• Daniel Cardoso
  • por Daniel Cardoso
  • Formado em Engenharia pela Escola de Engenharia Máua, pós-graduado em Marketing pela ESPM e com especialização em marketing para internet pela University of California, Irvine, atua no segmento de comércio eletrônico desde 1999. Passou pelos portais UOL e Terra, Mkteam e Escalena, onde atuou na implementação das lojas virtuais da Tim Brasil, Arno, Philco, TNG, Klueber do Brasil entre outras. Foi sócio-diretor da Universidade Buscapé Company e atualmente é Diretor responsável pelos treinamentos de E-commerce e Marketing Digital na Impacta Treinamentos.

18 tendências do e-commerce para se observar em 2019

20 de dezembro de 2018
Share Button

O monitoramento das tendências do comércio eletrônico não deve ser feito apenas por “hobby”. Cada tendência precisa ser analisada e adotada no devido tempo, se ela realmente impulsionar sua marca de e-commerce – caso contrário, você corre o sério risco de cair drasticamente diante de sua concorrência.

À medida que avançamos para 2019, apresentamos dezoito tendências do comércio eletrônico para manter o controle em 2019 e nos próximos anos.

[Tendência do e-commerce # 1] O varejo evoluirá ou continuará a morrer

O varejo tradicional está morrendo lentamente, simplesmente porque está se recusando a evoluir na taxa exigida. Quando seu consumidor só se envolve com a marca  no nível da transação financeira e tudo depende de desconto e preço, sua empresa está se preparando para ser adquirida pelos maiores players do varejo online.

O que fazer?

Se você está no mundo do varejo, tome medidas para diversificar seus pontos de contato com o cliente, inovar online e também dentro de sua loja física para manter a lealdade do cliente – apesar da poderosa Amazon.

[Tendência do e-commerce # 2] Os consumidores vão impulsionar a inovação no varejo

Quando você sabe o que seus consumidores pensam de você, a inovação se torna mais fácil. Portanto, espere ver marcas e consumidores chegarem ainda mais perto em 2019. O eBook de Kyösti Pennanen, “Os estágios iniciais da construção de confiança no consumidor no comércio eletrônico” explica bem como e por que os consumidores que entendem os produtos da marca e querem se envolver em todos os aspectos da marca.

O que fazer?

Concentre-se em ampliar e prestar atenção à voz do seu cliente. Receber feedback com frequência, oferecer pesquisas e implementar suas ideias.

[Tendência do e-commerce # 3] Chatbots se tornará uma parte padrão do kit de ferramentas de comércio eletrônico.

Os chatbots estão mudando a experiência do consumidor de e-commerce para melhor, e isso só continuará em 2019. Eles removem um monte de atrito da jornada padrão do cliente, e é por isso que 48% dos consumidores preferem se conectar a uma empresa via chat ao vivo do que qualquer outro meio de contato de acordo com a Hubspot, e 35% dos consumidores querem ver mais empresas usando chatbots segundo a Ubisend.

O que fazer?

Se você ainda não o fez, agora é um bom momento para investir em um construtor de chatbot ou em uma agência que possa ajudá-lo a criar um chatbot personalizado para gerar engajamento, vendas e melhor suporte ao cliente.

[Tendência do e-commerce # 4] Fabricantes vão se engajar diretamente com os consumidores.

A tendência do Direct-to-Consumer (DTC) continuará em 2019 e nos próximos anos. Fabricantes como Unilever e Casper já começaram a tirar proveito das plataformas de experiência digital , mídias sociais e marketing online geral para alcançar seus clientes diretamente.

O que fazer?

Se você é um fabricante, o caminho para vender diretamente aos consumidores agora está mais curto e mais acessível do que nunca. Tudo o que você precisa fazer é encontrar a plataforma de experiência digital correta – idealmente como SaaS  – e você terá todas as ferramentas de que precisará.

[Tendência do e-commerce # 5] Smart home assistants e sistemas de reconhecimento de voz emergirão como um novo campo de batalha do e-commerce

De acordo com a eMarketer, em 2017, 35,6 milhões de americanos usaram um dispositivo ativado por voz pelo menos uma vez por mês – um aumento de 128,9% em relação a 2016. E se você acha que 2018 trará qualquer coisa além de crescimento para esse mercado, você precisa repensar.

O Eco da Amazon, o Google’s Home e o Homepod da Apple impulsionarão o setor, deixando as marcas de comércio eletrônico com a tarefa de migrar para esses novos canais com experiências de clientes com experiência de voz.

O que fazer:

O lançamento do Alexa Skill Kit é atualmente o caminho mais fácil (e melhor) para o mercado de smart home assistant. Essa plataforma de experiência digital  ajudará você a gerenciar esse novo canal e os futuros canais que surgem e não se esqueça de otimizar seu site para pesquisas por voz.

