• Daniel Cardoso
  • por Daniel Cardoso
  • Formado em Engenharia pela Escola de Engenharia Máua, pós-graduado em Marketing pela ESPM e com especialização em marketing para internet pela University of California, Irvine, atua no segmento de comércio eletrônico desde 1999. Passou pelos portais UOL e Terra, Mkteam e Escalena, onde atuou na implementação das lojas virtuais da Tim Brasil, Arno, Philco, TNG, Klueber do Brasil entre outras. Foi sócio-diretor da Universidade Buscapé Company e atualmente é Diretor responsável pelos treinamentos de E-commerce e Marketing Digital na Impacta Treinamentos.

E-commerce deve voltar a crescer dois dígitos e faturar R$ 53,4 bilhões

29 de agosto de 2018
Share Button

Segundo a última edição do Webshoppers apresentado pela Ebit/Nielsen no dia 29/08, nem greve dos caminhoneiros e nem a Copa do Mundo impediu o crescimento do e-commerce brasileiro que faturou R$ 23,6 bilhões no primeiro semestre, registrando um crescimento de 12,1%. Um dos principais motivos foi um pequeno aumento no tíquete médio de 3,8% em relação ao mesmo semestre de 2.017.
Já a estimativa para o final do ano, apesar do fator “eleições 2018”. é de fechar em R$ 53,4 bilhões, como mostra o gráfico abaixo:

Abaixo alguns dos destaques apontados pelo relatório no primeiro semestre do ano:

  •  27,4 milhões de consumidores, sendo que destes 4,5 milhões são estreantes
  •  a categoria Saúde / Perfumaria foi a campeã em volume de pedidos desbancando a categoria de Moda e Acessórios
  •  32% das transações do e-commerce forma feitas por meio de dispositivo móvel (alta de 41%)
  • 18% foram feitos pelas classes A e B, a C representou 36%, e a D e E somaram 46%
  •  43 foi a idade média assim como no primeiro semestre de 2.017 
  •  54,4 milhões de pedidos gerados
  • 61,2 % dos pedidos vieram da região Sudeste  e a Sul foi a que mais expandiu com alta de 24% comparativamente a 2.017.

O relatório traz ainda uma visão detalhada sobre as vendas no chamado Digital Commerce, categoria que agrega venda de produtos novos e usados de empresas para consumidores (B2C) e de consumidores para consumidores (C2C), além de serviços (turismo, locação de veículos e Ingressos).
Por fim, esta edição traz uma abordagem especial sobre o panorama da logística no e-commerce mostrando entre outras informações,  o share entre Correios x Transportadoras e seus respectivos desempenhos.
Para baixar gratuitamente o relatório completo, basta acessar a página do Webshoppers no site da Ebit e preencher o formulário online.

Você também vai gostar

Dia das Mães 2017 movimentará R$ 1,73 bilhão no comércio eletrôn... Uma das principais datas do calendário nacional do varejo eletrônico é o Dia das Mães. Neste ano, ele será comemorado no dia 14 de maio e já existem p...
E-commerce já tem 51,3 milhões de consumidores no Brasil A 29ª edição do Webshoppers, da E-bit, traz o balanço completo do e-commerce brasileiro em 2013 e aponta o mobile commerce como tendência para 2014. D...
CEO aos 22 anos, empreendedor grego-alemão aposta no mercado bra... Em 2012, com apenas 22 anos, o jovem empreendedor grego-alemão Panayotis Nikolaidis já fundava a sua primeira empresa: a Panna Cotta Voucher Group, es...
Guia de marketing gratuito para o Pinterest Apesar de não ser uma das redes sociais mais populares no Brasil, o Pinterest é uma plataforma poderosa para o seu marketing digital. Com um mecanismo...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Um comentário sobre “E-commerce deve voltar a crescer dois dígitos e faturar R$ 53,4 bilhões”

  • Eu trabalho com desenvolvimento de software e desde de 2012 todos nossos clientes vem através do nosso site. Aprendemos a otimizar sites para os buscadores e hoje isso se tornou outra fonte de receita da is2 e programas de afiliados e desenvolvimento de websites.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>