Com o crescimento da prática, muito se debate sobre as diferenças entre fazer dropshipping nacional ou dropshipping internacional. Afinal, não há necessidade de se ter um estoque físico para armazenar seus itens, o empreendedor consegue vender as mercadorias apenas intermediando o cliente e o fornecedor.

O dropshipping vem sendo uma excelente oportunidade de empreendedorismo dentro da rede! Com diversas vantagens e benefícios observados até então, essa modalidade apresenta um baixo custo aplicado em seu investimento inicial, graças a ausência do inventário físico e, também, com a facilidade em sua administração.

Não se engane ao pensar que tudo é tão simples quanto aparenta ser! É necessária muita organização e disciplina na administração deste processo, que se inicia pela seleção dos seus fornecedores. Por isso, é importante compreender todas as diferenças, assim como os prós e os contras de se optar pelo dropshipping nacional ou pelo dropshipping internacional.

O que veremos neste post:

  • O que é dropshipping nacional?
  • Como ele é feito?
  • Vantagens e desvantagens do dropshipping nacional
  • O que é dropshipping internacional?
  • Como ele é feito?
  • Vantagens e desvantagens do dropshipping internacional

Confira tudo abaixo:

O que é dropshipping nacional?

No geral, o dropshipping se trata de um modelo de comércio no qual um empreendedor, responsável por ter uma loja online ou página em algum marketplace, vende seus produtos pela internet sem ter um estoque físico deles.

Basicamente, a função do comerciante é apenas de promover, negociar e vender os produtos do fornecedor, online. E, bem, no caso do dropshipping nacional o fornecedor se encontra no mesmo país que a loja e que o cliente que receberá o produto.

Pelo simples fato do fornecedor estar localizado no mesmo país que as outras partes envolvidas no processo, vemos algumas vantagens na realização do dropshipping nacional. Principalmente pela comunicação, que por ser na mesma língua, no mesmo local e na mesma moeda, torna a negociação bem mais fácil.

No modelo de dropshipping nacional, o consumidor entra em contato com a sua loja e seleciona o produto desejado. Você, como empreendedor responsável pelo intermédio entre o cliente e o fornecedor, avisará ao seu fornecedor sobre a demanda.

Com isso, o fornecedor nacional se encarregará de entregar a mercadoria ao cliente. Por se tratar de um dropshipping nacional, há certos benefícios como a língua ser a mesma, agilidade da operação e negociação na mesma moeda.

Vantagens e desvantagens do dropshipping nacional

A verdade é que, por mais que o dropshipping nacional não seja o mais realizado dentro da modalidade, esta é uma excelente forma de se começar no universo do empreendedorismo virtual. Há diversas vantagens pelo fato do fornecedor estar no Brasil, que facilita tanto a comunicação entre os processos como também todo o funcionamento logístico.

Dentre as vantagens presentes no dropshipping nacional, podemos citar o baixo custo exigido dentro do investimento inicial, justamente pela ausência da gestão do estoque físico e de toda a logística presente na entrega dos produtos. E não para por aí! Todos os custos são reduzidos como consequência: ou seja, temos um processo barato de se investir.

Além disso, outra consequência bem positiva a respeito da ausência de um inventário é a facilidade em administrar o seu negócio. A gestão basicamente vai se resumir em marketing, atender os clientes e em comercializar os produtos.

Por último, temos a redução de riscos e a facilidade em realizar alterações nos produtos. Mas como assim? Digamos que um determinado item esteja em baixa e não venda como você queira. Simplesmente, para resolver esse problema, você pode colocar outro no lugar sem ter prejuízos, já que, no caso, você não adquiriu o produto e revendeu em seu estoque.

Por sorte, as desvantagens do dropshipping nacional são bem menores do que suas vantagens, e se resumem apenas a limitação no número de fornecedores nacionais e ao tipo de produto disponível. Além disso, a concorrência dentro do mercado também acaba se mostrando bem elevada.

O que é dropshipping internacional?

Bom, enquanto o dropshipping nacional consiste na elaboração do modelo com fornecedores nacionais, o dropshipping internacional é justamente o contrário: neste tipo, utilizamos fornecedores de fora do país para vender seus produtos aos clientes do mesmo país.

Acaba que o dropshipping internacional é o mais popular dentro do comércio online, porque diversos empreendedores preferem encomendar os produtos com fornecedores de fora do país e enviar diretamente para os clientes. Dentre as plataformas mais usadas para realizar o dropshipping internacional, temos a famosa AliExpress, Alibaba e Oberlo.

Como ele é feito?

É mais complicado realizar o dropshipping internacional do que o nacional, e há toda uma burocracia envolvida nesse processo. Primeiramente, devemos montar uma empresa nos Estados Unidos, para facilitar todo o processo de enviar a mercadoria para clientes norte-americanos.

Esse processo de abertura não é complicado, mas precisa de atenção e correto planejamento para escolher o local no qual será aberto. Duas excelentes recomendações são na Flórida ou em Delaware.

Além de abrir uma empresa, para atuar com dropshipping internacional, você precisa também de um EIN: um documento para sua empresa atuar de forma legal para manter todas as taxas e os impostos em ordem.

O restante do processo é bem semelhante com o de dropshipping nacional: invista em encontrar bons fornecedores e traçar estratégias de marketing digital eficientes, de forma que você garanta uma boa captação de clientes e cresça com sucesso!

Conclusão

Tanto o dropshipping internacional como o dropshipping nacional apresentam suas vantagens e desvantagens. Acaba que escolher um bom fornecedor e investir em uma estratégia de marketing digital sólida, além de garantir a melhor experiência de compra possível para o cliente, se tornam fatores primordiais para o sucesso.

O dropshipping é uma crescente no mercado atual, ainda mais por conta das limitações impostas pela crise de saúde, o mercado online disparou e com ele essa modalidade mais simples, sem investimentos grandes de início.

 

Author

Formado em Engenharia pela Escola de Engenharia Máua, pós-graduado em Marketing pela ESPM e com especialização em marketing para internet pela University of California, Irvine, atua no segmento de comércio eletrônico desde 1999. Passou pelos portais UOL e Terra, Mkteam e Escalena, onde atuou na implementação das lojas virtuais da Tim Brasil, Arno, Philco, TNG, Klueber do Brasil entre outras. Foi sócio-diretor da Universidade Buscapé Company e atualmente é Diretor responsável pelos treinamentos de E-commerce e Marketing Digital na Impacta Treinamentos.

Write A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.