Startups desenvolvem soluções para driblar os gargalos do transporte de carga, no Brasil

O PIB (Produto Interno Bruto) do setor de transporte e armazenagem cresceu 2,2% em 2018, chegando a R$ 256,08 bilhões. O índice é o dobro do crescimento do PIB total da economia, que avançou 1,1% no ano passado, atingindo R$ 6,83 trilhões, segundo dados do Boletim Economia em Foco, divulgado pela CNT (Confederação Nacional do Transporte).

As deficiências do setor começam a ser supridas por modelos com base tecnológica, startups que oferecem soluções para lidar com problemas que envolvem desde altos custos, armazenagem, até falta de transparência no processo de entregas.

Apesar do movimento de inovação ser grande, os gargalos da logística ainda geram perdas no setor, devido à problemas como a infraestrutura rodoviária, segurança, alta taxa de tributação, falta de cuidados durante o transporte, dificuldade de transportar produtos com medidas maiores que as padrões e até, a sazonalidade das próprias empresas, que gera complicações corriqueiras como o atraso das entregas.

Nesse cenário, esferas com falhas usuais na logística recebem novas iniciativas, que modernizam os modelos antigos, geram mais qualidade à todas às etapas do processo de entrega e impulsionam o setor à necessária adaptação à era tecnológica.

Para uma boa gestão de logística na era tecnológica, é necessário que as empresas realizem um planejamento direcionado à otimização do processo de entrega e cumpram os prazos do consumidor millenium.

Todas as informações devem ser abertas ao cliente, e na própria plataforma ser possível acompanhar o valor e o prazo de entrega em tempo real e escolher o período de coleta, com o intuito de não gerar uma experiência negativa para ao consumidor.

Marketplace e a etapa mais importante para o consumidor: a entrega

As expectativas para o setor logístico em 2019 são positivas, pois as projeções para a expansão do PIB são de 2,5%, segundo os dados da CNT. Entender a relevância da tecnologia na gestão dos procedimentos é vital para a sobrevivência de empresas que mantêm o modelo logístico comum.

Ficar atento às movimentações no segmento, como o crescimento dos marketplaces, e desenvolver soluções específicas para as necessidades dele é essencial.

Para se ter ideia da dimensão desse mercado, somente neste ano, o Mercado Livre anunciou um investimento de R$ 3 bilhões dedicados às suas operações no Brasil, a fim de incrementar a área logística e acelerar a velocidade de entregas das mercadorias.

Cláudio Alvadijan
Author

Cláudio Alvadijan, especialista em logística e CEO da Movetogo. A Movetogo é uma plataforma online onde qualquer cliente pode solicitar uma cotação e contratação de coleta e retirada de encomendas, de uma maneira simples e rápida. A empresa atua em todo Brasil e atende consumidores e empresas de todos os portes. A segurança das entregas é garantida pela parceria com a seguradora Porto Seguro e a startup tem iniciativas diferenciadas, como a aferição do peso e tamanho dos produtos no momento da retirada.

Write A Comment