do mercado de e-commerce no Brasil, o valor da receita do e-commerce em 2020 foi maior que 126 bilhões de reais. Isso representa mais de 60% de aumento, quando se compara a mesma estatística do ano de 2019. E estima-se que a receita das lojas online cresça ainda mais ao longo dos próximos anos.

Número de consumidores aumenta

Outra estatística que aponta o crescimento vertiginoso do e-commerce no Brasil é a do número de consumidores que usaram esse canal para adquirir produtos ou serviços em 2020. Afinal, em 2018 havia aproximadamente 20 milhões de pessoas consumindo via e-commerce. Entretanto, em 2019, esse número já aumentou para 31 milhões, segundo o portal Statista.

Foi em 2020 que aconteceu o boom do número de compradores via meios digitais. Afinal, aproximadamente 40 milhões de brasileiros se tornaram consumidores do e-commerce. Isso confirma o motivo da receita de lojas virtuais ter aumentado vertiginosamente ao longo dos últimos anos.

Especialistas apontam alguns motivos para o crescimento do e-commerce brasileiro. Dentre eles, está o fato de os brasileiros serem muito ativos nas redes sociais e se adaptarem rapidamente às mudanças do mercado. Além disso, a maior acessibilidade aos dispositivos móveis também permitiu que diversos consumidores pudessem comprar produtos ou contratar serviços usando seus celulares.

Outro motivo para o aumento do e-commerce no Brasil está vinculado ao fato das empresas se adaptarem aos novos meios de marketing online. Afinal, elas saíram da tradicional propaganda paga para outras iniciativas, como contratos com influencers, uso de conteúdo gerado pelos próprios clientes, entre outras estratégias.

Estimativa é de mais crescimento para os próximos anos

Comprar produtos pela internet se tornou algo rotineiro na vida de muitos brasileiros. Além de ter bons preços, quando comparado com o comércio de lojas físicas, as lojas online costumam enviar cupons de desconto, os quais podem ser usados pelo consumidor para adquirir novos produtos.

A logística da entrega e facilidade de pagamento também contribuem de maneira decisiva para que mais consumidores compram pela internet. Possivelmente também haverá novas tecnologias para inovar a maneira que o consumidor adquirir o seu produto ou serviço usando um computador ou celular.

Somente nos Estados Unidos, por exemplo, estima-se que o número de vendas na modalidade virtual suba de 4 trilhões de dólares em 2020 para 5 trilhões de dólares em 2022. Essa estimativa também é válida para outros países, incluindo o Brasil, que tem um mercado consumidor fiel aos sites de vendas pela internet.

Para se diferenciar dos seus concorrentes é essencial que as lojas online busquem dicas de especialistas e alternativas com o objetivo de vender os seus produtos em canais que estejam mais próximos dos seus consumidores. Além disso, o próprio material criativo do marketing deve ser único e seguir os conceitos da marca.

De modo geral, há muito mercado para ser explorado ainda no Brasil quando o assunto é e-commerce. Mas a exploração desse mercado deve ser realizada de maneira assertiva e com produtos de qualidade, focando sempre em oferecer o melhor para o consumidor brasileiro.

Write A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.