Existe um monstro que aterroriza todo e qualquer empreendedor com uma loja virtual. Ele tem um nome feio, é impiedoso, e quem ainda não sofreu com ele é um sortudo. Seu nome: Chargeback.
Mas onde vive, como se relaciona, do que se alimenta o Chargeback? Você não precisa assistir ao Globo Repórter para saber. O chargeback acontece quando o pagamento de uma compra é cancelado pela operadora de cartão de crédito.

Os dois principais motivos do chargeback aparecer para assombrar são: má fé da parte do cliente e fraudes virtuais. Estes são reconhecidos pelas operadoras através da divergência de cadastro, ou então do próprio cliente que, para tirar vantagem, entra em contato com a bandeira de cartão de crédito informando que não reconhece a compra de um determinado produto.
A consequência é a seguinte: o valor do produto é estornado e o lojista fica sem o produto e o dinheiro. Além disso, o empreendedor acaba tendo prejuízo administrativo, financeiro e fiscal. É preciso, portanto, ser mais criterioso nos processos de análise de risco. Semana que vem traremos um artigo falando mais a respeito sobre isso.
Até, fique sempre alerta e tome cuidado com o monstro Chargeback!

Avatar
Author

É formado em administração de empresas com especialização em Marketing digital e gestão de vendas e apaixonado por tecnologia e comercio eletrônico. No mercado de tecnologia desde 1997. É um dos sócios da D Loja Virtual e é o responsável pela área comercial e marketing da empresa.

6 Comments

  1. Pingback: Dicas de como fazer análise de risco em lojas virtuais.

  2. Avatar

    não concordo…
    a má fé dos cliente como um dos principais motivos de chargeback.
    o principal, sem dúvida é a fraude e a segunda a divergencia e não entrega de mercadoria.
    [email protected]

  3. Avatar

    Cara, você foi muito simplista em relação ao Chargeback. Esqueceu de falar, dentre muitas coisas, que há um número enorme de fraudes feitas pelas lojas virtuais, muito maior que as fraudes feitas pelos portadores dos cartões.

  4. Pingback: Loja virtual: como garantir segurança para seus clientes

Write A Comment