[Tendência do e-commerce # 6] As plataformas SaaS para e-commerce continuarão sendo as marcas de primeira escolha voltadas para o crescimento

As plataformas SaaS trazem velocidade e estabilidade como nenhum sistema local poderia. As empresas de plataforma SaaS para e-commerce continuarão aprimorando seus produtos e adicionando novos recursos para manter seus clientes na vanguarda das vendas e marketing.

O que fazer:

Se você ainda não usa uma plataforma de comércio eletrônico SaaS, agora seria um bom momento para fazer a mudança. Novos canais estão surgindo, o panorama está mudando e, portanto, os benefícios de um modelo de e-commerce SaaS nunca foram tão atraentes.

[Tendência do e-commerce # 7] Machine Learning e o e-commerce assistido por inteligência artificial deixarão “mais suaves” os funis de vendas

A inteligência artificial continuará reduzindo o atrito no processo de compra em 2019. Plataformas com tecnologia AI também começarão a fornecer experiências e campanhas de marketing mais direcionadas e personalizadas, o que impulsionará as vendas on-line.

O que fazer

O e-commerce baseado em IA ainda está em sua infância, mas agora é a hora de se familiarizar com os benefícios da incorporação da IA ??à sua marca por meio de campanhas de chatbots e de personalização.

 

[Tendência do e-commerce #8] As plataformas de análise continuarão a evoluir

À medida que novos canais surgem, as plataformas de análise novas e existentes precisam estar lá para fornecer os dados. Além disso, em 2019, as plataformas de análise podem além de auxiliar o marketing  ajudar a melhorar o desenvolvimento de produtos, preços e retornos.

O que fazer:

Se você ainda usa o Google Analytics sozinho, talvez seja hora de atualizar e obter dados de outros canais, além de dados mais abrangentes relacionados diretamente aos seus funis de vendas. Afinal, os dados alimentam a inovação.

[Tendência do e-commerce # 9] Negócios na Amazônia seguirão imbatíveis (no mercado americano)

O Amazon Business, o mercado B2B onde a Amazon combina mais de 30.000 vendedores (sem mencionar a própria Amazon), teve US $ 1 bilhão em vendas no primeiro ano e está crescendo 20% a cada mês. Em 2019, você pode esperar que eles continuem obtendo sucesso.

O que fazer

Corra e se esconda! Brincadeirinha 🙂 – há muitas maneiras de sobreviver no varejo online dominado pela Amazônia. Isso inclui um nicho de mercado, a criação de seus próprios conjuntos de dados e o trabalho de fornecer uma experiência de compra verdadeiramente exclusiva.

Tendência do e-commerce #10] O crescimento do e-commerce B2B irá acelerar.

À medida que as margens são espremidas no segmento B2B, os canais digitais continuarão a abrir novos mercados e reduzirão o atrito em atingir os clientes-alvo.

Na verdade, de acordo com a Forbes, a Forrester estima que o comércio eletrônico B2B superará US $ 1,1 trilhão e responderá por 12,1% de todas as vendas B2B nos EUA até 2020.

O que fazer

Nesse mesmo artigo, o Gartner também previu que, em 2019, 40% dos sites de comércio digital B2B usarão algoritmos de otimização de preços para fornecer preços de produtos dinamicamente. Se você ainda não está fazendo isso, seu próximo passo está claro.

[Tendência do e-commerce #11] Morte do intermediário

Com as marcas descobrindo maneiras de atingir diretamente o consumidor final, o intermediário sentirá o aperto. A cadeia de suprimentos provavelmente deixará de existir quando os fabricantes encontrarem formas de se envolver diretamente, melhorando as margens e se aproximando do consumidor.

O que fazer

Se você é um intermediário, talvez seja hora de sair do jogo de corretagem e entrar no setor de consultoria de vendas e marketing – porque seus clientes estão indo diretamente para o mercado, você gostando ou não.

[Tendência do e-commerce #12] Pagamentos móveis vão aumentar

As empresas de pagamento padronizarão a abordagem dos pagamentos, tornando o processo de compra mais simples, mais rápido e mais seguro. As estatísticas mostram que a receita global de pagamentos móveis de 2015 a 2019 subirá de US $ 450 bilhões para US $ 1 trilhão + em 2019.

O que fazer

Avalie seus gateways de pagamento – você está pronto para aceitar pagamentos móveis na loja e on-line? Se não, você sabe o que fazer.

