• por Keine Monteiro
  • Com 9 anos de experiência no exterior, é graduado em Desenvolvimento Web e Pós-Graduado em Inteligência de Mercado na FIA. Especialista de Inteligência de Mercado da e-bit desde 2008, faz parte do grupo de desenvolvimento do relatório anual mais importante do comércio eletrônico do Brasil, o WebShoppers. Oferece apoio direto a varejistas fazendo apresentações com relatórios de mercado.

A líder China

19 de janeiro de 2015
Share Button

Por Renann Mendes e Keine Monteiro. A liderança do e-commerce mundial está em novas mãos. Os resultados de 2013 oficializaram pela primeira vez os Estados Unidos em segundo lugar no ranking mundial de vendas do e-commerce. E levando em consideração os números de 2014 e suas projeções, esta parece ser a nova realidade. Esta realidade se chama China.
Os números de crescimento da China são impressionantes. Segundo dados do eMarketer, chegou à 47% de crescimento em 2013 e 426,26 bilhões de dólares em vendas em 2014.
Conforme a projeção para 2018, os números devem superar assustadores 1 trilhão de dólares (U$ 1.011.280.000.000,00), quase o total de vendas do E-commerce mundial de hoje (1,221 trilhões segundo o eMarketer). Para se ter ideia, os Estados Unidos em 2014 registrou U$305,65 bilhões de dólares em vendas e a projeção para 2018 registra “apenas” U$493,89 bilhões. Mais que isso, os Estados Unidos devem superar os números de 2014 da China apenas em 2017!

A líder China - Vendas da China no E-commerce

Neste ranking do e-commerce mundial o Brasil está bem colocado. Um honroso 10º lugar à frente de qualquer país da América Latina. Porém, quando comparados com os líderes, em faturamento ainda somos mais de 20 vezes menores do que a China. Veja mais sobre os números gerais do e-commerce no Brasil.

A líder China - China vs. Estados Unidos vs. Brasil

Quando comparados à outros grandes com crescimento significativo (como Estados Unidos, Alemanha e Brasil), a China também fica bem à frente, mesmo nas estimativas. É possível verificar que a tendência é que a liderança aumente. Veja:

A líder China - Crescimento de vendas no e-commerce

Cross-border

Se pensarmos que o e-commerce representa hoje apenas 10% de todo o varejo chinês, é possível entender o potencial deste mercado. O grande ponto é que a China não se limita ao seu gigantesco território e população. O crescimento conta com uma boa parcela de exportações. A área de Cross-border é o foco por permitir um rápido crescimento.

“Impulsionada por novas tecnologias e modelos de negócio inovadores, a indústria de e-commerce tornou-se um dos novos motores para o desenvolvimento econômico na China e ajuda as empresas chinesas à explorar o mercado internacional”. Explicou Li Jinqi, diretor do bureau do e-commerce no Ministério do Comércio da China no China Conference 2014.

O governo chinês já tem feito sua parte. Têm incentivado as vendas online internacionais, diminuindo impostos e fornecendo linhas de crédito atraentes para promover a expansão das lojas.
Segundo o The Paypers, hoje 17,2% das vendas chinesas são para os Estados Unidos, 16,3% para o Reino Unido e 15,8% para Hong Kong. O país ainda exporta para Brasil, Índia, Alemanha, França, Rússia, Japão e Coreia do Sul.
Não é à toa que, segundo a ComScore,  a Alibaba.com já é a sétima loja virtual mais acessada pelos brasileiros. O site, assim como muitos outros já conta com versão em português. No Brasil, de 2011 para 2012, o crescimento de encomendas vindas da China, cresceu 47%, de 2013 para 2014 o salto foi ainda maior, 87%! Vendas “capitaneadas” pela gigante Alibaba.com.
Este cenário é registrado principalmente pelos preços dos produtos bem abaixo dos registrados no Brasil. O governo brasileiro já sentiu com este crescimento e reagiu aumentando a tributação destes produtos importados. Porém seria esta a melhor estratégia?
Você, por exemplo, já comprou da China? Entende que o Brasil poderia prosperar com um incentivo maior do governo? Dificultar as transações vindas da China ou facilitar os empresários que trabalham no Brasil? Compartilhe sua opinião!

Você também vai gostar

Cresça em tempos de crise! Não deixe a crise da economia brasileira deter você. Empresários estão preocupados em relação à expansão de seus negócios, mas o fato é que é possível...
Um e-commerce B2B que leva almoço para sua empresa todos os dias... Para você que é fascinado por e-commerce e, mais ainda, por modelos de negócios não tradicionais, aqui está mais um exemplo de como uma empresa começa...
Como criar o melhor conteúdo possível Gary Vaynerchuk foi um dos pioneiros do Marketing de Conteúdo. Após trazer uma loja de vinhos (negócio da família) para os primórdios do e-commerce lá...
Vendas da Black Friday atingem R$519 milhões às 8h Faturamento do e-commerce cresceu 236% na quinta-feira (24); na madrugada, cerca de 50 pedidos foram realizados por segundo Balanço parcial da Ebit ap...

SEGREDOS DO E-COMMERCE

Receba as novidades toda semana

3 comentários sobre “A líder China”

  • Protecionismo não é a saída, o certo séria diminuir as aliquotas de impostos e faciltar as transações não só nacionais como internacionais, grande parte disso tem de vir do empresariado que hoje está acomodado com a situação

  • Eu já compro da china sempre mas deveria sofrer uma grande melhoraria no tempo de entrega nem sempre o prazo que o anunciante da é cumprido isso resulta em reclamações e o site acaba reembolsando o cliente e na maioria das vezes o produto some ou entra de graça.

  • Campolim Palma Tives says:

    Portuguese and English
    Procuro parceria para levar estes produtos para a China. Estamos começando um novo projeto. O que é de melhor produzido com a cana. Vai bombar com certeza. Produtos da cana – https://www.youtube.com/watch?v=CO99d3I1Llo.
    Falar com Campolim Palma Tives. Fone: 46 999119567.
    I look for partnership to take these products to China. We are starting a new project. Which is best produced with cane. It’s going to bomb for sure. Cane Products – https://www.youtube.com/watch?v=CO99d3I1Llo.
    Talk to Campolim Palma Tives. Phone: 46 999119567. Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>