• Avatar
  • por Thiago Sarraf - Dr. E-commerce
  • Consultor, Professor, Palestrante, Investidor Anjo e Empresário. Especialista em E-commerce e Internet, Thiago Sarraf é formado em Marketing e possui especialização em Negociação, Certificado em Google Adwords e Analytics. Sarraf já desenvolveu mais de 150 lojas virtuais e já trabalhou na Compaq, HP, Microsoft, Locaweb, iG, UOL. É colunista e articulista dos portais iMasters e E-commerce Brasil.

Mulheres ou Homens? Como cada público se comporta no ato da compra

15 de julho de 2014
Share Button

Não é novidade dizer que homens e mulheres são muito diferentes e que se comportam de maneira distinta no convívio com os amigos, com a família, no trabalho e em diversas outras situações. Porém, você consegue identificar de que forma essas diferenças se manifestam no ato da compra?
Em relação à escolha da loja, por exemplo, os homens se mostram mais fieis a uma marca, escolhendo pela qualidade do produto e do atendimento, enquanto as mulheres preferem pesquisar preços e aproveitar melhores condições de pagamento. Para elas, abertas à experimentação, comprar em lojas variadas é muito mais simples do que para os homens, que também não costumam estar dispostos a procurar por novas opções.
De acordo com dados da Pesquisa de Orçamento Familiar do IBGE, aliás, houve uma mudança de hábitos de consumo: as casas que são sustentadas por mulheres tendem a ter despesas menores que as chefiadas por homens, que gastam mais em alimentação, vestuário, combustível, assistência à saúde, educação, entre outros, até pelo fato de, geralmente, contarem com ‘maiores salários.
A transformação dos hábitos familiares promoveu as mulheres à posição de administradora das despesas e dos recursos da casa. Quando passaram a definir as compras no supermercado, o destino da viagem de fim de ano, o modelo do carro e outras questões financeiras, as mulheres passam a consumir cerca de duas vezes mais que os homens. O público feminino brasileiro consome mais e mais a cada ano.
Em relação ao Comércio Eletrônico, por sua vez, como fica esta questão? Praticamente da mesma forma. De acordo com uma pesquisa da E-bit, homens e mulheres estão praticamente empatados entre os consumidores online. A diferença é que as mulheres lideram o número de usuários que compram pela primeira vez na internet. O crescimento da participação feminina no e-commerce foi de 93%, contra 61% do público masculino.
Em relação ao comportamento feminino na web, destacam-se algumas particularidades. As mulheres costumam ser mais receptivas e engajadas em promoções, por outro lado, são mais receosas com as propagandas, preferindo comprar quando recebem alguma indicação confiável. Além disso, são seletivas, exigentes e buscam a satisfação pessoal – muitas vezes, compram para realizar um sonho ou desejo antigo. Mais atento aos diferenciais, o público feminino busca qualidade, durabilidade e conforto e não se deixa levar apenas pela aparência dos produtos.
As mulheres consumidoras costumam escolher produtos com os quais se identificam, ou que, pelo menos, saibam diferenciar suas vontades e necessidades das dos homens. Campanhas que remetam à família ou a outra situação que envolva sua sensibilidade costumam dar certo. O mesmo ocorre para os homens que, em geral, são mais atraídos pelo design e desempenho do objeto de desejo, como é o caso das campanhas de automóveis, por exemplo.
Neste quesito, o mais importante para uma loja virtual é saber diferenciar seus clientes, transformando suas particularidades em formas de instigá-lo a conhecer mais sobre seus produtos. O gênero é uma forma bastante comum de segmentação, que pode ser usada em diversas situações: quando se vende um produto utilizado por homens e mulheres, como é o caso dos cosméticos para o cabelo, e se quer mostrar artigos específicos para cada um deles (como cremes de barbear para homens e tratamentos capilares para mulheres); quando se quer promover a venda de um presente para o sexo oposto; quando se oferece um produto unissex, mas quer chamar a atenção de homens e mulheres de forma distinta (e mais específica), entre outras maneiras.
Utilizando essas dicas, fica fácil atrair diversos tipos de consumidores para a sua loja virtual. Reformule suas estratégias e boas vendas!

Você também vai gostar

Como garantir os direitos do consumidor e do lojista Quando surgiu, em 1990, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) somou de forma considerável para a garantia dos direitos do cliente em sua relação com ...
Qual a melhor loja virtual de 2016? Consumidores de todo o Brasil já podem escolher suas prediletas do e-commerce. A votação para a escolha das Lojas Mais Queridas de 2016 será realizada...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

3 comentários sobre “Mulheres ou Homens? Como cada público se comporta no ato da compra”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>