• Daniel Cardoso
  • por Daniel Cardoso
  • Formado em Engenharia pela Escola de Engenharia Máua, pós-graduado em Marketing pela ESPM e com especialização em marketing para internet pela University of California, Irvine, atua no segmento de comércio eletrônico desde 1999. Passou pelos portais UOL e Terra, Mkteam e Escalena, onde atuou na implementação das lojas virtuais da Tim Brasil, Arno, Philco, TNG, Klueber do Brasil entre outras. Foi sócio-diretor da Universidade Buscapé Company e atualmente é Diretor responsável pelos treinamentos de E-commerce e Marketing Digital na Impacta Treinamentos.

E agora? Você, freelancer ou agência de e-commerce?

26 de junho de 2018
Share Button

Muitos empreendedores e profissionais da área de e-commerce quando estão em um bom treinamento do ramo, ouvem desde de o início do curso que subestimar o esforço de marketing que terá fazer no seu dia a dia, significa reduzir significativamente as chances de sobrevivência da loja. E agora? Você, freelancer ou agência de e-commerce?
Lá para o meio do curso já vejo alguns alunos um tanto preocupados pensando pra onde correr quando o orçamento é reduzido.
E realmente a preocupação é válida pois no lançamento de uma loja são muitas as preocupações, e fica difícil pensar em marketing quando ainda se está por exemplo aprendendo a gerenciar o fluxo do pedido. Todos que passam por isso sabem que o checklist do e-commerce é grande.
Existem 3 alternativas para encarar a tarefa de implementar campanhas de marketing e fazer a manutenção semanal medindo resultados e fazendo ajustes:

  • fazer cursos na área de marketing e chamar a responsabilidade para si;
  • contratar freelancers no mercado;
  • contratar agências digitais especializadas em e-commerce;

Vamos dar uma olhada com mais calma em cada uma delas.

Primeira opção

É a mais difícil sem dúvida. Conheço alguns casos de empreendedores que eram verdadeiros “exércitos de um homem só” e cuidavam de praticamente tudo no início da operação. É claro que isso pode ser mantido por apenas algum tempo até progressivamente ser delegado para funcionários ou terceiros. Isto por que quando a loja pega “tração” e ultrapassa 20 pedidos dia por exemplo, é provável que este empreendedor cometa erros críticos  ou então fique estafado com a sobrecarga pondo em risco o seu  negócio. Além de, é claro, considerar os investimentos que ele deverá fazer para se capacitar em áreas chaves do marketing digital como SEO, E-mail Marketing, Mídias Sociais, Google Analytics, entre outras.

Segunda opção

Contratar um profissional de mercado para serviços temporários, mais conhecido como “freela”. Em um tempo não muito distante isto poderia ser uma decisão arriscada pois é comum no mercado histórias de contratações que começam bem, mas depois o profissional não entrega o que foi pedido, ou some do projeto, ou então nunca está disponível nas situações de urgência. É claro que não se pode generalizar, mas o fato de se contratar uma pessoa e não uma empresa tem este lado da moeda: menos retaguarda.
Hoje felizmente, portais especializados em disponibilizar freelancers e além dos reviews de clientes que ajudam bastante na contratação a intermediação entre as partes dá segurança para ambos os lados. Se der errado o contratante tem seu dinheiro de volta e o contratado também é pago caso o intermediador entenda que o serviço foi executado (ainda que o contratante diga o contrário). Ok, está resolvido o problema então? Não exatamente.
Não é fácil achar profissionais que tenha um bom conhecimento em todas as áreas necessárias. Os poucos que tem cobram um valor alto pelo serviço, e os mais acessíveis são especializados, ou seja ou é bom em SEO, ou Mídias Sociais, ou E-mail Mkt, etc.
Oh-oh…aí fica caro ter um time de especialistas.

Terceira opção

Bom chegamos a última alternativa, contratar uma agência. A pergunta que normalmente vem à cabeça do empreendedor é  ” mas não é muito caro?”
Realmente na maioria das vezes boas agências com foco em e-commerce realmente são. Masss… existem agências com foco em pequenas em médias que podem caber no bolso de quem está começando. O problema que vejo é que mais uma vez como no caso dos freelancers a maioria não tem uma abrangência grande de serviços e acabam sendo boas em áreas específicas do marketing digital.
A essa altura você empreendedor deve estar pensando:

“então não tem pra onde fugir?”

