• Renann Mendes
  • por Renann Mendes
  • Branding, Content Marketing e Comunicação. Sou Sócio-fundador do Profissional de E-commerce. De jan/2018 a jan/2019, liderei os times de Branding (Content Marketing, PR, Social Media e Branding), Product Marketing, área de cursos da Foxbit, fintech de criptomoedas e o projeto e primeiro ano de atuação do Cointimes. Entre ago/2016 e set/2017 atuei como head da área de Marketing da Ebit, empresa Buscapé Company, hoje Nielsen, referência em informações, certificação de lojas e inteligência de e-commerce. Entre 2012 e 2016, participei ativamente da estruturação da startup Universidade Buscapé Company, entrei na coordenação de treinamentos de E-commerce e Marketing Digital. Lá assumi também a coordenação de Marketing Digital e Conteúdo da Uni Buscapé e do Profissional de E-commerce. Desde 2013, ministro aulas de Marketing de Conteúdo para E-commerce na Faculdade Impacta e em algumas empresas de internet no formato workshop. Você pode encontrar mais informações em meu perfil do LinkedIn ou marcando um café! ;)

Mesmo com 6 meses de crise E-commerce fatura mais que em 2014

19 de agosto de 2015
Share Button

“Analisamos com muita atenção esta história de crise e resolvemos que vamos ficar de fora.”
A crise econômica do Brasil bateu forte no e-commerce também, como em muitas outras áreas de negócio que temos no país. Porém, mesmo com a estagnação de número de pedidos, o faturamento cresceu.
Com menos dinheiro, o consumidor opta pela compra mais consciente, isso explica a leve queda no crescimento de número pedidos e o aumento significativo do tíquete-médio (13%), fato que permitiu o crescimento no faturamento do primeiro semestre. São R$ 18,6 bilhões de reais em 2015 contra R$ 16,1 bilhões de reais no primeiro semestre de 2014.

vendas-online-s12015

A 32ª Edição do Relatório E-bit WebShoppers divulgada na última semana traz muito mais detalhes sobre o comportamento de compra do consumidor durante a crise econômica. O consumidor, por exemplo, prefere comprar à vista ou em até 3 parcelas, 54,2%, e apenas 3,59% parcelaram acima de 11 vezes.
Confira um panorama geral das informações em nosso infográfico:

webshoppers-2015-1-semestre2

Veja também: Todos os números do e-commerce no Brasil

Evolução de e-consumidores

No Brasil 17,6 milhões de pessoas fizeram pelo menos uma compra online no primeiro semestre de 2015, representando assim uma queda de 7% se comparado com o mesmo período de 2014.

evolucao-econsumidores-s12015

A região que mais consome online no país é disparada a Sudeste, com expressivos 64,5% de participação no mercado de e-commerce brasileiro. Bem distantes vêm as segunda e terceira colocadas, as regiões Sul e Nordeste com 13,9% e 12,7% respectivamente.

Categorias mais vendidas

Moda & Acessórios segue na liderança como categoria que mais vende pela Internet, com 15% de participação no volume de pedidos. Em seguida, estão Eletrodomésticos (13%) que subiu da terceira para segunda colocação, Telefonia & Celulares (11%), Cosméticos & Perfumaria/Cuidados Pessoais/Saúde (11%), atrás por casas decimais e Livros/Assinaturas & Revistas (8%) para completar as cinco primeiras posições.

categorias-mais-vendidas-s12015

Mobile Commerce

O crescimento de vendas via dispositivos móveis continuou seu crescimento, porém parece ter sofrido uma leve desaceleração. Chegou à representativos 10,1% de participação em todo o mercado online. No primeiro semestre de 2014 este número era de 7% e fechou o ano com 9,7% de participação em todo o mercado.
Seis meses depois, o crescimento é mais modesto, porém se mantém, são 0,4% a mais em participação em todo o mercado.
Veja também: todos os números do e-commerce no Brasil. O relatório Webshoppers completo está disponível para o download gratuito no site Ebit.com.br/WebShoppers.

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

Um comentário sobre “Mesmo com 6 meses de crise E-commerce fatura mais que em 2014”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>