Big Data e Small Data: como revolucionar a relação com o cliente no e-commerce

10 de maio de 2017
Share Button

A transformação de dados em informações úteis e em resultados é uma das operações mais valiosas para o lojista moderno. O volume de informações gerado pelos consumidores a cada dia pode servir para a construção de inúmeros insights estratégicos. Sendo assim, as principais metas da loja virtual devem sempre girar em torno dos clientes e da análise de dados. Porém, o sucesso só chega quando as ações definidas são realizadas com excelência.
Captar, analisar e transformar informações em resultados positivos é o que acontece quando se aplica os conceitos de Small Data e Big Data. Entretanto, cada modelo de inteligência tem sua finalidade.
O Big Data é um conceito que trabalha com a análise de um grande volume de dados gerados pelos consumidores online. Ou seja, o foco está na quantidade, e não na qualidade das informações geradas. Este conteúdo está na web e pode ser encontrado em diferentes fontes: CRM, ERP, nas redes sociais, entre outras. Por esse motivo, são chamados de “não estruturados”, pois, ao serem encontrados, não estão prontos para gerar insights positivos para a empresa. Eles precisam ser agregados e analisados, e, a partir disso, estarão aptos a serem transformados em informações úteis que auxiliem na gestão da empresa.
Já o Small Data tem como foco a qualidade dos detalhes dos dados. Ao serem encontrados, estão prontos para serem aplicados nas estratégias de gestão e relacionamento com o cliente. Ele permite que as empresas conheçam a fundo o seu público, identificando características e intenções nas suas relações com a marca. Com isso, é possível que as demandas dos consumidores sejam tratadas de maneira única, e a eles seja oferecido exatamente aquilo que buscam.
A loja que atua com o conceito Small Data consegue identificar o comportamento de uma variedade de perfis ao ter acesso ao histórico de interações de cada visitante de seu site. Essas informações são valiosas, mas, para conquistar o cliente de maneira efetiva, é preciso saber o momento certo para abordá-lo, enviando recomendações personalizadas ou até mesmo ofertas de produtos que estão de acordo com o seu perfil.
Um exemplo de ação eficiente é oferecer melhores experiências de compra aos consumidores, especialmente para quem visita o site sem concluir uma transação, como disponibilizar diferentes métodos de pagamento. Outra alternativa importante é a exibição de itens mais próximos ao que ele procura, ou o envio de uma mensagem personalizada convidando o cliente a concluir com desconto ou frete grátis uma compra abandonada no carrinho.
Existem no mercado diversas ferramentas de análise de dados que podem ser incorporadas à loja virtual por meio de uma integração via API com a plataforma. Desta forma, todas as informações ficam centralizadas no ERP e, assim, o lojista não perde tempo cadastrando duas vezes um mesmo produto, além de encontrar de maneira mais fácil os dados gerados pelos clientes ao trafegarem pelo site.
Ao estabelecer esta rotina operacional, fica possível potencializar o uso do Big Data e conciliá-lo a soluções em Small Data, gerando insights específicos que podem ser aplicados em estratégias de amplo impacto para alcançar o grande objetivo de aumentar as vendas.

Você também vai gostar

Magento 1 x Magento 2: vale a pena migrar? Apesar de ter sido lançada há quase um ano, muitos empreendedores ainda têm dúvidas quanto ao uso da versão 2.0 da plataforma Magento e se vale a pena...
Como configurar SEO para E-commerce Magento Quando o assunto é plataforma de e-commerce, o sistema Magento é apontado como uma das mais soluções mais completas do mercado, além de ser a mais usa...
Buy Box: A posição que você precisa almejar em um marketplace Um consumidor entra em um marketplace e faz a busca por um determinado produto. Apesar dos muitos vendedores, um deles é destacado como "Melhor Oferta...
Agora é a hora da rede: A importância do Walmart.com brasileiro ... Por que a enorme aposta do WalMart no e-commerce brasileiro será decisiva para o futuro das compras online no país – e para a sobrevivência da maior ...
Eu uso. Tu usas. Ele usa. Mas o que é Usabilidade e como é que n... O que é usabilidade e como ela influencia processos e serviços O termo usabilidade tem aparecido de forma bastante frequente em diversos conteúdos da ...
Livestream para e-commerce: Uma poderosa ferramenta de Marketing... A criação de conteúdo original através de posts em blogs e redes sociais têm sido uma poderosa ferramenta para gerar leads. Com a interação contínua, ...
Vendas para o Dia dos Namorados devem crescer em 2014 graças à C... Copa do Mundo deve colaborar para crescimento de 35% na busca por produtos em comparação com 2013.  São Paulo, junho de 2014 – O Dia dos Namorados dev...
8 e-books grátis para inspirar o empreendedor E-books grátis. Para cuidar bem de uma pequena empresa é preciso manter-se sempre atualizado sobre o mercado, as finanças e os conceitos mais avançado...
Marketing digital: 3 regras para explorar a concorrência saudáve... A transformação digital já é realidade. Segundo uma pesquisa da Dentsu Aegis Network, os gastos publicitários globais com mídia digital devem som...
Amazon.br – Por que as vendas do marketplace são fracas? Como todos sabemos, Amazon é a criadora do marketplace, está presente em vários países do mundo e com muito êxito. Mas, aqui no Brasil, talvez por alg...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Um comentário sobre “Big Data e Small Data: como revolucionar a relação com o cliente no e-commerce”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>