• Avatar
  • por Fernando Coratella
  • Cursou eletrônica na UTN Buenos Aires – Argentina, empreendedor por natureza. Sempre dedicado a tecnologia na comercialização de computadores e partes, trabalhando para vários distribuidores de Miami, FL. Fez consultorias de importação e comercialização para empresas como Targus, BlackBerry (acessórios), Logitech e Belkin e diversos distribuidores da área de informática no Brasil. Participou na Startup de Distri em Latinoamerica nos anos 2011/2013 sendo responsável pelo Brasil. Começou na área de e-comerce no ano 2005 com suas próprias e depois fez a gestão das lojas virtuais da BlackBerryShop (oficial), Loja Targus (oficial), Loja Edifier (oficial), MercuryShop. Atualmente dedica-se a consultoria de e-commerce e se tornou um dos maiores especialista em marketplace (implantação e gestão).

Amazon.br – Por que as vendas do marketplace são fracas?

11 de dezembro de 2017
Share Button

Como todos sabemos, Amazon é a criadora do marketplace, está presente em vários países do mundo e com muito êxito. Mas, aqui no Brasil, talvez por algum motivo estratégico que fez com que lançassem rapidamente a categoria de Eletrônicos e logo depois a de Casa. As vendas não corresponderam ao esperado, pelo menos, para pessoas como eu, que vendemos em vários marketplace locais há alguns anos.
Vou mencionar alguns dos motivos, que humildemente, acho que estão atrapalhando as vendas em Amazon.br.
É um fato que para a maioria dos consumidores brasileiros, Amazon não é um site de compras conhecido, apesar de estar na liderança globalmente. Me chamou muita atenção que na própria sexta-feira da Black Friday, em horário nobre (novela e Jornal Nacional) na Globo por exemplo, todos os marketplaces publicitavam suas ofertas, e Amazon, zero. Até Google Adwords deu uma caída violenta. Falta publicidade massiva.

Frete

Incrivelmente não é possível subir uma simples planilha dos Correios, transportadora ou integrar com algum hub de logística e dessa forma ter um frete competitivo. Pelo contrário, o seller deve criar sua própria tabela no mesmo site.
Obviamente não está pensado para Brasil. O comprador brasileiro quando procura por um produto, a primeira coisa que deseja saber é, “quanto irá pagar de frete”. Pois bem, isso ele ficará sabendo na etapa final somente antes de concluir o pedido, ou seja, deve previamente fazer o login na conta ou efetuar o cadastro na Amazon.
Seria muito mais simples, e como na maioria dos e-commerces, na mesma página do produto, calcular o frete colocando o CEP correspondente.

Descrição do Produto

Contrariamente ao site americano, é simplesmente um TXT difícil até de ler. Isso acontece mesmo enviando dados até com fotos na descrição, como é o meu caso, igual ao site americano.

Boleto bancário

Todos sabemos que apesar de ser uma pedra no sapato para nós sellers, é um mal necessário, já que uma porcentagem grande de compradores (no meu caso 35%) utilizam este meio de pagamento. Pois bem, a Amazon não tem.

Frete Grátis

Não apresenta relevância na página do produto. Também não tem como filtrar para saber qual dos sellers ofertam determinado produto com frete grátis. Novamente, para o comprador brasileiro é muito importante o valor não só do produto.

Catalogação de produtos

Este é um ponto extremamente positivo. Subir um produto por integração ou manualmente é muito simples e RÁPIDO, apesar de alguns poucos problemas de matching. Ao contrário, de alguns marketplaces muito conhecidos que até hoje, depois de 3 anos, alguns SKU’s ainda não foram catalogados.
Texto publicado anteriormente no Coratella.com.br
Leia também:

O que a Netshoes pode ensinar aos lojistas de marketplace?

Você também vai gostar

Um e-commerce B2B que leva almoço para sua empresa todos os dias... Para você que é fascinado por e-commerce e, mais ainda, por modelos de negócios não tradicionais, aqui está mais um exemplo de como uma empresa começa...
Como fazer boas fotografias de produtos e aumentar suas vendas “Como eu posso tirar fotografias de produtos que desperte interesse em meus visitantes?” A resposta é a mesma para 90% das respostas do mundo desde...
Site responsivo, dedicado ou aplicativo: qual a melhor estratégi... 168 milhões. Em maio deste ano, esse será o número de smartphones em uso no Brasil. De acordo com a 27ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecno...
Loja virtual: O que uma página lenta pode fazer com suas vendas O tempo que uma página leva para carregar costuma ter um impacto bastante relevante nas vendas. Isto acontece porque, ao perceber que o site está leva...
E-commerce fatura R$1,9 bilhão no Dia das Mães 2017, alta de 16%... Vendas superaram a expectativa; tíquete médio dos presentes alcançou a marca de R$417 O faturamento do e-commerce no Dia das Mães, celebrado no dia 1...
Você conhece os direitos do e-consumidor que compra na sua loja?... Um dos pontos mais importantes para ter um e-commerce de sucesso é conhecer os direitos do e-consumidor que compra na sua loja. O empresário que se pr...
Preciso precificar produtos da loja virtual, e agora? Um dos pontos mais sensíveis da operação de um e-commerce é a precificação dos produtos. Em linhas gerais, os empresários levam em consideração dois f...
Como fazer seu e-commerce faturar mais sem conquistar novos clie... Depois de montar uma loja virtual e sentir o gosto das primeiras vendas, é natural que o empreendedor procure diariamente por novos clientes. Afinal, ...
SaaS x On-premises x Open Source: Qual plataforma de Ecommerce e... Ecommerce não é um bicho de sete cabeças, talvez seja mais difícil escolher o que assistir no Netflix do que definir o modelo ideal de plataforma para...
Twitter Commerce: Rede Social pode lançar serviço de comércio el... Twitter Commerce: O Twitter pode se associar a um site de e-commerce para possibilitar o comércio eletrônico dentro do próprio microblog. Documentos q...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>