[Tendência do e-commerce #13] Esperar ainda mais clubes de assinatura

O mercado de assinatura de caixa de produtos explodiu nos últimos anos, com as empresas de plataformas SaaS de assinatura surgindo para facilitar o  seu boom. Em 2019, você pode esperar que grandes jogadores, como a Blue Apron e a Dollar Shave Club, façam grandes movimentos, já que o tráfego para os sites de serviços de assinatura subiu 18% em janeiro, de acordo com a Hitwise. Embora seja um crescimento saudável, está bem acima do ganho de 56% registrado um ano antes.

O que fazer:

Se o comércio eletrônico baseado em assinatura faz sentido para a sua marca, você pode se interessar pela prática ao lançar uma caixa de assinatura que apresenta complementos interessantes ou extra do catálogo existente.

[Tendência do e-commerce # 14] As marcas se unirão para criar mercados maiores

O combate a gigante Amazon fará com que os concorrentes e os players de produtos complementares trabalhem juntos para criar mercados específicos para a indústria com acesso a grandes estoques  de produtos.

O que fazer:

Se você não vê esse tipo de colaboração em sua própria indústria, talvez deva ser o instigador? Mas pise com cuidado, você ainda está lidando com concorrentes.

[Tendência do e-commerce # 15] Micro Influenciadores continuaram a impulsionar as vendas.

Influenciadores não são apenas celebridades da lista D, eles têm influência real e tangível. 70% dos consumidores da geração do milênio são influenciados pelas recomendações de seus pares nas decisões de compra, de acordo com uma pesquisa de marketing de influência conduzida pela Collective Bias. A mesma pesquisa revelou que 30% dos consumidores são mais propensos a comprar um produto recomendado por um blogueiro que não seja de celebridades.

O que fazer

O marketing de influenciadores ainda está subvalorizado, e se você puder encontrar influenciadores em seu nicho no Instagram, LinkedIn, Facebook ou Twitter, seria sensato investir de forma constante, responsável, mas pesadamente.

[Tendência do e-commerce # 16]  Maior adoção de estratégias de expansão digital em primeiro lugar (digital-first)

O crescimento da marca será impulsionado por estratégias digital-first em 2019, embasadas por dados e análises. As marcas usarão ativos digitais para abrir novos mercados, impulsionar campanhas online focadas e encontrar grupos específicos de consumidores que, para em seguida, lhes dirigir estratégias para a loja física.

O que fazer

Se o digital não é sua principal preocupação em 2019, algo está muito errado. Mercados off-line estão se tornando cada vez mais locais de caça perigosos, enquanto novos canais digitais estão dando às marcas a oportunidade de “disrupção“. Se você ainda não estiver online, mude sua estratégia.

 

[eCommerce trend # 17] O fufillment chega à economia compartilhada

Aqui estou eu realmente “chutando a bola pra cima” – mas um pressentimento é um pressentimento. É muito provável que alguém lance um serviço de atendimento compartilhado em 2019, como a Instacart para marcas corporativas, que interromperá o mundo da logística de terceiros e melhorará a entrega de produtos para a casa.

O que fazer

Espere que o serviço surja e tire vantagem, ou seja aquele que sai e faz acontecer. De qualquer maneira, é uma boa notícia para os varejistas online e más notícias para as transportadoras.

[Tendência do e-commerce # 18] O e-commerce com Blockchain se tornará realidade

Não estou falando de uma loja de comércio eletrônico que aceita Bitcoin – estou falando de uma plataforma de comércio eletrônico (ou cadeia de plataformas) que funciona com base no sistema blockchain, levando segurança e velocidade no mundo do comércio eletrônico a um novo patamar com os intermediários empurrados para fora da cadeia, e os princípios de blockchain sendo adotados.

O que fazer

Para o varejista médio, essa tendência é um jogo de espera. À medida que sistemas com blockchain se tornam mais amplamente aceitos e compreendidos, devemos vê-los se infiltrar no mundo do comércio eletrônico – potencialmente através de plataformas totalmente novas. Até então, segure firme.

Fonte: coredna  por Sam Saltis

Você também vai gostar

Blog e e-commerce: uma relação mais do que necessária Blog e e-commerce: Blogs têm ocupado cada vez mais espaço para trazer a relevância ao invés da propaganda, tornando-se uma sutil e eficiente ferrament...
Como começar a vender pela internet gastando menos Em um determinado momento eu pensei em chamar esse artigo de “Aprenda a vender pela Internet como mortais que nós somos“. Explicando: Eu acho muito in...
Digital Trade Marketing aumenta vendas do e-commerce A necessidade de um bom planejamento de alocação de produtos e a garantia de execução podem ser fatores que trarão o sucesso ou fracasso a uma marca, ...
Instagram para vendas e negócios Usando o Instagram para negócios e branding Apenas criar uma conta no Instagram, sem atualizar com frequência ou postar fotos de banco de imagem não é...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>