Tags Posts tagged with "newsletter"

newsletter

Com a tecnologia, as empresas multiplicaram as ferramentas de marketing capazes de alcançar o cliente. Redes sociais, e-mail marketing e SMS são apenas algumas das formas de converter leads e aumentar as vendas, mas as empresas precisam entender que o cliente não quer ser contatado apenas com a clara intenção de venda.

Para criar um relacionamento mais duradouro e demonstrar que se preocupa com ele sem interesses, é necessário investir em marketing de conteúdo. E a newsletter é uma das ferramentas mais simples de se fazer isso. Quer saber o que é newsletter e como ela vai te ajudar na conversão de leads?

O que é newsletter?

Também chamada de boletim informativo, a newsletter é uma publicação fixa da empresa para seus clientes e potenciais clientes. Assim como jornais e revistas, ela tem periodicidade, linha editorial, linha visual, etc. Pode ser enviada inclusive em formato de jornal, impressa, mas o mais comum é por meios eletrônicos, em especial, via e-mail.

Por ser mandada por e-mail, muitos a confundem com e-mail marketing. Diferentemente do e-mail marketing, a newsletter é mais focada em produção de conteúdo que em vendas. Seu objetivo não é ser uma mala direta para estampar promoções e novidades da marca, mas sim para trazer informações relevantes ao público que se interessa por assuntos relacionados à empresa.

Essa é outra característica exclusiva da newsletter. Ela não chega para pessoas aleatórias. Em geral, ela é entregue apenas para as pessoas que optaram por receber esse conteúdo da empresa, em geral ao preencherem seu cadastro em um formulário online.

Por serem direcionadas apenas para quem quer receber este tipo de material, as newsletters já começam em vantagem em relação ao e-mail marketing, sendo assim, é trabalho das empresas atender e até superar as expectativas dos clientes para não acabar caindo na famosa caixa de spam.

Como não se tornar spam?

Para manter o interesse dos clientes e potenciais clientes no conteúdo da newsletter é essencial que a empresa dedique tempo na criação de cada boletim. Independente de sua periodicidade, a newsletter precisa trazer novidades, ter uma linguagem clara e objetiva, com mensagens curtas e de fácil leitura.

O objetivo desse meio de comunicação é criar vínculos com o leitor, uma relação mais longa que, logo, é conquistada a longo prazo. Se a empresa quer ganhar conversões a curto prazo, não deve investir na newsletter. Se ela não oferecer nada de útil ao leitor, inevitavelmente acabará caindo na caixa de spam, sem trazer resultados nem a curto nem a longo prazo.

Trabalhe conteúdos que sejam interessantes, sem estender o assunto. O material precisa ser dinâmico, objetivo e criativo. Uma boa estratégia é segmentar as newsletters, criando conteúdos para nichos dentro do mercado da marca.

Por exemplo, uma empresa de cosméticos pode direcionar um boletim sobre cuidados com mechas apenas para clientes que têm esse tipo de tinta no cabelo. Para isso, é essencial criar uma base de e-mails bem detalhada e utilizar boas ferramentas de automação.

Como saber se a estratégia está funcionando?

Para saber se a newsletter enviada está realmente sendo vista e bem recebida pelo seu público-alvo, existe uma série de métricas a serem analisadas. Em geral, a própria ferramenta de automação no envio de e-mails desse tipo entrega taxas de cliques, como a quantidade de pessoas que abriram o e-mail.

Se a taxa de rejeição for alta, você pode rever o que pode ter dado errado naquela newsletter (o título, o horário de envio, a segmentação escolhida) e reenviá-la com adaptações ou, pelo menos, levar o aprendizado para a criação de novas estratégias.

Por meio de ferramentas como o Google Anaytics, é possível analisar outras métricas importantes também para campanhas via e-mail, como as newsletters. Uma prática muito comum, por exemplo, é incluir no boletim links para conteúdos publicados recentemente no blog da empresa. É possível, então, determinar quais cliques de um post vieram por meio da newsletter nesse caso.

Como monitorar todas as ações do visitante através de uma URL personalizada

Como se destacar na caixa de entrada?

Por ser uma ferramenta ágil, barata e eficaz, cada vez mais empresas vêm usando a newsletter para ter um contato mais próximo com seus clientes. Mas como se destacar em meio a tantos e-mails recebidos todos os dias?

O primeiro passo é criar um título atraente, sucinto e objetivo, que mostre claramente o que o cliente encontrará caso clique no seu e-mail. Hoje em dia é possível inserir até emoticons animados no título do e-mail, então não tem desculpa para não usar a criatividade nesse meio. 😉

Tratar o cliente de forma única e especial, personalizando o conteúdo também gera muitos pontos para a empresa. Um jeito simples de fazer isso é colocando o nome de cada usuário no título da mensagem. Outra forma é inserindo um nome no e-mail de remetente e uma assinatura de alguém real da empresa. Os clientes se sentem muito mais atraídos quando conversam com alguém do que quando recebem um e-mail de naoresponda@lojavirtual.com, por exemplo.

