Tags Posts tagged with "identidade profissional"

identidade profissional

Por Leonardo Araujo. Anouk Pappers e Maarten Schäfer, os excêntricos fundadores da CoolBrands, palestraram esta semana durante o Cristal Festival 2014. O tema da apresentação foi a economia da reputação e sobre como ela é importante nas relações contemporâneas.

O casal, que viaja pelo mundo criando conteúdo para as marcas, provocou a plateia perguntando: “Por que as pessoas falam conosco?”. De acordo com o casal, as pessoas recebem seus e-mails e “jogam” seus nomes no Google. “E por que um presidente de empresa fala conosco? Por causa da nossa reputação online”, explica Schäfer.

“Sua reputação é uma das coisas mais importantes da sua vida. Vai estar com você pelo resto da vida e influencia diretamente seu negócio”, analisa Anouk. “Você é quem o Google diz quem você é”, enfatiza. Segundo dados revelados pela moça, mais de 80% das pessoas “googam” você antes de decidir marcar uma reunião. “É preciso ter certeza que sua reputação online esteja ótima”, diz.

Leia também: Identidade Profissional no LinkedIn ou CV.doc? Em qual tempo você está?

“As pessoas pedem para que melhoremos suas reputações onlines”, diz Schäfer para depois explicar algumas dicas sobre como fazer isso.

Primeiramente, é preciso definir quem é você, suas crenças, por que você faz aquilo que faz. Outra dica é criar conteúdo, escrever histórias e, na hora de hospedar este conteúdo, procurar sites que apareçam com frequência nos resultados das buscas. “Use plataformas que o Google goste, como o Slideshare, por exemplo”, finaliza o fundador da CoolBrands.

Texto publicado no Adnews.com.br

Falando um pouco mais sobre o assunto. Encontramos este vídeo abaixo com um resumo desta palestra dos fundadores da CoolBrands. Ele está em inglês e sem legendas, infelizmente. No vídeo, Schäfer define em 3 passos simples:

1. Defina o que você representa.
2. Crie conteúdo.
3. Utilize o Google como seu aliado.

Identidade Profissional no LinkedIn ou CV.doc? Em qual tempo você está?

Estando à frente da Universidade Buscapé desde 2012, já faz parte do meu dia a dia receber CVs de pessoas que desejam trabalhar com E-commerce ou Marketing Digital, e me perguntam se eu poderia divulgá-lo para minha rede de contatos.

Minha pergunta padrão de uns tempos para cá é: antes de me enviar seu currículo, me diga como está sua “Identidade Profissional”? E a resposta também padrão que ouço é: hein?

Apesar de esta situação ser recorrente, posso afirmar que em contrapartida uma parcela significativa dos profissionais com quem tenho contato já descobriu que aquela prática de revirar o HD para achar o arquivo “CV.doc” e atualizá-lo com suas últimas experiências profissionais é bem diferente de já possuir um perfil consistente no LinkedIn (e não importa se está a procura ou não de um “novo desafio” ) e frequentemente adicionar novos projetos, cursos, experiências e etc. Em outras palavras, trabalham a sua própria “marca corporativa” , também conhecida por Identidade Profissional.

Uma coisa que poucos sabem é que a verdadeira quebra de paradigma do LinkedIn é dar a possibilidade de se analisar  propostas  de emprego quando justamente não se está precisando e com isso impulsionar a carreira naturalmente.

Se você ainda não está convencido desta tendência aí vão alguns dados interessantes sobre o LinkedIn:

 Desde que fincou escritório no Brasil no final de 2011 viu sua rede expandir de 6 para 15 milhões e no mundo já soma mais de 300 Milhões de perfis. Veja também: LinkedIn ultrapassa Twitter como rede social mais usada no Brasil.
 A ferramenta Job Recruiter que permite aos recrutadores de qualquer empresa pesquise com precisão um perfil na rede é a principal fonte de receita do LinkedIn, ao contrário do Google e do Facebook que ainda são muito dependentes do faturamento dos anúncios.
 É possível aumentar muito a visualização do seu perfil simplesmente deixando-o mais completo e atualizado, pois isso é um dos principais parâmetros considerados nos resultados de busca.
 No mundo o segundo segmento de maior aderência de Medicina e Saúde, mostrando que a  ainda existe  muito a crescer no Brasil em termos de novos perfis de profissionais.
 80% das pessoas que acessam o Linkedin não estão procurando emprego, mas sim consumindo conteúdo e se relacionando com sua rede contatos. Leia mais: Qual rede social usar: Dois Contextos, Dois Mindsets.
 O Slideshare é uma empresa do LinkedIn e isso possibilita o uso de apresentações de forma simples e totalmente integrada no perfil.
 Suas funcionalidades mudaram muito nos últimos dois anos, estão mais amigáveis, o design mais bonito e cada vez mais parecido com seu “primo”, o Facebook.

É fato que não basta simplesmente sair recheando de texto o seu perfil. Para obter os melhores resultados é preciso entre várias coisas, fazê-lo de forma organizada, usar corretamente o endosso da sua rede de contatos e obviamente manter absoluta veracidade no conteúdo apresentado.

Como este assunto apesar de não ser novo, está começando a ganhar forca na carona do crescimento acelerado do LinkedIn, começam a surgir cursos, e-books e posts em blogs especializados sobre o tema.

E então? Bora se informar e dar aquele lustre nos bytes da sua Identidade Profissional?