Não tinha. Começa a surgir no Brasil o conceito de agência acessível e que monta pacotes de serviços para atender de forma efetiva o que o lojista precisa na fase em que se encontra e por um ótimo custo benefício.
A primeira que conheci é SOS E-commerce, mas com certeza outras virão pois a ideia é muito boa. Explicando sucintamente o lojista pode iniciar com um serviço básico de R$ 499,00 por mês que irá lhe atender de início com as principias demandas (e-mail marketing, banner, suporte técnico), e pode ir agregando os pacotes conforme vai crescendo seu faturamento (suporte para marketplace), ou mudar para um plano mais completo.
É inevitável vir a minha cabeça a comparação com o mercado de academias de bairro que foi engolido pelo conceito da SmartFit que conseguiu a baixo custo e ótima qualidade uma grande massa de alunos que viram seu dinheiro muito mais valorizado no novo modelo de serviço.
E você, já passou pela situação de não saber o que escolher para definir sua operação de marketing digital? Divida conosco no campo de comentários abaixo!

Você também vai gostar

O logo é o ativo estratégico de marketing mais importante que um... Um logo é muito possivelmente o ativo estratégico de marketing mais importante que uma empresa pode ter. Além da vantagem óbvia de criar reconheciment...
Múltiplo Retargeting: como criar campanhas efetivas usando mais ... No retargeting de e-commerce, a performance é o que importa no fim do dia. E muitos anunciantes já enxergam na estratégia de múltiplo retargeting uma ...
Qual a melhor loja virtual de 2016? Consumidores de todo o Brasil já podem escolher suas prediletas do e-commerce. A votação para a escolha das Lojas Mais Queridas de 2016 será realizada...
E-commerce cresce 51% na Black Friday 2014 Foram registrados mais de 2 milhões de pedidos na Black Friday 2014. Na busca pela melhores ofertas, usuários aumentam em quase 500% acesso ao site do...
Aprendendo sobre liderança com gigantes do e-commerce No Retail's Big Show 2013, um dos principais eventos sobre varejo que acontece durante o ano, a especialista em e-commerce Fiona Dias apontou as quat...
3 boas práticas no e-commerce que as indústrias podem aproveitar... Seja pela praticidade ou por encontrar condições melhores, os usuários têm incorporado em sua rotina as compras pela internet. Tal atitude já é notada...
E-mail marketing e datas comemorativas: 6 erros de estratégia As datas comemorativas são uma ótima oportunidade para criar ações temáticas e incentivar as vendas. Nesse cenário, o e-mail marketing é provavelmente...
Como fazer seu conteúdo se tornar viral Quantas vezes você se deparou com algum vídeo, aplicativo ou qualquer tipo de conteúdo que, da noite pro dia, estava na boca do povo, nos trending top...
Como funciona a Automação de Marketing Por Alex Kantrowitz, do Advertising Age. Você seria perdoado por pensar que “Automação de Marketing” é um termo estranho, se não contraditório. Até po...
Os Dados da Audiência são o combustível da Publicidade Digital... Embora já existam há vários anos, o mercado começou 2015 numa onda forte: dados da audiência. Para muita gente - e muita gente boa, aliás - dados são ...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

4 comentários sobre “E agora? Você, freelancer ou agência de e-commerce?”

  • Gustavo Pacheco says:

    Hoje em dia, procurar uma solução que atenda o empresário na fase inicial do e-commerce é difícil. Liguei para diversas agências para acompanhar meu e-commerce e, o papo, proposta era sempre semelhante, inclusive o custo. Conheci os serviços do SOS E-Commerce através de um e-mail marketing que recebi no começo de junho, liguei para o pessoal e fui informado dos planos e condições, repassei o conteúdo ao meu chefe junto com os outros orçamentos e assinamos o plano intermediário do SOS que trabalha com as criações de banners e e-mail marketing. Estou gostando bastante do trabalho deles!

  • Oi! Quero criar um negócio de comércio eletrônico que seja uma boa ideia. É muito inovador e vai resolver uma necessidade que a internet ainda não cobre. Gostaria de saber como posso fazer para que o negócio funcione e não fique sozinho em poucos meses de bom trabalho.

  • Bruno, talvez, você só conheça a SOS por ela estar fazendo divulgação junto ao portal Profissional de E-commerce. Tenho que dizer que fiquei decepcionado com o portal por publicar esse tipo de conteúdo patrocinado (seria melhor dizer marketing oculto).
    Na verdade existem dezenas de empresas que prestam esse tipo de serviço no Brasil. Várias delas com planos mensais mais completos e mais baratos que a SOS.
    Bruno, se quiser se informar melhor e conhecer alguns bons exemplos visite: bertholdo.com.br e brtloja.com.br
    Gostaria de não encontrar esse tipo de marketing em um portal tão qualificado quanto o Profissional de E-commerce. Realmente vocês me decepcionaram!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>