Os marketplaces se tornaram uma oportunidade para empresas venderem os seus produtos e serviços pela internet.

Prova disso é a quantidade de vendas desse modelo de negócio, que só em 2017 chegou a R$ 112,2 bilhões, segundo pesquisa da Webshoppers.

Uma das razões do crescimento do marketplace é a quantidade de transações nessas plataformas, que já representam 52% das vendas online.

Mas, muitos empreendedores têm dúvidas sobre qual plataforma de marketplace escolher para aumentar as vendas.

E nesse conteúdo, confira as principais dicas para escolher um marketplace e tornar o seu negócio mais lucrativo.

Vantagens do marketplace

Os marketplaces são shoppings virtuais em que diversas empresas exibem e vendem produtos entre si, plataforma utilizada por 54% dos entrevistados, de acordo com a Rock Content.

Esse modelo de loja online é uma boa alternativa para as pequenas empresas, pois elas têm menores custos com hospedagem e divulgação dos produtos.

Isso porque todo o gerenciamento de identidade visual, hospedagem e posicionamento do marketplace é feito pelos próprios operadores.

Com os marketplaces, a empresa passa a ter mais alcance, pois essas lojas tem bom posicionamento nos sites de busca, algo que ajuda no grande número de acessos.

E com grande número de acessos, maiores são as chances do seu produto ser encontrado por clientes interessados em comprar o produto.

Além disso, o marketplace permite o contato direto com os clientes, algo que facilita a venda dos produtos para o seu cliente.

Como escolher a melhor plataforma marketplace

Por conta dos benefícios dessas plataformas, muitas empresas se interessam nos marketplaces para aumentar as vendas pela internet.

Mas, para escolher a melhor plataforma de marketplace, o empreendedor precisa tomar alguns cuidados.

Pensando nisso, é necessário ter atenção nesses passos na escolha da melhor plataforma de marketplace:

1- Escolha o nicho de mercado

No Brasil, existem mais de 14 mil lojas marketplace, de acordo com estudo da Precifica. Devido ao alto número de plataformas, é fundamental escolher a mais adequada para o seu negócio.

Se sua empresa é do ramo alimentício, é necessário escolher plataformas que vendam produtos da mesma linha.

Veja também se a plataforma tem disponíveis categorias do seu produto, pois isso vai facilitar o posicionamento e identificação do seu produto na plataforma.

2- Veja o suporte e atendimento do site

Como a gestão da plataforma é feita pelo operador do marketplace e é preciso um suporte de qualidade para resolver os problemas que podem aparecer.

Portanto, veja se a plataforma oferece uma gama de canais de atendimento como redes sociais, e-mail, telefone, chat e a página de FAQ da plataforma.

Veja também se a resposta do suporte é rápida, eficiente e que mostre o status de resolução do problema.

Isso porque o lojista fica mais seguro que os operadores vão resolver os problemas. Isso é a base de um bom serviço de suporte.

3- Tenha atenção na equipe

A próxima etapa na hora de escolher um marketplace é saber da equipe operacional e de gestão, pois essa informação é importante antes de colocar sua empresa na loja.

Veja na internet a avaliação dos marketplaces feitas pelos lojistas para saber o tempo de experiência da equipe e sua qualificação.

Isso é importante porque sua empresa estará em uma plataforma confiável e não terá dores de cabeça no futuro.

4- Tecnologia utilizada pelo marketplace

Assim como a análise na qualidade da equipe e do suporte, outro elemento importante para a empresa escolher a loja marketplace é a tecnologia.

Veja se a plataforma tem boa estabilidade de navegação, é rápido e responsivo, fatores importantes na experiência do usuário.

Um site com tecnologia de qualidade é fundamental nas vendas, pois são menores as chances de perder vendas devido a falhas no sistema de terceiros e problemas que deixam o site fora do ar.

5- Saiba a taxa do serviço

Nos marketplaces, o pagamento do lojista a plataforma é feito por dois meios: uma cobrança mensal pela instalação da empresa na plataforma e outra é por meio de uma taxa por cada venda concretizada.

Para escolher o marketplace correto, o lojista precisa analisar as taxas de serviço e o impacto que pode gerar no preço final do produto. Pois, taxas mais altas podem inviabilizar estratégias agressivas de venda, como promoções.

Além disso, o custo deve ser analisado juntamente com os serviços prestados de suporte, atendimento, entre outros. Esses elementos são importantes para não ter problemas futuros no pagamento de um marketplace ineficiente.

A fragilidade jurídica dos pequenos empreendedores no marketplace

Aumente as suas vendas com Marketplaces

Se sua empresa está precisando aumentar as vendas dos seus produtos, o marketplace pode ser a solução.

Isso porque os marketplaces são plataformas que aumentam a visibilidade das empresas, devido ao seu posicionamento nas páginas de busca.

Esses shoppings virtuais estimulam a competitividade entre as companhias, pois uma pequena empresa pode vender produtos no mesmo espaço que as multinacionais.

Assim, a empresa que investir em marketplaces tem mais chances de serem encontrados pelos clientes e superar a concorrência.

52% das lojas estão em um marketplace, como se destacar?

Mateus Portela
Author

Mateus Portela é Assessor de Imprensa do Marketing para Indústria, blog que produz conteúdos sobre indústria 4.0, vendas pela internet, e marketing digital.

Write A Comment