Qual a periodicidade ideal?

Por ter um objetivo a longo prazo, os disparos de newsletter não precisam e nem podem ser muito frequentes. Empresas que mandam conteúdos novos diariamente a seus clientes acham que entregam newsletters, mas na verdade estão mandando spam.

Mesmo que o cliente tenha solicitado o envio da newsletter, ela deve ser enviada com parcimônia, de forma que o cliente tenha uma boa surpresa sempre que receber uma nova mensagem da marca em sua caixa. Newsletters semanais, quinzenais e até mensais tendem a ter mais eficácia que as com frequência mais curta.

Uma marca de roupas femininas, por exemplo, pode mandar uma newsletter mensal com as novidades da loja e opções de combinação de peças para sua cliente. Ela vai ficar muito mais interessada nos produtos do que se recebesse e-mail marketing diário com fotos de peças novas.

Como você viu, a newsletter é uma arma poderosa, mas apenas se for bem utilizada. Se o seu negócio for uma empresa que vende soluções de informática para executivos, por exemplo, não é interessante colocar emoticons de bonequinhas dançantes no título da sua newsletter. Já se você vender roupas para meninas adolescentes, essa linguagem pode alcançá-las de forma mais certeira.

O importante é adaptar a sua linguagem e saber que o cliente, antes de se tornar um lead para a sua empresa, é uma pessoa, com interesses, gostos e afins. Hoje em dia, a empresa que não valoriza a geração de conteúdo, perde uma oportunidade incrível de converter as pessoas em clientes fiéis.

Os títulos das nossas newsletters são importantes para atrair a atenção do leitor, por isso eles devem ser totalmente verdadeiros quanto ao que será apresentado no conteúdo. Conheça um truque usado pelo Twitter Counter.

E-mail marketing: título malandro rende cliques, mas desagrada.

Por Hugo Pascoal: Meses atrás recebemos uma newsletter do Twitter Counter com o seguinte título:

53unfollows

O quê, perdemos 53 seguidores? Assim de repente? Mas quem e por quê?

Lógico que a minha reação como gestor foi clicar imediatamente no link para verificar os dados na íntegra, afinal, 53 seguidores é um bocado de gente. E sempre trabalhamos duro para fidelizar, oferecer qualidade e um bom relacionamento. Estava ansioso para saber que bagunça fizemos.

Por que é que todas essas pessoas deixaram de seguir vocês no Twitter?

Não deixaram.

O quê? Jura?

Naquele período perdemos apenas dois seguidores e ganhamos cinco. Nada de anormal, portanto.

Mas então o título daquele e-mail…

Foi uma traquinagem da empresa para “obrigar” os clientes a abrir o e-mail e clicar.

Nunca nos passaria pela cabeça que o Twitter Counter faria tal coisa. Aliás, inicialmente até pensávamos ter-se tratado de uma simples falha nos códigos de personalização deles. Afinal, se têm acesso aos dados dos “unfollows”, seria de se esperar que pegassem nesses dados e os incorporassem no título do e-mail enviado a cada usuário (no nosso caso ficaria, por exemplo, “2 people unfollowed you on Twitter. Learn who they are!”). Assim ganhariam simultaneamente um título apelativo e uma excelente demonstração da própria funcionalidade que estavam anunciando.

Mas basta uma pesquisa rápida no Google para confirmar que aquele aterrador “53 people unfollowed you on Twitter” foi realmente o título de todos os e-mails que o Twitter Counter enviou aos usuários!

Mas crédito a quem merece: com tudo isto, o Twitter Counter conseguiu arranjar um dos títulos mais eficazes que alguma vez vimos! É impossível não ir lá imediatamente abrir e clicar, sobretudo para quem faz gestão de redes sociais. É uma pena que tenham usado esse título da pior forma possível.

Então deduzo que nunca mais vão querer ver e-mails do Twitter Counter?

Precisamente o contrário (embora tenhamos tido vontade disso quando vimos que nos tinham sacaneado). O Twitter Counter continua tendo diversas ferramentas e estatísticas úteis para gerir perfis do Twitter e parece que se aperceberam do erro que cometeram, dado que pouco tempo depois deste e-mail enviaram outro que somente perguntava (e ainda bem) “Who unfollowed you on Twitter?”.

Qual a lição a reter então?

Muito, muito cuidado ao pensar em usar títulos e assuntos “criativos” e fortemente agressivos. O limite entre sensacionalismo e charlatanice é tênue. Os seus subescritores podem estar dispostos a perdoar um embuste desses… Mas nunca se esquecerão dele. [Webinsider]

Texto do Hugo Paschoal publicado no WebInsider.com.br.